Just In One Direction escrita por CostaSalazar


Capítulo 136
Capítulo 136





Mónica estava prestes a sair da universidade quando se lembrou que tinha que tirar umas fotocópias para o seu estudo noturno. Voltou atrás e no corredor encontrou Josh.

- Ok, ou tu andas a seguir-me ou isto são demasiadas coincidencias. – Brinca Mónica – É a terceira vez que nos encontramos hoje!

- Eu acho que é o destino…

Ambos se riram. Eram já muito bons amigos e encontravam-se várias vezes lá na universidade e mesmo fora. Afinal, não viviam muito longe um do outro.

- Olha, tu não queres almoçar comigo agora? Hoje quem cozinha lá em casa sou eu.

- Mas e a Danielle? Ela não se importa?

- Não. Ela é uma fofa. Vens? – Pede ele com cara de cachorrinho abandonado.

- Hum… Está bem.

- Vamos?

-x-x-x-

Zayn e Sofia tinham combinado almoçar juntos naquele dia. Como ele só tinha tido aulas de manhã mais cedo, foi para casa e voltou à hora em que ela acaba as aulas. Esperou-a ao portão enquanto falava com um ou outro conhecido que por lá passava e tentava despachar uma ou outra “amiga” de outros tempos. Quando Sofia estava a chegar, ele estava a falar com Mónica e Josh que passavam para irem almoçar. Algo em que ele não pôde deixar de reparar foi a forma como o baterista olhava para a namorada de Dylan. Um homem apaixonado sabia reconhecer outro homem apaixonado a milhas. Podia estar enganado, mas Josh não era indiferente à portuguesa. Entretanto, Sofia chegou a ele e trocaram um beijo como os do costume. A felicidade daqueles dois era contagiante. Viviam felizes e todos notavam isso. Nada os abalava. Só não sabiam ainda onde iriam almoçar. Enquanto discutiam sobre o local a escolher, Kate, uma colega de turma de Sofia, passou por lá e roubou Sofia por momentos para falar sobre qualquer coisa que Zayn não ouviu. Nesse momento uma rapariga grávida, já com uma grande barriga, caminhava em sua direção. Zayn conhecia-a de algum lado, mas não sabia de onde. Não lhe parecia que estudasse ali na universidade.

- Zayn? – Cumprimenta-o ela, como confirmando que era ele quem ela procurava.

- Sim.

- Lembras-te de mim?

Ele abanou a cabeça negativamente.

- Desculpa… Não estou a ver quem és.

Sofia logo reparou na rapariga que estava a falar com o namorado. Ficou um pouco alerta, tentando perceber o que se passava.

- Pois, é natural. Nós só estivemos juntos uma vez. Eu sou a Sylvia.

- Sylvia?

- Sim. Conhecemo-nos uma noite na discoteca Fabric.

Zayn continuou sem se lembrar de nada.

- Foi a minha prima que nos apresentou. A Karen da tua turma.

- Ah! Sim, já estou a ver. És a rapariga que anda na Brunel University.

- Isso!

- Bem… Estás… diferente. – Exclama ele olhando para a barriga dela.

- Pois. – Concorda ela acariciando a sua barriga. – É complicado.

- Acredito. Mas vieste procurar a tua prima? Ela a esta hora não deve andar por cá.

- Na verdade, eu perdi o contacto com ela. Desentendimentos…

- Ah… Pois, estou a ver. Então o que fazes por aqui?

- Isto vai soar estranho, mas eu já há algum tempo que ando a tentar encontrar-te por aqui. É a única referência que tenho tua. De resto, não sei onde moras nem nada.

- De mim? Mas…

Sofia, que falava com Kate, estranhava a forma como aquela grávida estava a falar com ele. Já nem ouvia o que a amiga lhe dizia. Não costumava ser tão ciumenta, mas tinha um mau pressentimento sobre aquilo.

- E então? Que achas? – Pergunta-lhe por fim Kate.

- Ahm... Desculpa Kate.  Eu não estava a ouvir. Estás a ver ali o Zayn com aquela rapariga?

- Óie… Que grande barriga, pá! Ela parece ter mais ou menos a nossa idade! Coitada!

- Mesmo…

- Mas o teu namorado parece conhecê-la.

- Pois, não sei. Mas estou em pulgas para saber.

- Vai lá! Eu logo telefono-te.

- Está bem. Desculpa.

- Não faz mal. Xauzinho.

Sofia despediu-se com um acenar de mão. Foi então que entrou na conversa, sem perceber muito bem ao início o que se estava a passar. A única coisa que via era o namorado exaltado e a repetir constantemente “Não pode.”

- Desculpa só te dizer agora, assim, do nada, já nestas condições, mas tinha de ser.

- Não! Tu não estás a entender. Eu não posso… Eu estou feliz com a minha vida, com a rapariga que eu amo. Tu não vais aparecer assim e estragar tudo. Não pode!

Sofia olhava para um e para outro. Quem passava lá à beira fazia o mesmo.

- Zayn, o que se está a passar?

- Desculpa, eu… eu…

- É melhor que ela saiba desde já Zayn. – Aconselhava a loira grávida.

- Saber o quê?

Sofia estava a entrar em desespero. No fundo já sabia do que se tratava, mas temia que o mal fosse pior do que ela imaginava. Na sua cabeça já fazia contas.

- Isto deve ser difícil de aceitar. No teu lugar também ficaria chocada, mas estou grávida do teu namorado.

A portuguesa olhou para o namorado, cujas lágrimas se amontoavam nos olhos. Receava que ela não o perdoasse. No entanto, ela manteve-se firme e tudo o que fez foi tentar clarear a situação.

- Mas espera lá. Isto não é assim. Chegares aqui e “ai eu estou grávida de ti” e pronto. De quanto tempo estás?

- Oito meses.

A morena dos caracóis sossegou por um bocado. Na sua cabeça contava os meses. Ela e Zayn só namoravam há três. Depois olhou para o namorado para ouvir a versão dele de toda aquela história.

- Isto é verdade Zayn?

O rapaz encolheu os ombros:

- Não sei.

- Como é que não sabes, porra? Não sabes como se faz um filho? Dormiste ou não com ela?

- Dormi, mas foi só uma vez e já foi há bués! Nem sei há quanto tempo foi... Não sei.

- Oito meses. – Interfere a loira.

Sofia olhou para o namorado nos olhos brilhantes pelas lágrimas que os enchiam, virando costas para a outra, e perguntou-lhe:

- Juras que depois dessa vez nada mais tiveste com ela? Não mais depois de estares comigo?

- Juro! Nunca mais estive com ela. Foi só daquela vez e nem tinha noção do que estava a fazer. Foi numa festa de aniversário na discoteca.... Enfim... Nunca mais a vi sequer... A não ser hoje.

Então a morena tomou o comando da conversa. Voltou a virar-se para a loira e a conversa ficou naquele momento entre elas.

- Muito bem, eu não sei qual a intenção de vires agora informar que ele vai ser pai. Depois de tantos meses, só agora apareces? Mas eu nem quero saber disso. Se há alguém aqui que tem de saber alguma coisa és tu.

- Desculpa?

- Estás desculpada. É assim. Eu amo o Zayn e sei que ele me ama. Há oito meses atrás ele não estava comigo. Tecnicamente não me traiu. Por isso eu não o vou abandonar agora. Se a tua intenção foi procurá-lo para ficares com ele, estás enganada. De resto, relativamente à criança, não penses que também vai ser assim tão simples. Quando a criança nascer podes voltar a procurar-nos. Nessa altura tratamos de fazer o teste de paternidade. Depois logo se vê. Sendo filho dele, ele há-de responsabilizar-se nas obrigações dele. Tenho a certeza de que ele não vai deixar faltar nada à criança. Nem o carinho de pai. E eu também vou estar sempre aqui para tratar bem do filho do Zayn. Mas ele não vai ficar contigo só por causa da criança. Isso não.

Ao dizer tudo isto, Sofia agarrava a mão de Zayn fortemente. Ele olhava-a orgulhoso pela atitude dela. No final abraçou-a e ela não conseguiu mais manter-se forte. As lágrimas começaram a cair pelo rosto. Sobretudo por raiva e nervosismo. Era a forma como respondia a essas situações.

- E se o deixasses decidir a ele o que fazer da vida dele?

- Sylvia, por favor… Já não reparaste que isto é mesmo assim? Está tudo dito.

- Tudo bem. Mas eu preciso que sejas um pai presente. Eu não fiz o filho sozinha.

- E vou ser. O que queres? Dinheiro?

- Fazemos assim, dou-te o meu número e depois tu ligas-me. Não dá para falarmos agora e aqui. Depois de te acalmares e de acalmares a tua namorada, falamos sobre isto tudo.

- É melhor. – Concorda ele entregando-lhe o telemóvel para que ela marcasse o número.

Todos olhavam para o escândalo. Toda a gente tinha percebido que Zayn ia ser pai. Não tardaram os gozos, os olhares de reprovação. O certo é que ele não estava minimamente preocupado com o que os outros achavam. Estava sim preocupado com Sofia. Conduziu-a até ao carro, sempre abraçando-a. Depois de entrarem, ele, com algum custo, sem saber muito bem como o fazer, começou.

- Desculpa. Eu não queria isto...

- Deixa isso Zayn. Eu estou aqui contigo para o que der. Não estava nos meus planos ter de lidar com um filho teu e de outra mulher, mas se esse for o preço a pagar para te ter, eu não te vou deixar. Por favor, não me abandones tu!

- Eu amo-te... Não te abandonaria por nada.

-x-x-x-

Mónica e Josh almoçaram com Danielle. Ele tinha cozinhado e, realmente, cozinhava muito bem.

- Parabéns! – Congratulava-o a portuguesa.

- Obrigado.

- O Josh é um rapaz cheio de qualidades… - Acrescentava a dançarina.

- Wow… Assim ides fazer-me corar.

- Sim… Porque tu és muito tímido. – Ironiza Mónica.

- Às vezes. Só às vezes.

- Bem, a comida estava muito boa e a conversa também, mas eu tenho de me ir vestir porque daqui a bocado o Liam está aí. Vai levar-me ao ensaio para a coreografia do videoclip do Joe.

- Vai lá, vai. - Enxota-a Josh em tom de brincadeira.

- Ela é muito fixe.

- É. Mesmo sendo rapariga, nunca tivemos problemas a dividir a casa. Dámo-nos muito bem. Ela é mesmo cinco estrelas!

- Oh! E tu também.

- Ui! Mais elogios?

- Não é que os mereças, mas…

- Sim, sim… Que mentirosa…

Ela riu-se.

- E o Dylan, como tem andado?

- A recuperar, bem, aliás.

- Ainda bem.

- É. Eu tenho de te agradecer a ti por tudo.

- A mim? Ora essa! Porquê?

- Pelo apoio que me tens dado. As coisas com o Dylan não têm corrido da melhor forma, mas tendo amigos como tu do meu lado, tudo parece mais fácil. Mesmo eu sabendo que não gostas do Dylan…

- Sempre que precisares. Eu não simpatizo com ele porque tenho assistido ao que ele te faz chorar e eu não gosto disso. – Ele pousou a mão dele em cima da dela que estava em cima da mesa. – Gosto demasiado de ti para ficar indiferente a alguém que te magoe. Apenas respeito que gostes dele. Vou estar sempre aqui para te apoiar sejam quais forem as tuas decisões.

Ela engoliu em seco, sem jeito. Retirou a mão debaixo da dele e levantou-se.

- É melhor arrumarmos isto. Eu ajudo-te.

- Obrigado então. Levas as coisas para a cozinha e eu lavo a loiça. Pode ser?

- Sim.

-x-x-x-

Depois do choque da notícia, Zayn e Sofia não conseguiram pensar em comida. Tudo o que queriam era passar algum tempo juntinhos e sossegados. Foram para casa dela e mal entraram, dirigiram-se ao quarto. Vinham cabisbaixos e com os olhos vermelhos. As amigas estranharam mas não quiseram intrometer-se. Eles deitaram-se na cama e não trocaram palavra. Ela pousou a cabeça no peito dele enquanto ele a envolvia com o seu braço. Tinha sido um golpe duro, mas mais uma vez eles não iriam ceder. Estariam juntos para o que viesse.

Tempos depois tinham adormecido. Por essa altura já Lúcia e Gina caminhavam para voltar às aulas da tarde.

-x-x-x-

- Para a semana quero um trabalho sobre o desenvolvimento da sustentabilidade do nosso país. Utilizem os grupos do trabalho do primeiro semestre. – Anunciou a professora de Ecologia, finalizando a aula.

Gina quando ouviu as palavras da professora ficou zangada. Iria ter que trabalhar com Caroline, e depois dos últimos acontecimentos era a única coisa que ela não queria ter de fazer.

- Bem… Parece que vamos ter que voltar a trabalhar juntas, querida. – Diz Caroline encarando a morena.

- Pois… Eu devo ter feito muito mal na minha vida passada… Mas pronto! Trabalho é trabalho e não vai ser por tua causa que eu vou ter má nota.

- Eu também não quero má nota no trabalho. E acho que não tens de reagir assim comigo… Eu sei que no passado tivemos desentendimentos por causa do Harry, mas eu não quero mais interferir na vossa vida.

- Está bem Caroline. Amanhã digo-te o que tens de fazer no trabalho. Xau.

-x-x-x-

Teria passado uma hora e meia mais ou menos quando Zayn acordou. A morena dos caracóis também acordou logo depois, e agora tudo parecia mais fácil. Tinha-lhes feito bem aquele descansozinho. E nada melhor do que acordarem um ao lado do outro para ficarem com a melhor das disposições. A fome é que os dominava por completo. Setiam-se capazes de devorar a cozinha inteira.

A namorada de Louis estava também a acabar de chagar da universidade, juntamente com a namorada de Harry. Lá não se falava de outra coisa: Zayn ia ser pai. As duas estavam incrédulas. O Zayn pai de um filho que não era de Sofia e no entanto eles estavam juntos no quarto? Seria aquilo tudo verdade? Para as deixar mais confusas ainda, o casal chega à cozinha sorridente e a falar para as amigas como se nada se tivesse passado. Comeram, conversaram com elas sobre tudo e mais alguma coisa, mas nada sobre filhos de Zayn. Talvez aquilo não passasse de uma mentira. Porém não tiveram coragem para tirar aquilo a limpo naquele. Acharam melhor esperar para ver se eles contavam alguma coisa. Depois de matar a fome, o jovem casal voltou ao quarto e Lúcia e Gina continuaram a falar do que tinham ouvido dizer na faculdade. Se fosse verdade, certamente Sofia contar-lhes-ia alguma coisa depois de ele ir embora.





Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Just In One Direction" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.