Just In One Direction escrita por CostaSalazar


Capítulo 130
Capítulo 130


Notas iniciais do capítulo

Aqui está outro capítulo :)
Comentem por favor!!!!!




Depois daquela conversa um pouco mais constrangedora para Liam, as brincadeiras e a cavaqueira continuou pela noite dentro. Não estava nos planos deles dormir.

Entretanto sabiam de todas as novidades das namoradas. Passavam a vida em constante contacto com elas. Zayn já sabia de Vitor e não gostava nem um bocadinho daquilo, mas confiava nela. Porém, as minhocas que Gina lhe tinha posto na cabeça, por brincadeira, quando estiveram os dois casais a falar por Skype ao final da tarde, continuavam a rondar-lhe a cabeça. Mas sabia como era Gina… Sempre a mesma brincalhona desmancha-prazeres.

E a noite continuava. Entraram em casa e juntaram-se novamente no sofá a comer e novamente a cantar. Quando deram conta já o sol nascia.

- Queria que o tempo hoje estivesse bom… Apetecia-me mesmo um mergulho na piscina. – Expressa-se Harry.

- E é preciso o tempo estar bom? ‘Bora lá! – Dispõe-se Niall.

- Estás a gozar! O sol acabou de nascer… Está um frio de rachar lá fora! – Reclama Louis.

- Oh! Deixem de ser meninas! – Encoraja-os o loiro já de pé.

- Tu és maluco… Mas eu estou dentro. – O namorade de Gina apoia.

- Anda Liam! – Pedia o namorado de Débora.

- Eu não quero ficar doente, ‘tás a gozar?

- Camada de cricas... – Goza Harry.

- E tu Zayn?

- Ele não sabe nadar, lembraste? – Relembra Louis.

- Ah... pois é… - Lembra-se o loiro.

- Posso não saber nadar, mas não sou tão medricas como vocês. Eu vou.

Liam e Luis olharam-se.

- Vá lá, venham! – Insistia Niall.

- Não sei… - Duvidava o rapaz de Wolverhampton.

- Pronto, vá… Se o Zayn que não sabe nadar vai, eu também vou.

- É assim mesmo Louis!

- Vais ficar a olhar para nós?

- Hum… A sério que têm de ir todos?

- Anda lá e cala-te! – Puxa-o Zayn.

Sairam de casa. Estava um frio de neve, mas eles começaram logo a despir-se. Harry foi o primeiro. Os outros seguiram-se. Liam, Louis e Niall pouco tempo lá estiveram. Zayn e Harry perlongaram-se um pouco mais. Foi então que Harry, como habitualmente, se despiu por completo. Ficando a nadar sozinho na piscina. Os outros riam-se das ceninhas que ele andava a fazer lá dentro.

-x-x-x-

Derek estava preocupado com o primo. Tinha-o visto a sair de casa um pouco agitado e não voltara. Ligou-lhe antes de ir dormir, por volta das três da manhã, mas ele não atendeu. Umas horas mais tarde o seu telemóvel começou a tocar. Era do hospital. Ele vestiu-se e saiu de casa o mais depressa possível. No hospital ainda teve que esperar pelas notícias do médico. Dylan estava na sala de operações. O americano já estava a ficar impaciente. Por fim, o médico apareceu.

- Bem, o seu primo está num caso de risco...

- De risco?! Como assim?

- Ele corre o risco de não poder voltar a andar.

- O quê?

- Infelizmente, o acidente causou danos muito graves, mas a minha equipa está a fazer os possíveis para que a operação corra da melhor maneira. Daqui a umas horas teremos notícias para si.

O rapaz dos óculos sentou-se novamente. As lágrimas vieram-lhe aos olhos. Estava realmente preocupado. Mas havia algo que ele tinha ainda que fazer: telefonar a Mónica. Sabia que eles não andavam muito bem, mas tinha a certeza de que Mónica ficaria chateada se ele não lhe avisasse. Depois de ganhar coragem, assim fez. A rapariga ficou em choque, sem dizer nada. O próprio rapaz ficou preocupado com a amiga. Ela desligou-lhe a chamada sem dizer nada. Débora e Raquel, que estavam com ela, logo a apoiaram. Ela tremia. Não conseguia sequer chorar. Quis logo ir para o hospital e as amigas não a abandonaram.

Pouco antes de Mónica chegar, Derek foi até uma máquina de comida e quando estava a regressar para o seu lugar viu o médico.

- Então doutor?

- A operação foi um sucesso. Com muita fisioterapia e esforço o seu primo poderá voltar a andar.

- E quando é que posso vê-lo?

- Ele agora está a repousar. Depois terá indicação de quando poderá vê-lo.

- Muito obrigado, doutor.

O surfista ficou muito mais sossegado. Quando Mónica chegou, também ela ficou muito mais aliviada. Nesse momento acalmou-se e assentou as ideias. Custava-lhe muito ver Dylan a passar por aquilo, mas não haveria de ser por causa do acidente que ela iria esquecer de tudo e ficar tudo bem. O loiro poderia contar com ela para tudo o que precisasse, mas como amiga.

-x-x-x-

Entretanto o tempo ia passando. Na segunda-feira Louis acordou bem cedo e pôs-se a caminho para Londres. Já não aguentava as saudades de Lúcia, por muito que falasse com ela todos os dias. Umas horinhas de caminho e já matava essas terríveis saudades que o andavam a matar. Também Lúcia não dispensou um beijo bem apaixonado e um abraço bem forte, enquanto que ele pegava nela. Não perderam muito tempo. O rapaz ainda cumprimentou Josh e Danielle e logo seguiram caminho para Doncaster.

Ao lá chegar, já ao final da tarde, o casal foi recebido pela mãe e pelas irmãs dele. Como já todas conheciam Lúcia, as apresentações logo se dispensaram. Nos planos estava passarem lá a noite e depois, no dia seguinte irem para a quinta de uma tia do Louis juntamente com as irmãs dele. Divertiam-se sempre bastante lá e daquela vez não iria ser certamente exceção.

-x-x-x-

Nesse mesmo dia, Dylan podia já receber visitas. Os pais dele foram os primeiros a ir vê-lo juntamente com Derek. Mónica chegou ao Hospital precisamente na hora de ir embora deles. Encontrando-os no corredor, ainda ficou um pouco à conversa com eles. Os pais de Dylan gostavam muito dela e não tinham ainda a menor ideia da fase complicada do relacionamento deles, mas ela também não disse nada. Depois de se despedir, Derek olhou-a encorajando-a a ir visitar Dylan. Ela também sentia que ele ficaria feliz de a ver… e não tinha de todo se enganado. Encontrou ainda forma de lhe ralhar por fazer a asneirada que tinha feito, mas ele não se importava de ouvir sermão. Desde que ela ali estivesse, tudo estava bem. Porém, nem todas as visitas eram boas… A porta do seu quarto abriu-se repentinamente e até sentiu um arrepio quando reparou na pessoa.

- Chefe?

O homem caminhou lentamente até Dylan.

- Que filha da puta de ideia foi esta de vires aqui parar? Agora como é que eu faço com o atraso das tuas vendas? Ah? Como estás a pensar compensar-me?

- Foi um acidente, não foi premeditado…

- Olha lá, ó loirinho, o que eu quero saber é como me vais compensar… Eu não sou homem de brincadeiras. Se te quiseste envolver nisto, agora tens de ser responsável. Não estás à espera que eu te dê direito de baixa médica ou uma merda qualquer do género pois não? Quem trabalha comigo não tem direito a ficar doente ou a ser esbarrado. Se tiveste culpa ou não é-me indiferente, o problema é teu. Eu quero tudo vendido e quero que me entregues os lucros para fazermos contas. Entendido? É só para te avisar. Não costumo visitar, como dizer?... Colaborades. No entento, acho que andavas a precisar de um susto. Começaste muito bem e nos últimos tempos tens vindo a decair…

- Eu vou ver o que consigo fazer.

- Tu vais o quê? Vais ver? Não! Tu vais fazer o que eu te disse. Só isso.

Dylan concordou abanando a cabeça.

- Livra-te de fugir ao combinado. Caso contrário obrigar-me-ás a usufruir dos meus trunfos.

Assim o homem saiu do quarto deixando Dylan numa enrascada. Agora nem andava na perfeição e tinha ainda aquilo tudo para vender, em casa.

-x-x-x-

- Olá amor!

- Tenho tantas saudades tuas!

- Também eu. Só passou uma semana e parece que passou um mês…

- Mesmo! Nunca pensei dizer isto, mas estou ansiosa que comecem as aulas.

Ele riu-se.

- Ui… Isso sim é que é prova de amor… Tu a pedires aulas?

- Oh! – Riu-se ela.

Depois de Gina e Harry trocarem as novidades do dia, desligaram a chamada no Skype. No fundo não havia muita conversa. A vontade era de se abraçarem, beijarem, tocarem um no outro.

-x-x-x-

Sofia passou aquela tarde em casa. Não tinha nada para fazer e, tendo a mãe a trabalhar, estava deitada no sofá a ver televisão. Nada como ver televisão na língua materna. No entanto o telemóvel tocou. Era Vitor. Não lhe apetecia atender, mas por outro lado, achava que não devia fugir dele, que devia enfrentá-lo.

- ‘Tá?

- Olá.

- Olá Vitor.

- Tudo bem?

- Sim e contigo?

- Sempre.

- Ahm… Ainda bem.

- Estás em casa?

- Estou.

- E estás muito ocupada?

- Mais ou menos… - Tentou escapar ela, sem ter de mentir muito.

- Estás ou não estás?

- Não.

- Eu quero falar contigo. Prometo não te ocupar muito tempo.

- Mas sobre o quê?

- Depois vês. Posso ir aí para falarmos?

- Vitor…

- Posso?

- Se isso são esperanças de ainda vir a acontecer algo entre nós, esquece.

- Posso ir aí ou não?

- Pronto. Anda. Anda lá.

- Daqui a 15 min. estou aí. Beijinho.

Os minutos passaram. A campainha tocou. Ela abriu-lhe a porta, ele entrou. O silêncio reinou por algum tempo.

- Então que me querias dizer? – Começou ela.

- Eu não quero ficar longe de ti. Eu não consigo.

- Vitor…

- Eu nem consigo imaginar-te lá com o muçulmano…

- Mas o “muçulmano”, como tu dizes, dá-me o valor que tu demoraste a dar. Eu já te disse muitas vezes que entre nós não há mais nada. Acabou, é passado. Entende isso, por favor! De outra forma nem amigos podemos ser.

Ele aproximou-se mais dela e ela tentou ficar mais atenta para se proteger de alguma tentativa desesperada que ele pudesse ter. Os olhos dele brilhavam de algum sentimento mais angustiante que ele sentia no momento.

- Tens a certeza que gostas desse muçulmano?

- Outra vez Vitor? Sim… Eu gosto do Zayn.

- Então diz-me olhos nos olhos, aqui, à minha frente, que não sentes mais nada por mim, que não gostas mais de mim. Eu prometo que é a última vez que te incomodo. Saio daqui e nunca mais te chateio com isto.

Ela sentiu um aperto no coração. Não gostava de arrasar com os sentimentos das pessoas porque não gostava que o fizessem com ela, mas não podia fazer nada. Continuou com a postura firme e respondeu-lhe.

- Desculpa. Eu estou feliz como estou. O que nós tivemos é passado.

- É a tua última palavra?

Ela acenou a cabeça afirmativamente.

- Desculpa.

O rapaz dirigiu-se à porta de saída e foi-se embora.



Notas finais do capítulo

O próximo será no domingo ou na segunda :)
Comentem por favor!! :D



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Just In One Direction" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.