Just In One Direction escrita por CostaSalazar


Capítulo 129
Capítulo 129


Notas iniciais do capítulo

Olá! Esperamos que esteja tudo bem convosco.
Aqui têm mais um capítulo.
Esperamos que gostem.




Naquela tarde o professor e Raquel encontraram-se. Desta vez ele levou-a para casa dele para que estivessem a sós e mais à vontade. Desta vez tinham-se divertido muito mais… em todos os sentidos. Ele até cozinhou para ela! Raquel ajudou-o, mas acabaram por começar a brincar com a comida. Sujaram-se todos e sujaram a cozinha. Depois de comerem, tomaram um banho relativamente rápido, os dois juntos e, por muito que a ideia fosse levá-la a casa, acabaram por se envolver novamente no calor do momento e ela acabou por ficar a dormir na casa dele.

-x-x-x-

Ainda nesse dia de tarde, Dylan procurou Mónica. Por muito que lhe batesse à porta, ela rejeitou abrir. Do lado de dentro, ela estava destroçada, com as lágrimas a marcarem-lhe o rosto. Não podia ceder. Se ele não partilhava a vida dele com ela, se não a fazia mais feliz como outrora, o melhor era estarem separados, nem que fosse por um tempo para que, quem sabe, ele compreendesse o que havia de errado e voltasse a ser o Dylan de antes. Mas para isso era preciso que lhe provasse a mudança, e palavras não bastavam. Ele desistiu de bater à porta e chamar por ela mas Mónica precisava de alguém que a ouvisse. No entanto, com Débora em gravações e Raquel com o professor, não lhe sobravam muitas opções. Claro que um dos primeiros pensamentos foi Harry, mas ele estava longe, de férias com os amigos, e não o queria atrapalhar, por muito que tenha chegado a pegar no telemóvel com a tentação de lhe ligar. Por fim desistiu. Porém, na lista de contactos do seu telemóvel, alguns nomes abaixo do de Harry, estava Josh. O baterista ainda no dia anterior lhe tinha dado o número “para o que ela precisasse”, como ele próprio dissera. Ainda hesitou, mas depois ganhou coragem. Tudo o que ela precisava era dar uma volta com alguém, tomar um bom milkshake e deixar sair umas palavras que a estavam a sufocar.

-x-x-x-

- Tenho de ir. – Começa Josh a pegar nas suas coisas mal desliga a chamada de Mónica.

- Mas o ensaio? – Questiona Kayky.

- Hoje não dá pá! Assunto urgente. Tenho mesmo de ir. Desculpem, mesmo!

-x-x-x-

Como tinham combinado na noite anterior, Sofia, Gina, João, Tiago, Óscar, Marcos e Miguel, foram ao Pacha-Ofir. Naquela noite, aquilo estava cheio. A música soava bem e estavam prontos para se divertirem à grande. Díficil foi escolher para que pista iriam... Gostos diferentes.

Apesar daquilo ser divertido, Gina já estava cansada e decidiu ir sentar-se num sofá, juntamente com João e Miguel. Os outros faziam-se donos da pista de dança. Principalmente Marcos. Esse estava super animado. Fumar e beber numa noite pode ter efeitos secundários numa pessoa. Mas os amigos gostavam de o ver assim. Sempre dava para se rirem um bocado. E para além do mais, ele não estava insuportável, estava alegre.

A noite continuou e surgiram algumas surpresas para a pequena morena do grupo. Dois antigos colegas de turma do secundário estavam presentes. Ainda por cima eram aqueles que ela achava insuportáveis.

- Oh, que caralho... Agora não me consigo esconder. - Pensou ela, enquanto eles se aproximavam.

- Olá... Estás de vago? - Perguntou Filipe, o rapaz mais alto, no seu típico tom gozista,aproximando-se de seguida para a cumprimentar. - Então? - Continua ele. - Não estavam em Londres?

- Não rendeu lá o negócio, foi? - Intervém Luís, o outro.

Gina sorriu cinicamente e respondeu ao Filipe:

- Vim cá passar as férias da Páscoa.

- E nem avisas o pessoal nem nada?

- Nem foi preciso. O destino tratou disso. Infelizmente...

- E a Lúcia? Também veio?

- Não. Já veio no Natal, por isso...

- Ah, pois. Eu estive com ela.

- Ela disse-me.

- E tu tens que me falar desse inglês...

- O quê? Um novo cliente? - Intervém novamente Luís.

- Olha porque é que não vais dar uma volta? Já estou farta de ti e só estás aqui há 5 min!

- Fogo, que má!

- Má, não. Sem paciência para idiotas como tu.

- Txiii, que ela veio brava. Ó Lúis, é melhor estares calado.

- Pronto... Desculpa, Gininha. - Lamenta ele, abraçando-a.

- Vai-te foder!

- Mas tu não tens namorado? - Responde-lhe ele.

- Não é contigo, otário!

- Sabes quem é que eu vi aqui hoje? - Questiona Filipe a Gina.

- Quem?

- O ex-miúdo da Lú.

- O fruta verde?

- E por falar nele... - Interrompe Luís.

- Gina! - Chama João, aquele "amigo" de Lúcia. - Posso falar contigo? Em particular?

- Ok... - Aceitou ela, afastando-se dos amigos.

- Sabes porque é que a Lúcia me deixou de falar desde que voltou para lá?

- Fica caro falar para Portugal...

- Óh! A sério? Não me digas que na net também!

- A internet lá é limitada...

- Porra, diz-me a verdade!

- Ok! É assim verdinho, à custa dos teus beijinhos a ela, arranjaste problemas à relação feliz e apaixonada que ela tinha. Mas, felizmente, já está tudo bem.

O rapaz ficou sem saber o que dizer, e Gina também não lhe deu muito tempo. Virou-lhe costas e foi ter com Sofia à pista de dança. 

-x-x-x-

Era uma da manhã e Dylan não conseguia dormir. Só pensava no chefe a chatear-lhe a cabeça com as vendas, nos drogados que lhe passavam a vida a telefonar, na forma como lhes estragava a vida ao lhes vender mais daquele veneno que os matava de dia para dia, e na forma como aquela história lhe arruinara a vida a ele, fazendo-o perder o que de mais importante tinha. O que mais queria era abandonar tudo aquilo e voltar para os braços dela, mas sabia que se o fizesse ou morria ou, pior ainda, punha Mónica em risco. Se pudesse voltar atrás… Levantou-se, vestiu a primeira coisa que lhe apareceu à frente e saiu de casa. Entrou na discoteca mais próxima e bebeu até não poder mais. Deu um bom desfalque ao seu cartão de crédito. Como tinha de voltar para casa, no final da noite, não hesitou pegar no carro para tal. O problema é que não estava minimamente apto para conduzir e metros à frente deixou de conseguir controlar o carro. O carro começou a derrapar, Dylan não estava a conseguir travar e nem tinha bem noção do que estava a acontecer. O embate aconteceu contra um muro. Um estrondo enorme se ouviu. Toda a gente dos arredores correu para ver o que se tinha passado. Mesmo quem estava a dormir. Minutos depois a ambulância chegava para o levar par o hospital.

-x-x-x-

Os rapazes estavam no descanso total. Com nada para fazer, e estando uma noite relativamente agradável, juntaram-se no exterior à volta de uma fogueira com Niall a tocar na sua guitarra.

“Baby you light up my world like nobody else

The way that you flip your hair gets me overwhelmed

But when you smile at the ground it aint hard to tell

You don’t know-oh-oh

You don’t know you beautiful-uh-uhl

And that’s what makes you beautiful.”

- Wow! Há bué que não faziamos uma cena destas! – Expressa-se Liam.

- Mesmo! Já tinha saudades desta música. – Concorda Harry.

- Mas não estivemos nada mal… - Interfere Zayn.

- Isto fez-me ter mais saudades ainda da Lúcia.

- Nem digas nada! – Protesta Niall. – Tu vais estar com ela daqui a um dia e umas horas. A mim ainda me falta uma semana inteira para ver a Débora.

- E eu estou a morrer para poder abraçar a Sofia.

- Mesmo! Só de saber que a Gina está tão longe até me doi qualquer coisa cá dentro.

Liam conservava silêncio, pensativo. Não falava com Danielle há uns dias. Não queria dar uma de amigo chato, mas estava cheio de saudades dela. Cada vez mais pensava em lhe dizer tudo de uma vez e acabar com aquele sofrimento. Não ia aguentar passar por aquilo mais nenhuma vez.

- Só ali o Liam é que não sabe o que nós estamos aqui a passar. – Diz Louis.

- Ah? Desculpem, não estava atento.

- Andas a pensar na morte da bezerra? – Goza Niall.

- Que bezerra, qual quê? Estava… ahm… a pensar em…

- Não me digas que estavas a pensar na Raquel… Não há mesmo hipóteses de vocês voltarem? – Interessa-se Zayn.

- Realmente… És o único solteiro da casa. – Repara Harry.

- Se bem que não me parece que tu e a Raquel tenham muito a ver um com o outro, mas… - Acrescenta o rapaz de Doncaster.

- É, vocês nunca pareceram ser assim muito apaixonados… Havia alturas que não se largavam, outras que se evitavam… - Comenta o loiro.

- Não, não era na Raquel que eu estava a pensar. – Respondeu o rapaz, mas ninguém prestou muita atenção à resposta dele porque Zayn logo surgiu com uma pergunta.

- Não tens mesmo ninguém a mexer com o teu coração?

- Não sei porquê mas eu também acho que sim, que tens, mas que nada contas aqui ao pessoal. – Concorda o namorado de Lúcia.

- Conta lá! Nós conhecemos? – Interessa-se o caracolinhos.

- Deixem-se de filmes. Eu vou é fazer qualquer coisa quente. – Levanta-se o rapaz, escapando ao assunto.

- Deixa lá… Nós vamos descobrir! – Afirma Niall.



Notas finais do capítulo

Sexta ou Sábado vem o próximo.
Fiquem bem :) x



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Just In One Direction" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.