Just In One Direction escrita por CostaSalazar


Capítulo 116
Capítulo 116





No dia seguinte, sexta-feira, os alunos estavam dispensados das aulas. Era um género de feriado só da universidade. Kelly aproveitou para marcar um jantar com os amigos para o qual os rapazes ofereceram a casa deles. Gina chateada com Harry, preferiu não ir, por muito que ele estivesse à espera de a ver. O que acontecera na noite anterior fora um mal-entendido, não era bem o que ele queria dizer.

No final da noite os amigos aproveitaram para dar na cabeça de Harry. Gina tinha-se recusado a falar do que tinha acontecido na noite anterior, por muito que as amigas tivessem percebido que algo se tinha passado, o que os fazia perceber que ele tinha feito algo de muito grave. Afinal, ela tinha saído do baile com ele para conversarem e não mais voltara, mostrando-se completamente destroçada no dia seguinte. Harry também se recusara a falar do assunto, mas aparentava estar distante, tristonho.

Kelly fez desse jantar a oportunidade para entregar os seus presentes, porque no dia seguinte ia visitar a família, partindo de novo para Nova Iorque.

Josh não pôde estar presente no jantar porque nessa noite tinha um concerto com a sua banda num outro bar com concertos ao vivo. Os novos amigos tinham como intenção ir vê-lo mas acabaram por não o fazer. Os rapazes estavam todos cansados pela noite anterior e preferiram ficar por casa, com a exceção de Louis que tinha de compensar o tempo perdido com a sua mais-que-tudo. Kelly tinha de dormir para no dia seguinte apanhar a estrada até à casa dos pais. Danielle quis acompanhá-la e Sofia não quis deixar a amiga de ascendência peruana sozinha por tanto tempo.

-x-x-x-

Nessa tarde, Gina recebeu a chamada de um número que não conhecia. Não sabia quem era, mas curiosa atendeu. Do outro lado, falou Derek. Gina logo pediu-lhe desculpas por se ter esquecido dele. Ele mostrou-se compreensivo apesar de se estar a roer-se por dentro. Notou na voz dela que estava triste e quis saber o que se passava, mas ela não lhe disse nada. Então ofereceu-se para a ouvir se ela quisesse. Ela agradeceu, despediu-se e desligou a chamada.

-x-x-x-

Também Sofia teve o que fazer na tarde dessa sexta-feira. Depois do almoço, pôs pés ao caminho e foi visitar a amiga.

- Pequenina!

- Olá loira.

Ambas foram para a sala e a recém-chegada aproveitou para cumprimentar as outras duas. Depois ficaram a conversar até que a namorada de Zayn pediu para falar com Débora a sós.

A conversa resumiu-se a Niall. Sofia tentou mostrar à amiga que tudo o que ela andava a fazer, a forma como o tratava, estava a deixá-lo muito trsite. Niall era um rapaz sensível e quando amava alguém não sabia bem como reagir, principalmente se essa pessoa que ele amava fosse assim tão dura para com ele. Além do mais ele não merecia aquela dureza. Ele era um rapaz cinco estrelas com ela e já tinha tentado de várias formas chegar ao seu coração. Ainda por cima, no tempo que esteve internado, ela tinha-o visitado e mostrado outra face dela. Nessa altura ela deu-lhe esperanças mas depois começou a tratá-lo da mesma forma que antes. Sofia contou-lhe ainda a conversa que Niall tinha tido com ela depois de Débora recusar o convite para o baile de S. Valentim. Tinha parecido um cachorrinho abandonado. Ele não merecia.

- Shiu! Escusas de dizer que não gostas dele porque eu sei que gostas! - Impunha-se a morena dos caracóis.

- Mas olha, porque é que estamos mesmo a falar disto?

- Eu sei que não tenho nada a ver com a história, mas eu só quero o melhor para vocês. O Niall é o meu melhor amigo e tu és uma amiga muito especial. Por isso, custa-me vê-lo sofrer, ainda por cima por um amor que é correspondido!

- Olha... Não queres ir lanchar? Já estou com uma fomeca. - Foge Débora do assunto, levantando-se e dirigindo-se para a porta.

Sofia, chata, continua:

- Nem penses que vais fugir de mim!

Débora enerva-se e volta a sentar-se na cama.

- Ok, queres que diga que gosto dele? Queres que diga que por mais que queira não consigo facilitar? Que é algo mais forte do que eu, aquilo que eu faço?

- Ah! Então espera aí! Agora explica-me o porquê de não lhe facilitares, como tu dizes. É medo?

- Óh páh, não sei.

- Por favor, Débora, não sejas assim para o rapaz...

- Óh, 'tá bem.

Depois de toda a conversa com a namorada de Zayn, a outra caiu em si e sentiu uma culpa enorme pelo que andava a fazer ao loiro. Sentiu pena dele e só lhe apetecia pedir desculpas. No entanto, à frente da amiga não deu parte fraca. Continuava irredutível. Não era pessoa de demonstrar arrependimento dos seus atos. Sentia que tinha realmente de mudar a forma de tratar Niall. Além do mais, ele merecia, porque para além de a amar, como ela no fundo sabia que ele a amava, sabia respeitar o espaço dela, pelo menos nos últimos tempos. Agora começava a imaginar o sofrimento dele.

-x-x-x-

Louis esteve a falar com Eleanor também. Agora que ele namorava, a rapariga não se sentia bem alojada na casa deles. Por isso, não querendo arranjar problemas para o casal, que já tinha tido demasiados, não cedeu à insistência do amigo e preferiu ir para um hotel. O rapaz de Doncaster fê-la pelo menos prometer ficar num hotel lá próximo da casa deles. Preocupava-se com a amiga e não a queria perdida e abandonada pela cidade de Londres.

-x-x-x-

Como Lúcia tinha saído com Louis depois do jantar em casa dele, as outras duas portuguesas combinaram passar o serão na internet a falar com os amigos portugueses, aquando de Sofia voltar do mesmo jantar. A certa altura, Harry começou a falar com Gina no Facebook. Ela ignorou e logo fechou a janela de conversação.

- Então, o Miguel já respondeu? - Perguntou Sofia acabada de chegar da cozinha.

- Não.

- Mas eu ouvi o barulhinho.

- Era um moço a bater coro...

- Mostra o moço. - Pede a rapariga dos caracóis. - É português ou inglês?

Nesse mesmo momento, Harry voltou a falar.

- É o Harry, Gina!

- E 'tá bem. - Responde-lhe a morena voltando a fechar a janela da conversa.

- És mesmo trenga! Afinal o que é que se passou entre vocês os dois no baile?

- Não é importante.

- A sério que não me vais contar?

Depois de alguma insistência por parte de Sofia, a rapariga dos cabelos lisos começou a contar-lhe tudo. Até que parou de falar e começou a entrar em pânico.

- Oie, oie, oie, oie, oie, oie!

- O que é que foi?

A morena ficou pálida.

- O Harry... O Harry não usou preservativo...

- 'Tás a gozar, certo?

- Não. Ele não usou. Oh, meu Deus! Vou matá-lo...

- Vais matá-lo? Não sei se sabes mas tu também tens parte da culpa. Vocês têm ambos a responsabilidade de se prevenirem.

- Vocês deram-lhe tantos nos anos, porque é que eu tinha de me preocupar com isso?

- Talvez porque o mal agora é principalmente teu. Olha se estás realmente grávida, tens noção? Não te custava nada na hora H virares-te para ele e perguntares por "aquilo"...

Gina levou as mãos à cabeça e começou a andar de um lado para o outro.

- Uma noite e ele faz merda duas vezes: primeiro "usa-me" e depois não usa a porcaria de um preservativo!

- Sois os dois culpados na parte do preservativo. Nem venhas com coisas! Quando um não tem cabeça o outro tem que ter. E nestas coisas, nós, mulheres, temos de ter muito mais cuidado porque nós é que ficamos de barriga. Eles não. Eu nem acredito... Eu acho que ainda não tens bem a noção de que tu neste momento podes ter algo a crescer aí dentro... - Sofia, muito irritada com a amiga, acaba por se sentar e suspirar. - E agora Gina? Agora? O que vais fazer da tua vida?

- Eu não estou grávida. Não estou. Não posso estar!

- Espero bem que não estejas... Mas olha lá, hoje é sexta… isso foi ontem, certo?

- Certo.

- Pronto. Vamos vestir-nos. Vamos à farmácia.

- Vamos onde? Porquê? Um teste de gravidez agora? Não adianta de nada.

- Não é teste de gravidez nenhum! Vamos comprar a pílula do dia seguinte. Resulta nos três dias seguintes, por isso ainda vais a tempo. Mas temos de ir agora. Quantas mais horas deixares passar menos provável é aquilo ter efeito. E para a pílula dos cinco dias é só com receita médica!

- Ok... Vamos. Espero que isso resulte.

-x-x-x- 

Louis chegava da sua saída com Lúcia. Já passava das duas da manhã e ainda assim todos os rapazes estavam acordados. Niall comia, Zayn estava agarrado ao telemóvel, Liam concentrado no computador e Harry estava quase deitado a olhar para o nada.

- Isto são horas de aparecer em casa, menino? - Resmunga brincalhão Liam.

- E isto são horas de vocês ainda estarem acordados? Vocês ainda não têm idade para ficar acordados até estas horas... - Entra Louis na brincadeira, sentando-se à beira de Harry, com um grande sorriso na cara.

- Tu estás mesmo feliz! - Repara Zayn acabando de enviar a mensagem à sua namorada, que também tinha o costume de se deitar tarde.

- O amor está no ar... - Goza o rapaz de Wolverhampton.

Louis riu-se com os comentários dos amigos, quando o irlandês fez o seu reparo:

- Já notaste que quando o Harry e a Gina começaram a namorar tu e a Lúcia acabaram, e agora que tu e ela voltaram, ele e a Gina separaram-se?

- Oie, realmente... - Concorda o melhor amigo de Danielle.

- Pois... Mas e quê, Harry, já te resolveste com ela?

- Tentou falar com ela no Facebook, mas ela não lhe respondeu. - Conta Zayn.

- Como é que tu sabes? - Indigna-se Harry.

- Tenho as minhas fontes. - Responde-lhe o muçulmano, mexendo as sobrancelhas.

- Olha que é muito difícil saber quem é a tua fonte... - Corta Niall.

O namorado de Lúcia, ainda preocupado com o amigo, insiste:

- Afinal o que é que se passou com vocês, ontem?

- O que se passou foi que eu devia pensar antes de falar...

- Pronto, já fizeste merda. - Comenta o loiro.

- O que é que tu fizeste? - Preocupa-se o rapaz de Doncaster.

- Ahm... Basicamente... Eu e ela... Nós...

- Vocês...? - Pergunta Liam curioso.

Zayn começou a rir-se e Louis interferiu:

- E não se falam, outra vez, por causa… disso?

- Harryzinho, já estás a ficar enferrujado? Eu bem te disse que já estavas há muito tempo parado. - Brinca o namorado de Sofia.

- 'Tás parvo, ou quê? Não foi nada disso...

- Então?

- Eu disse-lhe que aquilo não devia ter acontecido e ela ficou a pensar que eu só queria sexo. Que aquilo não tinha sido uma reconciliação...

Os amigos entreolharam-se não compreendendo o que Harry queria ter dito com aquilo.

- Então o que é que tu querias dizer com isso? - Questiona Louis.

- Eu queria dizer que não era o momento certo...

- Essas coisas não escolhem o momento, somente acontecem.

- Exato. - Concorda Liam com o mais velho.

- Tipo... Naquele momento eu ainda estava confuso... magoado... Estavamos a discutir, ela já estava a pensar em acabar e eu... entrei em pânico... e beijei-a e depois... pronto. Só acabei por pensar no final... mas não me expressei da melhor forma.

- Olha tu mereces é uma chapada! Isso é coisa que um homem diga no fim? - Revolta-se Zayn.

- Ainda por cima se gostas dela! – Concorda Liam.

- Vocês não entendem…

- Agora não adianta estarmos a julga-lo. Ele tem é de remediar a situação. – Acalma o namorado de Lúcia os ânimos. – Mas nem me venhas perguntar como, Harry! Habilitaste-te a que ela fique anos sem te dirigir palavra!

- Mas ao menos já sabes o que queres? – Questiona Liam. – Já sabes se queres a reconciliação ou se preferes andar por aí a dar uma de magoadinho?

- Eu amo-a!

- Então diz-lhe isso. Diz-lhe isso as vezes que forem necessárias. Ela há-de acreditar. E, além disso, ela sente o mesmo por ti. Vais ter de ter é muita paciência. Esperemos que não sejam outros três meses. – Diz-lhe Louis.

- Eu acho que tens de lhe explicar tudo tim-tim pot tim-tim. O porquê de dizer o que disseste e o que querias dizer na realidade. – Sugere Zayn.

O rapaz conservou-se pensativo.

- Eu vou dormir. Estou cansado e nem consigo pensar como deve ser. 





Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Just In One Direction" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.