Just In One Direction escrita por CostaSalazar


Capítulo 114
Capítulo 114





Tempos depois, Zayn e Sofia chegam e entram na universidade de mão dada. Ainda de longe começam a ver uma confusão qualquer.

- O que se passa ali? – Questiona ela.

- Ali é a entrada… Se é como no ano passado, devem estar a tirar fotos.

- Ai tu o ano passado vieste? – Interessou-se ela.

- Vim… Mas ela não era minha namorada. E isto até pode soar mal, mas eu não me lembro de quem veio comigo…

- Hum…

Enquanto isso o casal aproximou-se da entrada.

- Óie! É a Débora… - Constata Zayn.

- Com Douglas Booth! Ó meu Deus! A sério? Ela veio mesmo com ele?

Zayn olhou para a namorada estranhando a exaltação pelo “Douglas Booth”.

- Ó amor, é o ator com quem ela contracena! O Kyle da novela!

- Ah… Pois é.

- Ele está tão… - Sofia reteu as palavras, dando a volta. – … Apresentável.

- Hum… Apresentável… Sei.

Ela riu-se do namorado.

- Não tanto quanto tu, claro! – Explica-lhe beijando-o.

- E a Débora hoje… Esmerou-se!

- Mesmo! Aquele vestido é assim qualquer coisa… Amei, mesmo!

Aproximaram-se e até jornalistas viram ali. Pelo meio da multidão não só falavam dele como dela. Os amigos sentiram-se orgulhosos da loira. No fundo, estava a ser a estrela daquela noite.

-x-x-x-

- Oh meu Deus! O que foi isto? – Perguntava Débora a Douglas, baixinho, quando finalmente entraram.

- Vai-te habituando. Não queres ser atriz? Ossos do ofício…

- Mas já toda a gente me conhece e tipo… Só apareci em alguns episódios!

- Mas apareceste comigo ainda há pouco. Não te chega a explicação?

- E o que tem isso? Vais agora dizer que não tenho talento e que se tivesse aparecido sozinha não ia ter ninguém a conhecer-me? – Revolta-se ela.

- Tem calma! Não tou a querer dizer nada! Mas nenhum ator faz carreira completamente sozinho. Muito depende das novelas, filmes ou séries em que participa e também dos atores mais experientes com quem contracena. Tem muito peso isso!

- Talvez…

- Além do mais, como nos vêm tão próximos na novela é natural que comecem a rasferir isso para a realidade. Não vai demorar muito até que comecem a pensar que somos namorados. Prepara-te para as próximas revistas cor-de-rosa.

- Pff… Eu? Contigo? – Ela lançou a sua típica gargalhada. – Acho que até tu já andas a fazer filmes. Querias, não querias?

- Pois… Mas lembra-te, linda, que viemos juntos para um baile de S. Valentim… E relativamente a ser eu a querer… Se bem me lembro, quem convidou… aliás, digo, convocou, para este baile, foste tu.

- Eu, eu, eu… - Gaguejava ela. – Eu, já te expliquei! Não te obriguei a vir. Foi só para me livrar do moço.

- Gosto tanto de te ver assim nervosinha.

- Sabes que mais? Vai-te foder!

Ambos se riram. Ele já conhecia a maneira de ser dela.

-x-x-x-

Depois de estar em conversa com Harry, Louis e Eleanor, Raquel pediu licança para ir à casa de banho. Porém, na realidade não era o que ela queria. Andou a investigar para ver se encontrava Mike. Por fim, quando menos pensava, avistou-o a entrar para a casa de banho masculina. Decidiu então esperá-lo.

- Raquel? O que fazes por estes lados? A casa de banho das meninas é por ali...

- Ah, eu sei. Mas eu vim aqui falar contigo.

- Comigo? Acho que isto não é uma boa altura para tirares dúvidas.

Ela riu-se.

- Não é isso.

- Então?

- Eu gostava de conhecer o teu par... Não ias entrar aqui sem acompanhante pois não?

- Eu... Eu não tenho par. É uma das coisas boas de ser professor, podemos vir sem acompanhante.

- Mas não precisas de ficar sozinho. Eu posso fazer-te companhia. – Sugere ela.

- Eu sou teu professor, sabes disso, certo? – Explica-lhe com um sorriso malandro.

- Claro que sei. Não percebo é porque me estás a dizer isso. Eu só estava a ser simpática.

- Ei, Michael! - Chama-o um outro professor. - Vamos fazer um brinde. Estámos à tua espera!

- Eu já vou aí ter.

- Parece que já não vais estar sozinho... Que pena.

- Quem sabe um dia me faças companhia. – Diz-lhe ele piscando o olho.

Ela sorriu e ele começou a caminhar para o grupo dos professores, mas poucos passos depois voltou a virar-se para trás.

- Ah… A propósito… Estás lindíssima! Adoro o vestido!

Depois continuou o caminho deixando-a a apreciar o rabinho dele. Aquele fato ficava-lhe a matar! Era bonito de qualquer forma, mas nada lhe agradava tanto quanto um homem de fato… Ainda por cima porque não estava totalmente arranjadinho. Aquele look defraldado era fatal para quem gosta de um homem rebelde, como ela.

-x-x-x-

Naquela noite, Dylan estava especial. Como prenda daquele dia levou um enorme ramo de rosas vermelhas para Mónica. Ela obviamente adorou.

- Estou sem palavras para te descrever.

- Queres que eu te vá buscar um dicionário? - Brinca ela. - E tu nesse fatinho... Ui, ui.

- Estamos os dois perfeitos um para o outro.

Ambos se riram, e ele, como um senhor, pegou na mão dela e levou-a até ao carro.

Quando eles chegaram já viam os seus amigos espalhados pelo salão. Mónica logo viu Harry com Raquel. Foi ter com eles, porém quando se virou para ver onde estava o namorado, viu-o com um rapaz vestido muito simples.

- Hey! Dylan! - Chamou-o ela.

- Diz. - Responde ele aproximando-se dela.

- Quem era aquele?

- Um conhecido. Importas-te que fique a falar um pouco com ele? Não nos vemos há algum tempo...

- Tudo bem. Mas podias vir cumprimentar o resto do pessoal primeiro, não?

- Eu não me demoro. Prometo. - Diz ele beijando-a rapidamente.

Depois de Dylan virar costas, ela continuou o seu caminho até onde tinha visto o melhor amigo.

- Onde é que ele se meteu? - Pergunta-se ela.

- Desculpa?

- Ahm. Não era para ti, desculpa.

- Ah! É que parecia mesmo que estavas a falar comigo.

- Pois... Foi um pensamento que saiu pela minha boca.

- Mas estás à procura de alguém? - Questionou aquele rapaz.

- Sim. Quer dizer, eu tinha-o visto aqui há pouco, mas agora parece que evaporou...

- Talvez eu te possa ajudar. Como é que ele é?

- Tem caracóis, alto... Estava com uma rapariga com um vestido branco...

- Hum... Não estou a ver.

- Obrigada na mesma... - Agradeceu ela ficando a olha-lo à espera que ele lhe dissesse o seu nome.

- Josh.

Mónica sorriu.

- E tu és?

- Sou a Mónica.

- Prazer em conhecer-te.

- Hey, amor. Então, o Harry? - Interrompe-os Dylan.

- Estás à procura do Harry?

- Sim. Conhece-lo?

- Conheço. Ele foi para o bar, mas não estava com nenhuma rapariga.

- Ah, pronto. Obrigada na mesma Josh. Vemo-nos por aí.

- Xau.

- Quem era aquele? - Mostra-se ciumento o namorado loiro.

- Um rapaz que acabei de conhecer. Há problema?

- Não, não...

- Ainda bem. Vamos.

Josh simpatizou com a rapariga. Ficou ainda a observá-la. Gostava de a voltar a ver.

-x-x-x-

Débora e Douglas tinham-se sentado no bar. A Débora não lhe apetecia dançar, como estavam as amigas a fazer, e ele, não conhecendo mais ninguém, ficou com ela. No entanto, mal podiam falar porque todas as universitárias estavam louquinhas para terem um autografo, tirar uma foto ou mesmo, simplesmente falar. A Débora, algumas também mostravam atenção e havias outras, mas simpáticas que pediam também para participar na foto. Tiveram ainda algumas situações mais embaraçosas em que as raparigas desjavam boa sorte ao casal. Eles riam-se e explicavam que eram só amigos.

A certa altura, Douglas foi intercetado por um grup de raparigas que não mais o largavam. Débora estava já cansada de tanta intromição. Não se conseguia divertir dessa forma. Ele, já habituado, não se importava. Foi nesse momento que se virando por momentos, deu de cara com Niall, bastante divertido a dançar. Só não conseguia perceber quem era a rapariga que estava com ele, pois estava de costas. A curiosidade estava a matá-la! Precisava de saber quem estava com ele. De vez em quando olhava para ver se conseguia ver a face dela, mas nada. Foi então que ela viu a rapariga aproximar-se mais dele. Por momentos o seu coração disparou. Pensou que se iriam beijar, mas não. Apenas lhe disse algo ao ouvido por causa do barulho da música e depois disso, ambos se dirigiram ao bar onde Débora estava. Logo ela deixou de olhar para eles, tentado disfarçar. Mas tinha visto a cara dela! Era Kelly! Não sabia que tinha voltado, mas também não estava já a gostar da ideia de a ter por perto. Sofia contara-lhe há uns tempos que Niall andava um pouco triste por “desfazer” o coração da loirinha compositora. Não conseguia agora evitar os ciúmes que estava a sentir. Não queria admitir, mesmo para si própria, que tudo aquilo eram ciúmes, mas na verdade eram. Enquanto fervia com os seus pensamentos, Douglas voltou para a beira dela.

- Déb… - Chamou-a ele, de uma forma mais familiar já.

- Ah? Desculpa. Estava distraída.

- Estou a adorar tudo por aqui… Se não houvesse tanta gente a interromper-nos tenho a certeza de que seria melhor ainda.

Nesse momento, Niall e Kelly aproximavam-se deles. A portuguesa, apercebendo-se de tal, convidou Douglas para dançar, fazendo questão de olhar na cara de Niall. O rapaz não conseguia perceber o porquê de ela ser tão má para ele. Notara que fizera de propósito para ele ver. Kelly reparou no sucedido e pousou a sua mão no ombro do amigo. Ele sorriu-lhe e ela tentou animá-lo mudando de assunto. Mas Débora continuava a olhá-lo. Estava lindo naquela noite! Demasiadamente bonito para aquela loira sem sal. Nunca tivera nada contra ela, mas começava a ter. Niall não era para ela.

Pouco depois, Débora, não lhe apetecendo dançar, avistou o melhor amigo de longe, juntamente com Sofia e Gina, e puxou o novo amigo até eles.

- Hey! – Cumprimenta Débora.

- Loira! – Zayn e Sofia pronunciam ao mesmo tempo.

- Tudo bem? – Perguntam também ao mesmo tempo Gina e Débora.

- Já vi que vocês são muito coordenados. – Espanta-se Douglas.

Todos se riram.

- Entre essas duas já é normal. – Explica Sofia.

- Bem, eu apresentava-vos o Douglas, mas acho que dispensa apresentações.

- Mesmo. Só para que saibas, eu sou tua fã! Adoro o teu trabalho. – Diz-lhe a namorada de Zayn.

- Obrigado. – Agradece com um sorriso.

- Essa é a minha pequenina, a Sofia. Já te tenho falado dela. – Apresenta Débora. – Esta é a Gina, aquela com quem eu, como já percebeste, digo as mesmas frase ao mesmo tempo. Acontece-nos muitas vezes. Um género de almas gémeas.

Douglas riu-se e distribui beijinhos pelas duas raparigas.

- Tens de me arranjar um autógrafo um dia destes. – Pede logo a morena.

- Autógrafo, foto, o que quiseres. – Dispõe-se ele.

Ela sorriu-lhe e não se conseguiu conter o comentário, em voz baixa, com a amiga que estava ao seu lado:

- E meter-se na minha cama, não?

Sofia riu-se e chamou-a como de costume de tarada, mas muito discretamente.

 Débora continuou:

- E o moço aqui é o meu falso maninho. Um grande amigo, Zayn. Namorado da Sofia.

Os rapazes cumprimentam-se com um aperto de mão e o muçulmano não pode deixar de interferir.

- Vê lá o que vais fazendo aí com a menina lá nas gravações! Nada de abusar muito! – Brinca ele.

- Nem que quisesse… Ela não deixa! Esta aqui tem pêlo na benta.

Todos se riram e a loira ia começar a protestar, mas Zayn interrompeu-a.

- Eu estou a brincar. Também estudo drama. Compreendo tudo perfeitamente. Isto de me armar em tão protetor com ela é vício. Por isso é que nos tratamos por irmãozinhos.

Derek entretanto chegou do bar com uma bebida para ele e para Gina. Débora também o apresentou, por muito que já não se lembrasse do nome dele.

- Derek, sabes do teu primo e da Mónica? – Pergunta a Loira.

- Não… Ainda não os vi por aqui.

- Hum… ‘Tá. Obrigada na mesma. Eu vou procurá-los então. Vêmo-nos por aí.

- Prazer em conhecer-vos. – Despede-se o famoso ator.



Notas finais do capítulo

Esperamos que tenham gostado e pedimos desculpa por não poder publicar nos próximos dias, devido a férias. Também precisamos. Obrigada pelo vosso apoio. Prometemos postar o mais breve possível.
O próximo capítulo é muito esperado por todas as leitoras. ;)



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Just In One Direction" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.