Just In One Direction escrita por CostaSalazar


Capítulo 106
Capítulo 106





A quinta-feira passou. Eleanor regressara a Doncaster na quarta no final da tarde e mais nada de interessante acontecera nesse dia ou no seguinte. Estava-se já em plena sexta-feira, dia 1 de Fevereiro, ou seja, aniversário de Harry. A primeira a dar-lhe os parabéns foi a mãe, seguida de sua irmã, pelo telemóvel. Só depois a namorada, que ficou revoltadíssima por não conseguir ser a primeira, mas acalmou-se ao saber que tinham sido a sogra e a cunhada as mais rápidas que ela. Harry estava feliz de qualquer forma. As três mulheres mais importantes na sua vida tinham já se lembrado nele naquele dia tão importante. Eram os seus 19 anos!

Como Mónica não poderia estar presente na pequena festa que Harry iria fazer de noite, decidiu ir almoçar com ele, Dylan e Gina. Um almoço de aniversário. Foram comer ao Punch & Judy.

Desde que Harry começara a namorar com Gina, Dylan não era tão mau com ele, por isso é que Mónica marcou a saída a quatro.

- Fico tão feliz por vos ver finalmente juntos! - Desabafa Mónica - Nem sabes o que eu tive de aturar quando tu lhe davas para trás.

- Eu não lhe dei assim tanto para trás... - Defende-se a morena.

- Deste. - Interfere Dylan - Eu sei porque eu morria de ciúmes quando a via com ele.

- Ciúmes que não eram necessários, não é?

- Ele só queria defender o que é dele. - Comenta Harry, defendendo Dylan.

- "o que é dele"... Até parece que somos objectos! - Exclama Mónica.

- Vocês perceberam.

- É verdade! Há muito tempo que não sei nada da Kelly. O que é feito dela? - Interessa-se a rapariga dos caracóis.

- A viver um sonho... - Responde-lhe Gina. - Falei com ela no outro dia e ela disse que ainda não teve tempo de ver tudo.

- E pelo que o Niall me disse já gravaram quatro das canções dela. - Acrescenta Harry.

- E foi alguém para o lugar dela lá no prédio?

- O Josh. - Riposta o namorado de Gina.

- Quem?

- É um amigo do Louis.

- Que toca bateria! - Diz a morena entusiasmada - É um espetáculo ter um vizinho baterista. A única pessoa que não gosta do facto de ele ser baterista é o velho lá do prédio. Porque de resto... Ele é super simpático.

- Ai é? Hum. Muito elogias esse rapaz... - Repara Harry - Só falta dizeres que gostavas de namorar com ele...

- Ciúmes Harry Styles? - Pergunta risonho Dylan.

Gina e Mónica riram-se.

- Não! Eu só acho é que não era preciso o "super"...

- Vais dizer que não é?

- É tão giro ver-te com ciúmes Hazza. - Comenta a sua melhor amiga.

- Oh fofo... - Tenta Gina dar-lhe a volta.

- Para quem é a picanha? - Questiona o empregado de mesa, distribuindo os pedidos.

- Tenho que atender. - Avisa Dylan - Eu já venho.

- Este Dylan anda muito estranho... - Repara a namorada. - Ele antes atendia os telefonemas à minha frente. Não percebo...

- Talvez seja por nós estarmos aqui. - Descança-a Gina.

- Relaxa Mónica, - diz Harry - isso de achares que ele está diferente é só impressão tua.

- Achas que sim? Tu já viste o carro dele lá fora?

- É dele aquele carro? - Surpreende-se o inglês.

- Sim.

- Então, que é que eu perdi?

- Meu, tens um carro quase tão bom como o do Zayn! Eu tenho que ir para fotógrafo!

- Ganhas assim tão bem? - Interessa-se a namorada de Harry.

- Andei a poupar, só isso...

- E por falar em Zayn. - Lembra-se Mónica - Como é que ele e a Sofia estão? Já não falo com ela há alguns dias...

- Ela e o Zayn é só festa! - Responde-lhe a rapariga de ascendência peruana.

- Ai não... - Acrescenta ainda o namorado desta.

- Eles pensam que nós não ouvimos a cama a chiar. Devem achar que o quarto dela é um estúdio de gravação...

Todos se riram.

- Se fosse um estúdio de gravação, eles estavam lá só para gravar os sons. - Insinua Harry.

- Exato, e punham-se a saltar na cama para fazer os chios...

- Eles são sempre assim? - Pergunta Dylan a Mónica.

- Ele sempre foi, agora ela... É a primeira vez que vejo esta faceta. - Responde ela rindo-se.

- Tem cara de anjo… - Goza o namorado de Mónica.

Ela sorriu cinicamente.

- É, o meu anjo...

- Harry, que lamechas, meu Deus! - Riposta de imediato a namorada.

- Uma pessoa tenta ser romantica e depois é isto! - Resmunha ele.

- Há diferenças entre romantismo e lamechice. - Defende a morena.

- Cada vez mais gosto de vos ver juntos. - Aprecia Mónica.

- Eu também estou a gostar. - Apoia Dylan - Sois uns autênticos cromos.

-x-x-x-

Naquela tarde, como de costume era a aula de História de Raquel. O único momento da semana que ela gostava realmente de ter aulas. Naquele dia sentia-se mais atrevida que o costume. Estava bem disposta. Antes de entrar na sala de aula, tinha estado a falar com um pessoal da turma dela. Finalmente sentia-se a começar a integrar-se. Uma das pessoas com quem mais simpatizava era Jeremy, um dos poucos rapazes da turma dela. Um mulherengo convicto. Não era o rapaz mais bonito da universidade, mas tinha o seu charme. Ele puxava pela conversa dela e ela não se deixava ficar. Sabia responder-lhe à letra. À hora da aula, todo o grupinho com quem Raquel estava a falar entrou, menos ele que também a impediu de entrar.

- Oh, anda lá… - Continuava ele a insistir com ela puxando-a pelas mãos para mais perto de si.

- Talvez um dia destes. Hoje não dá.

- Mas porquê?

- Coisas minhas, a sério.

- Mas é só um cafezinho!

- Mas hoje não dá. Não insistas mais.

- Oh! – Reclamou ele puxando-a mais de força para si. Ela caiu sobre ele. Nesse momento, o professor estava a chegar à sala. Ao aproximar-se, Jeremy soltou a colega, piscou-lhe o olho e entrou. Ela olhou para o professor e sorriu sensualmente. Ele sorriu um pouco confuso. Vê-la ali com o rapaz causara-lhe alguma confusão, não sabia bem o porquê.

No decorrer da aula, o professor chamou a portuguesa ao quadro. Era dia de chamada oral e a vez dela chegara.

- Menina Silva, quero que escreva no quadro, explicando, as principais causas da eclosão da 2ª Guerra Mundial.

Não tinha estudado nos últimos dias. Ela sabia aquilo, mas de momento não se lembrava. Começava a misturar a 1ª com a 2ª Guerras na sua cabeça… Não lhe apetecia pensar muito, encostou-se ao quadro e ficou a olhar para o professor, com o mesmo ar sensual da entrada.

- Então menina Silva?

- Não consigo…

- Consegue sim. Vá, eu ajudo um pouco vou escrever uma primeira causa.

O professor começou a escrever e ela continuou no mesmo sítio, com o olhar cada vez mais sensual, trincando os lábios. Naquele dia ela estava decidida a fazer o que lhe apetecia. Pensassem lá o que pensassem dela. As colegas de turma, no fundo, invejavam a coragem dela. Tentavam esconder risinhos. Os rapazes abanavam a cabeça, reprovando. Já Michael, apercebendo-se do que ela pretendia, fez-se de desentendido, ficando no entanto um pouco sem jeito. Ao escrever, chegou a um ponto que quase teve de passar por cima dela para continuar a frase. Ela não se desviava. Ficou frente a frente para a aluna. Ela não tirava os olhos de cima dele. O homem engoliu em seco. Ficou bastante embaraçado e não sabia bem como reagir. Ela sorriu e acabou por desviar-se. Ele concluiu a frase, suspirando por fim.

- E agora? Facilitei?

Ela nem leu a frase. Não estava com paciência para História naquele dia. O seu interesse era outro. Respondeu ao professor com um abanar de cabeça negativo.

- Tudo bem, tudo bem. Sente-se então. Nem acredito que a menina não me soube responder a isto! – Disse-lhe o professor ainda desajeitado.

As colegas de turma com quem ela tinha agora mais confiança logo a apoiaram entre os mesmos risinhos. A aula não foi mais a mesma até ao final. 



Notas finais do capítulo

O aniversário de Harry continua no próximo capítulo :)



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Just In One Direction" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.