Ouça O Seu Coração escrita por Mayara Rabelo


Capítulo 1
Escutando a voz do coração...


Notas iniciais do capítulo

Fiz com muito carinho.
Ela é emocionante. *.*
Quem gosta de trilha sonora, eu aconselho a escutar "Leave Out All The Rest - Linkin Park" no momento que ler a história. Dá mais emoção, mesmo a música não sendo de acordo com o roteiro.
Espero que gostem.



Este capítulo também está disponível no +Fiction: plusfiction.com/book/209806/chapter/1

*Trilha sonora*

Leave Out All The Rest - Linkin Park



Seu coração se despedaçava a cada palavra que lia daquela carta. Uma carta de despedida. Sara estava dizendo adeus assim... De repente! Sem nenhuma explicação concreta, nenhuma conversa á sós. Queria poder dizer á ela que a ajudaria a melhorar, que cuidaria dela até que essa dor dentro de seu coração passasse... E que não precisaria ela deixá-lo... Não precisa mesmo!

Entrou em sua sala como um furacão e pegou as chaves de seu carro. Quase correndo foi até o estacionamento e entrou no veículo, enquanto dirigia digitava no celular os números que sabia de cor. Suas mãos tremiam, e dava para escutar as batidas fortes e desesperadas de seu coração.

– Alô? – Ela atendeu sem olhar no visor.

– Meu amor... – Disse aliviado. – O que deu em você? Como vai embora assim, tão de repente? Sem ao menos se despedir direito? – Sentiu sua própria voz embargar.

– Vida eu... – Como era difícil. Mas tinha que explicar. – Vou ficar bem, Gil. Desculpe-me, por favor... Desculpa! Só não queria ficar mais triste do que já estou.

– Onde você esta? – Disse rispidamente.

– No aeroporto. – Sara também tremia. – Meu vôo acabou de ser anunciado.

– Estou chegando ai. – Disse estacionando o carro no local.

– Não venha, meu amor... – Não agüentou, e já derramava lágrimas. – Não dá mais tempo. Olha, me escuta. Não estamos terminando. Eu só... – Ele a interrompeu.

– Não vá embora. Por favor, querida. Não me deixe! – Seu pedido saiu como uma súplica, fazendo Sara ter um arrependimento repentino. Olhou para o relógio do aeroporto e viu que faltava somente cinco minutos para entrar.

– Eu só tenho cinco minutos. Tenho que ir. Saiba que... Nunca vou esquecer o que nós vivemos, nunca vou deixar de te amar.

– Foi algo que fiz? Diga Sara! Eu posso me redimir. – Vocês não sabem a força que esse homem estava fazendo para não cair em prantos. Agora subia as escadas rolantes, falando ao telefone e procurando Sara com o olhar.

– A culpa não foi sua. Você leu na carta! É algo entre eu mesma... Me entenda, Griss. Só quero sair um pouco, espairecer, para ver se essas lembranças saem de minha mente, ok? – Disse séria.

– E as lembranças do nosso amor? Onde que elas ficam?

Sara simplesmente congelou no tempo, seu celular quase caiu de sua mão. Mas ele tinha total razão em questionar. Ela pensou nisso! Nunca iria esquecer. Não havia como apagar de sua memória algo tão maravilhoso.

– Ficarão pra sempre aqui dentro do meu coração. Na minha mente. Em mim, meu amor. Elas nunca serão apagadas. – Suspirou. – Deixe-me ir.

– Nós podemos enfrentar isso juntos, Sara. Você sabe que podemos! – De longe ele a viu, segurando as malas e com um rosto que tinha a expressão de tristeza. – Volta pra mim, vida minha. Volta. – Foi se aproximando dela.

– Não fale desse jeito. Você vai despedaçar meu coração. – Disse limpando as lágrimas. – Não dá, querido.

– Você aceitou meu pedido de casamento... Disse que sim. – Ele chegava mais perto ainda, enquanto Sara permanecia de costas, e de cabeça baixa. – Eu quero cumprir essa promessa, quero ter filhos com você. Sabe disso. – Suspirou. – Fique. Agente pode tirar umas férias e passar um tempo juntos.

– Griss... – Fechou os olhos, querendo muito desistir de ir. Mas sua razão estava brigando contra seu coração. – É tarde demais.

– Não é tarde demais! – Grissom gritou atraindo a atenção das pessoas naquele local. Nesse momento, Sara se vira, e dá de cara com Grissom.

– Amor? – Disse incrédula.

– Vida minha, eu te imploro. – Ele vai até ela e coloca suas mãos no seu rosto. – Não vai embora! Não vou conseguir dormir sem você do meu lado... Sem seus carinhos... Fica comigo! – Disse a beijando, vários beijos no rosto todo. – Fica Sara, fica... Meu amor... Por favor.

– Griss... – Ela olhou pro relógio. – Falta um minuto. Vou perder meu vôo. – Dizia aos prantos. – Não faça mais isso... Estou mal por te deixar assim.

– Então não vá. – Grissom se ajoelhou, todos os olhavam espantados. Abraçou-a ainda de joelhos e começou a depositar muitos beijos em seu ventre. – Eu te amo, eu te amo, eu te amo...

Grissom tremia incontrolavelmente e Sara percebia isso. Todos os olhavam assustados e curiosos para saber a resposta. Se ela iria ou não. Seus sentimentos lutavam contra si, a razão e o coração estavam a enlouquecendo. Mas ao olhar para Grissom, ali, ajoelhado, beijando a extensão de seu ventre, foi como se seu coração desse um longo e alto grito, no qual fez com que ela desistisse de tudo.

Segurou o rosto de seu amado, acariciou sua barba mal feita, limpou a lágrima audaciosa que teimava em descer daqueles olhos lindos, e o fez se levantar. Nesse instante, Grissom pode entender o que aquele gesto significava.

Tocou o rosto dela, e sem mais nem menos, juntou seus lábios.

– Vamos pra nossa casa, meu bem. – Ela disse ganhando um dos mais maravilhosos sorrisos que existe na fase da terra.

Em resposta, Grissom a levantou no ar, girando no meio daquele local rodeado de pessoas desconhecidas. Os aplausos foram inevitáveis, aquela cena foi simplesmente incrível. Uma declaração em público. E não foi planejada, foi algo de repente, Grissom nem pensou em dizer nada. As palavras saíram como por impulso, por medo de perder. Ficou feliz por tudo ter dado certo.

Abraçados, atravessaram a distância que os separavam da saída do aeroporto, e ainda os aplausos e congratulações eram ouvidos. Mas ele não se importava, era como se o mundo lá fora não existisse mais.

– Você cometeu uma loucura por mim, Gil. Estou impressionada. Acho que Las Vegas inteira irá saber disso. – Sorriu pra ele.

– Não importa. O que importa é que você está aqui comigo. – Encostou-a no seu carro, já no estacionamento, e colou seus lábios. E enquanto dizia, a beijava. – Você me deu um grande susto.

– Desculpa... – Sussurrou baixinho. Se sentindo culpada.

– Não faça mais isso. Nem pense em me deixar novamente, ok? – Beijou-a profundamente, com os olhos fechados e apertados.

– Isso não vai mais acontecer. Te prometo.

– Era isso que eu precisava ouvir, meu amor. – Sorriu e abriu a porta da sua Denalli. – Agora podemos ir pra casa e tirar nossas férias. Combinado?

– Você só pode estar brincando, não é? – Disse incrédula.

– Nunca falei tão sério. – Disse arqueando uma sobrancelha.

Sara simplesmente sorriu e entrou no carro. E hoje aprendeu uma lição, na qual nunca iria se esquecer: Nunca deixará de escutar seu coração.


*Fim*


Não quer ver anúncios?

Com uma contribuição de R$29,90 você deixa de ver anúncios no Nyah e em seu sucessor, o +Fiction, durante 1 ano!

Seu apoio é fundamental. Torne-se um herói!


Notas finais do capítulo

Gostaram? *.*