Os Cinco Marotos escrita por Cassandra_Liars


Capítulo 40
Capítulo 8 - O Dia dos Namorados


Notas iniciais do capítulo

Espero que gostem, meus amores.



Dia dos namorados. Ah, o dia mais romântico do ano. Corações e cupidos enfeitavam a paisagem de Hogsmeade. Nesse dia, para a felicidade dos apaixonados e dos comerciantes, as pessoas compraram e não economizavam em presentes para a pessoa amada, que sempre vinham acompanhados por juras de amor eterno que nem sempre eram compridas.

Mas, o para sempre, o amor e tudo o que o dia dos namorados representava era real, pelo menos naquele dia. 

E é nesse dia que os solteiros juram ódio eterno pelos casais felizes que passeiam pelas ruas de mãos dadas e sorrindo como bobos.

Ódio que vai embora junto com o dia dos namorados, no dia seguinte.

Mas, pelo menos,  dia dos namorados é a única época do ano que o para sempre dura ás vinte e quatro horas em que se é comemorada a data.

Porém, nem tudo são só flores. Sempre existe as pessoas que estão descontentes com os pares que arranjaram de última hora apenas para não ficarem sozinhos, ou então as pessoas que observam o mundo a seu redor se resumindo a corações e não tem ninguém para compartilhar seu amor, que logo se transforma em ódio por não ter com quem compartilhar.

Os mal acompanhados e os sozinhos.

E Dory se encaixava nesse grupo que era invisível aos olhos dos casais felizes ou lojistas. 

Ela tinha estado tão preocupada em encontrar pares perfeitos para as amigas que se esquecera de se preocupar consigo mesma. Agora ela estava sozinha andando pelas ruas de Hogsmeade e invejando as pessoas que riam e estavam acompanhadas, mesmo que não por seus amores.

Dory estava triste. É triste ficar sozinha no dia dos namorados, ela mesma tinha dito. Então porque raios ela não tinha arranjado alguém para si?

Mas, agora era tarde.

Todos os garotos bonitos tinham um par.

E isso incluía Potter e Black, sentados bem a sua frente, em mesas separadas.

Potter com uma garota da Corvinal que Dory logo reconheceu como Amy Khan, e Black com Hallie Holliday, da Lufa-Lufa.

Os dois pareciam um pouco ridículos nas mesinhas rosas com vários corações e Cupidos, mas não pareciam estar se importando, já que Black tinha acabado de sussurrar alguma coisa no ouvido de Hallie, que a deixou animada, e Potter mordiscava a orelha de Amy.

Ridículos, Dory pensou, enquanto andava para dentro do Café Madame Puddifoot.

Ela realmente não sabia o que estava fazendo ali, já que aquele era um café que normalmente atraia os casais, e ela estava sozinha. Talvez ela apenas esperasse que alguém fosse aparecer do nada e se oferecer para pagar o chá que ela tinha acabado de pedir.

Bebendo o chá aos pouquinhos e o esperando esfriar, ela finalmente terminou tudo e pagou a conta. Jogando o cachecol vermelho, envolta do pescoço, ela saiu do café distraidamente, observando que Potter e Black continuavam a beijar as suas respectivas parceiras. 

Estava tão concentrada olhando para os garotos e sentindo nojo dos beijos e caricias que os dois casais trocavam, que não percebeu que andava em direção a outra pessoa, que estava igualmente distraída.

O resultado disso foi que eles trombaram.

_Me desculpe.

_Ah, eu sinto muito.

Os dois pedidos de desculpas saíram ao mesmo tempo. Ela se afastou e encarou em quem tinha trombado.

Não tardou a reconhecê-lo como sendo o garoto que normalmente ficava junto com Potter, Black e Porter.

Remus Lupin.

_Sinto muito - Ele repetiu. - Eu não queria ter trombado com você. Estava distraído.

_Tudo bem, eu que não estava olhando por onde andava. - Ela sorriu gentilmente para ele.

Dory não tinha nada contra Remus. Tudo bem que não gostava dos amigos dele nenhum pouquinho, mas ele parecia ser gentil e não arrogante como os outros.

Ela realmente não sabia porque ele andava com os outros.

_Cuidado. - Ele disse, mas havia um sorrisinho em seu rosto. - Ou pode acabar se machucando.

_Tudo bem. - Ela disse. - Vou abrir os olhos.

E Dory abriu mesmo. E, ao fazer isso, levou um susto ao perceber que ele estava sozinho.

Sozinho…

_Você veio sozinho?

_Você veio sozinha?

Eles falaram ao mesmo tempo e depois riram da coincidência.

_Não - Disse ela, com um sorriso tímido. - Vim acompanhada pelo vento e pela neve.

Apesar de já estar bem mais quente, ainda tinha um pouco de neve em Hogsmeade.

Remus riu.

_Eu também. - Ele disse.

_Oh! Jura? Mas eu achei que tudo os garotos já tinham alguém com quem vir!

_Eu não achei que fosse vir. - Ele disse com um meio sorriso. - Mudei de ideia na última hora. Achei que fosse ficar no castelo estudando.

_Estudando? Ainda bem que resolveu vir! É dia dos namorados! Todos merecem se divertir.

_Mas, eu não tenha namorada…

_Eu também não. - Ela olhou por cima do ombro, onde Black e Potter pareciam colados a Hallie e Amy pela boca. - E seus amigos também não. - Com isso, Remus riu. - Mas todos nós estamos aqui! Nós divertindo! Uns mais do que os outros… - Ela voltou a dar uma olhadela para os dois casais.

Dory suspirou.

_Você não parece estar se divertido. - Remus franziu a testa, juntando as sobrancelhas e a olhando preocupado.

_Mas estou. - Ela forçou um sorriso por alguns segundos antes de suspirar novamente, vencida. - Ok, não estou. Você tem razão. Queria ter alguém que viesse comigo.

_Mas, você é tão bonita! Com certeza deve ter recebido vários convites.

_Você me acha bonita? - Ela perguntou e se sentiu corar. Não saberia dizer se por causa do frio ou da vergonha.

Mas, Remus corou mais intensamente do que ela, o que a fez sorrir.

_Bom… sim. Mas… Eu realmente não devia ter dito isso. - Ele simplesmente disse, parecendo muito envergonhado.

Dory riu.

_Não tem problema. Eu fico agradecida.

Remus sorriu.

_B-bom, talvez você queria… d-dar uma volta… - Ele gaguejou.

Dory riu da gagueira dele, antes de responder.

_Sim, eu adoraria, Remus.

Ele sorriu feliz por ela saber seu nome. Não era tão invisível assim, mas costumava desaparecer graças ao brilho dos amigos.

Mas, desse jeito era melhor. Assim não chamava tanta atenção para o fato de que normalmente ficava uma semana por mês fora.

_Aonde você quer ir? - Ele perguntou.

Ela pensou por um momento.

_ Que tal a Dedos de Mel? Podemos comprar alguns doces. Vai ser divertido. - Ela sorria.

_Certo. - Ele disse. - Certo. Talvez eu possa comprar mais alguns sapos de chocolate, os meus estão acabando.

_Sapos de chocolate? - Ela perguntou e ele se arrependeu imediatamente de ter feito o comentário.

_Sim. Sabe eu tenho alguns sapos de chocolate guardados no meu dormitório. Eles me ajudam a pensar.

_Ah! Então é daí que vem toda a sua inteligência? - Ela riu. - Talvez eu compre alguns também, então. Quem sabe as minhas notas em Adivinhações não melhorem?

Remus sorriu.

_Talvez eu possa te dar algumas aulas. - Ele disse. - Isso é, se você quiser, é claro.

_Jura? - Ela perguntou, olhando para ele enquanto eles começavam a caminhar em direção a loja de doces. - Não vai incomodar?

_Não, de maneira alguma. - Ele garantiu. - Eu costumo dar aulas para o Peter, não vai ser problema dar algumas para você também.

Dory sorriu animada.

_Certo.

E os dois andaram lado a lado até a Dedos de Mel.

*~~*~~*~~*~~*~~*

Dory podia ter se dado bem mesmo estando sem ninguém, mas Pam que definitivamente tinha um par ( Michael estava ao seu lado, fazendo barulhos grotescos enquanto comia ), não estava nada feliz.

A Madame Puddifoot era um café aconchegante e apaixonado demais para o gosto de Pam e agora ela tinha optado por ir até o Três Vassouras com Michael.

Burra! Ela se amaldiçoou. Como podia ter sido tão burra a ponto de esquecer que aquele era o dia dos namorados? Se tivesse se lembrado disso, nunca teria aceitado ir com Michael, afinal estaria alimentando falsas esperanças de que algum dia qualquer coisa pudesse acontecer entre eles.

Mas, Pam ficou feliz em não estar sozinha no dia dos namorados e foi assim que a impediu de ir procurar Michael e cancelar tudo.

Afinal, estava fazendo isso para atingir Sirius. Por mais que ela não gostasse de admitir, essa é a mais pura verdade. 

Não estava saindo com Michael porque era divertido. Não, isso nunca. E sinceramente não se importava em ficar sozinha no dia dos namorados. Ela só estava ali naquele momento porque sabia que isso atingiria Sirius. Apesar de ele estar saindo com outras garotas, Pam continuava saindo com os amigos. E, uma vez que ela saísse com um cara diferente, Sirius iria perceber que ela também estava crescendo e que era perfeitamente capaz de sair com alguém, igual a ele.

E então, talvez ele percebesse que ela existia. Não que ele não soubesse, mas talvez ele olhasse para ela do mesmo jeito que Sirius olhava para outras garotas. Aquela ansiedade seus olhos, devorando cada parte do corpo da garota com o olhar.

O coração de Pam se desfazia quando via Sirius olhando as outras garotas daquele jeito. Toda a vez que isso acontecia ela era invadida pela mais forte tristeza, era como se nunca mais pudesse ser feliz.

Mas, logo depois era preenchida pela raiva, que expulsava a tristeza. Se pudesse, ela iria matar cada uma das vacas de Hogwarts, só para Sirius não ter mais para quem olhar.

Porém, ela não iria ficar parada, enquanto Sirius beijava as outras. Não, mesmo que não tivesse coragem de falar nada com ele sobre esse assunto, além dela ficar parecendo super oferecida se fizesse isso, Pam não iria ficar parada.

Sair com Michael talvez atinja Sirius. Ela pensou, apesar de não estar tão segura quanto a isso. Talvez ele perceba que eu sou uma garota também.

Mas, Sirius não estava no Três Vassouras, então de pouco adiantava Pam estar ao lado de Michael.

Pam olhou para frente e viu Peter comendo desesperadamente. Sim, Peter estava lá. Ele e Remus tinham resolvido deixar a aula de História da Mágica para outro dia e tinham ido a Hogsmeade.

Talvez Peter contasse para Sirius mais tarde. Sim, isso seria ótimo.

Mas não. Essa era uma possibilidade quase nula. Peter não entenderia que isso era importante.

Pam não podia culpá-lo. Não era culpa dele se ele tinha um estômago maior do que o cérebro.

_Michael… - Chamou Pam e ele olhou para ela, pegando rapidamente um guardanapo e limpando a boca.

_Sim?

_Será que podemos ir para outro lugar? Aqui tem muita gente.

_Claro que sim.

Michael abriu a carteira e colocou algum ouro em cima da mesa, antes de se levantar, dizendo:

_Isso deve ser o suficiente. Vamos.

E ele ofereceu o braço para Pam pegar.

Ela olhou ressabiada para o braço dele por alguns segundos antes de se segurar ali.

Os dois saíram do Três Vassouras e passearam pelas ruas movimentas que tinham uma camada fina de neve.

Observando as vitrines e parando ocasionalmente aqui ou ali, eles passearam por Hogsmeade, atrás de Sirius (apesar de Michael não saber).

Michael não pareceu perceber, mas Pam viu claramente quando Sirius entrou na Dedos de Mel, com uma garota pendurada em seu braço.

_Ei - Chamou Pam. - Vamos até a Dedos de Mel? - Ela perguntou animada.

Michael sorriu diante da animação de Pam, por não saber o porquê da repentina atitude da garota.

_Claro que sim.

Os dois andaram até lá e entraram na loja de doces, um sino tocou quando eles abriram á porta, anunciando que novos clientes tinham encontrado.

Como se alguém tivesse tempo de atendê-los. Tinha gente em toda a parte e nenhum vendedor teria tempo de ir até Pam e Michael.

Afinal, nada como presentear a pessoa amada com doces no dia dos namorados.

Foi difícil para Pam e Michael se locomoverem entre as várias pessoas que ocupavam os corredores apertados da loja, mas finalmente encontraram Sirius e sua bonita acompanhante.

Pam fingiu surpresa ao vê-los.

_Ei, Michael. Olhe quem está ali! - Ela apontou para o amigo sorrindo. - Vamos falar com eles.

Michael não pareceu nenhum pouco perturbado ou enciumado quando viu Pam correndo na direção de Sirius e Amy. Ele apenas a seguiu.

_Oi, Sirius! - Ela disse sorrindo. - Oi, Hallie. Tudo bem?

_Sim, é claro. - Disse Sirius, sorrindo também. - Onde está Michael Fox?

_Michael? - Pam olhou para trás e viu o outro tentando achar passagem entre as várias pessoas. - Ele está vindo.

E Pam voltou a olhar para os dois. Ela queria pular sobre Amy e arrancar sua cabeça, mas apenas sorriu.

_Você viu que o Peter e o Remmy viram? - Ela perguntou para Sirius, mas para puxar assunto.

_Sim, é claro. O Remus acabou de sair daqui. Ia acompanhado pela Meadowes…

_Meadowes? - Pam franziu a testa, mas antes que ela tivesse tempo de pensar mais longamente sobre isso, ela sentiu uma mão pesando em seu ombro e olhou para trás.

Era Michael.

Quem tinha lhe dado o direito de colocar a mão ali, Pam não saberia dizer, mas não disse nada, queria fazer parecer que ela estava se divertindo com o outro, apesar de isso não ser bem verdade.

Se Michael podia colocar o braço em seus ombros, então Pam podia colocar o dela na cintura dele.

E foi o que fez.

Michael pareceu gostar do estranho gesto.

Ótimo, agora ele acha que tem alguma chance, e Pam se amaldiçoou mil vezes por ter feito isso, mas agora não iria voltar atrás.

Ela se forçou a colocar um sorriso na cara.

Os dois casais continuaram conversando por algum tempo. Pam tentando se mostrar feliz o tempo todo apesar de estar se sentindo incomodada com a mão de Michael e desconfortável por passar tanto tempo em pé com salto (sim, ela estava com salto, tinha roubado um da McLanche, mas que iria devolver assim que voltasse para o dormitório, e esperava que a outra não percebesse).

Mas, por momento algum Pam reclamou. E tentou mostrar que estava interessa em Michael o tempo todo.

Tudo em vão, afinal Sirius não pareceu minimamente perturbado com isso.

Droga! Pam teria que pensar em algo realmente grande para abalar o amigo.

~~*~~*~~*~~*~~*~~*~~

Tinha escurecido. Era possível ouvir os animais noturnos na floresta e as estrelas brilhavam com intensidade.

A maioria das pessoas tinham ficado em Hogsmeade e provavelmente ainda estavam lá aproveitando a noite, mas Dory e Remus tinham voltado logo para a escola.

Eles tinham andado perto do lago, sentado embaixo da grande faia, conversando e se divertindo nos jardins desertos, já que a maioria das pessoas que estava no terceiro ano para cima estava em Hogsmeade e os mais novos não costumavam ir até a parte de fora do castelo quando estava frio, como naquele dia.

Então, os dois tiveram os jardins livres para eles. Tinha realmente se divertindo enquanto rolavam na neve, riam e conversavam, encontrando cada vez mais coisas que tinham em comum.

Mas, agora já estava tarde. Tão tarde que Remus tinha medo que algum professor os encontrasse e ficasse bravo. Eles tinham observando os outros voltarem de Hogsmeade, sem os seguir, mas agora eles precisavam voltar.

Eles tiveram certo trabalho em acordar a Mulher Gorda, mas quando finalmente conseguiram passar pelo quarto, encontraram a Sala Comunal vazia.

Dory andou até o pé da escada dos dormitórios femininos, sem saber porque, Remus a seguiu.

Ela virou-se para encará-lo e foi então que ele percebeu o tanto que estavam próximos, e deu um passo para trás.

Mas, para seu espanto, Dory sorria.

_Então… - Ela começou.

_Então…

_Então, foi divertido hoje, não?

_Sim. - Ele sorriu quando as lembranças recentes invadiram sua mente. Tirando os momentos que passara com os amigos, nunca tinha se sentido tão feliz ou humano antes, era quase como se a licantropia pertencesse a outra vida. - Eu me divertido bastante.

_Eu também. - Ela continuou. - E eu achando que ia passar o dia dos namorados sozinha!

_Mas não passou.

_Não, não passei. Eu passei com você e foi o melhor par que eu poderia ter achado.

Ele olhou para os olhos dela e ficou feliz ao ver que ela sorria.

E Dory tinha mesmo um belo sorriso.

Um sorriso feito de dentes brancos e bem alinhados.

_Dory…

_Sim?

E, antes que ele se desse conta do que estava fazendo, ele se curvou para seus lábios e lhe deu um beijo discreto e rápido, apenas um roçar de lábios, um beijo um tanto infantil, nada comparado aos beijos de seus amigos.

Dory fechou os olhos calmamente e esperou que ele a beijasse de novo, mas ele não fez isso e ela abriu os olhos.

Os olhos de Remus estavam tão arregalados que talvez pudesse saltar da cara.

_Me desculpe! - Ele sussurrou, antes de sair correndo e subir as outras escadas o mais rápido que conseguiu.

Ela ficou ouvindo enquanto seus passos ecoavam e então finalmente cessavam.

Mas, Dory não se mexeu. Ela ficou ali parada, a mão indo até os lábios delicadamente.

Fora real. Remus Lupin de fato tinha a beijado.

Tudo bem que fora apenas um beijo infantil e sem importância, mas era o primeiro beijo de Dory e como as pessoas dizem:

"O primeiro amor á gente nunca se esquece". 




Notas finais do capítulo

Gente, não vou ganhar nenhuma recomendação, não? Em quesito de comentarios eu não tenho o que reclamar, vocês são perfeitos, mas eu queria uma recomendação pelo menos. Que tal fazer uma autora feliz?
BBK,
Cassie