A New Life 2.0 escrita por L Angels


Capítulo 6
Capítulo 06 - Maldita falta de sorte.


Notas iniciais do capítulo

Acho que sorte é uma coisa bem complexa na vida da nossa Sophi.




** PDV Sophi

 

 

 

Chegamos em casa já estava ficando de noite, resolvi entrar no Skype para falar com a Rafa e não deu outra, assim que eu entrei ela já se conectou comigo.

 

— Oi Sophi! - Ela disse animada.

— Oi Rafa! Tudo bom por aí? – Eu disse sentando na cama com o notebook no colo.

— Aqui está tudo ótimo! Tirando o fato de que eu já estou com saudades. - Ela fez uma carinha triste.

— Também já estou com saudades! – Fiz a mesma cara.

— Disso eu sei, eu sou de mais! Mas como vão as coisas por aí? – Ela perguntou e eu respirei fundo.

— Aqui está tudo ok... – Dei de ombros.

— Só isso? A não Sophia, pode me contar as novidades! – Ela disse sem paciência.

— E quem disse que tenho novidades? – Perguntei fazendo ela franzir a testa.

— Me deixa ver... Você se mudou para uma casa nova, em um país novo onde você tem que se comunicar com as pessoas em outra língua. Você também começou a estudar em uma escola nova, e deve ter conhecido vários gringos lindos e vem com essa história de não ter novidades? Me poupe. - Ela ficou séria.

— Meu dia foi péssimo! Metade da escola deve me odiar, e meu irmão é amigo dos Quiseng dá pra acreditar em uma coisa dessas? – Bufei.

— Poxa Sophi... Não aconteceu nenhuma coisinha boa? Eu queria poder estar aí pra te dar um abraço. – Ela fez uma cara triste.

— Aconteceu uma coisa... Mas só vou contar se você prometer que não vai surtar! Porque pode parecer maravilhoso para você, mas na verdade é uma coisa bem normal pro resto do universo... – Falei calmamente.

— Ta bom eu prometo... O que houve? Você conheceu seu príncipe encantado né?? EU TE FALEIII! Anda Sophia abre o bico... Fala logo criatura! – Ela começou a falar sem parar, mas eu esperei até ela ficar quieta.

— Ok. Então...  Sabe aquele vocalista da banda que você gosta? – Perguntei.

— Aham, o Zach, o que tem ele? Você ficou com saudades de mim, viu algum vídeo deles e achou ele lindinho né? – Ela começou a falar de novo.

— Rafaela cala essa boca! Eu estou aqui tentando falar que conheci o Zach. Ele é da minha escola, da minha sala para ser mais específica. E ele não me deixou entrar em uma briga, até que ele é legal. Ah...  Eu falei de você para ele. Ele ficou super animado para te conhecer! -  Terminei de falar e a Rafa estava paralisada.

— Vo... Voc... O... ZACH?? - Ela sumiu da tela por alguns minutos e ficou um silêncio.

— Rafaela, me diz que você não desmaiou pelo amor de deus! - Fiquei aflita.

— Tudo bem... To bem... To ótima! - Ela apareceu novamente.

— Não parece! Você sumiu, se você desmaiou eu vou dar na sua cara, sua maluca. – Fiquei séria.

— Desculpa, mas é impossível estar bem depois de ficar sabendo que você acabou de conhecer o pai dos meus filhos! – Ela disse séria.

— Pai dos seus filhos? Vai com calma né... – Comecei a rir.

— Ele é alto? O cabelo dele é mais para o loiro ou para o castanho? Ele é forte? Como são os olhos dele pessoalmente? Ele tem cheiro de que? – Ela começou a me bombardear com perguntas.

— Ele é muito alto sim! Acho que para o loiro! Ele está mais para o tipo normal magro. Eles são bem azuis! E hã? Cheiro de que? Você tem problemas Rafaela, eu não vou mais responder essas perguntas estranhas. – Fiz uma careta.

— Poxa Sophia, não sou eu que estudo na sala dele, o que custa me falar como é o cheiro dele? - Ela fez uma carinha de choro.

— Como eu vou saber? Ele cheira a algum perfume que eu não conheço, você vai me fazer perguntar qual é não vai? – Revirei os olhos...

— Ah mas vou mesmo!! – Ela concordou.

— Você precisa se tratar!! – Eu disse rindo.

 

 

[...]

 

 

No dia seguinte acordei um pouco em cima da hora, já que fiquei conversando até tarde com a Rafa. Tive que me arrumar rapidinho, e corri para tomar café com meu irmão e pegar carona com ele.

 Look:

http://www.polyvore.com/sem_t%C3%ADtulo_200/set?id=171230446

 

— Aqui as pessoas tiram carteira com 16 anos. Você já está atrasada. - Meu irmão disse dando sequencia á nossa conversa aleatória.

— Nossa... Verdade! Eu nem me lembrava disso. – Respondi.

— Eu conversei com o nosso pai e ele disse que se você tirar a carta, ele te dá um carro. – Ele disse normalmente.

— Como que é? Eu vou ganhar um carro? – Perguntei sem entender.

— Se você tirar a carta, sim! – Ele disse rindo.

— Meu deus!! Você é o melhor irmão desse mundo! – Eu disse super animada.

 

Da pra imaginar? Eu com um carro? Isso é maravilhoso!

 

 

[...]

 

 

Estava andando pelos corredores quando fui empurrada grosseiramente contra a parede. Não precisava ser um gênio pra saber de quem se tratava não é mesmo?

 

— Qual o seu problema garota? – Perguntei irritada.

— O meu problema é gente podre como você. – A Selina respondeu arrogante.

— Vamos começar logo cedo? – Provoquei.

— Já começamos faz tempo! – Ela sorriu sarcástica.

— O que você ganha perturbando os outros? – Bufei.

— O Gostinho de ver essa pessoa sofrer. - Ela disse fazendo meu sangue ferver.

— Então fique sabendo que você não vai sentir esse gostinho minha querida. Não comigo! Você acha que é perigosa? Vai fundo então, eu te devolvo em dobro sem dó nem piedade. Eu não tenho medo de você! - Disse por fim e dei as costas.

 

Entrei na sala e ela estava vazia, ótimo! Assim posso escolher o meu lugar em paz. Me sentei bem no fundo, queria ficar bem das pessoas, mas não deu muito certo, logo duas meninas entraram e vieram até mim.

Uma era ruiva natural, com o cabelo bem grande e ondulado, seus olhos eram um castanho meio esverdeado e ela tinha umas sardinhas que a deixavam com cara de boneca. A outra era bem branquinha e alta, tinha o cabelo chanel bem preto, liso e olhos bem escuros, lembrava um pouco a branca de neve. Elas eram totalmente diferentes das vadias seguidoras da Selina, pelo menos não pareciam putas.

 

— Ei, oi... Sophia o seu nome né? - Disse a ruiva sentando ao meu

— É... Oi... Isso... – Respondi meio desconfiada.

— O meu é Carolina e o dela é Manuela. – Foi a vez da branca de neve falar em quanto sentava atrás da ruiva.

— Prazer... – Dei um sorrisinho.

— Nós acabamos de ver o que aconteceu entre você e a Selena no corredor! Você é corajosa garota! Gostamos disso. - A ruiva... Digo, a Manuela falou.

— Nós também odiamos aquela vaca... Ela acha que todos tem que idolatra-la! E quem não faz isso paga o pato. Adoraria dar uma bela surra nela... - A Carolina falou com um olhar maligno.

— Então somos duas... Depois pensamos em algo pra resolver isso. - Fiz o mesmo olhar e elas riram.

 

Começamos a conversar sobre outros assuntos, até que gostei delas, aos poucos a sala foi começando a encher e logo o Zach chegou, ele cumprimentou as meninas, acho que eles já são amigos, depois de me cumprimentar ele sentou a traz de mim e entrou na conversa.

Não demorou muito e a Vadia Gomes entrou na sala com um cara qualquer e suas seguidoras. Nem dei muita bola e continuei conversando, mas esse garoto veio sentar bem na minha frente. Só pode ser brincadeira né?

Ok, tenho que admitir... Ele até que tinha um corpo sarado bem bonito, e abençoado seja o sol dessa cidade, olha esse bronzeado, parece o meu irmão. Mas tirando isso não dava para ver muita coisa a não ser seu cabelo castanho meio bagunçado.

 

 

[...]

 

 

O Professor estava fazendo a chamada e estava tudo normal até ele chamar um nome nem um pouco agradável.

 

— Cameron Quiseng. - A voz do professor ecoou pela minha mente me deixando alerta.

 

Eu não acredito que tive o azar de cair na mesma sala que ele. Eu devo ter sambado em cima da cruz, não é possível. Precisava saber quem ia responder para poder manter o máximo de distancia possível desse garoto. Mas adivinha quem respondeu? O sarado na minha frente.

Mas é claro! Como eu pude esquecer? O babaca do Cameron era namorado da vadia Gomes! Eu nem tinha visto a cara dele ainda e já estava furiosa.

Fiquei desconfortável em quanto a chamada seguia, droga porque ele tinha que sentar logo na minha frente? Se ele descobrir que sou eu? E se ele vir falar comigo? EU DOU NA CARA DELE.

 

— Sophia Albuquerque. – A Voz do professor ecoou mais uma vez pela minha mente.

 

Mas que droga! Professor imbecil! Precisava falar o sobrenome? Não! Não precisava! E pra piorar a minha situação era óbvio que o Cameron começou a olhar em volta pra ver quem iria responder.

Talvez se eu só levantar a mão e não falar nada ele nem perceba que eu estou atrás dele. Mas adivinha...  Não deu certo, assim que eu levantei a mão ele virou para trás e me olhou bem nos olhos.

Fechei a cara na hora, mas aquele babaca não sacou que eu não fiquei feliz em vê-lo e deu um sorriso simpático. Merda... Era ele mesmo, aqueles caninos pontudos e os olhos verdes demoníacos!

Percebi que ele estava prestes a falar alguma coisa comigo, aquilo foi de mais para a minha pessoa, eu não estava nem um pouco a fim de ouvir qualquer coisa que ele tivesse para falar. Comecei a juntar minhas coisas e jogar na mesa do Zach.

 

— Troca de lugar comigo? Por favor! - Falei quase suplicando.

— Claro Sophi, sem problemas. - Ele falou se levantando.

 

Parece que trocar de lugar com o Zach também não foi uma boa ideia, porque logo fiquei sabendo que eles eram amigos. Óbvio né Sophia, se o Quiseng é amigo do seu irmão, ele não seria amigo do Zach?

Assim trocamos de lugar, o Cameron resolveu sentar de frente para o Zach e de costas para o professor. Eles começaram a conversar e o babaca do Cameron me lançava aquele olhar de “você não vai fugir de mim”. Porque todos os caras legais que eu conheço são amigos desse babaca? Não da pra entender.

 

— Ei Sophi porque você trocou de lugar com o Zach? - A Manu perguntou desconfiada.

— Porque...  Porque eu quis horas. – Respondi e elas deram de ombros.

— Vem cá... Esse professor não liga? – Me referi ao Cameron sentado de costas para ele.

— Não, ele não da á mínima! – A Carol disse pegando a cadeira dela e trazendo mais para perto da minha.





Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "A New Life 2.0" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.