A New Life 2.0 escrita por L Angels


Capítulo 22
Capítulo 22 - O segredo não tão secreto.


Notas iniciais do capítulo

Acho que rolou uma química nesse capítulo kkkk.




** PDV Sophi

 

 

 

O som do despertador invadiu meu sonho, fui abrindo os olhos lentamente. Eu definitivamente não dormi o suficiente, mas até que eu não estava tão acabada como achei que estaria.

Tomei um banho, me arrumei rapidinho e desci para tomar meu café da manhã.

 Look:

http://www.polyvore.com/sem_t%C3%ADtulo_39/set?id=44250729

 

— Bom dia irmão mais lindo desse mundo! - Falei pulando nas costas do Bernardo, que estava distraído.

— Bom dia irmã mais puxa saco desse mundo! - Ele respondeu debochado.

— Ai credo, eu não elogio mais então... - Disse bagunçando o cabelo dele.

— Ok, agora desce que você está pesada. – Ele me colocou no chão.

— Ta me chamando de gorda? – O fuzilei com o olhar.

— Eu? Claro que não... - Ele disse rindo.

— Nunca mais me chame de gorda se não quiser apanhar! – Disse séria.

— Você é muito ogra! – Ele reclamou.

— É de família. - Falei e nós rimos.

— Já vi que alguém acordou animada hoje. – Ele disse pegando um pouco de café.

— E olha que eu nem dormi direito. – Confessei.

— Ficou falando com a Rafaela né? Escutei vozes ontem à noite. – Ele falou e eu gelei.

— Aham... A Rafa estava empolgada ontem. Sacumé né... – Disse por fim.

— Vai querer carona hoje? – Ele perguntou.

— Não sei porque você ainda pergunta, eu sempre quero carona! – Falei e ele riu.

— Relaxa, sexta feira você já vai tirar a sua carteira, aí eu deixo você andar com o meu carro. Desde que você jure pela sua vida que não vai amassar o meu bebê. – Ele me olhou sério.

— Então... Eu tenho até medo de prometer uma coisa dessas. – Fiquei preocupada.

— Poxa Sophia, assim você não me ajuda a te ajudar. – Ele riu.

— Ué... Estou sendo sincera. – Eu ri também

 

 

[...]

 

 

Cheguei na escola e coloquei meus fones de ouvido para ver se conseguia ficar acordada enquanto as meninas não chegam.

 

— AI PORRA!! - Gritei tirando os fones do ouvido quando alguém puxou meu cabelo com força.

— TA MALUCA MANUELA? - Gritei de novo quando virei e vi a criatura rindo da minha cara.

— PORQUE VOCÊ ESTÁ GRITANDO? - Ela falou no mesmo tom.

— Porque você puxou meu cabelo, sua maluca. - Reclamei.

— Desculpa, mas eu estava te chamando faz mó tempo e você aí andando no mundo da lua. – Ela deu de ombros.

— Tudo bem... Vou deixar passar dessa vez. - Nós rimos.

— Achei as duas bonitonas! – Uma voz surgiu a trás de nós.

— Oi sua linda! – A Manu a abraçou e eu entrei no abraço.

— O que houve suas loucas? - Ela disse quando a soltamos.

— Oi para você também! – Falei sorrindo.

— Oi! Eu acho. - A Carol disse meio confusa e nós rimos.

— Tá... sério, qual é o problema de vocês? - Ela falou séria.

— Nada... – Fiquei séria também.

— Vocês estão alegrinhas de mais para as 07:00 horas da manhã. – Ela fechou a cara mais ainda.

— Depois conversamos melhor. – A Manu deu de ombros.

— Eu sabia! Tem alguma coisa errada e vocês não querem me contar, não gosto disso. Porque eu sou sempre a última a saber das coisas? - A Carol fez uma carinha triste.

— Tudo na sua hora Carol! – A Manu disse com uma voz doce.

 

Tive que concordar com ela, era complicado e eu ainda não sei direito o que vou falar. Quero contar para elas sobre eu e o Cameron, mas não tem eu e Cameron, ainda não, quer dizer... A gente ficou e provavelmente vai ficar de novo, mas só isso. Ficou bom, acho que é assim mesmo que eu vou falar.

 

— Ok, se vocês não querem falar vamos para a sala logo vai... – A Carol saiu andando e nós a seguimos até a sala.

 

Sentamos todas nos mesmos lugares de sempre e logo depois o pessoal começou a chegar também. Eu não conseguia tirar os olhos da porta, até o Cameron finalmente aparecer. Ele deu um sorriso e eu acenei com a cabeça discretamente.

Ele seguiu pela sala, mas não sentou no lugar de costume que seria algumas cadeiras em frente a minha. Não entendi direito o que ele estava pretendendo fazer até ele sentar-se atrás da Carol, lá ele tinha uma visão completa da minha mesa.

Ficou mais ou menos assim: Na fileira da parede nas três últimas cadeiras estavam eu, a Manu e depois o Zach. Então na fileira seguinte tinha a Carol do meu lado, o Cameron e uma cadeira vaga.

 

 

[...]

 

 

A aula estava um tédio! Eu odeio matemática com todas as minhas forças, sempre odiei. Olhei para as meninas fingindo que ia me enforcar e elas riam, ai eu olhei para o Cameron e ele também estava dando um sorrisinho discreto. Droga, me sinto tão observada desse jeito.

Vi o Cameron escrevendo alguma coisa e arrancando a folha logo em seguida, mas não liguei muito. Logo ele se levantou com o caderno na mão e o papel dobrado bem pequeno, quando passou por mim derrubou o papel bem ao lado do meu pé e seguiu o caminho dele até a mesa do professor.

Certifiquei-me de que não tinha ninguém olhando, peguei o papel e desdobrei.

 

Laboratório de química no terceiro tempo?

Olhei para o Cameron e quando ele passou pela minha mesa eu escrevi um “OK”  bem grande nas costas do papel para ele ler.

 

 

[...]

 

 

Quando o sinal da terceira aula tocou, peguei minhas coisas e fui até o meu armário. O professor tinha faltado então tínhamos esse tempo vago para ficar andando por aí.  Joguei minhas coisas no armário de qualquer jeito e fui em direção ao laboratório de química.

Quando cheguei no corredor pude notar que estava completamente deserto, nenhum barulho, nem nada do tipo. Me aproximei da porta da sala de química que estava entre aberta e senti alguém me puxando para dentro.

Quando percebi eu já estava completamente envolvida pelos braços do Cameron, encarei seus olhos verdes e ri. Então ele me beijou se nem termos trocado uma só palavra.

 

— Está comprovado, você é tão maluco quanto eu! – Falei assim que rompemos o beijo.

— Ué... Por quê? - Ele se fez de desentendido.

— Alguém pode entrar aqui a qualquer momento. – Expliquei.

— Eu sei! Gosto dessa adrenalina! – Ele piscou e acariciou meu rosto.

— Eu prefiro não arriscar... – Falei tirando os braços dele na minha cintura.

— Qual é Sophia! - Ele fez uma carinha triste.

— O que vocês dois estão fazendo aqui? - Uma voz ecoou pela sala fazendo eu e o Cameron darmos alguns passos para trás.

 

Olhamos para porta e demos de cara com o Zach e a Manu.

 

— Bom... Acho que podemos devolver essa pergunta para vocês. – Rebati.

 

Fiquei um pouco desconfortável, lancei um olhar para o Cameron tipo (Ta vendo, era disso que eu estava falando), mas logo eu olhei para a Manu e ela estava ficando vermelha, tinha alguma coisa muito errada.

 

— Vamos deixar vocês a sós. - O Zach disse já saindo.

— Zach espera! Eu estava mesmo querendo falar com você. – O Cameron falou.

— E acho que a senhorita Manuela tem algo para me contar. Vamos... – Puxei a Manu e saímos da sala e deixando os meninos a sós.

— Você tem que me contar tudo!! – Ela disse quando já estávamos longe.

— Eu tenho que contar tudo? O que você e o Zach estavam fazendo ali? – Lancei um olhar desconfiado para a minha amiga.

— É que eu e o Zach... Bom... A gente ia fazer um trabalho de... Droga! Eu e o Zach meio que ficamos ontem e... Ah você entendeu! – Ela falou ficando mais vermelha ainda.

— Como que é? Você está zoando com a minha cara né? – Perguntei chocada.

— É uma longa história. – Ela disse calma.

— Não se preocupa, eu tenho tempo! – Dei de ombros.

— Ta boom... Eu conto. Mas não vai pensando que você vai se livrar de me contar o que está acontecendo entre você e o Cameron, porque não vai ser bem assim... – Ela se rendeu.

— Combinado! – Concordei.





Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "A New Life 2.0" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.