A New Life 2.0 escrita por L Angels


Capítulo 2
Capítulo 02 - Irmão traidor.


Notas iniciais do capítulo

Adoro essa rincha entre famílias...




** PDV Sophi

 

 

 

Finalmente chegou o dia da viagem, eu já tinha me despedido do resto dos meus amigos e implorei pra que eles não fossem ao aeroporto, então só foram meu pai e a Rafa, aquilo ia ser mais difícil se tivesse mais gente.

Antes de entrar na área de embarque eu e a Rafa choramos tanto que até o meu pai teve que se segurar pra não chorar também.

Já dentro do avião eu não parava de pensar em como seria minha vida em um lugar diferente, e o quanto seria difícil ficar sem minha maluquinha. Vou sentir falta até do meu pai por mais que ele não parasse em casa.

As lágrimas foram caindo meio sem querer e quando dei por mim já estava chorando de novo, acho que vou desidratar desse jeito! Uma mulher que estava sentada do meu lado, acho que devia ter uns 30 anos ou mais até me ofereceu um lenço.

 

 

[...]

 

 

— É isso aí... Chegamos em Poway! - Disse pra mim assim que desci do avião.

 

Peguei minha mala e finalmente fui procurar meu irmão, nós somos bem parecidos para falar a verdade. Ele tem 25 anos e é bem mais alto que eu (o que não é tão difícil assim), tem olhos verdes, cabelo castanho claro bem curtinho, e pelas fotos que eu andei vendo, ele está bem mais bronzeado do que eu. 

Comecei a olhar a minha volta já o xingando mentalmente, que tipo de pessoa deixa a irmã mais nova esperando em um aeroporto de um lugar desconhecido que ela não faz a menor ideia de como sair de lá?

Então finalmente o vi, estava um pouco mais musculoso do que eu me lembrava, se esse lugar me fizer tão bem quanto fez pro meu irmão eu já estou feliz. Não pensei duas vezes, larguei minha bagagem ali mesmo e corri até ele.

 

— BEER! - Gritei em quanto pulava para o abraçar.

— BAIXINHA! Que saudades. - Ele me deu um abraço apertado me tirando do chão.

— Eu também estava com muita saudade! – Falei enquanto voltava a pisar no chão.

— Você está tomando bomba? Isso faz mal você sabe disso né? – Falei apertando o braço dele.

— Claro que não menina! Tá maluca? Isso se chama academia. - Ele riu.

— Não conheço isso. Nunca fui... – Falei e ele riu mais ainda.

— Você é muito preguiçosa pra isso! – Ele brincou.

— Idiota!! Só não vou falar nada porque é verdade. - Protestei.

— É eu sei que sou. Agora vamos pegar suas malas antes que te roubem sua maluca.

 

 

[...]

 

 

Chegamos na casa do meu irmão, ou melhor, na nossa casa e me espantei com o tamanho dela, não me lembrava que ela era tão grande assim, a casa tinha dois andares, no primeiro andar ficava a sala de TV, uma sala de jogos (que antigamente era uma sala de jantar, mas óbvio que meu irmão deu uma reformada), a cozinha, e a entrada para o quintal com uma piscina enorme.

No segundo andar ficavam os quartos, 5 no total, mas apenas dois eram suítes e um banheiro no final do corredor. Sim é uma casa enorme para o meu irmão morar sozinho, é a casa da família, acreditem ou não, mas um dia minha família já foi grande e tradicional, mas isso faz muito tempo.

Depois do tour pela casa, fui me instalar no meu quarto eu fiz questão de uma das suítes e meu irmão já tinha deixado tudo do jeitinho que eu pedi. O quarto era bem clean, chão de madeira, parede branca, uma cama de casal, um guarda roupas branco enorme, uma penteadeira verde bem clarinho com um espelho, uma escrivaninha e vários quadrinhos espalhados pela parede. Estava tudo perfeito, do jeitinho que eu queria.

 

 

[...]

 

 

Depois de algumas horas eu fui até a sala e o meu irmão estava lá deitado no sofá vendo Tv. Deitei no outro sofá e de repente meu estomago começou a roncar.

 

— Tem comida nessa casa?? - Perguntei.

— Claro que tem! Ou você acha que eu passo fome? - Ele riu e se levantou.

— Vai saber... – Dei de ombros.

— Vem! Vamos fazer algo. – Ele disse me puxando do sofá.

 

Então nós dois fomos para a cozinha que realmente estava mais bem equipada do que eu esperava, mas como eu estava com muita fome e não estava afim de esperar alguma comida mais complexa ficar pronta, optamos por um sanduíche mesmo.

 

— Sophi... – Meu irmão começou a falar com aquele tom de quem vai soltar uma bomba.

— Não gosto desse tom... O que foi? - Perguntei e comecei a tomar meu suco.

— Amanhã eu vou te levar na casa da Vovó Quiseng...

 

Não deixei nem ele terminar de falar, quando escutei aquele nome eu cuspi o suco todo na cara dele.

 

— NA CASA DE QUEM? - Perguntei chocada.

— Qual é Sophia!! Você cuspiu em mim... - Ele reclamou se limpando.

— Bernardo você fala que vai me levar na casa de uma Quiseng e é pra eu achar normal? - Fiquei indignada.

— É normal sim! A Vovó Quiseng é uma ótima pessoa, eu comentei que você ia vir morar comigo e ela fez questão de que eu te levasse lá na casa dela pra tomar um café. Achei que seria legal você começar a fazer amizades. - Ele disse calmamente.

— Bernardo, você está zoando com a minha cara não é? Você esqueceu que ninguém daquela família presta? A nossa mãe sabe disso por acaso? – Falei indignada.

— Ei, se acalma. Ela é só uma senhora Sophia, você acha mesmo que ela é um perigo para a sociedade? Nossos pais podem odiar a família Quiseng, mais eu não tenho nada contra eles! Até parecer que você não sabe que a nossa mãe é maluca. – Ele deu de ombros.

— Não é só nossa mãe que não gosta deles, é uma coisa passada de gerações, algum motivo deve ter. – Me defendi.

— Bom, eu não faço parte dessa briguinha idiota, adoro a vovó e sou muito amigo do Cameron. – Aquilo me deixou mais revoltada ainda.

— Ok você ser simpático com uma senhora de idade não tem problema, mas ser amigo daquele BABACA do neto dela é de mais para a minha pessoa. – Dei bastante ênfase no “babaca”.

— Qual o seu problema com o Cameron? Da ultima vez que vocês se viram você tinha quantos anos? Sete? – Ele continuou comendo.

— Eu tenho tudo contra aquele imbecil! Ele sempre foi uma peste! Ele colocou a porra de um sapo dentro da minha blusa. Eu não consigo chegar perto de um sapo até hoje Bernardo. – Bufei.

— Meu deus como você é dramática! Para de ser assim! Esquece isso menina. - Ele disse rindo.

— Esquecer a minha fobia de sapos por causa de um moleque idiota? Acho que não! – Senti um arrepio só de pensar naquele bicho nojento.

— Isso é besteira... – Ele deu de ombros.

— Quer saber... Vou dormir. – Disse irritada.

 

Lancei um olhar de reprovação para o meu irmão que continuava comento normalmente, com a camisa molhada de suco, então dei as costas seguindo até a porta da cozinha.

 

— CUIDADO! OLHA O SAPO! - O Bernardo gritou e eu dei um pulo.

— SEU IDIOTA! ISSO NÃO TEM GRAÇA. - Me virei e ele estava morrendo de rir.

— Ai maninha desculpa! Você sabe que eu te amo né? Vem aqui. - Ele abriu os braços e ficou me esperando pra um abraço.

 

Respirei fundo algumas vezes e ri da cara do meu irmão tipo “Vai me deixar no vácuo mesmo?”.

 

— Eu não, você tá todo molhado de suco. – Revirei os olhos.

— Isso é culpa sua. – Ele levantou e começou a me apertar muito.

— Sal daqui! Você vai me matar desse jeito! - Eu falei quase sem respirar e dei um tapa nele assim que me soltou.

— Você é muito agressiva para ser desse tamanho! – Ele disse esfregando onde eu dei o tapa.

— Que foi? Doeu? Porque eu não senti nada. – Provoquei.

— Engraçadinha... Agora vai dormir por que amanhã você tem aula. - Ele disse tentando parecer sério.

— Tá bom... Já estou indo. Boa noite! – Falei já me afastando

— Boa noite baixinha - Ele respondeu e eu fui para o meu quarto.

 

Dá pra acreditar nisso? Meu irmão amigo dos Quiseng? Se a nossa mãe fica sabendo de uma coisa dessas, acho que ela vem de sei lá onde ela estiver só para dar uns belos tapas no Bernardo.

Os Albuquerque e os Quiseng nunca se deram bem, não sei por que, mas também não faço questão de saber! Eu não gostaria deles mesmo assim. Aquele maldito Cameron era terrível, não parava de me infernizar. Se tem uma pessoa de que eu faço questão de manter a distancia essa pessoa é ele!

Mas deixa pra lá, eu tenho de descansar final eu tenho um problema bem maior a caminho, um problema chamado “Escola nova”, e eu não sei se estou preparada pra isso...





Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "A New Life 2.0" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.