Opposite Attraction escrita por Giu, Bloody Mari


Capítulo 7
Capítulo Bônus


Notas iniciais do capítulo

Aqui está o capítulo bônus que eu havia falado. Eu não queria postá-lo assim, mas como estou na correria to postando. Vou TENTAR acabar o próximo capítulo até hoje a noite, mas se eu não conseguir a Mari posta outro dia.




PDV Alice


Eu estava mesmo preocupada com a Renesmee, e quando ela falou que queria ajuda para mudar, topei na hora.  Estavamos agora a caminho de Seattle, passaríamos o dia todo no shopping, fazendo compras, e mudaremos completamente o visual dela.

Eu sei que isso a ajudaria, mas o mais importante para ela mudar deveria vir dela, atitude é tudo o que ela precisa. Ela acordou mais animada e disse que não falaria do assunto “Jacob” ou o assunto “Aposta”.

O rádio estava no volume mais alto, e eu fazia de tudo para animá-la.

PDV Renesmee

Acordei mais animada. Na noite passada fiquei até tarde conversando com a Alice, ela não queria deixar eu pensar nos acontecimentos. E eu não pensaria mesmo.  A partir de hoje estava nascendo uma nova Renesmee, eu faria tudo o que sempre quis e até o que nunca pensei em fazer, e de bônus ainda conquistaria o Jacob.

Chegamos no shopping, e Alice estava animada, eu queria entrar no clima, e sabia que hoje mudaria completamente. A Renesmee santinha estava indo embora.

- Vamos entrar nessa loja. – Ela falou me carregando para uma loja de grife.

[...]

Foi o inferno. Alice me fez vestir uma quinhentas roupas na primeira loja, eu estava cansada de tanto trocar de roupa. Mas pelo menos levamos bastante coisinhas de lá.

A segunda loja foi mais interessante. Era loja de Departamento. Imensa. Levamos muitas coisas. Roupas que eu nunca imaginei que um dia usaria.

Depois disso fomos para uma loja de sapatos. As compras foram basicamente de saltos altos. Compramos três bolsas novas lá.

Quando saímos, já carregávamos bastante sacola, e fomos almoçar.

- Acho que precisaremos contratar um carregador... – Ela comentou, enquanto almoçávamos.

Concordei.

Quanto terminamos o almoço ela disse que me levaria a uma loja de lingeries. É, agora seria mesmo minha morte.

[...]

Eu havia achado que tinha sido o inferno as três primeiras lojas, mas essa foi pior que o inferno. Que mico foi ficar escolhendo, e para variar ela sempre apontava para as menores peças da loja.

Eu me senti muito envergonhada quando tive que experimentar, e ela e a vendedora ficaram do lado de fora, me esperando sair.

Sai primeiro com um corselete branquinho, me sentia muito erótica vestida assim. Alice adorou, e falou que tínhamos que levar. Depois desse corselete teve mais dois, um preto e um vermelho.

Levamos também varias calcinhas, algumas maiores e mais confortáveis, outras extremamente pequenas e toda rendada, eram umas graças. Os sutiãs, quase todos vinham em par com as calcinhas.  Fui proibida de comprar qualquer coisa com estampa de bichinhos, ou florzinha.

Quase tudo era preto, ou vermelho ou branquinho. Raras excessoes eram mais coloridas. Fui praticamente obrigada a levar algumas ligas, e meias. O meu maior mico foi quando sai da loja, com um carregador, e as pessoas olhavam tanto, deveriam achar que revendíamos lingeries.

Entramos em mais algumas lojas, e quando deu 4 hrs fomos pro salão que tinha no shopping, lá eu mudaria racialmente meu visual. Começando pelo cabelo.

[...]

Alice apertava minha mão quando eu fechava os olhos, preparada enquanto a simpatica moça encurtava o meu cabelo. Foram anos com eles quase na cintura, e agora eu tiraria uns cinco dedos. E picotaria todo.

Depois do corte, onde gastei todas minha força de vontade para não chorar e sair correndo de lá, joguei um colorizante da cor do meu cabelo, apenas para deixa-lo mais realçado.

Fiz minha unha e coloquei postiças, nunca mais teria unha pequena.

[...]

Ainda entramos em mais lojas quando saímos no salão, porém não compramos muitas coisas, só algumas maquiagens, cremes e essas coisas. Saimos de lá, já era noite. Meus pés doíam, Alice deveria estar no mesmo estado, mais não reclamava. Ela adorava fazer compras.

Até que não foi tão ruim como eu pensei que seria. Eu me sentia mudada, e estava feliz de poder contar com a Alice. Amanha eu seria outra Nessie.

Fomos até o carro, com os três carregadores nos seguindo, e mais os dois carrinhos que carregávamos cheios de sacolas. Agora eu queria ver, para caber tudo dentro do carro.

Com muito, mas muito esforço, colocamos tudo no carro. E fomos animadamente embora, cantando e com o teto rebaixado, vendo a lua.

Decidi que iria para casa, não podia depender de Alice para tudo.

[...]

Cheguei em casa, e encontrei meus pais na cozinha. Desejei uma boa noite, minha mãe parecia preocupada comigo, e meu pai iria querer conversar sobre eu ter ido dormir fora. O Emmett estava na sala, assistindo a um jogo, passei direto, levando várias sacolas para meu quarto e voltei com a Alice no carro, para pegar o resto.

Depois de fazer umas 10 viagens do quarto/garagem, Lice foi embora, e eu subi para tomar um banho relaxante, precisava me preparar, o dia amanhã seria cheio.

Preparei a banheira, colocando bastante sais relaxantes, meus pés doíam demais, e a partir de amanha usaria apenas salto, passei bastante tempo relaxando na banheira, quando terminei limpei minha pele. Eu mudaria isso também, nunca mais deixaria de me cuidar.

Depois do meu banho, peguei todas as sacolas, jogando tudo pelo quarto, e arrumaria algumas no Closet, outras deixaria para a empregada fazer. Guardei todas as minhas lingeries,e separei as roupas para usar amanhã.

O resto das roupas ficaram espalhados pelo quarto. Me deitei para dormir, meio receosa com o meu futuro. A partir de amanhã eu acabaria com a vida e a reputação de Rosalie Hale. Ela não sabia com quem estava se metendo. Eu tiraria tudo o que importa para ela: Jacob, popularidade, o cargo de líder de torcida... Ela que se prepara-se, a vida dela seria um inferno.

O Jacob também receberia uma pequena lição. Eu amava ele, mas quem se apaixonaria agora seria ele, e sofreria muito. Sofreria tudo o que sofri por ele nesses três anos. E eu não sabia como seria o amanhã. E não queria saber, eu viveria cada dia, como se fosse o último.

Não conseguia dormir, a ansiedade falava mais alto. Decidi descer e comer alguma coisa. Já passava das 23hrs da noite. Peguei um pote de sorvete na geladeira, e chocolates, e sentei no sofá da sala, ligando a TV num filme. Fiquei até tarde acordada, mas por volta das duas o sono bateu e subi para dormir. Estava tudo mudando.



Notas finais do capítulo

Esse capítulo foi só para matar o tempo de vocês, ficou uma merda, eu sei.
Bom, se eu não conseguir postar o próximo, vou deixar aqui um aviso: To indo viajar, mas prometo que darei uma de nerd, e em vez de ir pro samba vou ficar escrevendo ok? Tá, não vou fazer isso, mas prometo que vocês vão gostar bastante do proximo capítulo, que vou fazer com todo carinho, enquanto estiver na estrada hahahah bjs meninas, e muito obrigada por lerem.