Opposite Attraction escrita por Giu, Bloody Mari


Capítulo 28
Capítulo 25


Notas iniciais do capítulo

Espero que gostem do capítulo!




Hoje era dia 24 de dezembro, véspera do natal. Eu passaria o dia arrumando a casa para receber os familiares que dormiriam aqui, e amanhã já teriamos um belo almoço de natal e a noite trocariamos presentes. Fui acordada cedo, por ninguém menos que Alice, é claro. Ela estava sendo muito minha amiga, mas do que em todo esse tempo, ela vinha para cá todos os dias, me fazia rir, brincava comigo. Era a única que conseguia me alegrar.


Depois de colocar uma roupa quentinha, pois fazia muito frio - com certeza logo logo começaria a nevar - desci com Alice para tomar um café reforçado e começar a decorar toda a casa. penduramos enfeites por toda a casa, com o exagero e a disposição da Alice não teve nada que não tenha ficado divino. Depois fomos montar a árvore de natal. Fui até o porão onde guardavamos todos os enfeites da árvore e depois subi colocando na sala para a Alice me ajudar. Quando começamos a montar a árvore senti um aperto no meu coraçõ pois costumava montar a árvore com o Emmett, era um ritual nosso antes da noite de natal. Terminamos de montar com a grande estrela no topo da árvore, ficou lindo. Já era tarde então me despedi de Alice, que foi para casa, e fui me trocar para receber os convidados, alguns primos distantes e parentes da minha mãe, que chegariam para o jantar. Me arrumei e quando a campanhia tocou eu desci para receber os convidados.


– Renesmee! Nossa como você cresceu! - Disse minha tia me agarrando tão apertado que eu mal conseguia respirar.


– Ahhn... Oi, nossa como é bom te ver tia Beth. - Disse depois que recuperei o ar novamente, ela me deu um sorriso e foi entrado para cumprimentar meus pais que estavam logo atras de mim na porta, e Emmett também.


– Nessieeeeee. - Gritaram em conjuntos as gemêas Sarah e Susan e me abraçaram.


– Oi meninas, quanto tempo. - Disse abraçando-as, antigamente tinhamos mais contato, mas depois de um tempo paramos de nos ver com tanta frequência, apesar de temos a mesma idade elas sempre aparentaram ser mais velhas do que eu.


– Emmett, Oh meu Deus como está enorme... anda tomando bomba? - Perguntou Tia Beth tentando alcançar Emmett para abraça-lo.


– Que isso Tia, é a genética.- Disse Emmett sorrindo.


– Bem que eu queria que fosse, bom seja lá como for passe a receita para esse seu primo magrelo. - Disse Tia Beth apontando o menino magricela, chamado Andrew, que tinha quinze anos.


– Oi. - Disse timído o garoto.


– Eai. - Disse Emmett quase quebrando-o com um abraço. Sorri e fui menos bruta ao abraçar o garoto.


– O jantar já esta na mesa, estavamos apenas esperando vocês quatro chegarem. Venham, vamos antes que esfrie. - Disse minha mãe. Seguimos minha mãe até a mesa de jantar, toda decorada e com um jantar mega especial, todos nos sentamos e começamos a comer e conversar ao mesmo tempo.


– E como é ? Vocês tem mesmo aquele tipo de ligação de gemêos, isso é verdade ? - Perguntou Emmett para as gemêas. Todos conversavam animadamente na mesa.


– Sim. - Disse Susan com um enorme sorriso.


– Eu não acredito nisto, acho que essa ligação entre irmãos pode acontecer com todos os irmãos. - Disse Andrew, Emmett olhou para mim sugestivamente.


– Costumavamos ter essa ligação. - Disse rancoroso.


– Pois é isso antes de você me trair, aposto que a Susan nunca traiu a Sarah - Disse cruzando os braços.


– É claro, porque a Sarah nunca pediria a Susan para fazer algo errado. - Disse Emmett cruzando os braços também.


– Mas se pedisse aposto que a Susan não se negaria, porque elas são irmãs. - Disse, a essa altura todos na mesa já olhavam para nós, mas eu não estava nem ai, precisava falar tudo que estava entalada na minha garganta sobre a traição do Emmett.


– Irmãos sabem o que é certo para os seus irmãos então se a Susan dissesse que não é certo o que a Sarah faz a Sarah teria que ouvi-la. - Disse Emmett emburrado.


– Você me traiu, eu confiei em você e você confraternizou com a minha inimiga, mas do que isso você foi para cama com ela, e ainda quis que eu a perdoasse, eu não tenho nada a perdoar, ela acabou com a minha vida durante anos e tudo o que eu queria era que ela pagasse e você me vem com essa, você mas do que todo mundo sabe o que eu sofri nas mãos dela, e ao invés de me ajudar você dormiu com ela. Você. Me. Traiu. - Disse exaltada.


– Você não enxerga nada que não queira ver, você não conseguiu ver que ela mudou, você que me traiu quando continuou com sua vingança enquanto eu, seu irmão, pedi para que parasse, você me traiu Renesmee, você não soube me ouvir, você não levou meus sentimentos em consideração, porque nada é mais importante para você, do que você mesma. Você se tornou algo pior do que a Rose era. Eu tenho pena, dó no que você se transformou. - Disse Emmett jogando o guardanapo na mesa e se levantando, ele me lançou mais um olhar acusatório antes de subir as escadas. Respirei fundo e percebi que todos na mesa me olhavam num silêncio constrangedor, não aguentando mais segurar o choro corri para o meu quarto, bati a porta e me joguei na cama.


Eu perdi meu irmão, o único em que eu posso confiar tudo. Eu tenho certeza que ele daria sua vida pela minha, não mas agora depois de tudo o que eu fiz. Rosalie mereceu o que aconteceu, mas meu irmão não merece se envolver nisto. Fiquei horas remoendo o acontecido na mesa de jantar e chorando ao me lembrar de tantos bons momentos que eu passei com meu irmão, meu confidente, meu parceiro.


– Presciso reverter a situação. - Disse para mim mesma, levantei da cama, tomei um banho rapido e vesti um pijama confortável, peguei os materias que eu prescisaria para reverter a situação e liguei meu computador pronta para passar a noite em claro.




Acordei com vozes animadas no andar debaixo da casa, sorri me espreguiçando na cama, meus dedos estavam colados um no outro e tinha papéis coloridos até no meu cabelo. Definitivamente eu não sou boa com colagem. Sorrindo feliz por ter terminada meu presente a tempo, fui até o banheiro onde tomei um banho relaxante e bem quentinho vesti uma roupa confortavél e me perparei para descer quando vi, pela janela do meu quarto, que estava nevando. Um sorriso enorme se espalhou pelos meus lábios. Amo neve. desci a escada correndo e encontei todos tomando café da manhã na cozinha.


– Bom dia. - Disse alegre. Todos me responderam, mas o Emmett nem me olhou na cara.


– Renesmee, querida. Como você está? Sente aqui com a gente. - Falou tia Beth, puxando uma cadeira ao seu lado.


Tomamos café conversando animados e quando acabei fui sentar na sala com minhas primas para ver um filme e esperar a hora do almoço. Meus avós deveriam estar chegando, e mais alguns parente. Mamãe estava afoita na cozinha, junto com as duas empregadas, preparando um lindo peru de almoço.


– Ness, desculpe perguntar, mas o que aconteceu com você e Emmett, estão brigando.. Nunca vi vocês assim... - Sarah perguntou, em um certo momento.


– Muitas coisas aconteceram. Mas eu vou mudar isso, vou dar um jeito de ficarmos bem novamente. - Falei convicta e elas sorriram para mim. Antes que pudesse falar mais alguma coisa a campainha tocou, e eu me preparei para receber meus familiares.



Uma hora depois e a casa já estava cheia, meus avôs, por parte de pai e de mãe já estavam ali, junto com meu tio e minha tia Elizabeth e John, junto com seu casal de filhos Katherine, de 18 anos e Collin, de 14. Estava uma barulheira danada na casa. O almoço já estava quase pronto e eu subi com as minhas primas, Sarah, Susan e Katherine para nos arrumarmos. Katherine ficaria aqui mais dois dias, e as outras duas iriam embora amanhã, e por causa da casa cheia, eu as deixei dormir comigo no meu quarto.


– Nessie, você está tão mudada... - Katherine falou, observando o meu look.


[N/A: Look da Katherine.]


– Sim, eu dei uma repaginada completa. - Falei sorrindo para ela.


– Eu adorei. Está tão sua cara. HAHAHA - Ela disse.


– É, eu imaginei que você fosse gostar, é o seu estilo Katy. - Falei para ela, usando o apelido que usava antigamente.


– Com certeza. Você pegou o meu gosto.


– Sim. - Concordei, Katherine sempre foi minha prima mais próxima eu gostava muito dela. As três ficaram prontas logo e minha mãe chamou todos para descer.


Descemos a escada e fomos para a sala de jantar, onde seria o almoço já que o clima frio pedia por uma lareira acesa. A enorme mesa de jantar estava cheia de delicias, comidas doces e salgadas, e todos já estavam sentados, esperando nós quatro para começarem a comer.


O almoço foi delicioso e lindo, era tão bom ver a familia toda em harmonia. Principalmente assim, juntando nossos parentes distantes, minhas primas e tias queridas que eu nao via fazia tempo. Era bom, muito bom ficar tão bem assim com a familia.


Todos tinham acabado de comer, mas ninguém queria sair do quentinho da mesa de jantar perto da lareira, então a conversa continuou por ali mesmo. Estava em uma conversa animada com a Katherine sobre uma possível viagem que poderiamos fazer ainda essa semana. Ela dizia que seria uma boa ideia irmos passar a virada do ano em Nova York e eu me animei demais com a ideia. Tinha certeza que Alice ia adorar, e ia querer ir. Conversavamos entusiasmadas sobre isso quando um elfo entrou saltitando pela casa.


– Nessiee!!! - Gritou Alice empolgada saltitando até mim.


– Liiiicee. - Gritei e sai da mesa para abraçá-la.


– Feliz Natal. - Gritamos juntas uma para a outra.


– Presentinhos. - Disse Alice me mostrando a sacola enorme que tinha em mãos.


– Ah, eu tenho presente para você também... - Comecei empolgada mas logo me calei quando vi quem entrava pela porta da cozinha.


– Desculpem a porta estava aberta. - Disse Rosalie se fazendo de tímida, estantaneamente fechei a cara.


– Oi amor. - Disse Emmett levantando da mesa e indo cumprimentá-la.


– Oi. Feliz natal a todos. - Disse Rosalie fazendo média, o pessoal comprimentou ela e voltaram a suas conversas.


– Vamos subir Alice, o ar ficou pesado de repente. - Disse puxando-a para a escada. Entramos no meu quarto e eu bati a porta.


– Mas que garota falsa, como tem coragem de vir na minha casa no natal! - Disse andando de um lado para o outro.


– Ai Ness, não importa já nos vingamos. Esquece ela. - Disse Alice se espalhando na minha cama.


– Já ? - Perguntei insatisfeita com a pequena vingança do baile.


– Sim, agora chega desse assunto, vamos aos presentes. - Disse Alice animada.


– Ah claro. Espera que vou buscar o seu. - Falei indo pro meu closet pegar o presente dela que eu tinha deixado guardado.



[...]



Eu estava acabando de contar a Alice sobre a ideia da minha prima Katherine de irmos festejar o ano novo em Nova Iorque. É claro que Alice já estava delirando com a ideia, e já começava a combinar comigo o dia que iríamos e quando voltaríamos, mesmo que não tivesse nada decidido.


– Nessie, desculpa atrapalhar, mas estão todos reunidos no quintal, estamos querendo fazer um guerra de bola de neve. Não querem participar? – Katy apareceu na minha porta, perguntando.


– Ah, claro que queremos, já estamos descendo! – Disse levantando do chão e correndo para pegar minhas botas, Alice fez o mesmo.


– Que euforia... – Katy comentou, encostada na soleira da porta esperando-nos.


– Mas é claro! Faz um ano desde que não fazemos guerra de bola de neve.. – Respondi enquanto colova uma touca na cabeça.


Descemos as escadas e ouvimos vozes vindo do quintal de trás. Fomos até a porta da cozinha, e na varanda que tinha ali estavam sentados meus avós, meus pais e meus tios, e ainda tinha a presença de alguns amigos próximos. Eles conversavam, enquanto meus primos, meu irmão e mais algumas pessoas – indesejáveis – conversavam no meio do quintal, envoltos de neve.


O bom de morar em cidade pequena era que minha casa dava para um floresta, e tínhamos um grande quintal na parte de trás, era muito legal fazer guerra de bola de neve aqui, pois passando por uma pequena trilha em meio as arvores chegávamos numa clareira onde tinha vários lugares para se esconder, e o jogo só ficava melhor.


– Bom já que estamos todos aqui, como vai ser a separação de times? – Perguntou Emmett. Depois de alguns minutos, decidimos que um time seria eu, Alice, Katy, Susan e Sarah. O outro time seria Emmett, meus dois primos ( Andrew e Collin), Rosalie e Britanny, as duas pessoas que eu tinha virado a cara quando vi que jogariam com a gente. Britanny é filha de um amigo de meus pais, mas sempre foi nojentinha e nunca foi com a minha cara, mesmo que fossemos conhecidas desde pequenas.


– Podemos começar? – Perguntei.


– É claro. Mas antes, as regras. – Emmett disse fazendo o olhar sinistro que ele adorava fazer quando ia ditar as regras da Guerra de Bola de Neves da família Cullen. – Primeiro de tudo, nada de machucar o adversário, e nem de se esconder muito tempo. Por favor pessoal, pro jogo ficar legal tem que meter a cara. E segundo, pode tudo nesse jogo, apenas tomem cuidado para não saírem machucados. – Falou por fim flexionando os músculos. Sorri lembrando que todo ano eu revirava os olhos quando ele falava essas regras bobas e totalmente contraditórias. – Se preparem para correr em cinco, quatro, três, dois, um e..... – Emmett falou aumentando a voz e fazendo a contagem regressiva. Me preparei para correr, com todo meu time perto de mim. – NEVE NELES!!!!!! – Gritou se abaixando para pegar um pouco de neve e tacar no meu time.


Sem perder tempo eu sai correndo, desviando de algumas bolas de neve. Me abaixei para fazer um bola, meu alvo nesse jogo era Rosalie, ia adorar acertar uma bola na cara dela. O jogo estava sendo engraçado com todos os gritos ali, alguns minutos depois já tinha alguém cheio de neve, e se retirando do jogo. Eu como já era acustumada a jogar isso todos os natais, não tinha levado nenhum “tiro” ainda.


Resolvi correr para a clareira que tinha, pois vi Emmett e outros indo para lá. Sai de trás da arvore e corri para pegar a trilha, fui correndo, e ouvi passos vindo atrás de mim. Enquanto corria para chegar logo lá, de uma olhadela para trás e não vi quem era atrás de mim. Mas nesse meio tempo que tirei minha atenção do chão acabei tropeçando, e indo de cara numa pedra cheia de musgo. Senti cheiro de sangue e fiquei deitada com a cabeça encostada na pedra esperando alguém vir me ajudar.


– Renesmee, você está bem? – Ouvi uma voz feminina falar perto do meu ouvido. – Venha, eu te ajudo a sair. – Falou me levantando dali. Pegou na minha mão e com um pouco de esforço por causa da pancada eu me levantei.


– Obrigada. – Falei simpaticamente olhando a cara da menina que tinha me ajudado. – Rosalie? – Murmurei. Estava cética por um momento. Não conseguia acreditar que ela tinha me ajudado de verdade.


– Nós temos que aprender que certas coisas mudam – Murmurou olhando pros meu olhos. Sua voz era franca, e nos seus olhos eu não via aquela maldade característica da menina que tanto me fez mal. Ela abaixou o rosto, e saiu dali, continuando a ir até a clareira.


Eu continuei parada ali, com a minha mão segurando onde eu tinha batido e saia sangue. Não me mexi, pois ainda tava difícil acreditar que aquilo realmente tinha acontecido. Rosalie Hale, a minha maior inimiga tinha acabado de me ajudar. Balancei a cabeça, sem acreditar no que houve, e voltei até a casa para cuidar do ferimento.


[...]


Me olhei mais uma vez no espelho, meu cabelo impecável, o vestido que eu escolherá era lindo. [look Ness] Essa noite de natal seria perfeita. Passei meu perfume e desci do meu quarto. Todos já estavam lá embaixo, só faltava mesmo eu e o jantar já seria servido.


Jantamos conversando e rindo, mas foi ainda mais belo que na hora do almoço. Pelas grandes janelas observávamos a noite escura e branca pela neve. A grande lareira ligada com o fogo alto, mas para mim o que estava aquecendo de verdade a todos nós era o fogo da felicidade, da harmonia, da paz, que reinava sobre todos nós. Eu simplesmente amava o natal. Uma das únicas datas que eu sempre passava com a família toda reunida, a casa cheia, e todos se falando como se nenhum problema existisse.


Acabamos de jantar e fomos todos para a sala de estar. Nos esparramamos pelo sofá e pelo tapete no chão. A lareira de lá também tava ligada e ao lado dela uma imensa arvore de natal que eu tinha decorado com muito carinho e agora estava toda iluminada.


Começamos a troca de presentes, e eu fiquei feliz com tudo que me deram. Meus pais me deram um lindo cordão com um pingente de coração com um diamante discreto incrustado nele, além de algumas belas roupas. Dos meus tios e primos eu ganhei dinheiro, o que era normal deles, só Katherine que havia me dado uma linda blusa, dizendo que era minha cara, o que de fato era verdade. Meus avós maternos me deram uma pulseira simples, mas com vários pingentes pendurados, uma coisa linda de se ver. E meus avós paternos me deram mais roupas.


Quando as trocas de presentes já diminuira, pedi licença e subi, com o pretexto de buscar o presente do Emmett. Fui até meu quarto e peguei a caixa que eu havia embalado direitinho, olhei novamente para ver se estava tudo direito e respirei fundo para descer novamente. Esperava que ele gostasse, e que meu plano desse certo.


Sentei no chão, no mesmo lugar que estava antes, e fiquei segurando a caixa.


– Opa, mais presente! Para quem é isso Renesmee? – Meu tio perguntou. Respirei fundo.


– É para o meu... irmão. – Falei baixinho e olhei para Emmett, ele me olhou de volta supreso, e eu tentava mostrar nos meus olhos todo o pedido de desculpas que devia a ele. – Tome – Falei entregando a caixa a ele, e abaixando a cabeça logo em seguida. Eu senti ele dando um hesitada, antes de pegar a caixa e começar a desembrulhar.


– É um álbum de fotografias. Na verdade, é um álbum de momentos. De todos os momentos que passamos juntos, como dois irmãos, dois amigos, dois companheiros. – Expliquei, enquanto ele folheava as paginas no livreto, que continham fotos, frases, musicas, tudo que nos marcou durante toda a nossa vida.


– Lembra Emmett, de nossa viagem para a Disney? Lembra do medo que senti de ir naquela montanha russa, e você segurou minhas mãos e foi comigo, rapidamente eu perdi o medo.. – Comentei vendo ele olhar as fotos de quando tínhamos 13 anos e nossos pais nos levaram para a Disney.


– Aquele jogo... - Emmett comentou passando a mão pela imagem de um jogo de videogame que ficamos jogamos juntos durante meses e conseguimos ganhar juntos. Eu já tinha lágrimas nos olhos lembrando de tudo isso, e apostava que ele também.


– Emmett. - Falei, com a voz mais alta e com som de choro. - Eu só queria pedir desculpas. Eu estava mesmo errada esse tempo todo. Me desculpe por ser tão idiota, mas eu te amo acima de tudo, você é meu irmão, e não quero perdê-lo.


– Ah Ness.... - Ele disse chorando e foi me abraçar.


– Desculpe, desculpe... - Mumurei enquanto me mantinha abraçada com ele.


– Você ainda é minha irmãzinha, e sempre será, ok? - Ele falou olhando nos meus olhos. Dei um sorriso e ganhei outro dele.


– Obrigada Emm. - Falei.



Depois do Emm me perdoar, todos acabaram de trocar os presentes, meus quatros avós foram embora, e minha tia Elizabeth foi embora com Collin, deixando Katherine. Meus outros tios e minhas primas Susan e Sarah só iriam embora amanhã pela manhã. Fui dormir feliz, de saber que tudo estava bem entre eu e meu irmão.



[...]


– O que estou fazendo aqui? - Me perguntei pela milésima vez, enquanto respirava fundo para sair do carro. Eu não sei qual era o meu problema, mas eu sabia que era necessário ir lá fazer uma visita a Sue, havia até comprado presentes, como agradecimento por toda a bondade dela no tempo que precisei de um lugar para ficar. Respirei fundo ainda dentro do carro, abri a porta, peguei as sacolas com os presentes e fui até a porta da casa da Sue. Bati na porta receiosa e torcendo para que não tivesse que encontrar com Jacob por ali.


– Ness, querida! Que supresa! - Disse Sue ao abrir a porta e me ver, ela me deu um abraço apertado e depois me permitiu entrar na casa dela. Entrei hesitante na casa, olhando para os lados para ver se o Jacob estava por lá, mas só vi o Seth.


– Hey, Nessie. - Disse Seth se levantando do sofá e vindo até mim me abraçar.


– Oi Seth, feliz natal atrasado - Disse depois de soltá-lo, vasculhei minha sacola até achar o presente que comprei para ele. - Espero que goste.


– Não precisava. - Disse Sue atrás de mim enquanto Seth abria o presente.


– Presisava sim, olha que linda mãe. - Disse Seth mostrando a camiseta que havia lhe comprado.


– É linda mesmo. - Disse Sue.


– Valeu Ness, eu adorei. - Disse Seth me abraçando novamente e depois subindo a escada da casa.


– Não precisava Nessie. - Disse Sue gentilmente me indicando para sentar no pequeno sofá e se sentando em seguida.


– Ahh, não foi nada eu adoro o Seth. - Disse educadamente e peguei na sacola o presente que trouxe para ela.


– Oh, Ness. Obrigada. - Disse aceitando o embrulho, Depois de abrir o presente voltou a me agradecer empolgada.


– Não foi nada. - Disse entre abraços. Ficamos algum tempo conversando, ela me perguntou como eu estava passando, como estava as coisas em casa e etc, felizmente não tocou no nome de Jacob nem uma vez.


– Sue, está ficando tarde. Acho que já vou embora. - Falei, levantando e pegando minha bolsa.


– Ah Nessie? Já, irei tirar uma fornada de biscoitos agora. Fique para o lanche da tarde. - Sue pediu enquanto se levantava logo depois de mim.


– Obrigada Sue, mas acho que já está na minha hora. - Falei, caminhando para a porta.


– Então tá bom. Sempre que quiser aparecer aqui. - Respondeu abrindo a porta para mim.


– Obrigada por me receber Sue. - Me despedi lhe dando um abraço.


– Obrigada você por ter aparecido. Volte sempre querida Ness. - Falou, enquanto eu a soltava do abraço. Me virei para sair da casa, e dei de cara com uma pessoa.


– Renesmee. - Ouvi meu nome e fechei os olhos apreciando o tom rouco da sua voz.


– Jacob. - Disse abrindo os olhos novamente e encarando-o. Estava de calça jeans com uma camiseta preta fina, parecia não sentir frio no congelado inferno de la Push.


– érr.. - Pisquei algumas vezes, pensando no que fazer. - Sue, como eu ia falando, eu preciso ir. Tchau. - Falei apressadamente, tentando passar por Jacob para sair da casa. Ele tapou minha passagem. - Com licença.


– Espera. Acho que precisamos conversar. Você não acha? - Ele falou, e sua voz me fazia delirar.


– N-não temos nada para conversar. Me deixe passar. - Falei, tentando passar por ele novamente.


– Deixe ela ir Jacob. - Sue se intrometeu. Ele vacilou um pouco, e eu passei por entre as frestas que tinha, me espremendo, e tentei correr pro meu carro. Segurando algumas lagrimas.


WISH YOU HERE WERE - AVRIL LAVIGNE


– Nessie! Espere! - Ele gritou, e apressei o passo até o carro. Ele veio correndo até mim e me segurou.


– Você tem que me ouvir. Você não pode fugir de mim para sempre. - Jacob falou, olhando fundo nos meus olhos enquanto segurava meu braço com força. - Por favor, me desculpe. Por favor, me deixe explicar tudo. - Ele suplicava. Eu não sei o que aconteceu comigo, mas senti um ódio tão grande, que nem acreditei em tudo que saiu da minha boca a seguir:


– Explicar tudo? Explicar o que? Que você me fez de idiota esse tempo todo? Não, não quero ouvir explicações suas. Na verdade, eu quero distância de você, eu juro não vou sofrer por você. Você acha que eu sou boba assim Jacob? Você acha que agora vou perder meu tempo te ouvindo. Eu to sofrendo a semanas por causa de você, mas o que você fez? Deve ter saído para curtir, e nem me procurar você fez. Então, não venha me pedir para te ouvir. Você sabe tudo que fiz, para ter você comigo, você sabe o quanto eu te amei por vários anos. E acreditei em você, e você me traiu. Você é um estúpido, um idiota, um moleque. E não merece meu amor. - Falei arrogantemente, olhando fundo nos olhos dele. E tentei não demostrar todo minha dor. - Eu tenho nojo de você, dessa merda que você é e sempre vai ser. - Falei pausadamente, e ele me soltou, meio perplexo com minhas palavras, eu acho. Eu virei e sai apressada para o meu carro, tinha começado a chover, e eu nem tinha sentido direito, só quando entrei no carro e me vi toda molhada. Liguei o carro e olhei para fora, ele estava parado no mesmo lugar, a chuva caindo, e ele encarando, olhava para mim com olhos cheio de dor, mas eu não me importei, era tudo uma farsa, agora eu tinha certeza.


Quando dei a partida no carro, minhas lágrimas já caiam sem parar, e eu chorava compulsivamente. Com a chuva, e meus olhos embaçados, ficava dificil ver a estrada. Peguei uma pequena estrada ainda em La Push, e fui até o final dela, que dava em um penhasco. Estacionei o carro, e sentei na beirada do penhasco. Fiquei olhando o mar, as pedras, e chorava cada vez mais.


Na minha cabeça vinha a imagem de nós dois juntos, nós éramos muito bonito juntos. Só, que eu tinha que deixar isso para trás, eu ia esquecer, eu ia deixá-lo para trás. Jacob Black faria parte só do meu passado. Se eu mudei uma vez, e me tornei quem sou hoje, eu conseguiria mudar novamente, para melhor ou para pior? Nem eu sabia ainda. Mas eu sabia que a partir de hoje eu esqueceria tudo que vivi de ruim esse anos, e queria iniciar, pela terceira vez, uma nova vida. E dessa vez, não teria Renesmee boba, nem Renesmee idiota.




Notas finais do capítulo

É meninas, que Natal emocionante, não acham? É a Ness conseguiu a confiança do Emmett de volta, lindo não acham? E a Rosalie, que surto foi esse? Ela ajudando a Renesmee, muuuuuito estranho. hahaah será que ela mudou? eu não sei de nada ;xx E essa prima da Ness Katherine, aw, personagem nova, e que vai aparecer em mais um ou dois capítulos gente, então amem ou odeiem ela. E esse final, nossa Jacob apareceu, até quem enfim né, eu amei esse Nessie dando um tchau para ele. O que será que vai acontecer ein? Eu não sei de nada........
.
.
.
.
Ah, peço desculpas novamente por toda essa demora, e prometo tentar postar o próximo mais rápido. Só que tipo, prefiro demorar e postar um capítulo bom, do que qualquer merda, não acham? E eu tava de férias, viajei... Mas agora to de volta, e tento trazer o próximo capitulo bem rapido, só que ai me deem bastante comentários, ok??? Vou me indo, até o proximo. Bjssss