Infernal Love escrita por juhpiazza


Capítulo 4
Capítulo 4


Notas iniciais do capítulo

Voltei gente! Os capítulos vão continuar normais um por dia e pá. Mas acho que hoje de noite postou mais um. Eu seeeeei que eu sempre prometo e nunca cumpro. Mas juro juro que hoje vou cumprir tá bom? :3




Capitulo 4 – Niall Horan

23 de novembro – 00h12min a.m

Eu demorei algum tempo para processar o que ele havia me falado. Quase todos dali queriam aquilo.

Eu não.

Seguia ele e tudo o mais, mas aquilo era muito para mim. Quando eu ainda vivia, era muito religioso, me vi obrigado a aceitar o anticristo por ser a única opção. Com o tempo fui me acostumando, mas nunca me agradou o fato de eu ser o preferido de Lúcifer. Nunca.

Eu dispensava todo aquele afeto.

Infelizmente, era assim e eu não podia mudar aquilo.

Quando sai daquele quarto, corri para fora da casa e andei pelo quarteirão. Era monótono e solitário. As árvores magras e secas como se as tivessem adubado com veneno e não água exalava um odor de raiz-forte que deixava o lugar ainda mais desprezível. Tudo era escuro. Não havia um poste de luz e de dia, o sol parecia fugir dali, parecia saber que ali viva coisa ruim. Os abutres já não eram mais visita, estavam ali constantemente. Acho que o cheiro de morte os atraia. Não tínhamos vizinhos. Ninguém em sã consciência queria morar em um ambiente como aquele.

Depois de um passeio nada agradável, eu resolvi voltar e descansar. Ainda precisava me acostumar com aquilo.

Estranhei o silêncio no quarto assim que entrei. Louis normalmente fazia muito barulho. Agradeci o silêncio mentalmente. Troquei de roupa e me enfiei em baixo das cobertas, fechando os olhos e esperando ter algum tempo de descanso até Louis chegar e me bombardear com perguntas.

Acordei cinco minutos depois te der conseguido pegar no sono. Louis me sacudia freneticamente pelos braços:

– Então Horan? Como foi com a vadiazinha? E com ele?

Revirei os olhos. Aquela curiosidade me incomodava profundamente. Sentei na cama e Louis sentou ao meu lado com os olhos brilhado de expectativa. Parecia uma criança esperando por um doce. Ri baixo daquilo e comecei a contar o que aconteceu desde manhã. Até cogitei deixar de contar sobre a conversão, mas não havia motivo para omitir aquilo dele.

– Conversão? Como assim?

– Conversão Louis. Você não sabe?

– Acho que faltei essa aula. – ele respondeu com o sorriso brincalhão de sempre no rosto.

– Não, você é idiota por natureza. Presta atenção.

“Conversão é quando você transfere uma pequena parte do seu espírito para o espírito de outra pessoa. Como Lúcifer não tem um corpo físico, ele tem um espírito, uma alma, muito frágil. Então ele ‘abriu’ meu corpo com aquela faca e transferiu para dentro de mim uma mínima parta da sua existência. Ele está dentro de mim agora assim como eu estou dentro dele, entende? Qualquer sentimento ou dor que eu sentir, ele também vai sentir. Mas como o pedaço da alma que ele me passou é muito pequena, ele vai sentir apenas as coisas mais importantes, os sentimentos mais profundos, aqueles que não podem ser afetados por magia nenhuma. Agora eu sou um ‘anticristo completo.’ Não apenas um seguidor do demônio. Eu tenho o demônio dentro de mim. Uma pequena parte, mas ainda assim, eu tenho.”

A expressão de Louis ficou assustada assim que eu acabei de falar.

– Então você está possuído?

– Não! – fiz uma careta pensando naquela possibilidade. – Ele não tem controle sobre mim. Só estou mais forte e ele sente as coisas mais profundas que eu sentir. Só.

– Isso é bom, não é? – Louis se jogou na sua cama se tapando apenas com o lençol até a cabeça.

– Não! Louis! Eu não quero aquela coisa dentro de mim. Só quero acabar com isso logo. Vou matá-la o mais rápido possível.

– Isso quer dizer, que você não vai seguir o plano dele? – ele estava praticamente sonhando.

– Talvez eu tenha que fazer os meus próprios planos.

Louis balançou a cabeça concordando, mas já devia estar dormindo. Resolvi fazer o mesmo. Em vão. Eu não conseguia tirar Alana da minha cabeça. Tentei me lembrar de todas as suas antepassadas, o que foi uma tentativa meio frustrada. Eram muitas. Lembrava-me de algumas, todas com as mesmas feições, com algo aqui e ali que as diferenciava. Fechei os olhos esperando poder dormir.

Alana.

Era a única coisa que me vinha na cabeça. Mas que porra. Eu não consegui parar de pensar nela. Alana era linda. A mais bela de todas as que eu já havia visto. Tinha algo especial, o que quer que fosse havia me deixado encantado.

Acabei adormecendo pensando nela.


23 de novembro – 05h00min a.m – Niall Horan

Liam mergulhava a cabeça loura no rio. A mulher chutava e se debatia, mas ele era muito mais forte. Eu e Louis apenas observávamos. Liam tirou a cabeça da mulher da água e esperou ela abrir a boca para buscar ar. Assim que ela o fez, ele voltou a botá-la no rio. Em poucos segundos, Liam jogou longe o corpo, já sem vida da mulher.

Louis pegou o lençol do pé da cama em que outra mulher dormia o marido ao seu lado. Foi simples. Ele passou o lençol em volta do pescoço dela e o puxou, deixando o ar se esvair aos poucos. Quando ela percebeu o que acontecia, já era tarde. Os olhos se abriram, mas o ar que lhe faltava era muito. Louis largou o lençol e riu. Trabalho feito.

Outra chorava. Estava amarrada em um tronco, molhada de óleo. Eu risquei um fósforo e taquei nos seus pés. O fogo começou a lamber o corpo dela, queimando aos poucos. Agora ela berrava, pedindo misericórdia. Joguei mais dois fósforos e sai. Deixei-a queimando.

Acordei suando.




Notas finais do capítulo

muito ruim? enfim, qualquer coisa, comentem ai se gostaram ou não e falem comigo pelo twitter @juhpiazza (pessoal) e @YeahSelenitas (fc) beijos s2