Infernal Love escrita por juhpiazza


Capítulo 21
Capítulo 21


Notas iniciais do capítulo

gente, esse talvez é o penultimo capítulo. talvez não ele é. enfim. eu espero que vocês gostem e DESCULPEM A DEMORA! sério, estou me sentindo PÉSSIMA! mas a escola nao da folga ):




        Capítulo 21 - Niall Horan

    26 de novembro – 02h10min

Eu quis correr, correr para perto de Alana e não largar ela mais. Ficar ali abraçado com ela e dizer que tudo ia acabar bem. Mas aquilo era impossível.

- Você quer ver ela? Eu posso matá-la na sua frente Horan. – fechei os olhos ao escutar a palavra matar. Ele não podia.

Escutei de leve, bem de leve as palavras de Hécate na minha cabeça, ela estava recitando qualquer coisa em latim, um exorcismo. Dele, de Louis, da casa. Tudo iria ficar... Limpo. Pude escutar de longe Liam saindo da casa, os passos rápidos pelas folhas secas atraíram a atenção de Lúcifer. Liam fazia muito barulho, até demais para mim, mas fazia. Lúcifer me olhou com os olhos semicerrados, a testa franzida.

- O que você está aprontando agora Niall?

- Nada. – minha voz saiu fraca. – Eu estou aqui dentro não estou? Como posso estar fazendo barulho lá fora?

Ele resmungo baixo. Consegui não me afastar quando ele passou por mim e bateu a porta. Havia saído simples assim. Ele sabia que eu não sairia de lá sem Alana, e mesmo que eu e ela tentássemos fugir ele nos alcançaria em questão de segundos. Escutei a porta se bater de novo e percebi que Hécate tinha ido atrás dele, para continuar com o que ela estava fazendo. Daqui a pouco ele ia começar a sentir os efeitos, e há essa hora, eu deveria estar com a alma de Circe dentro de mim.

Desliguei-me do pequeno transe e subi as escadas de dois em dois degraus, abri todas as portas do segundo andar, nada. Subi uma escadinha bamba que ia para o terceiro, e ali havia espaço para apenas uma porta velha. A porta estava enferrujada e foi difícil abri-la. Mas quando o fiz, meu coração deu um salto. Eu tinha que parar de usá-lo tanto. Alana estava agachada em um canto daquele lugar imundo. Ela tremia e estava pálida, os olhos brilhavam e as lágrimas escorriam pelo seu rosto, seu rosto... Estava vermelho, o pescoço e o pulso. O sangue me subiu quando eu deduzi o que ele havia feito com ela. Olhei com pressa o quarto, aquele lugar era imundo, escuro, a cama estava desarrumada e no lado da mesma havia uma poça. Corri para ela e a abracei.

O rosto dela foi para o meu ombro e senti minha camisa molhar na mesma hora. Eu escutava os soluços e Alana tremia nos meus braços. Não sabia o que fazer, eu estava com uma raiva absurda e estava tremendo. Muito.

- Ei, ei, me escuta meu amor. Olha pra mim, olha. – ela levantou o rosto e eu limpei suas lágrimas minhas mãos tremiam. - Vai dar certo. Acredita.

- Não dá pra acreditar Niall...  – a voz dela era fraca, praticamente nula. Um fio de voz.

Quase chorei. Mas por sorte eu não chorava fazia mais de séculos e bom, eu já devia ter desaprendido a fazê-lo.  Tirei o colar que Hécate havia me entregado na porta da casa. Ele era prateado e continha um pequeno “suporte” para sal. Havia três pedrinhas de sal ali. Eu o coloquei no pescoço de Alana e ela me olhou com as sobrancelhas franzidas. Sorri involuntariamente. Eu ia sentir falta disso.

Escutei a porta batendo andares abaixo. Alana estremeceu e eu a abracei ainda mais forte. Lhe dei um beijo, o último talvez.

- Eu te amo. Nunca se esqueça disso. E... – apontei para o meu dedo indicador, meu anel estava lá, eu usava aquilo desde quando era vivo, era como, uma tradição na família usar aquilo. – Eu vou sempre estar por perto.  Não importa o que aconteça.

Ela provavelmente ia pedir o porquê daquelas palavras. Mas não pode fazê-lo. A porta se abriu em um estrondo e ele entrou. Alana se encolheu e apertou minha mão com toda sua força.  Ele aparentava estar furioso. Trazia Liam agarrado pelo braço e o jogou no chão do quarto, na nossa direção. Liam parecia abalado, os olhos estavam manchados e havia cortes no rosto que sangravam, sangravam muito. Ele ficou ali, deitado no chão sem se levantar e quando o fez, voltou a cair. Foi então que eu vi a poça de sangue a baixo da perna esquerda dele. Quase não havia mais perna esquerda.  Ela devia estar presa por alguma coisa mínima, porque estava torcida em um ângulo bizarro e parecia, bem, mais afastada do corpo do que a perna direita. Engoli em seco quando Lúcifer veio para mim.

- Então você reuniu mais gente para o seu grupinho? – ele riu, uma risada cheia de sarcasmo. Andou até Liam e se abaixou. Eu queria ir até ele e o ajudar, mas agora eu não podia, não podia fazer nada. Liam gemeu baixo quando ele tirou uma faca que estava cravada na sua pele. – Onde está Hécate? Apodreceu de uma vez por todas?

Segurei Alana atrás de mim, ela estava tremendo. Hécate precisava acabar com aquilo logo. De relance, a vi entrando no quarto e indo parar atrás da cama, Lúcifer vacilou no mesmo instante. Aquilo me deu esperanças por um momento. Por um momento pensei que talvez, Hécate iria conseguir realizar aquele maldito exorcismo antes de Lúcifer me matar. Que talvez, eu e Alana poderíamos ficar juntos, sem ninguém mais para incomodar-nos.

Quando Lúcifer vacilou de novo e eu pude ver os olhos azuis assustados de Louis, a esperança foi ainda mais forte.

- Claro! – ele gritou. – Como que eu não pensei, exorcismo escondido é muita covardia da sua parte Hécate. - o chão tremeu. - SUA VADIA, ME ENFRENTE.

Ele se virou para Hécate, os passos estavam vacilantes e eu via que o esforço que ele fazia para manter o controle era imenso. Ele não fazia ideia que ela executava aquilo desde quando haviamos começado a conversar no salão de baixo. Ela também apareceu. O corpo de Giorgia estava bambo e ela estava mais pálida do que já era, branca como uma folha de papel. Os dois se encararam e Hécate continuou a murmurar coisas.

Foi então que tudo aconteceu tão rápido.

Alana estava tentando arrastar Liam para um canto, quando Lúcifer atacou. Eu consegui ver o momento em que a faca fez um corte profundo, atravessando todo o corpo de Giorgia. O sangue jorrou, os olhos dela voltaram a ser os mesmos castanhos de sempre, mas agora arregalados assustados. Ela me olhou, as lágrimas caíam sem hesitar pela sua face. Corri até ela e a peguei antes que chegasse ao chão. Os grandes olhos se viraram para mim, as mãos dela apertavam minha cintura e eu tentava desesperadamente fazer com que o sangue parasse. Eu sabia que era em vão. Eu vi Lúcifer ainda no chão, tentando se recuperar do quase-fim.

Giorgia parou de apertar minha cintura e suas mãos caíram.

Eu não sei o que eu ia fazer, mas o que quer que fosse se perdeu assim que eu escutei o grito de Alana e o de Lúcifer. Larguei Giorgia e me virei. Lúcifer estava deitado, agonizava e tentava levantar.

Alana estava ajoelhada, os olhos virados e de sua boca, saía uma voz que não era dela.

"Princeps malus, atra Domine inferni numquam redire ad locum redeunt ad abyssumirent. Principis mortem et interitum ibit in inferno, et non revertar, ab hoc corpore.Egredere tu, et non sunt qui numquam fuerunt. Redire luciferum ultra non reversuri. Amen."

Ela repetiu aquilo, repetiu e repetiu.

Lúcifer avançou para ela, eu não podia. Não podia a deixar ir. Corri até ela, conseguindo chegar antes que Lúcifer sem muitas dificuldades. E por um momento ela voltou. Lúcifer avançava devagar e quem estava na minha frente era Alana, frágil, mais frágil do que nunca.

Então tudo aconteceu tão rápido e ao mesmo tempo.

  26 de novembro – 04h58min

  Eu senti Circe invadir meu corpo empurrando minha alma, esmagando-a. Alana sufocou e ficamos os dois de joelhos enquanto eu arfava. O colar dela explodiu. Circe estava em mim, Alana estava livre. Eu a olhei e vi nos seus olhos um desespero que eu nunca havia visto.

Chorei pela primeira vez em séculos. As lágrimas caíram. E sem precisar dizer alguma coisa a beijei. Sentir seus lábios, morrer sentindo-os era a melhor forma de morrer.

Foi assim que eu morri. Sentindo os lábios de quem eu mais amei. A dor da faca rasgando meu coração não foi comparada ao que eu senti no último beijo.

Como se fosse o primeiro.



Notas finais do capítulo

ai gente, tá confuso e etc mas vai tudo se explicar no capitulo 22. enfim, espero que gostem e deixem suas reviews! ah, obrigada pela paciencia, de verdade, voces sao os melhores leitores possiveis ♥