Infernal Love escrita por juhpiazza


Capítulo 19
Capítulo 19


Notas iniciais do capítulo

GENTE! desculpem a demora, desculpem! sério mesmo! Meu colégio é um horror! Ou você tem vida social, ou você passa de ano e normalmente eu escolho passar de ano, então a semana inteira eu fiquei em cima dos cadernos e ontem também. Hoje eu vou tirar uma folga e posto mais 3 eu acho. o cap 20 eu já to escrevendo e o 21 já tenho ideias. de hoje nao passa eu acho. desculpem de novo!




           Capítulo 19.    

            Louis Tomlinson - Lúcifer

        25 de novembro – 18h32min

Joguei a presa na casa. Ficava mais longe do que imaginavam. Do outro lado da cidade. Ela caiu e me olhou com os olhos arregalados. Tola. Ela estava nas mãos da única pessoa que não queria estar.

Ela estava nas mãos do inimigo.

A casa era suja e abandonada, exatamente o oposto do que havia feito Louis falar para os dois. Alana agora engatinhava em busca de uma saída e eu peguei a faca que estava ao meu lado, descansando sobre a mesa. Poderia acertar seu peito e matá-la agora, naquele exato instante. Mas não, delicioso é quando a presa implora por morte. É delicioso fazer a presa sofrer, ainda mais quando a presa é deliciosa como Alana.

A faca atingiu a madeira ao lado do seu braço direito, tirando um filete de pele que fez o sangue escorrer. Ela deu um grito histérico tombando no chão. Eu apenas ri. Ri e me aproximei dela, ficando de joelhos para que meus olhos ficassem da altura dos seus.

- L-Louis? – ela arfou, tentando entender o motivo de tudo aquilo.

- Já não ficou bem claro, - passei a mão nos cabelos dela segurando-os e fazendo ela se levantar, ela gemeu de dor. – que Louis já não existe mais?

Os olhos dela mostraram o pânico, confirmando o que ela temia que não fosse real. Peguei a faca do chão e arrastei-a escada a cima, a escada rangia a cada passo e ela se debatia. Não me importei, na verdade, estava gostoso demais.

Subi até o ultimo andar. Tinha um sótão velho ali, o cheiro de mofo era evidente e tudo estava sujo, imundo. Havia uma pequena cama, os lençóis estavam revoltos e o que era branco estava hoje preto, o travesseiro estava fino, como se fosse apenas um tecido. Joguei-a na cama e ela se encolheu, olhando tudo aquilo com repulsa. Cheguei perto dela batendo a porta atrás de mim, o chão tremeu.

Segurei seus braços com firmeza com uma mão, eu não precisava fazer muito esforço, segurei a barra da camisa dela e a puxei pra cima, ela tremia e se debatia. Eu achava aquilo muito divertido. Deixei-a só com suas roupas intimas e sai do quarto, fechei a porta e a tranquei atrás de mim, decidindo voltar ali à noite. O celular de Louis piscava dezoito chamadas perdidas e mais dez mensagens de Niall. Joguei o celular na água e sai.


       Niall Horan.

25 de novembro – 20h42min

Eu andava de um lado para o outro e Hécate só acompanhava meu olhar, sem falar nada. Eu já havia tentado ligar para Louis, mandar mensagens, até o celular dele só cair na caixa postal. Já havia gritado e chorado, montado mais de mil possibilidades para essa demora. Mas de nada adiantava, ninguém me dava notícias. Até agora, minha possibilidade mais provável é que Lúcifer tenha interceptado os dois pelo caminho e aquilo me fez chorar por quase meia hora. Até Hécate me lembrar de que Lúcifer não tem um corpo e não pode ficar saindo por ai. Foi nessa hora que eu me toquei que talvez Lúcifer tivesse sim um corpo.

Sai em disparada para a minha antiga casa e Hécate me seguiu sem entender nada. Assim que eu cheguei ignorei todos os olhares e avancei com Hécate até o quarto ao lado do meu, a porta estava trancada então eu a esmurrei umas dez vezes até ele a abrir.

O rosto de Liam estava amassado como se tivesse dormido demais, ela deu um sorriso fraco quando me viu e esfregou os olhos, não esperei um segundo.  Agarrei a gola da sua camisa e o bati com força na parede, ele pareceu acordar.

- ONDE ELA ESTÁ? – eu berrei. Escutei Hécate trancando a porta e se aproximando de nós. Os olhos dela estavam receosos.

- ONDE QUEM ESTÁ NIALL? ME SOLTA. – Liam devolveu o berro segurando meus pulsos.  

Eu o elevei na parede quase o sufocando. Liam não pareceu perder o ar nem se abalar com isso, apenas chutava a esmo agarrando meus pulsos com mais força.

- ALANA! VOCÊ CONTOU A ELE. VOCÊ CONTOU SOBRE NÓS.

- QUE? EU NÃO CONTEI NADA NIALL! NÃO FARIA ISSO COM VOCÊ. – ele começou a assumir um tom vermelho, eu sabia que ele não poderia morrer, mas fazendo aquilo eu me sentia com mais poder na situação.

- MAS VOCÊ FEZ! LOUIS ELE...

- Não Niall. – Hécate disse e eu a olhei afrouxando o aperto em Liam fazendo com que ele caísse. – Ele não fez nada.

- Como não fez Hécate? Mas que porra, Louis disse que ele fez!

- Ele não fez Niall. – ela fechou os olhos e se aproximou de nós dois. – Louis fez.

- O que? – Liam passava a mão no pescoço onde havia duas marcas vermelhas. – O que ele fez?

- Você viu Louis? – Hécate pediu com a maior calma do mundo, aquilo me deixou completamente irritado.

- Não... Desde ontem. – Liam parou um pouco e depois continuou hesitando. – Ele disse que tinha que falar alguns assuntos pendentes com Lúcifer e não o vi mais dês daí.

Hécate fechou os olhos jogando a cabeça para trás. Tudo estava claro. Liam franziu o cenho, provavelmente tentando encaixar todas as peças. Eu cai na cama. Hécate nunca estava errada, nunca. Eu havia entregado meu tesouro para o inimigo. 

 Corri até o meu quarto com Liam e Hécate atrás de mim, as coisas de Louis estavam intactas, como se ele tivesse apenas saído para tomar um café. Olhei para a minha cama de relance, havia um papel amassado e dobrado milhares de vezes ao lado do travesseiro. Peguei-o e abri até assumir o tamanho de uma folha de caderno. Havia apenas uma frase escrita e aquilo me fez confirmar tudo:

Não vai mais ser só você Nialler.

                      L.T.



Notas finais do capítulo

Eai? Que acharam? Deixem seus reviews lindos que sempre me fazem sorrir e esperem o 20 que daqui a pouco tá aqui! :33