Infernal Love escrita por juhpiazza


Capítulo 15
Capítulo 15


Notas iniciais do capítulo

OLÁ! Voltei da Argentina UHU. foi mt bom e etc. Quase surtei de felicidade mas enfim. Aqui está o capítulo, viram como eu sou querida? ANTES do prometido. OASHDLDAKADS ai. enfim, espero REALMENTE que vocês gostem. Tentei fazer o melhor possivel.




  Capítulo 15 – Alana Richards

Não parei de correr até entrar em casa, e assim que bati a porta continue correndo até bater outra portar atrás de mim. A do porão. Eu me sentia bem ali. Havia toda sorte de coisas antigas da minha família. Várias gerações, várias, coisas que meu pai nem tinha coragem de mexer de tão velhas que eram. Liguei a luz que pairava bamba, pendurada por apenas um fio no teto e a luz fraca iluminou a pequena sala. Baús, livros, caixas e mais caixas, roupas e mais livros se tornaram visíveis.

Fui para um canto distante, sentei e me apoiei em algumas pilhas de caixas. Assim que eu parei de me movimentar e meus olhos se fecharam, o choro veio com tudo. Eu era tão estúpida. Meninos da idade dele realmente só queriam saber de sexo. Depois que conseguiam isso, partiriam direto para outra e eu, estúpida fui acreditar que talvez pudesse ser mais do que isso. Meus olhos estavam nublados, então eu os esfreguei para poder olhar um baú a minha frente que havia me chamado atenção.

Engatinhei até o baú e tirei o pó de cima da tampa com a mão, meu nariz começou a coçar imediatamente e eu me segurei antes de tentar arrancá-lo. Duas letras apareceram, desenhadas e raspadas na madeira velha: C.C. Tirei mais um pouco de pó e me espantei com o que apareceu, os números:  1150 d.c se tornaram visíveis e eu notei o quanto aquele baú era velho. Resolvi abrir, precisava esquecer daquilo com Niall o mais rápido possível.

Tirei o jornal do bolso e botei encostado na parede e abri a tampa do baú. Ela era mil vezes mais pesada do que eu imaginava e tive que fazer um grande esforço pra poder abri-la. O baú estava cheio. Havia roupas e mais roupas, vestidos esvoaçantes amassados e amarelados em um canto, vários livros grossos e enormes, chapéus e toda a sorte de coisas antigas. Um livro especialmente grosso me chamou atenção. Peguei-o e tirei um pouco da poeira com a mão, a capa dele era de um verde esmeralda, mas já estava gasto pelo tempo. As páginas estavam amareladas e havia um caderno mais fino e um pouco menor dentro do livro, o tirei de lá com cuidado e deixei do meu lado, me apoiando na parede para ler.

O livro tratava de mitologia grega. Folhei as páginas, algumas quase ilegíveis e cheguei a uma página que estava marcada. Ela estava manchada, com algo que provavelmente deveria ser café, mas estava no mínimo legível.

“A deusa da magia da mitologia grega, Hécate, é pouco citada e também pouco conhecida. Preferia ficar no seu próprio mundo com seus próprios problemas e negócios. As seguidoras de Hécate, ou as bruxas, feiticeiras e magos, ficaram bastante conhecidos por causa do seu absurdo poder, eram temidos por todos.  Hécate ficou conhecida na Grécia Antiga por causa das suas maldições terríveis e duradouras e seu jeito irônico e sábio de ser. Muitos incultos chegam a confundir a sabedoria da deusa da magia com a própria deusa Atena. O auge de Hécate foi pelo ano de 1140 até 1150, a maldição e ira dela estavam no seu limite e ela se virou contra muitas famílias que deixaram de acreditar nela e suspenderam os sacrifícios e oferendas a deusa. A feiticeira mais conhecida como ajudante e seguidora de Hécate é Circe.”

Nesse ponto, uma flecha estava sendo puxada do nome Circe, onde estava escrito: eu. C.C. Circe.

“Circe era uma feiticeira nata e foi uma grande companheira de Hécate. Juntas ambas lançaram maldições imperdoáveis e inquebráveis, que atormentaram muitas pessoas. Circe era conhecida pelo seu grande nojo por homens. Ela era especialista na arte da transfiguração e transformava todo e qualquer homem que entrava em seu território em porcos ou animais. Chegou a se duvidar que Circe fosse neta ou filha de Hécate, o que é a resposta mais aceitável por as duas serem tão apegadas e companheiras, sem falar da semelhança na sua aparência.”

Dali em diante eu não conseguia ler nada mais. Hécate. Eu já havia escutado aquele nome em algum lugar. Segurei o outro caderno que havia dentro do livro e o abri. O pensamento que minha “ancestral” pudesse ser uma bruxa ou a própria deusa da magia me fazia rir. Eu não acreditava naquelas coisas, achava tudo muito legal, mas eram apenas mentiras. Claro que eu não podia negar que havia um baú de Circe, a suposta neta ou filha de Hécate, no meu porão, mas isso não significava que essa tal de Circe podia ser uma impostora. Abri o livro e comecei a ler. Era como um diário. A letra de Circe era fina e desenhada, como aquelas letras bonitas escritas por pena. Ela contava como uma história, com cada comentário e cada afirmação bem detalhados. Comecei a ler uma parte, que falava das maldições que ambas haviam lançado, li com mais atenção.

“Tudo começou quando aquelas seis famílias resolveram simplesmente deixar de seguir Hécate. Eles não entendiam que depois que você seguia e passava a fazer oferendas para um deus específico, você deveria ser leal a ele, até o fim. Hécate resolveu fazê-los pagarem pelo ato desleal. Resolveu fazer as quarenta e duas pessoas pagarem para sempre o ato feito. Eu achava aquilo tolice, havia me oferecido para transformá-los em qualquer bicho ou apenas torturá-los até a morte. Hécate não me deu ouvidos, ela estava completamente obcecada pela arte da maldição que não pensou em outra saída. A não ser aquela.

Eram seis famílias. Os Payne, Tomlinson, McLaur, Riera, Suarez e Horan. Ela botou fogo em cada um. Queimo-os vivo porque queria vê-los sofrer. Quando eles estavam queimados, quando eles haviam virado cinza por fim, Hécate fez que eles renascessem, e voltou a queimá-los, repetindo esse processo diversas vezes. Quando se deu por satisfeita, pediu para eu ajudá-la. Juntas, lançamos a maldição. Eles iriam viver para sempre, não envelheceriam e não conseguiriam morrer, iriam ficar ali, vagando sem rumo na Terra, como humanos normais, apenas sem poder morrer. A maldição só acabaria quando a geração de nossa família acabasse. Eu sabia que isso não seria fácil. Os Richards estavam espalhados pelo mundo inteiro. Nós não contávamos que Lúcifer ia cair. Um dos arcanjos mais cobiçados e importantes no sétimo reino do céu acabou caindo. Se tornando o senhor do inferno e do anticristo. As seis famílias acabaram se revoltando contra nós ainda mais. Foram os primeiros seguidores do anticristo, ignorando qualquer promessa feita em “vida”. Eles se denominaram: Nascidos das Cinzas, ou os ‘ex cinis’, o nome em latim para isso, sempre cheio de caprichos. Eles começaram a matar nossos parentes uma a uma. Todas as mulheres, nenhum homem ousava nascer na nossa família. Conforme eles matavam uma a uma, eu e Hécate nos desesperamos. Sentimos a perda. Eu estava quase morrendo, desgastada pela praga que Lúcifer havia lançado sobre eu e Hécate. Gastamos nossa última energia lançando um feitiço sobre mim. Minha alma iria sair de mim e entrar na próxima Richard que nascesse. E assim seguiria. Minha alma se mesclaria com a alma de cada geração, levando desde a mais antiga até a mais nova, a força da sabedoria para alguém ingênua.

Infelizmente tivemos a infelicidade de um dos Nascidos das Cinzas verem. Niall Horan era seu nome. Hécate tinha um carinho especial por ele, porque ele resistiu até o fim quando as famílias tolas resolveram parar de nos seguir. Quase no fim do feitiço, eu já sentia minha alma sendo tirada de mim, estava acabada. Hécate se virou para Niall e lhe disse que ele teria uma benção, que o fim não chegaria tão doloroso para ele. Mas no fim, ele iria preferir a dor quanto ao amor.

E tudo acabou ai.”

   Minhas pernas bambearam assim que eu acabei de ler.

     Eu havia entendido tudo ou pelo menos, quase tudo.



Notas finais do capítulo

Assim, Hécate e Circe REALMENTE existem na história mitológica grega. Sou apaixonada por isso. A história que eu pus, tanto de hécate quanto circe, são reais, fiz uma ou outra mudança. E elas não tinham nenhum parentesco, isso foi coisa da minha cabeça. enfim, dasiohdsalskdasa Espero que gostem, espero seus reviews ♥