Roller Coaster escrita por jgw22


Capítulo 37
Capítulo 37


Notas iniciais do capítulo

PODEM ME MATAR, EU DEIXOO! eu sei que demorei um monte, me desculpem, de verdade. Mas é que agora tá ficando cada vez mais difícil de escrever e vim postar pra vocês. Enfim, vou parar por aqui e vamos logo ao capítulo. AAH! E só pra avisar, eles vão ficar meio tensos desse aqui em diante.. :xx




ALICE’S POV

O restante da semana passou sem muitas novidades. Tirando o fato que eu e Jaz tínhamos ido à delegacia dar queixa, como o Dr. Scarllet havia pedido, ela passou de forma tem divertida e natural.

E agora, exatamente às 7:39 do sábado, meu quarto estava lotado de garotas e vestidos, os sapatos e maquiagens por todos os cantos. Nós estávamos nos arrumando para a festa que os garotos conseguiram convites; era para o lançamento de algum álbum de sei lá quem. One Direction havia sido convidado e ganhou ingressos para levarem acompanhantes, e era só isso que eu sabia.

E lá estávamos nós, as cinco acompanhantes, arrumando-nos quase três horas antes do horário, mas era necessário, acreditem. Depois de alguns ataques, como o de Juh por causa do babyliss que segundo ela, não funcionava. Ou como o de Piu por achar que seu sapato não estava alto o suficiente. Ou o de Jaz que não conseguia deixar o próprio cabelo –já impecável – de um jeito que ela aprovasse. Ou o de Bru por achar ter exagerado com o brilho na maquiagem e reclamar que seus cílios estavam com glitter acumulado. Eu só ria e tentava me deixar um pouco mais apresentável que o normal.

Depois de algumas longas horas, Jazmin, Juliana, Bruna, Luísa e eu, descíamos as escadas em direção à sala, onde cinco garotos nos esperavam perto da porta, todos nos observando com sorrisos abobalhados no rosto. Confesso que quando meus olhos percorreram por eles, também não pude deixar de sorrir. Eles estavam lindos, todos estavam, mas minha mente atraia meu olhar para o moreno de terno cinza a minha frente. Quando percebi, as garotas faziam o mesmo que eu, cada uma observando um garoto. E quando nos demos conta, 10 pessoas se encaravam mutuamente dentro da sala, em completo silêncio.

– Então, vamos? – Piu disse corando e baixando o olhar, que Louis ainda sustentava. O primeiro a sair do lugar foi Liam, que foi em direção a Bru e pegou sua mão, a guiando para fora de casa. Lentamente, Niall repetiu o gesto, saindo com Jaz.

Zayn veio em minha direção e parou em minha frente, ainda me hipnotizando com o olhar, e abrindo o sorriso que me fazia esquecer de respirar. Soltou um suspiro baixo e me abraçou. Retribuí seu abraço, segurando-o pela cintura. Ele aproximou o lábio de meu ouvido e sussurrou ‘Você está linda, mas já sabe disso.’ Depois disso, uma leve e baixa risada melodiosa se fez presente contra o lóbulo de minha orelha. Aproximei minha cabeça de meu ouvido e sussurrei também ‘Você também não está nada mal, Malik. Meu Malik’. Eu ri fraco – talvez por parte, pelo fato de tê-lo chamado de ‘meu’.

Ele tirou o rosto de perto de meu ouvido, para ficar apto a observar meu rosto. Colocou a mão em minha bochecha e começou a acaricia-la com o polegar.

– Seu. E pra sempre seu. – Ele falou e sorriu.

Meu. Sempre meu. Eu poderia me acostumar com essa ideia.


Ele abraçou-me pela cintura e seguimos para a porta. Paramos na soleira e olhamos para trás. Louis e Harry ainda estavam parados nos mesmos lugares, com as mesmas expressões de algum tempo atrás, assim como Piu e Juh. Zayn pigarreou baixo, fazendo os quatro praticamente pularem de susto, o que me fez soltar uma risadinha abafada e involuntária. Zayn sorriu para os garotos, que tímida e calmamente foram até as duas, ainda paradas ao pé da escada, seguraram de leve suas mãos e saíam conosco porta afora.

Fomos todos na van preta dos garotos, e em poucos minutos, já entravamos no pub reservado onde ocorreria a festa. Flashes, seguranças impedindo contato dos paparazzi, passamos pelas portas. E finalmente estávamos dentro do pub. Música alta, luzes piscando, o legítimo ambiente de boates.

Assim que entramos, eu e as garotas puxamos os garotos para o meio da pista de dança. Ao som ensurdecedor, nos movíamos de acordo com a música agitada. Depois de algum tempo, só pra variar, Jaz e Niall, Bru e Liam já tinham saído da pista. Juliana sumiu da minha visão e Harry retirou-se em direção ao bar. Louis e Piu começaram a dançar lentamente, com os corpos colados, fora do ritmo da música que tocava. Troquei um olhar cúmplice com Zayn e nos afastamos do casal.

Fomos para o bar fazer companhia a Harry, que desde que deixou a pista de dança, não parava de tomar whisky; acho que tinha alguma coisa errada com ele, não parecia bem. Depois de algum tempo, resolvi deixar Zayn e Harry conversando enquanto ia ao banheiro.


ZAYN’S POV

– Tá, o que houve? – falei assim que Alice saiu, enquanto Harry fitava o gelo de seu copo.

– Nada cara, tô bem. – Bem? Ele não estava nada bem. O Harry que estaria de fato bem, estaria no meio da pista de dança procurando alguma garota.

– Não, não está não. Fala, por quê? – O observei enquanto ele brincava com o gelo, com o olhar fixo ali.

Soltou um longo suspiro e começou falar em tom baixo, tão baixo que eu fazia um esforço para conseguir escutar por conta da alta música.

– Você e o Louis tinham razão. Esse relacionamento com a Juh não vai dar certo. Não pra mim. – ele levantou o olhar e agora falava me fitando – Cara, ela tá lá pegando vários e eu me roendo de ciúmes! É, eu to com ciúmes mesmo. Não consigo fazer isso, não posso. Eu a quero pra mim, pra mim, mas agora não posso dar o braço a torcer...

– Tu é muito idiota Harry. Desculpa, mas é mesmo. Eu te falei que tu gostava dela a um tempão e tu sempre negava. Esnobou ela e agora ela tá lá fazendo o mesmo. Agora acho que tu realmente tem que sofrer pra aprender, bem sério. Mas, se quiser tentar mudar isso, acho que essa é tua chance. – eu falei apontando com a cabeça em direção ao bar, onde Juh pedia uma bebida. Pisquei pra ele, que entendeu o recado e foi falar com ela. Com isso, fiquei sozinho na mesa.

Resolvi ir atrás de Alice, a essa altura ela já devia ter saído do banheiro. Só precisávamos atravessar a pista de dança, tarefa muito fácil de fazer, imagina, ela nem estava lotada. Eu atravessava o mar de gente, tentando ao máximo evitar esbarrar nas pessoas que dançavam sem parar, mas essa tarefa definitivamente não era muito fácil. Depois de algum tempo e esforço, eu já conseguia enxergar a entrada do banheiro por sobre as cabeças. Só alguns passos me separavam da Minha Alice. Até que um corpo se materializa em minha frente, impedindo minha passagem; um corpo alto num vestido vermelho, que emanava vulgaridade, e trazia consigo um sorriso de escárnio do rosto.

– O que você quer? Dá pra fazer o grande favor de sair da minha frente, Rebecca? – eu falei sem nenhum humor.

– Ai Zayn, não fala assim comigo bebê, vamos conversar – ela dizia alisando meu paletó. Tirei a mão dela de cima de mim em apenas um movimento.

– Licença, mas com você eu não tenho mais assunto nenhum, e além do mais, eu tenho uma namorada. – Eu dizia tentando sair dali, mas ela parava em minha frente novamente, bloqueando minha passagem.

– Ah, aquela coisinha? Hm, esbarrei com ela no banheiro. – ela disse com uma indiferença que em questão de segundos fez meu sangue ferver.

– Coisinha? Eu a amo, Rebecca. Amor, coisa que você nunca vai conseguir sentir por alguém além de você mesma. – eu falava cuspindo as palavras.

– Você fala essas coisas, mas eu sei que você ainda sente algo por mim, eu vejo isso. – ela dizia com um sorriso inatingível no rosto, um sorriso gélido.

– Eu sinto, realmente sinto, Rebecca. Eu sinto pena de você.

– Eu sei que você ainda me ama, e vou provar isso.

Depois disso, eu só senti seus lábios fazendo pressão contra os meus, fazendo minha boca abrir num ato involuntário. Eu sabia que tinha que sair dali, partir aquele beijo naquele segundo, mas eu não conseguia, as mãos dela seguravam de forma firme e rude minha nuca, impossibilitando o movimento de meu pescoço. Meus braços – que até então se mantinham pendendo sobre os lados de meu corpo – começaram a procurar os braços dela. Segurei-os com força e a afastei de mim, que agora tinha um sorriso vitorioso no rosto.

– Nunca. Eu disse nunca mais faça isso de novo. Você é completamente louca, só pode. Eu amo a Alice, e nada vai mudar isso. Agora me dá licença. – falei e saí da frente dela, finalmente podendo ver em minha volta.

Não. Mil vezes não. Isso não podia ter acontecido.

Mas ali, com algumas pessoas nos dividindo, eu a enxergava. Parada, me observando. Seus olhos, cheios d’água, que começaram a correr livremente quando percebeu que eu a vi. Ela saiu correndo de onde estava parava, e antes que eu pudesse me mexer – ou sequer voltar a respirar , ela já não estava mais em meu campo de visão.

E naquele momento, meu coração havia sido arrancado do peito.




Notas finais do capítulo

EE??? O QUE ACHARAM? FIM DO CASAL? HEIN? Bem, vou tentar postar o máximo possível nesse fim de semana, então amanhã vou tentar postar mais um ou dois, então fiquem ligadas. isudhdihusdiuh Deixem seus comentários aqui ou pelo twitter @_JuliaWolff (: Não me abandonem,beijos e até mais ♥