Roller Coaster escrita por jgw22


Capítulo 36
Capítulo 36


Notas iniciais do capítulo

GEEENTE, desculpem pela demora, é que agora começou minhas aulas, manhã e tarde, daí fica bem difícil de escrever e postar aqui pra vocês... MAS ENFIM, VAMOS AO CAPÍTULO!




ALICE’S POV

Depois de mais alguns minutos na sala com os outros – e ficarmos apostando sobre o que os dois estariam fazendo dentro daquele quarto -, saí dali e fui para o meu quarto. Tomei um banho quente e coloquei qualquer camiseta extragrande. Quando saí do banheiro, vi uma sombra com topete sentada em minha cama. Fui até a sombra e sentei em seu colo, aninhando-me como um bebê.

- Tudo bem, meu amor? – a voz dele soou baixa perto meu ouvido. Balancei a cabeça de forma positiva e olhei para seu rosto, dando um beijo no seu queixo.

- Só to pensando se o que eu fiz foi realmente a coisa certa... Não sou uma pessoa péssima, né? – encarei-o com um biquinho. Ele riu pra mim – ou seria de mim? -, e mordeu levemente meu lábio inferior que estava projetado para frente.

- É claro que não, bebê. Você está tentando ajudar nossos amigos, todos estamos. Se eles não conseguirem se entender, paciência; pelo menos nós tentamos. – Ele deu-me um selinho e eu voltei a aninhar minha cabeça em seu peito. Ele dava recorrentes beijos no topo da minha cabeça, e seus dedos levemente subiam e desciam o caminho de meu joelho até o tornozelo, a única parte que minha camiseta deixava a mostra; eu, só para variar, não conseguia controlar os arrepios, o que fazia Zayn soltar risadinhas controladas e abafadas.

Não sei explicar exatamente em que momento – o que eu controlava-me para não ficar arrepiada ou o que eu tentava não me embriagar com o aroma de seu perfume – mas acabei pegando no sono no colo de Zayn.

Comecei a escutar um barulho estridente vindo do meu criado mudo. Tateei ainda com os olhos fechados até encontrar o celular e desligar aquela porcaria. Virei-me para o lado e notei que o espaço a meu lado se encontrava vazio. Zayn não havia dormido comigo? Tá né.

Segui para o banheiro e fiz minha higiene. Coloquei uma roupa e desci pra tomar café. Liam, Louis, Niall e Jaz já se encontravam ali.

- Bom dia, lindos. – falei já seguindo em direção a geladeira.

- Bom dia – eles responderam em uníssono.

Tomei meu café da manhã com calma – por incrível que parecesse, eu não estava atrasada -, sentada a mesa conversando com todos. Uns cinco minutos depois de eu ter chegado na cozinha, Zayn aparece por ali também, com uma cara inchada e meio amassada. Já falei que ele é lindo quando acorda? Tá, parei. Ele me dá um beijo, vai até a geladeira, prepara seu cereal na bancada e volta-se a mesa para sentar-se a meu lado.

- Hm, e aí, alguma noticia daqueles dois? – ele pergunta assim que chega a mesa. No mesmo instante, todos nós nos olhamos atravessados, e com expressões boquiabertas. O silêncio paira no ar até Louis e eu na mesma hora pronunciarmos:

-PUTA QUE PARIU! – Louis saiu correndo da mesa, lançando-se escada acima, e eu o segui com a mesma rapidez. Os outros saíram correndo atrás de mim, subindo as escadas em meu encalço.

Amontoamo-nos em frente à porta do quarto de Harry, enquanto Louis fazia sinais para nos calarmos e colocava a chave na fechadura. A porta se abriu e Louis a empurrou levemente, fazendo com que uma fresta mostrasse o que acontecia dentro do quarto.

Juliana e Harry ainda estavam dormindo, ambos na cama de Harry, intimamente abraçados. Assim que vimos àquela cena, risadinhas abafadas foram ouvidas. Olhei para o lado e vi que era Niall, segurando o riso com a mão na boca, e seu rosto atingia uma cor anormal de vermelho.

- Devemos acordá-los? – Liam sussurrou.

- Claro, a Juh tem aula, ué! – eu falei o mais baixo que consegui.

- Tá, no 3 a gente entra ok? – Louis falou e começou a contagem. Ao final, todos começamos a gritar e pular dentro do quarto. Zayn e Louis pulavam sobre a cama e Niall fazia cócegas nos dois.

Eles acordaram num sobressalto, os olhos denunciavam a vergonha que ambos estavam naquele momento.

- Bom diaaaa – Niall gritava, pulando pelo quarto.

- Harry pegador! Harry pegador! – Louis começou a gritar e pular com Niall, e em pouco tempo foi acertado por Harry com um travesseiro.

- Juliana, dá pra se soltar do Sr. Cachinhos e se arrumar para a aula? – eu dizia em meio as risadas e gritos que explodiam cada vez mais naquele quarto. O rosto dela atingiu um forte rubor e ela rapidamente levantou-se da cama e me puxou para dentro de meu quarto. Ao longe e com a porta fechada, eu ainda era capaz de ouvir as zoações com Harry, vindas do outro lado do corredor.

Juh pegou uma muda de roupa minha emprestada, e com uma rapidez – diga-se de passagem, irreconhecível, se tratando de Juliana – ela já descia as escadas e me puxava porta afora, para o tão conhecido caminho até a escola.

ZAYN’S POV

Depois da saída das garotas, fui me arrumar, assim como os outros garotos. Teríamos que estar na gravadora dali a 45 minutos, para decidir os últimos detalhes do próximo videoclipe. Todos prontos, hora de sair.

Passamos a maior parte da tarde lá, e quando saímos, Liam e Niall saíram correndo, ambos para encontrar as namoradas em lugares que eu não fazia ideia, ou sequer me importei em fazer. Como Harry e Louis são encalhados, e minha namorada provavelmente ainda estava na escola – ou, um pensamento que eu tentei afastar: ela não era minha namorada e eu também era um encalhado. Ok, eu não era encalhado, mas mesmo assim, não era algo sério, oficial. Será que já estava na hora de ser?

Resolvemos ir pra cafeteria da gravadora, ali não teria a conhecida pressão dos paparazzi e nem a interrupção de fãs. Fizemos nosso pedido e sentamo-nos numa das mesas ao fundo. Conversa vai, conversa vem, eu e Louis não aguentávamos mais esperar, nosso lado menininhas curiosas estava falando bem alto, nos olhamos e começamos com o interrogatório.

- E aí, o que aconteceu ontem de noite? – eu perguntei.

- Transou com ela? – Louis falou sendo bem pouco direto. Harry lhe de um tapa na cabeça, e eu lhe acertei um na nuca.

- Não aconteceu nada. – ele falou olhando para seu cappuccino.

- Seria mais fácil se você soubesse mentir bem, mas sinto muito Hazz, você ainda não tem essa habilidade. – Louis disse, o pressionando. – Vai, começa a falar logo.

- Tá, parem vocês dois, querem saber o que aconteceu? A gente ficou, mas na hora do ‘vamo vê’ ela deu pra trás. E não digo isso no sentido bom. – ele sorriu sem deixar a mostra os dentes.

- Vocês ficaram, e tão tipo... juntos? – Eu perguntei e ele balançou a cabeça, negando.

- Não, vamos ter uma relação complicada, eu acho. Vai ser algo do tipo, cada um fica com quem quer, e de vez em quando rolam algumas coisas. – ele riu, acho que se divertindo com a ideia, ou com a lembrança de algo.

- E jura que vai dar certo? – Louis arqueou a sobrancelha.

- Espero que sim. Quer dizer, pra mim vai, tenho certeza. Cara, a mina me olhou e disse que não queria nada sério, ela é minha alma gêmea! – ele dizia em rápidas palavras.

- Percebeu o que acabou de dizer? – perguntei sorrindo malicioso pra ele.

- Hãn? – parecia ter voltado ao mundo real.

- Você acaba de revelar que a Juh é sua alma gêmea, idiota. – Eu ri e dei um soco em seu ombro.

- Tá, esqueçam isso, ela é gata e me quer totalmente sem compromisso, pra mim, isso é perfeito cara. Não quero e não vou me prender a uma pessoa, mas que mal tem em me divertir com alguém mais de uma vez? – ele falava com um sorriso que escorria malicia no rosto.

- Mas e como assim, Harry? Achei que você tinha consideração por mim. – Louis disse afeminando a voz e acariciando os cachos de Harry.

- Tá, se for pra ficar vendo esse relacionamento gay, eu vou embora! – falei fazendo aquela cena terminar, e fazer também os dois darem gargalhadas.

- Anw Zayn, não fica com ciúmes, tem espaço pra você também, meu amor! – Louis pendurou os braços em volta de meu pescoço e eu o empurrei, e lhe dei um leve tapa na bochecha, mas o suficiente para fazer barulho e permitir ele fazer um drama. Típico de Louis.

- Sai daqui cara, eu tenho namorada, e se você não fosse lento, também teria. Ou alguém aí já esqueceu uma marinheira? – eu falei levantando as duas sobrancelhas repetidas vezes. Só de fazer menção à Piu, o rosto de Louis já abriu um sorriso bobo, que ele rapidamente ignorou e me perguntou com um tom malicioso. Credo, que conversa essa nossa, só falávamos de garotas!

- Hmmm, tem namorada Zayn? Sério, já? – ele perguntou me lançando um sorrisinho.

- Dã! – eu falei um tanto quanto alto, mas depois fiquei fitando o copo de meu café, e pensando... – Quer dizer, não sei, sinceramente. – falei num tom de voz bem mais controlado, um pouco mais alto que um sussurro, com o olhar ainda fixo no café a minha frente.

- Como assim? Vocês são muito fofos juntos, são perfeitos um para o outro – Louis falou apoiando os cotovelos na mesa e segurando o queixo entre as mãos.

- Fofos Louis, sério? Estou começando a duvidar da sua masculinidade. – Harry falou dando risada e Louis lhe mostrou o dedo. – Enfim, porque não sabe, Zaz?

- Ah, a gente tá junto, pelo menos eu acho que sim. Por mim estamos, eu disse 'eu te amo' pra ela e...

- WOW! Você disse ‘eu te amo’ pra Alice? – Harry falou espantado, e os olhos de Louis estavam fixos em minha expressão, parecia que mais um pouco meu rosto se desintegraria de tão penetrante que ele me olhava.

- Sim, e juro que não me arrependo, mas... – baixei o olhar de novo e não terminei a frase.

- Mas...? – Louis insistiu que eu continuasse.

Tomei fôlego e falei num jato:

- Mas ela não me disse isso também. – falei alternando o olhar entre os rostos dos dois, que estavam com uma expressão indecifrável.

- E o que ela fez? – Harry perguntou cauteloso.

- Ela me beijou, e perguntou se era mesmo verdade. - falei e entortei a boca.

- Cara, cala a boca, ela te ama sim! Ela só queria ter certeza do que você disse, e se ela não falou nada, você precisa aprender a ler os ‘sinais femininos’, porque é assim que ela diz te amar. E pode ter certeza, vai demorar pra ela colocar esses sentimentos em palavras. – Louis me olhava e falava de forma serena, como se cada palavra dele me acalmasse, e de fato, isso aconteceu.

- Cara, você pode virar conselheiro amoroso. Já pensou: Loulou, o Coelhão do Amor. – Harry disse fazendo-nos rir e tirar a nuvem densa de tensão que parecia ter se instalado ali anteriormente.

E eu já havia decidido, eu precisava fazer alguma coisa. Eu faria ela me amar, me amar do jeito que eu a amava, me amar a ponto de conseguir colocar em palavras. Eu a faria me amar plena e completamente



Notas finais do capítulo

EEE AÍ? Ficou legal? Gostaram? Mereço reviews? (x Beijos, e juro que vou postar o mais rápido que eu consegui :33