Roller Coaster escrita por jgw22


Capítulo 33
Capítulo 33


Notas iniciais do capítulo

DESSSSCULPEEEEEEEEM A DEMORA, sério )): não me briguem, ok? É que tá bem difícil de postar e tal, desculpem mesmo. Mas enfim, aí está mais um e espero que gostem.




ALICE’S POV

Aquele dia depois da escola, cheguei em casa e a encontrei absolutamente vazia, ninguém estava lá; fui pra cozinha com o intuito de fazer algo para comer, e enquanto preparava um sanduíche, Jazmin chegou.

- Oi Alice, já tá em casa? – Ela gritava do corredor enquanto trancava a porta.

- Cozinha! – eu falei no mesmo tom, e em segundos, ela já adentrava no ambiente. – Ué, tava aonde? – falei assim que ela veio para meu lado, ao mesmo tempo em que lhe dava um tapa na mão por tentar pegar o peito de peru do meu sanduíche.

- Hm, fui largar uns currículos por aí, tenho que fazer alguma coisa da minha vida. – ela falava distraidamente, enquanto servia água num copo.

- Sucesso em alguma? – eu perguntei concentrada no sanduíche a minha frente.

- Ér, não sei bem, mas vamos ver no que dá.

- Boa sorte pra você... – eu disse em tom baixo, mas logo depois levantei o olhar para o rosto de Jazmin e comecei a falar numa euforia quase assustadora – Jaaaaaz, mas conta tudo! Quer dizer que minha amiga tá namorando, como assim?

- Ok, calma! – ela dizia em tom alto, mas baixou a voz e começou a me contar de forma contida – Pra falar bem a verdade, nem eu estou acreditando ainda. Sério, quando eu acho que o Ni não consegue ser mais fofo, ele vai lá e me surpreende. – ela disse suspirando e com um brilho reconhecível no olho.

- Awn, minha amiga tá apaixonada!  - eu quase gritei e me pendurei em seu pescoço, enquanto ela ria e tentava se afastar de mim.

Ficamos conversando algum tempo ali na cozinha, depois seguimos para a sala. Quando estávamos atiradas pelos sofás assistindo qualquer coisa na tv, meu celular toca, o visor indicava que o numero que ligava era desconhecido.

- Alô? – atendi num tom de dúvida.

- Alice? Oi, aqui é o Dr. John Scarllet, tudo bem?

- Ahm, Oi Dr. Scarllet – disse o nome dele para acalmar Jaz, que me olhava de forma frenética, acalmando logo depois de saber de quem se tratava o telefonema – Tudo sim e com o senhor?

- Sim, e tenho boas notícias sobre seu caso. Sua conta no banco e sua escola vão continuar do jeito que estão, a liminar que entrei para impedir Edgar de cancelá-las foi aceita pelo juiz. – eu sentia a empolgação em sua voz, e eu definitivamente me sentia aliviada.

- Obrigada John. Obrigada, obrigada mesmo!  - eu praticamente gritava ao telefone, e pulava em cima do sofá, deixando Jaz me encarando com uma cara de espanto e dúvida.

- Ei, calma! É bom você ficar feliz com a ideia, mas não é só isso! – ele falava em meio a algumas risadas, mas logo ficou sério e eu me obriguei a fazer o mesmo. – Seguinte: agora você e a Jazmin vão ter que ir à delegacia e fazer queixa de Edgar, só assim ele vai poder ser intimado a julgamento. E depois da queixa, deixa que eu vou fazer o possível para acelerar esses processos. Mas vocês tem que ir logo, quanto mais rápido, melhor.

- Hm, ok, eu falo com ela. – falei num tom tenso e tendo os olhares atentos de Jaz sobre mim, que tinha o mesmo ar de tensão. – Obrigada, tchau Dr. – eu disse desligando o telefone e sentando ao lado de Jaz.

- Jaz, nós vamos ter que ir à delegacia... –eu falei deixando involuntariamente que o medo invadisse uma ponta de minha voz, a fazendo ficar um ou dois tons mais baixo que o normal.

- Prestar queixa? – ela dizia com o semblante sério. Apenas balancei a cabeça em afirmação e baixei o olhar. Ela colocou a mão em meu queixo e levantou minha cabeça. - Ei, psiu, olha aqui: a gente começou com isso, agora vamos até o fim. Sei que ele é seu pai, mas decidimos fazer isso.

- É, tem razão. Amanhã à tarde nós vamos, ok? – ela concordou com a cabeça, e demos como encerrado aquele assunto.

Ficamos mais algum tempo conversando, até que os garotos chegaram e a alegria pareceu voltar à casa. Liam era o único que não veio junto com os outros, parecia que tinha ido a algum lugar com Bruna ou algo do tipo.

Assim que chegaram, cada um foi para um canto da casa, que eu realmente não me interessei em saber. Estava realmente interessada na pessoa que me puxava escada acima e me levava para seu quarto.

Zayn sentou-se na cama e me puxou para perto dele, aninhando-me em seu colo. Ficou acariciando meu cabelo enquanto apenas ouvíamos um a respiração do outro.  Ele tinha um sorriso bobo no rosto, e eu tinha certeza que o meu também estava assim. Comecei a analisar cada linha da feição perfeita de Zayn.  Os olhos castanhos, envoltos pela longa e grossa camada de cílios; As sobrancelhas perfeitas e delineadas, a barba rala por fazer, os lábios carnudos curvados num sorriso. Eu perdia o fôlego só de observá-lo.

Coloquei minha mão em sua bochecha e comecei a acariciar, desde a têmpora até o final do queixo. Zayn segurou minha mão ali e virou o rosto, depositando um beijo na palma de minha mão. Sorri para ele e aninhei-me em seu peito, enterrando a cabeça em seu ombro. Ele deu um beijo no meu cabelo e levantou meu rosto para que eu o olhasse.

- Ei, vamos dar uma volta?  -ele dizia com o olho brilhando.

- Agora? Onde vamos, Zayn? - eu o encarava espantada.

- Surpresa. – ele sorriu abertamente, me fazendo derreter e responder sem pensar.

- Ok, vou só me trocar. – lhe dei um selinho, mas ele prendeu as mãos em minha cintura, me impedindo de sair dali e tornando o selinho um beijo longo e lento. Afastei ele com relutância e sussurrei:

- Tá, vou me arrumar. Me espera lá embaixo. – ele fez uma carinha de quem certamente já tinha desistido de sair, que me obrigou a rir. Dei um selinho rápido e saí do quarto dele, me dirigindo para o meu.

Depois de alguns minutos em dúvida, vesti qualquer coisa (http://www.polyvore.com/36/set?id=41780600) e desci as escadas correndo. Zayn – por mais incrível que isso possa soar – já estava pronto e me esperava ao pé da escada. Segurei em sua mão e deixei ele me guiar até a saída.

Pra mim, já não importaria onde nós iríamos, ou quando voltaríamos. Eu estava com Zayn, eu estava com o ele. Naquele momento, me sentia segura. Eu o tinha para mim, e com isso, nada mais importaria. Nunca.



Notas finais do capítulo

Muito ruim? Juro que agora vou tentar postar um capítulo todo dia, não vou deixar vocês esperando. haha. Enfim, obrigada pelas reviews que eu tenho recebido e continuem assim, amo quando vocês comentam >< Se alguém que lê aqui mas não tem uma conta, pode comentar lá no twitter ( @_JuliaWolff ) Beijos, e até amanhã XOXO