Roller Coaster escrita por jgw22


Capítulo 19
Capítulo 19


Notas iniciais do capítulo

POV do Zayn bem grande >< Esse é especialmente dedicado pra
Malu Edwards, que disse que ama quando ele narra, e que acompanha minha fanfic desde o começo *--*
Enfim, esse também é tristinho, sl. ):




ZAYN’S POV

Eu estava na cama, lutando contra o sono, esperando ansiosamente pela ligação de Alice. Eu já estava mais dormindo do que não sei o quê, quando meu telefone tocou e vi o nome dela no visor. Atendi o mais afoito possível, não deixando passar da primeira chamada. Ela estava chorando. CHORANDO. A Alice, minha Alice, estava chorando? O que eu mais queria naquele momento era poder abraçá-la, reconforta-la, tê-la protegida em meus braços. Ela chorava compulsivamente, não falava nada com muito nexo, eu só entendi que ela queria que eu fosse a sua casa.

Mal terminei de falar com ela, coloquei a primeira roupa que eu achei pela frente e saí sem ao menos avisar ninguém.  Eu corria pela rua que separava nossas casas, meus pulmões pareciam não caber mais em meu peito, minhas pernas tremiam por causa do demasiado esforço, mas eu não me permitia parar, Alice precisava de mim, e isso era só o que estava me importando naquele momento, o que estava me dando forças para continuar.

Eu nem me dei ao trabalho de tocar a campainha, apenas abri a porta, que por sorte estava destrancada, e fui direto subindo as escadas, sem nem olhar para os lados. Chegando ao andar de cima, OPA! Qual porta é o quarto dela? Segui meu ouvido e bati na porta da qual vinha um choro do ambiente. Alice abriu e enterrou a cabeça em meu peito, ela tremia e chorava compulsivamente. Apenas encostei a porta com o pé atrás de mim e a abracei o mais forte e reconfortável que pude. Eu a sentia acalmar-se e parar de tremer enquanto eu sussurrava em seu ouvido e abraçava cada vez mais forte. Quando ela finalmente parou de chorar, começou a falar o que havia acontecido; eu via que ela não estava bem, que de fato tinha acontecido alguma coisa, mas eu não forçaria nada, não a faria ter que relembrar do que quer que tivesse acontecido. Mas ela parecia decidida em contar-me, em desabafar, e enquanto limpava as lágrimas, ela se endireitava a meu lado no chão do quarto, suspirando e começando lentamente a contar:

- Zayn, foi horrível, você não sabe o quanto. Edgar chegou bêbado, começou a me agarrar, me machucar, foi horrível. Eu só tentava fugir, me livrar dele, queria você pra me proteger. – ela aninhava o rosto em meu peito, em meio a mais lágrimas que voltaram enquanto ela revivia os momentos. Eu resetava meus músculos, tentando me manter calmo; juro que estava me segurando para não sair por aquela casa à procura de Edgar, e fazer sabe-se lá o que nele. Eu não gostava de violência, não mesmo, mas saber que Alice tinha ficado indefesa em suas mãos e que ele teria a abusado se não fugisse a tempo, me deixava mais violento que o normal. Estreitei mais os braços em volta do corpo de Alice e inspirei o perfume do topo de sua cabeça, acariciando seu cabelo na tentativa de manter-me mais calmo. Funcionou. Depois de alguns instantes ali, levantei a cabeça de Alice de meu peito para que ela me olhasse.

- Alice, não vou deixar você ficar aqui, não mesmo. Vem comigo e durma lá em casa essa noite, amanhã quando você estiver mais calma, pode voltar. Ou buscar suas coisas.

- O que quer dizer? – ela disse confusa, com a voz falha e os olhos um pouquinho inchados, mas ainda sim, linda.

- Que isso é um convite para você ir morar conosco. Depois do que aconteceu hoje, não tem cabimento você viver aqui. As portas da minha casa estão abertas pra você. – minha mente sussurrou ‘e as do meu coração também’, completando a frase. Dei-lhe um sorriso encorajador.

- Mas e os garotos? Não vai ter probl...

- De jeito nenhum, Alice. Eles te adoram e com certeza vão adorar a ideia também. – eu falei a interrompendo.

- É, até que não me parece má ideia. – ela disse e finalmente lançou-me um sorriso, o primeiro desde que eu havia chegado ali.

- Bem, então pegue suas coisas e vamos. Sua nova vida começa agora. – eu disse a abraçando mais e logo em seguida soltando-a para deixá-la arrumar suas coisas.

ALICE’S POV

Eu estava ainda um pouco atordoada, eram muitas informações para serem absorvidas tão rapidamente. Eu estava até agora tentando entender o que levou Edgar a fazer aquilo; será que ele realmente queria fazer aquilo comigo ou foi só por efeito da bebida? E eu realmente estava arrumando minhas coisas para ir morar na casa de Zayn? E agora, seria mais difícil transformar o que eu sentia por ele apenas em amizade? Minha cabeça estava prestes a explodir de tanto chorar, e esses pensamentos só pioravam a situação.

Arrumei uma mochila com uma muda de roupa para conseguir passar a noite e troquei de roupa (http://www.polyvore.com/41/set?id=42477521). Depois saímos e fomos andando até a casa de Zayn. No caminho, acabei lembrando que Jaz não sabia de nada o que havia acontecido, e que nem fazia ideia que eu não dormiria em casa naquela noite, e muito possivelmente, em nenhuma mais.

Chegamos à casa dos garotos e todos já estavam dormindo. Zayn colocou minha mochila no quarto de hóspedes e foi para o seu quarto. Exausta demais para pensar em qualquer coisa, coloquei meu pijama e me joguei na enorme cama.