Roller Coaster escrita por jgw22


Capítulo 17
Capítulo 17





ALICE’S POV

O restante daquela semana passou bem rápido, e quando dei por mim já era sexta feira, e nós tínhamos combinado de jantar na casa dos garotos. Cheguei da escola e fui direto começar e me arrumar, saí do demorado banho, escolhi uma roupa no closet – tarefa que eu já estava quase dominando – e maquiei-me levemente (http://www.polyvore.com/cgi/set?id=41444929). Ia descendo as escadas para ir à casa de Jaz, quando encontro ela a caminho do meu quarto.

Andamos em direção à casa dos garotos, e quando chegamos lá, Bru já estava na cozinha. O combinado essa noite era que as garotas fariam a janta e os garotos limpariam a cozinha. Cumprimentamos os garotos cada um com um beijo na bochecha, com exceção de Niall, que quando me aproximei dele me prendeu num abraço no melhor estilo urso, e beijou Jaz rapidamente, separando o beijo antes que nossos comentários indiscretos começassem. Zayn também não foi cumprimentado por mim apenas com um beijo na bochecha, quando cheguei perto dele, ele passou os braços por minha volta, me prendendo contra ele no abraço mais cheiroso que eu já recebera, eu sentia suas mãos fazendo leves cócegas em minhas costelas. Ele separou o abraço rápido demais a meu ver, mas assim que o fez, eu senti alguns olhares em nossa direção.

Eu e as garotas fazíamos a janta enquanto os garotos conversavam na sala, e todos fomos para a sala de jantar quando nosso espaguete ficou pronto. Comemos e conversamos, depois foi a vez de eu e as garotas irmos para a sala enquanto os garotos ficavam na cozinha. Conversamos por uns 15 minutos sobre coisas banais, até que gritos e risadas vindos da cozinha invadiram a sala onde estávamos. Corremos para ver o que os garotos estavam fazendo e chegando à cozinha, nos deparamos com cinco crianças se jogando água e detergente, deixando a cozinha inteira encharcada e toda ensaboada. Nos aproximamos deles com o maior cuidado do mundo para não escorregarmos e tentar tirar a mangueira da pia da mão de Louis, ou os copos e panelas cheios de água da mão de todos os outros, porém, antes que pensássemos em fazer alguma coisa, Niall e Harry já nos puxavam para o meio da guerra de água, nos deixando totalmente ensopadas.

Resolvemos entrar na brincadeira também, e enquanto Bru pegava água gelada da geladeira e Jaz se debatia num abraço molhado de Niall, eu roubava a mangueira das mãos de Louis, encharcando todo o seu peito e o de Zayn, que se aproximou para ajudar o amigo. Eles me abraçaram juntos e me deixaram mais ensopada do que eu já estava. Entre risos e com o chão totalmente escorregadio, acabamos caindo no chão. Zayn caiu e eu caí por cima de seu corpo, enquanto Louis caia por cima de mim, me prensando mais ainda contra Zayn. Porque em todas as minhas constantes quedas eu sempre caía por cima de Zayn? Meu Deus, eu sempre ficava com uma reação idiota nestes momentos.

Louis saiu de cima de mim e eu tentei fazer o mesmo em relação à Zayn, mas antes que eu conseguisse agir ou sequer pensar, ele virou e me fez encostar as costas no chão, ficando com seu corpo por cima do meu, apoiando seus cotovelos no chão para não soltar todo o peso sobre mim. Deu um sorriso em direção a minha boca e encaixou sua cabeça em meu pescoço, senti uma leve assoprada em direção ao interior de meu ouvido, e depois uma mordida suave em minha orelha. Levantou o rosto de meu pescoço e novamente me lançou um sorriso, dessa vez olhando fixamente em meus olhos, o que me deixou completamente hipnotizada. Juro que fiquei assustada, eu não precisava nem olhar em volta para saber que tinham olhares em nossa direção, aquela foi a primeira vez que Zayn fazia algo assim em na frente de seus amigos. Será que aquilo significava alguma coisa? Sim, significava. Significava que agora seria praticamente impossível esconder de todos a minha queda por Zayn. Isso aí, Alice, duas palavras pra ti, para-béns! Faz alguma coisa, ou vai ficar aí no chão esperando alguém começar a zoar e te deixar inteiramente sem graça? Minha consciência estava incomodando de novo, sempre nas horas mais inoportunas, porém, resolvi obedecê-la e falar alguma coisa pra me tirar daquela situação.

- E aí, Sr. Canibal, vai sair de cima e mim e parar de me morder? Ou gostou de me encharcar pela segunda vez? – eu disse rindo para esconder o nervosismo. Na verdade, eu não queria terminar com aquele momento, não mesmo, mas Zayn soltou uma gargalhada contra minha face e rolou o corpo para meu lado, levantando em seguida e estendendo a mão para me ajudar. É claro, que quando levantamos, tinham olhares em nossa direção, mas de relance, pude perceber Liam dando um cutucão em Harry e Louis, o que eu agradeci mentalmente, e logo começou a falar:

- Ops, nós realmente achamos que conseguiríamos arrumar a cozinha juntos mas...

- Mas o que vocês conseguiram fazer foi só deixá-la mais bagunçada? É, eu consegui perceber. – disse Bru segurando o rosto do namorado e lhe dando um selinho. – E eu sei que vocês vão precisar de uma ajudinha feminina, nem precisa falar.

- Não sei onde estávamos com a cabeça quando pensamos que esses 5 iriam conseguir arrumar isso aqui. – disse Jaz rindo e apertando as bochechas de Niall, depois ele e Louis saíram e rapidamente voltaram com as mãos cheias de rodos e panos. Enquanto enxugávamos a cozinha, não conseguíamos nem parar em pé direito, de tanto sabão que tinha ali, começamos a brincar de esgrima com os cabos dos rodos e depois de mais ou menos uma hora, a cozinha se encontrava num estado um pouco melhor do que antes.

Todos subimos e fomos tirar as roupas encharcadas; eu peguei novamente a camiseta de Zayn 3 vezes maior que eu que tinha usado no outro dia, Jaz colocou um moletom de Niall e Bru estava vestindo um canguru dela que estava numa das gavetas de Liam. Depois, pegamos algumas cadeiras e fomos para o pátio aos fundos da casa, Niall pegou o violão e ficamos ali cantando e, principalmente, os ouvindo cantar, enquanto Harry e Zayn cuidavam da fogueira na pira à nossa frente.

Começou a ficar tarde e eu e Jaz dissemos que estávamos indo embora, mas os garotos protestaram e disseram que era perigoso e eles nos levariam até em casa. Então fomos, oito pessoas seguindo a pé pela rua à noite. Não pude deixar notar que estavam todos meio divididos; Liam e Bruna estavam caminhando abraçados, indo na frente de todos. Niall e Jaz caminhavam lado a lado, alguns passos atrás do outro casal, Niall segurava Jazmin pela cintura, a mantendo perto dele. Harry e Louis andavam de mãos dadas, conversando sobre alguma coisa, e aquela cena não de deixou ficar séria. Eu caminhava lentamente atrás de todos, apenas vendo as pessoas a minha volta e pensando que eu provavelmente chegaria em casa e encararia mais uma briga com Edgar por estar chegando tarde em casa. Afastei meus pensamentos no exato momento em que vi passos andando a meu lado; levantei o olhar do asfalto e vi um sorriso lindo me encarando.

- Oi Zayn. – eu disse sorrindo ao vê-lo.

- Vai, pode me contar, no que você tava pensando agora? – disse ele num tom de irmão mais velho.

- Tava só pensando no stress que está me esperando em casa agora... – eu disse um pouco baixo.

- Mas é necessário mesmo brigar? Porque você não chega em casa agora e tenta conversar com calma com ele? Tenta explicar o que você sente, fazê-lo entender o seu ponto de vista da história, e fazer um esfocinho para entender o lado dele também, porque você querendo ou não, o Edgar é seu pai. Você vai querer ficar a vida inteira tendo essa relação insólita com ele? – ele disse fitando meu rosto.

- É, acho que você tem razão, mas sei lá, Zayn, não sei como começar essa história. Tipo, depois de tanta briga, como vou me aproximar dele com calma e começar a conversar? – eu dizia com a voz um tanto nervosa, tentando encontrar sentido naquilo que Zayn falava.

- Que tal começar pelo começo? – ele lançou-me um sorriso gigante. – Enfim, eu estou mandando você falar com seu pai, viu mocinha? E me ligue assim que falar com ele, ok? Quero saber o que houve e sei que você vai precisar desabafar também.

- Hm, agora eu ganhei um segundo pai, é? Ou um irmão mais velho? Estou ficando confusa, Malik. – eu disse rindo, afastando por um momento o nervosismo de minha mente; mas ele logo voltou, ao perceber que nós estávamos parados em frente a minha casa, e eu sabia que teria que enfrentar uma conversa de qualquer jeito, fosse ela para uma reconciliação ou para mais uma briga. Zayn prendeu-me num abraço, que eu retribuí o mais forte que pude, enterrando a cabeça em seu peito e deixando seu perfume invadir minhas narinas e meus pensamentos. Levei o rosto a altura de seu pescoço e ele colocou o seu no mesmo lugar, sussurrei em seu ouvido ‘obrigada, espere minha ligação, tá bem?’, senti uma respiração quente contra a pele de meu pescoço e o ouvi sussurrar em meu ouvido também ‘não há de quê, pequena. Pode deixar, eu vou esperar. ’ Ele soprou novamente dentro de minha orelha e, sabendo o que vinha a seguir, me adiantei e fiz primeiro. Antes que ele pudesse parar de soprar, eu mordi o canto do lóbulo de sua orelha, fazendo-o soltar uma gargalhada que entrou diretamente em meu ouvido e ficou ali ecoando.

Parti o abraço e só então voltei a lembrar das outras 6 pessoas presentes ali. Dei um sorriso amarelo, tomada de vergonha, me despedi de todos rapidamente e com a mesma rapidez entrei em casa. Edgar não estava em casa, o que eu agradeci e lamentei. Primeiro, eu iria subir para o quarto e deixar tudo como estava, mas as palavras de Zayn voltaram em minha cabeça e decidi esperar por Edgar e conversar com ele, fosse a hora que fosse.

Subi para o quarto, tomei um banho rápido, coloquei meu pijama e desci para a sala novamente. Já passava da meia-noite, coloquei ‘Cartas para Julieta’ no DVD e deitei-me no sofá, esperando Edgar chegar. Fiquei ali, horas assistindo ao filme, horas cochilando, e outras pensando no que falaria a Edgar quando ele chegasse.



Notas finais do capítulo

Desculpeeeem, não me odeiem, mas só vou conseguir postar esse hoje! ): Ah, e fiquem esperando pelos próximos capítulos, serão bem... hm, diferentes. Enfim, deixem reviews e replys no twitter, ok? Beijos suas lindas :** (@july_wolff)