Roller Coaster escrita por jgw22


Capítulo 12
Capítulo 12





ALICE’S POV

Eu, Bruna e os garotos seguimos para a porta na cozinha que dava para o pátio nos fundos da casa, saindo para o sereno noturno em fila indiana. Estávamos andando a passos lentos e silenciosos, tentando chamar o mínimo de atenção, o vento daquela noite fria cortava meu rosto e jogava alguns fios de meu cabelo em meus olhos. Varremos o quintal com os olhos e não encontramos nenhum sinal deles, até Liam, que seguia na frente da fila, sussurrar ‘olhem ali’ e apontar para a árvore. Todos olhamos naquela direção e constatamos o que ali havia.

Encostados no tronco da arvore, víamos duas sombras em movimento, mas escuridão impedia de vermos com clareza algo além disso. Então Zayn e Harry pegaram os celulares dos bolsos e ligaram os visores. Ambos tomaram a frente da fila e seguiram iluminando o caminho. Quando chegamos perto o suficiente, conseguimos focalizar a visão que de longe parecia apenas um borrão: Jazmin estava encostada na árvore enquanto beijava Niall. Ela tinha as mãos no cabelo loiro, enquanto ele a segurava pela cintura puxando-a para mais perto e não permitindo a separação dos dois corpos. Quando percebemos que aquilo estava acontecendo, não fomos nada discretos e começamos a gritar e assoviar.

Eles pareciam ter notado nossa presença só naquele momento, quando Jazmin separou o beijo e Niall continuou abraçando sua cintura, apenas afrouxando um pouco o abraço. Ambos ruborizaram imediatamente e estavam totalmente sem palavras. Pra dizer a verdade, nenhum de nós falava algo também, só riamos da cena que tínhamos acabado de presenciar.

- Que isso cara, tiramos os olhos de vocês por dois minutos e você já vem pro escuro aprontar?– Harry foi o primeiro a quebrar o silencio, tirando sarro da cara do Irlandês.

- Ah, para com isso Harry, se você é forever alone a culpa não é minha, tá? – disse ele sorrindo triunfante em resposta. – Mas, vocês não vão mesmo nos dar licença? – disse ele abraçando Jaz mais fortemente. Olhei para o seu rosto e percebi que ela estava a ponto de explodir, de tão vermelha que estava. Eu a conhecia a pouco tempo, mas já a conhecia suficientemente para saber que ela não estava nem um pouco a vontade naquele momento. Sorri pra ela, tentando acalmar-lhe, porém acho que sem sucesso.

- Não senhor, garanhão. Vamos todos entrar e sentarmos na sala, como antes. – disse Louis sendo nem um pouco inconveniente.

- Ah, fala sério né, corta-clima?? – disse Niall com uma pontinha de indignação no rosto.

- Não me agradeça Nini, você sabe que este é o meu papel – disse Louis rindo abertamente e se aproximando de Niall para dar-lhe apertões nas bochechas vermelhas.

Embora eu e Bru tivéssemos dito para os meninos para entrarmos e deixarmos os dois ali fora, nenhum deles parecia convencido a dar privacidade para os dois. Parecia que essa palavra não existia no vocabulário dos garotos. Depois de muita zoação e implicância para cima de Niall e Jaz, finalmente voltamos todos para a sala. Liam sentou no sofá com Bru deitada em sua perna, Niall foi para o outro sofá e puxou Jaz para seu lado, fazendo-a aninhar-se em seu peito. Eu deitei-me de bruços no tapete, deixando o tronco elevado pelos cotovelos, quando senti uma cabeça deitando sobre minhas costas, se colocando bem na cavidade de minhas costelas. Olhei para o lado e vi Zayn estampando um sorriso em minha direção; eu apenas sorri de volta e voltei a olhar para frente, na direção de Harry e Louis, que naquele momento estavam num canto do sofá fingindo se beijarem, eles riam demais e Louis gritava numa voz feminina ‘Oh, me possua Harry’. Percebi que eu não era a única a encarar aquela cena deplorável, e quando olhei para o lado, Niall continuava vermelho, mas agora era de tanto rir. Num instante, toda a sala era tomada por risadas. Quando os ânimos acalmaram um pouco e todos conseguiam ao menos respirar, Jaz disse:

- Alguém me explica que cena foi essa?

- Nós estávamos nos sentindo verdadeiras tochas olímpicas no meio desses casais e resolvemos nos amar também, né amor? – disse Louis, dirigindo sua ultima frase para Harry, novamente imitando uma voz feminina. Embora eu tivesse percebido a indireta naquela frase, resolvi deixar pra lá. Todos ali sabiam que eu e Zayn não éramos um casal, e eu sabia que aquele comentário ‘inocente’ era direcionado a nós dois.

Eu e Jaz ficamos ali por mais algum tempo, eu sabia que tinha aula na manhã seguinte, e eu realmente queria ir embora, mas vi que Jaz nem pensava nessa possibilidade, e eu definitivamente não queria dizer que estava indo e correr o risco de Zayn me levar até em casa novamente. Eu não sabia como ia agir sozinha com ele, não sabia o que falar ou fazer, essa tarefa já havia se tornado um pouco complicada para mim. Era incrível como ele já tomara o controle sobre minhas reações, assim em tão pouco tempo.

Por sorte, uns 10 minutos depois, Jaz viu que já eram 8:16 pm. e convidou-me para ir embora. Nos despedimos de todos e não pude deixar de sorrir quando vi Niall puxando Jazmin para um beijo, o que fez todos fazerem ‘anw’, menos Harry, que olhava com uma cara enojada. Niall separou o beijo e olhou para o rosto dele.

- O que houve, Styles? Nunca viu?

- Arhg, isso é nojento. –disse ele zombando.

- Até parece que você nunca fez isso. E adora. – disse Niall ganhando a briga.

Assim que eu e Jaz saímos da casa dos garotos, só esperei nos afastarmos alguns passos e fui logo falando:

- Seguinte, pode ir me dando o relatório completo do que aconteceu naquele jardim, e não me venha com ‘não sei se realmente aconteceu algo’ porque eu vi que aconteceu. – eu disse afoita. Ela deu uma risada fraca e nervosa, mas logo suspirou e começou calmamente a falar:

- Bom, vocês viram a hora em que fui ao banheiro né? – concordei com a cabeça e ela logo continuou falando. – A hora que saí do banheiro, Niall me esperava na porta e me convidou para dar uma caminhada pelo pátio, disse que precisávamos conversar. Eu não tinha entendido muito bem aquilo tudo, mas antes que eu desse qualquer resposta ele pegou minha mão e puxou-me para a porta dos fundos. – ela apenas olhava para o chão enquanto falava, enquanto eu olhava atentamente suas expressões, esperando uma continuação. – Quando nós saímos para o pátio ele prendeu o braço em minha cintura e ficamos ali caminhando sob o céu estrelado, eu tava gostando daquele momento, eu tava gostando mesmo daquilo. Mas ambos estávamos em silêncio, Niall parecia estar perdido demais em pensamentos, e eu mal podia pensar no que estava acontecendo naquele momento, estava nervosa demais para dizer qualquer coisa. – ela encarou meu rosto para ver se eu ainda prestava atenção, lhe dei um sorriso, incentivando ela a continuar – Depois de um tempo, Niall me colocou de costas para a árvore e pegou minha mão. Começou a dizer que desde que me vira pela primeira vez ele havia sentido algo diferente, não queria apenas amizade, ele disse que aquilo nunca tinha sido programado, ele não escolheu sentir aquilo, só sentia, e falou também que se eu não sentisse o mesmo ele entenderia. Mas nesse momento eu já estava totalmente sem palavras; eu sentia tudo aquilo que ele descreveu, absolutamente tudo, como eu não confiava nas minhas palavras, resolvi mostrar-lhe. – ela sorriu abertamente, provavelmente com a lembrança vindo à mente, e eu não me contive em sorrir de volta. – Eu aproximei meu rosto do dele e comecei a beijá-lo vagarosamente, enquanto sentia-o pressionar minha cintura quanto a sua e...

- Ahm, ok Jaz, eu já saquei, não preciso saber os detalhes da história. –eu disse rindo zombeteiramente. – Mas fico feliz por vocês, eu falei que tinham tudo a ver um com o outro. – falei abrindo um sorriso bem sincero.

Chegamos em casa e ela foi direto para os fundos do pátio, enquanto eu fui para a cozinha procurar por algo para comer. Encontrei Edgar sentado sozinho a mesa, comendo alguma coisa.

- Olá Alice, quer se juntar a mim? – ele perguntou num sorriso.

- Não, obrigada pai, eu só que... Espera isso aí é mingau? – eu disse levantando o tom de voz num grito à beira da histeria.

- Hm, é. Você gosta? – ele disse com um semblante confuso.

- Se eu gosto? Eu simplesmente amo mingau! Ainda tem? – ele me apontou a panela em cima do fogão e eu rapidamente despejei seu conteúdo numa tigela. Abri o armário e peguei achocolatado, colocando umas duas colheres por cima e misturando, com o intuito de deixar o mingau com sabor de chocolate.

- Nenhum mingau é mingau se não tiver gosto de chocolate. – eu sorri satisfeita e me dirigi a mesa.

Eu e Edgar ficamos ali na mesa, conversando e comendo nosso mingau. Naquele momento, ele parecia completamente à vontade, e por incrível que pareça, eu não sentia vontade de começar outra briga, nem necessidade de lhe encher a cabeça com mais problemas, eu simplesmente apreciava o momento ao lado dele, sem me preocupar com outras coisas. Será que tínhamos conseguido nos aproximar apenas com um mingau?

Ele terminou antes de mim, colocou seu prato na pia e saiu da cozinha dando-me um beijo no topo da cabeça. Para ele, poderia não parecer nada, mas eu sorri imediatamente com a cabeça baixa em direção ao prato ao perceber aquele afeto que recebi sem esperar. Terminei de comer e segui para meu quarto. Tomei um banho rápido e deitei me abraçando na cama, em um instante, o ocorrido na cozinha me veio à cabeça de novo, e eu instantaneamente sorri. Com esse mesmo sorriso, acabei caindo no sono.



Notas finais do capítulo

E aí? Gostaram? Acham que agora pai e filha se entendem de vez? (: Continuem lendo e comentando, ok?? Mandem elogios, críticas, ideias, qualquer coisa (: Beijos.