A Filha De Ártemis escrita por Carol C


Capítulo 7
Velhas e Novas Amizades


Notas iniciais do capítulo

DESCULPE A DEMORA!!!!!
Eu tenho 3 bons motivos para ter demorado!
1º - as aulas
2º - primeira prova foi essa semana
3º - essa é uma parte critica e difícil de escrever




Capítulo 5 - Velhas e Novas Amizades

Dia 15 de junho de 2013 - Sábado

POV: Lilian

Alguém estava me sacudindo, tentando me acordar.

– Lilian, acorda!! - era um sussurro urgente.

Coloquei o travesseiro na cabeça e resmunguei:

– Helena é Sábado!! Por que a pressa?

– Não sou a Helena.

Levantei o travesseiro. Minha visão ainda estava embaçada de sono, mas reconheci πρόσωπο πριγκίπισσας, γκρίζα μάτια και σγουρά ξανθά μαλλιά (o rosto de princesa, os olhos cinzas e o cabelo loiro cacheado).

– Annabeth?! O que foi? - Sussurrei.

– Vamos sair, procurar mais meio-sangues. É a última manhã!

– Que horas são?

– Quinze para as seis.

– O que? Eu não vou!! Eu quero dormir!!!!

– Vamos... Só por uma hora! - ela estava implorando...

– Uma!!

– Tudo bem!!! O Percy já ta na van e a Helena esta se arrumando!!

***

meia hora depois... Na van

Estava chateada, Helen estava caindo de sono, o Percy estava quase dormindo no volante andando por volta de 25km/h. (ou menos)

– Por que estamos aqui mesmo? - nós três perguntamos ao mesmo tempo para a Annie.

– Bom... Χείρωνα (Quíron) pediu para eu procurar meios-sangues, até a hora do almoço.

– O QUE?? - eu explodi - ATÉ A HORA DO ALMOÇO?????? VOCÊ DISSE QUE ERA SÓ UMA HORA!!!!

Ela deu de ombros.

– Eu achei que se agente saísse mais cedo, daria para achar mais...

Todos gemeram, inclusive Percy. Ele continuou passeando pela cidade.

7h 00min

– Helena. - sussurrei.

– Hum, fala. - ela falou isso, e logo depois bocejou

– Me lembra de acordar a Annie uma da manhã.

– Concordo. - ela estava super sonolenta.

Pouco depois ela estava dormindo.

8h 00min

Sono

Sono

e...

Sono

9h 00min

– Oi, quando é que nós vamos voltar para o acampamento? - Percy perguntou

– Quando acharmos um meio-sangue! - Annie disse.

Suspirei.

– Mas... Sabidinha, quem é que vai andar por Nova York nove da manhã de Sábado? - Percy continuou.

Ela lançou um olhar ultra intimidador, que faria Άρης (Ares) sair correndo chamando pela mamãe. E Percy ficou quieto.

10h 15min

Enquanto passávamos em frente uma banca de jornal, eu senti alguma coisa. Uma sensação, um meio-sangue estava próximo. Aquela sensação foi forte, então, ele quem quer que seja, havia passado ha pouco tempo.

– Percy, vá devagar! - pedi, ele desacelerou e Annie perguntou.

– O que foi?

– Um meio sangue passou por aqui, não faz muito tempo. - falei.

– De as instruções para acharmos ele antes dos monstros! - Percy falou urgentemente.

Tradução: " De as instruções para acharmos ele logo, para voltarmos para o acampamento o mais rápido possível"

– Siga reto, vire a esquerda e siga reto por dez quadras. Depois disso eu salto e vou sozinha. - disse isso quase que em transe.

Em quinze minutos chegamos no lugar que eu tinha falado. Desci e me despedi da Annie e... Bom, do Percy eu tentei, mas foi só ele estacionar que ele dormiu.

Andei por pouco tempo, então eu vi que a sombra da Aura daquele meio-sangue, ela levava até um beco escuro. Engoli em seco, mas continuei caminhando para achá-lo.Estava me aproximando. Eu não sabia o que fazer! Com a Helena e a Annie foi mais fácil, mas agora... eu estava sozinha!

«Αυτό που μου οι σκιές κρύβουν» ('Que as sombras me escondam') Pensei, normalmente quando eu pensava isso as pessoas só me achavam quando eu queria. Eu prestei mais atenção no beco em que eu me encontrava. Ele era vagamente familiar... Ai que eu lembrei, mas não podia ser!! Seria muita coincidência. Andei mais um pouco e ouvi um barulho, não consegui conter minha curiosidade fui até lá.

Eu vi uma sombra se movendo na escuridão, logo depois... Eu vi... Não sabia se ficava feliz ou outra coisa. Eram os mesmos olhos castanhos escuros que eu vi no outro sonho! Eles, mostravam várias coisas ao mesmo tempo, desconfiança, atenção, e cansaço, mas o mais estranho, ele olhava diretamente para o local em que eu estava. Eu estava invisível, pelo menos acho, então decidi que era a hora de aparecer. Ele ficou mais desconfiado... Estou com medo. E eu só conseguia ver os olhos dele, então... Acho que ele também só via os meus, mais nada.

– Por que esta aqui? - ele perguntou com a voz fria

– Quero fazer uma conversa civilizada - disse levantando as mãos em sinal de rendição.

Ele ficou quieto. Bom... quem cala consente. Continuei.

– Meu nome é Lilian. Qual é o seu? - perguntei estendendo a mão, para uma apresentação amigável.

O divertimento tomou conta da expressão dele. Ele apertou minha mão.

– Sou Willian.

– Bom... Prazer, agora vamos conversar, sabe alguma coisa de mitologia grega.

O olhar dele estava divertido, bem melhor que aquela desconfiança.

– Θεοί, τιτάνες, Άρπυιες, Γοργόνες (deuses, titãs, harpias, Górgonas)... Preciso continuar?

– Não, já foi o suficiente. Tudo que você falou...

– Existe. - ele falou isso calmo, e eu fiquei atônita.

– Certo. Sabe sobre os semideuses? - ele me deu um olhar, tipo... 'preciso responder?'

– Tudo bem! Não responda. Bom... (Lily: não reclamem! eu exagero nos bons quando estou nervosa!) Eles também existem, e...

– Você também é uma? - puxa vida! ele não... espera ai! Ele perguntou também?? Ele já sabe, pelo visto.

– Sim, e eu e meus amigos queremos te levar para um...

– Acampamento.

Tive que engolir uma risada.

– Para de interromper, por favor. Sim, para um acampamento. Não fale nada, finja que você não sabe. - ele riu e concordou - lá nós recebemos treinamento, arco e flecha, e muito mais... Quer vir?

– Sim, mas onde fica o acampamento? - não entendi o olhar dele, mas, mesmo assim, respondi.

– Em Nova York, no estreito de...

– Long Island? - ele perguntou fazendo uma voz inocente.

Eu não aguentei mais e soltei uma gargalhada, ele me olhou com... reconhecimento, amizade e confiança. (autora: esqueceu alguma coisa.) (Lilian: esqueci?) (autora: esquece!)

– Vamos logo.

Ele me seguiu, quando saímos do beco que pude ver melhor ele. Suspirei, mas não deixei que ele notasse, ele é loiro igual aos filhos de Απόλλων (Apollo), mas tem os olhos castanhos igual aos filhos de Zéfiro. Eu senti... o coração bater mais forte, de repente eu percebi que devia ter caído na armadilha de Afrodite. Olhei para ele pelo canto do olho e uma coisa me surpreendeu!

ELE NÃO TEM NENHUMA AURA!!!! Nenhuma SOMBRA!! NADA!!! Não entendo! Eu segui a sombra da aura até ele! Mas cadê??!! UMA AURA OU A SOMBRA DELA NUNCA, NUNCA SOME DE REPENTE!!

Isso está ficando estranho... Comecei a andar um pouco mais na frente, mas ainda sentia os olhos dele em mim, acho que corei, isso está sendo muito, muito estranho. Olhei para trás e corei mais ainda, ele estava olhando para mim com um sorriso no rosto, isso me fez corar ainda mais, virei o rosto antes que ele percebesse.


POV: Will

Hoje o meu dia estava sendo... interessante. Aquela menina, a Lilian, é... diferente, tem algo que senti na presença dela que me fez lembrar algo mágico. Quando estávamos a caminho da van que prestei mais atenção nela. Ela tem a pele um pouco pálida e o cabelo escuro e os olhos verdes ficam ainda mais brilhantes no sol... o rosto dela é delicado como o de um anjo, simplesmente, ela é mágica!

***

Andamos por uns dez minutos até chegar na frente da van, quando estávamos bem próximos a porta abriu e uma menina saiu de dentro. Essa menina tinha a aparência bem atlética, cabelos curtos castanhos e olhos da mesma cor. Ela abraçou fortemente a Lilian e depois se virou para mim.

– Suponho que seja o futuro novo campista. - ela disse animada - Sou Helena filha de Hermes. Qual é seu nome e pai ou mãe olimpiano?

Ela disse isso tudo num só fôlego.

– Willian. - pausei por um segundo e dei de ombros- O resto não posso responder.

–Você já fez treze anos?

'Que pergunta estranha'

– Não, por quê? - ela me confundiu, por que ela perguntou se eu tenho treze anos?

– Explicado! Os deuses reclamam os filhos quando eles completam treze.

Lilian ficou com uma expressão curiosa e feliz.

– Que dia é o seu aniversário? - ela perguntou com uma ponta de esperança na voz.

'Ok, estou cada vez mais confuso'


POV: Helena

(Helena: obrigada por me deixar narrar nessa hora tão importante!!)

Bom, o meio sangue novo era bem... legal, parecia bem calmo com tudo isso, depois irei pedir mais detalhes para a Lily, o legal foi que uma lembrança voltou a tona, o sonho que ela teve!!!! A Lilian podia pensar que eu tinha esquecido aquele sonho!! Mas não! Aaahh, poderei irritar ela por muito, MUITO tempo!!!! HAHAHAHAHA!!!!!

(autora contendo o sorriso: isso que dá ser filha de Hermes!) (Helena: Não reclame! É uma maravilha!) (autora: mas a Lily ainda sabe de quem você gosta!) (helena murmurando: sabe? Puxa... Mas ainda assim eu vou irritar ela!!!!!) (autora: não vai falar pros leitores de quem você gosta???rsrsrsrsrs) (helena: isso é chato! eu sei que a Lily vai falar, então... para que falar agora? Vai ser repetitivo!)

Bom... Voltando!

– Que dia é o seu aniversário? - a Lily perguntou esperançosa ao Will

Ele ficou com uma cara confusa mas respondeu mesmo assim

– Vinte e um de junho, por que?

A Lilian fez uma cara decepcionada, ela nunca, NUNCA gostou de ser a única indeterminada. E dia 21 ia ser na próxima 6ª-feira. Então... Unicamente indeterminada em seis dias.

Perai... Ele disse 21 de Junho? Solstício de verão? A segunda data mais importante dos deuses se reunirem? Isso é muito coincidência para um só dia! A Lily faz 21 de Dezembro, solstício de inverno! A data mais importante dos deuses se reunirem!

'Os opostos se atraem' eu disse, mas, para eu sobreviver até o fim da história, não falei muito alto. Infelizmente, a Ly percebeu, e ela me mandou um olhar maligno (autora: você se esqueceu que ela sabe linguagem labial?) (helena: Sim!) (autora: rsrsrsrsr)

– Quem entrar por último é filho do Dionisio!!!!!! - gritei e entrei correndo na van.

(helena: ele não me escutou, não é?) (autora tendo um ataque de risadas: HAHAHA n-não. HAHAHAHAHAHA) Pouco depois os dois entraram.

As apresentações foram rápidas e simples, partimos logo para o AMS (autora: acampamento meio sangue para quem não sabe)

***

Os dois (Willian/Lilian) ficaram falando sobre coisas diversas até chegar no acampamento, o passado, os deuses, quais eles achavam mais legais, interessantes, e sobre os mais chatos, irritantes, etc.

O Percy parou na frente da colina, e todos descemos, o sol estava quase no meio do céu, ai que eu percebi que NINGUEM TINHA TOMADO CAFÉ DA MANHÃ!!!!! A ANNIE TA MORTA!!!!!!

– Annabeth Chase! A gente perdeu o café da manhã por sua culpa! - todos nós (eu, Ly e Percy), gritamos para ela.

– Não é minha culpa se vocês não lancharam antes de sair! - ela respondeu calmamente

– Você quer dizer: 'a culpa é minha pois eu os apressei muito e não dei nenhum tempo para vocês pensarem em comer.' - Lily disse.

– Tudo bem... - A Annie falou levantando as mãos em rendição - Estão quase servindo o almoço, por que você e a Helena não vão apresentar o Willian para o Quíron e o Sr. D?

Eu ia responder, só que ela e o Percy correram colina abaixo. Então nós não pudemos fazer nada. Andamos calmamente para a Casa Grande.

Quando chegamos lá, olha a novidade:

Quíron e o Sr. D estavam jogando pinochle!!!!! SUPER NOVIDADE!!!

– Meus queridos campistas, acharam mais um semideus hoje? Parabéns! Quatro em uma semana é muito bom.

Eu dou 1 milhão de dracmas se vocês acertarem quem falou isso!

Senhor D?

ou...

Quíron?

...

...

Coloquem a resposta nos Comentários!

EEEEEEEEEE foi o... (autora: EU AMO PAUSA DRAMÁTICA!!!!!)

Quíron! Que novidade!!!!!

O sr. D falou o seguinte:

– Mais um? Não podia ser menos um?

– Os modos Sr. D! - Quíron o repreendeu.

– Tudo bem! Heloise, Liliana, parabéns... blablabla e bem vindo menino 'sei lá qual o nome'.

– Qual o seu nome, garoto? - perguntou Quíron.

– Willian de Vega, Senhor. - Will respondeu alegre.


Continua...




Notas finais do capítulo

Bom... Quanto mais comentários melhor!!
:D



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "A Filha De Ártemis" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.