A Filha De Ártemis escrita por Carol C


Capítulo 17
Discussões





DESCULPA!!! DESCULPA MESMO GENTE! EU PROMETI QUE IA POSTAR NO DOMINGO (21) MAS NÃO DEU!!!

Eu ia acabar o cap nesse dia. Só que meu pai teve que usar o computador, e semana passada eu mal fiquei no computador, sem falar que fiquei doente! Me desculpa.

O próximo vai sair mais rápido! Antes do meu aniversário eu posto. (para os curiosos: meu aniversário é na última semana de maio/ primeira de junho)

Mas é sério! E estou achando que até dezembro a fic vai acabar.

Não acredito, mas... Vão ter mais duas temporadas! Mais dois anos me aguentando! (Ou mais)

Agora comecem a ler.

MAS ANTES!!!

Coloquem essa música e deixem carregando.

http://www.youtube.com/watch?v=Haqyrm9yirs

Coloquem para tocar quando a Lily for cantar.

POV: Kath

– Para Connor! - falei empurrando de leve seu peito

– Só mais um... Por favor...

– Não!

Ele me roubou um selinho e aprofundou. Paramos quando estávamos sem ar.

– Pronto! Chega! Assim vão pensar que você fez alguma coisa! - falei ma afastando dele

– Tudo bem. - ele deu uma pausa, e pude observar aqueles lindos olhos castanhos - Você fica linda com o cabelo bagunçado.

– Bobo. Vai logo! - empurrei ele

E ele foi na direção dos irmãos, enquanto eu tentava arrumar meu cabelo. Não é muito legal ficar beijando que nem desesperado.

Mas é muito bom... (autora: o que?) (Kath: NADA!)

– KATH!! - gritou uma voz atrás de mim

'Ótimo! Hoje é dia de procurar a Kath em seus momentos mais constrangedores!'

Me virei e vi Lilian correndo para mim com uma expressão chorosa.

– O que aconteceu?! - perguntei preocupada, ela se agarrou em mim e começou a chorar

– O Will chora muito? - perguntou

Enrijeci.

– Só quando acontece alguma coisa que abala ele muito. - falei pausadamente - Por que?

– Ele chorou... Eu ouvimos uma conversa da minha mãe, ele ouviu uma frase que eu não entendi, e começou a chorar!

– O que aconteceu depois? - perguntei me sentando no chão com ela ao meu lado

– Eu perguntei o que tinha acontecido, ele balançou a cabeça e saiu correndo. - ela soluçou - Fui atrás dele, mas ele gritou para eu não ir procurar ele...

– O que foi que você fez? - perguntei

– Nada!

– Você tem que ter feito alguma coisa! Ele não ficaria assim por nada!

– ME DESCULPA SE EU NÃO SEI NADA SOBRE ELE, OK!? - ela gritou irritada e se levantando

Franzi as sobrancelhas, nunca tinha visto a Lilian desse jeito. Me levantei e fui procurar Helen, mas antes acabei esbarrando com Theo e Clair.

– THEO! - quase caí, mas ele me segurou - Pode procurar o Will? Eu não sei onde ele tá!

– Ele deve estar com a Ly, não? - ele perguntou

– Não! Ela disse que viu ele chorando... Por favor Theo!!!

– Eu vou. Se cuida. - ele beijou o topo da minha cabeça e saiu correndo.

– O que foi? - Clair perguntou

– Tenta achar Afrodite e pergunta sobre o Will e a Ly, por favor.

Nem deixei ela responder, corri na direção que havia visto os filhos de Hermes.

– Helen! - chamei assim que vi os cabelos curtos ruivos

– O que foi Kath? - ela me questionou

– É normal a Ly ter...

– Uma mudança repentina de humor? Sim. Por que?! O que aconteceu!? Alguém brigou com ela?!

– EU ESTOU TENTANDO DESCOBRIR QUE COISA!

– NÃO PRECISA GRITAR!

– Obrigada pela ajuda. - falei sarcástica

Virei e saí.

POV: Helen

Depois que a Kath saiu daquele jeito eu me senti mal, não devia ter falado daquele jeito com ela.

– Connor! O que foi que aconteceu com a Kath!? - perguntei, ele e ela tem conversado bastante esses dias

– O que!? Aconteceu alguma coisa?!

– Não aconteceu nada!

– Então por que está me perguntando!?

– Por que eu queria ver se você sabia de alguma coisa!

– E eu to com cara de quem sabe de alguma coisa!?

– AH RAIOS! QUE CHATO!

– VOCÊ TAMBÉM ESTÁ IRRITANDO!

– VOCÊ NÃO ME AJUDA EM NADA!

– E VOCÊ NUNCA PRESTA ATENÇÃO NAS COISAS!

– E VOCÊ NUNCA...

– VOCÊ NUNCA FAZ COMIGO AS COISAS QUE EU FAÇO COM VOCÊ! NUNCA CUIDA DE MIM QUANDO PAREÇO MAL OU COISAS DO TIPO!

Me virei e saí correndo, ele tinha razão, mas o modo como ele falou me machucou.

POV: Clair

Como assim a Kath aparece do nada e só fala uma frase e eu perco o meu dia com o Theo!?

Tá certo que eles estão preocupados com o Will. Mas eu não sei qual é o problema dele chorar. Ninguém é de ferro.

"Ele pode estar traindo você com a Kath... Não percebeu?" falou uma voz na minha cabeça

Ele não pode fazer isso...

Saí correndo atrás do Theo, ele não podia estar fazendo isso!

Não encontrei ele em lugar nenhum do acampamento, ele deveria estar na floresta!

POV: Theo

Eu não conseguia achar o Will de maneira alguma! E estava extremamente preocupado caso ele fizesse alguma bobagem! Isso não poderia acontecer!

– Ok... Vamos pensar. - comecei a falar comigo mesmo - Ele não está no acampamento, já estou rodando por esta floresta faz mais de meia hora... Onde ele pode estar...

– Quer ajuda? - Juníper perguntou me assustando

– Por favor! Você viu o Will passando por aqui?

– Como ele é?

– Loiro. Mais baixo que eu e...

– Vi ele passando, ele foi para o norte, na nascente do rio.

– Obrigado! - agradeci e sai correndo

Agora é só achar onde fica o norte.

Olhei para meu relógio, meio dia.

Ok. Tentativa falha de saber onde é o norte essa hora.

Andei calmamente tentando ouvir o barulho de água corrente.

Depois de séculos, consegui! (autora: exagerado...) (Theo: nem sou) (autora: imagina se fosse...)

Segui o barulho e achei a nascente do rio. Era um filete de água que ia se espalhando pelas pedras, caindo em direção ao rio.

Olhei para frente e vi o William sentado em uma das pedras, observando a água cair.

Me aproximei silenciosamente, mas ele deve ter me visto. Quando estava do lado dele, ele suspirou.

– Por que as coisas não ficam do jeito que estão quando tudo está bem? - ele perguntou me olhando com os olhos vermelhos - Por que não podemos ficar com quem queremos se tudo está bem?

– Talvez porque não seja a hora certa. - falei me ajoelhando ao seu lado - Talvez você tenha que descobrir mais sobre essa pessoa.

– O quanto? - me questionou novamente

– O suficiente. - dei uma pausa - Você conheceu a Lily na semana passada, não deve ter descoberto tudo sobre ela, nem ela sobre você.

– Mas... - um soluço escapou pelos seus lábios - A mãe dela não quer que a gente fique juntos.

– Como assim?

Ele olhou para mim, abriu a boca para contar, porém logo fechou-a.

– Esquece. - falou suspirando

– O QUE VOCÊ ESTÁ FAZENDO AQUI!? - ouvi Clair gritando

Me virei achando que ela estava falando comigo, porém ela estava fora de vista.

– QUER SABER?! PERGUNTE PRO SEU NAMORADO QUE EU VOU FAZER O QUE VIM FAZER! - Kath gritou também e logo apareceu na orla da floresta - Vai lá falar com sua namoradinha, trevinho. - ela disse irritada

E devia estar muito! Ela nunca me chamou de trevinho. Só quando estava extremamente brava. Fui lá apreensivo.

– O que foi Clair?

– Por que você e a Kath estão no mesmo lugar, isolados? - ela perguntou fria, mas com mágoa no olhar.

– Eu e ela estávamos procurando o Will. Por que? - assim que falei ela começou a chorar desesperadamente

– Fala a verdade! Você gosta mesmo de mim ou era só uma aposta?

(Theo: fala sério!) (autora: digo o mesmo)

– Clair, eu te amo! Por que ia fazer isso? - perguntei claramente magoado, gostava dela desde os nove anos

– Você fica tão perto da Kath! E se dá tão bem com ela! E lembra daquele jogo que a gente fez? Você parecia que amava ela!

Assenti.

No ano passado a gente tinha combinado de fazer um jogo. E isso foi na festa do Will, tinha um monte de papéis e nós quatro estávamos sentados em círculo.

A Clair e o Will tiveram que fazer um dueto, o Will teve que se declarar para a Clair, e a Kath teve que fazer uma bananeira.

E eu?

Eu tive que beijar a pessoa que estava a minha esquerda.

E era a Kath.

– Você olhou pra ela com paixão nesse dia! - Claire disse

– PARA COM ISSO! Se eu amasse ela já teria falado! E nem teria te pedido em namoro! Por que duvida de mim!? Não confia em mim?

– Os dois podem parar de brigar por bobagem? - alguém perguntou se aproximando

Will parecia melhor, a Kath tem essa mágica com ele, e os dois estavam abraçados de lado.

– Clair, você tá acusando eles de uma bobagem! E está vendo coisas onde não estão. - ele deu uma pausa - Pare de se preocupar. - falou e saiu andando de mãos dadas com a Kath - Falando nisso. Você não pode impedir que o Theo tenha amigas.

POV: Lily

Eu estava deitada na areia, me perguntando por que a Kath ficou tão histérica quando falei do Will... Será que ela gosta dele?

Bom, se fosse com o Connor ou outro amigo meu eu também ficaria. Mas será que eles já tiveram algumas coisa?

Para de pensar nisso!

Me levantei e fui para o Chalé de Hécate, tinha que treinar mais.

No caminho vi Connor abraçado Lena e sussurrando com ela. Clair saiu chocada da floresta com o Theo, que parecia sem calma. E vi a Kath se aproximando.

– Desculpa por ter gritado com você mais cedo? - ela me perguntou

– Claro! Mas por que você ficou daquele jeito? - perguntei curiosa

– O Will não chora com facilidade, mas quando chora aconteceu algo muito ruim. E ele não é muito bom para lidar com notícias ruins. - ela deu uma pausa - Cadê o Connor? Você viu ele?

– Com a Helen na praia. - respondi pensativa

– Obrigada. Preciso muito falar com os dois.

Ela saiu correndo. Próxima do chalé acabei ouvindo uma conversa.

– Você deveria treina-la para combate! Não apenas os feitiços! Amanhã treinarei todos os feitiços com ela. E trate de procura-la agora! - era a voz de minha mãe

Will saiu do chalé e quando me viu abriu um sorriso que quase não cabia em seu rosto.

– Vamos treinar? - ele perguntou

– Vamos.

Nós apostamos uma corrida para ver quem chegava primeiro na campina. Acabou que ele me deixou vencer.

– Tem que ser justo! Você ia ganhar! - falei virando-me para ele

– Eu te amo. Adoro ver seu sorriso.

Abaixei a cabeça envergonhada, e ele deu um beijo no topo dela.

– Vamos.

Ele segurava a haste de uma lança. Sem a ponta.

– O que vamos fazer?

– Você vai treinar feitiços de combate. E depois eu vou te ajudar a treinar feitiços aleatórios que garantem a sua vitória contra alguns semideuses.

– Ok.

– Pegue suas facas.

Franzi as sobrancelhas.

– Vou lutar contra você?

– Óbvio.

– Will. Isso é impossível!

– Não é. Venha. - continuei parada

Ele me atacou com o bastão e comecei a me proteger com a faca, ele começou a me atacar cada vez mais rápido e ficava difícil de desviar.

Me agachei e passando a faca na frente para ele se afastar. Ele gemeu.

– Ai meus deuses! Deixa... - comecei vendo o que tinha acontecido

– Continua! - ele falou, voltando para cima de mim

Depois de vários minutos paramos. Eu acabei descobrindo dois feitiços que me ajudavam. Depois sentamos.

– Ai. - ele reclamou quando passou a mão no rosto

– Deixa eu cuidar disso. - eu tinha, sem querer, arranhado o rosto dele com a faca, mas ele não queria ajuda no momento.

Toquei no arranhão e sussurrei:

– επούλωση - em segundos se fechou

– Obrigada. - ele puxou uma grande quantidade de ar e voltou a se levantar

– Vamos treinar os feitiços.

– Tudo bem.

– Vamos começar pelos de... Poseidon

– Poseidon?! - perguntei confusa - Mas eles são quase impossíveis de...

– Quase. Já percebeu que um filho de Poseidon toma mais água do que qualquer outro? Sempre se mantém hidratado? E quando fica sem tomar líquido por muito tempo passa muito mal?

Minha boca se escancarou.

– O que tem que fazer?

– Desidratar.

– Só falar isso?

– Basicamente. - falou dando de ombros - Os para reverter são mais complicados.

– E você sabe outros?

– Tem vários. É só pedir o livro para a sua mãe. Ela me emprestou. - ele me mostrou o livro roxo fino - São poucos feitiços, mas de grande ajuda.

– Você disse que são só uma palavra.

– Os mais importantes são os reversos. - ele deu uma pausa e me observou curioso - Repita o que eu vou dizer, ok? Mas tem que falar segurando a minha mão.

Peguei na mão dele e ficamos nos encarando nos olhos. Não sei por que, mas achei que tinha visto um pouco de nervosismo nele.

– Ωχρότητα, πόνος και το κρύο. - ele disse, e repeti.

Ele perdeu o ar por alguns instantes, e foi ficando cada vez mais pálido,

– Will! - gritei quando ele caiu em meus braços fraco. - Will! Me fala que feitiço foi! Me ajuda! - foi quando eu percebi a bobagem que ele tinha me feito dizer 'Palidez, dor e frio' hipotermia! Nenhum filho de Apolo consegue ficar muito tempo acordado se estiver hipotérmico! - Por que me fez falar aquilo!? - sentei no chão colocando a cabeça dele em meu colo. Olhei para os lados e vi o livro jogado. Me estiquei para pegá-lo. - Por que fez isso comigo? - perguntei desesperada, ele estava com os olhos se fechando - Você não pode fechar os olhos!

Eu não conseguia achar naquele livro, não estava em ordem! Procurei e não achava de modo algum!

– AH MEUS DEUSES!! - falei desesperada, o olhei, ele estava ficando com a respiração fraca e já estava com os olhos fechados. - Não! Isso não vai acontecer comigo. - suspirei, coloquei a mão em seu peito e falei a primeira coisa que veio na minha cabeça - Ζεστασιά από το σώμα μου, το αίμα μου, το θερμαίνει και να το ζήσουν. (Calor do meu corpo, do meu sangue, aqueça-o e faça-o viver)

POV: Kath

Eu consegui me desculpar com a Helena e falar com o Connor, ele disse que eles e os meninos estavam preparando uma surpresa para a apresentação.

– Theo! - gritei quando o vi chutando as pedrinhas da arena - O que foi?

– A Clair! - ele reclamou - Não faz nem um dia que estamos namorando e ela já não confia em mim! - ele ficou triste - Isso me magoa.

– Ela passou por um momento de insegurança. Ela te ama faz anos, não acredita que realmente aconteceu. - ele levantou levemente o canto dos lábios

– Talvez...

Encarei os olhos dele, sempre verdes. Mas hoje mais claros, não pude evitar sorrir, ele sempre foi um irmão para mim. Muito irritante, fofo e lindo.

Admito. Ele é lindo. E quem discordar, é cego.

Na verdade. Até um cego saberia que ele é lindo.

Por que eles julgam as pessoas pelo interior, não pelo exterior.

Sorri e o abracei.

– Não liga. Ela vai melhorar. - sussurrei

– Espero. - disse me respondendo

– Vamos parar de pensar em coisas tristes. Vamos fazer alguma coisa.

Saímos correndo e ficamos assim até a hora da janta. Arrumando coisas para nos distrair.

– Cadê o Will? Não vejo ele desde manhã. - perguntei para Theo quando estávamos jogando as oferendas.

– Nem eu. - respondeu

A mesa de Hécate estava apenas com a deusa, e ela logo se mostrou preocupada.

Quando voltei para a mesa voltei a observa-la, ela parecia mais calma. Então supus que estivessem bem.

Passou mais de meia hora até o jantar acabar, estávamos nos preparando para a apresentação na fogueira. Quando percebi que já eram oito e meia e nem a Lilian nem o Will tinham aparecido.

– CADÊ ELES!? - Theo gritou desesperado

– E eu achando que era a mais calma... - sussurrei - FICA CALMO THEO!

(autora: calma?) (Kath: sim) (autora: em que mundo?)

– Cadê a Lily? - perguntou Helena enquanto andava de um lado para o outro

– Eu quero saber onde está o Will!

– Fiquem calmos. A gente tá aqui. - uma voz falou atrás da gente

Virei, pronta para começar a questionar ele, mas... Nem tudo sai como planejado.

– WILLIAN JAMES DE VEGA! ONDE VOCÊ SE METEU CRIATURA?! VOCÊ TEM IDEIA DO QUANTO A GENTE FICOU PREOCUPADO!? VOCÊ SABIA QUE NÓS QUASE MORREMOS DE PREOCUPAÇÃO!? E ONDE VOCÊ ESTAVA!? VOCÊ ESTÁ MAIS PÁLIDO QUE UM FANTASMA! DIGA NESSE INSTANTE O QUE ACONTECEU! COMO E ONDE! TEMUM MINUTO!

– Eu fui para a floresta para treinar com a Ly - disse enquanto abraçava a mesma - E...

– Ele pediu para eu fazer um feitiço que faz os semideuses de um determinado deus enfraquecer. E ele me fez falar o de hipotermia. E eu tava desesperada, falei o primeiro feitiço que me veio a cabeça para reverter. Só que eu desmaiei depois. E quando eu acordei ele ainda estava fraco e nós não tínhamos comido nada desde antes do almoço. Então comemos algumas frutas e outras coisas que tinham lá. E voltamos devagar. Por isso a demora.

Olhei de um para o outro, analisando cada um. O Will estava pálido e estava se apoiando nela, ela também estava um pouco pálida, mas estava mais rosada que ele.

– Aceito as desculpas. MAS WILLIAN NUNCA MAIS FAÇA ISSO!!

– Tudo bem Katherine.

POV: Hécate

(autora: SIM!!! A DEUSA VAI NARRAR!!! SENÃO ELA VAI ME MATAR!!!) (Hécate: e vou mesmo) (autora: *saindo de fininho*) (hécate: VOLTE AQUI!) (autora: vamos rezar para que eu sobreviva)

Já estava sentada esperando as apresentações começarem, havia avisado ao garoto que ele não poderia sair da linha, senão haveria uma punição. E não seria singela.

– BOA NOITE PARA TODOS! - gritou Apolo do palco - Agora vamos ter as apresentações de nossos queridos campistas! - ele deu uma leve pausa - E a primeira será... CLAIRE YOUNG!! Palmas para ela!

A garota apareceu sorridente. Pegou o microfone e sorriu para a plateia.

– Eu vou cantar uma música que mostra tudo o que estou sentindo, com as coisas que aconteceram nos últimos dias.

Revirei os olhos, previsível.

– Close your eyes, give me your hand, darling

Do you feel my heart beating?

Do you understand?

Do you feel the same?

Or am i only dreaming?

Is this burning? An eternal flame

I believe it's meant to be, darling

I watch when you are sleeping

You belong with me

Do you feel the same?

Am I only dreaming?

Is this burning? An eternal flame

Say my name the sun shines through the rain

A whole life so lonely

And then you come and ease the pain

I don't want to lose this feeling

Oh, oh

Assim que ela acabou de cantar todos aplaudiram. Ela agradeceu e saiu.

– Maravilhosa! E super linda. Agora vamos chamar ao palco mais algumas pessoas.

Tiveram várias apresentações, mas não prestei atenção. Apenas fiquei atenta quando minha filha foi chamada ao palco.

– Eu vou cantar uma música, mas vou precisar de ajuda. - ela disse segurando o microfone e passando a mão no cabelo, nervosa.

O garoto se postou ao lado dela, segurando um violão. Ele também estava com um microfone.

– I thought I saw a man brought to life

He was warm he came around

Like he was dignified

He showed me what it was to cry

Well you couldn't be that man I adored

You don't seem to know or seem to care

What your heart is for

I don't know him anymore

There's nothing where he used to lie

My conversation has run dry

That's what's going on

Nothing's fine

I'm torn

I'm all out of faith

This is how I feel

I'm cold and I am shamed

Lying naked on the floor

Illusion never changed

Into something real

I'm wide awake and I can see

The perfect sky is torn

You're a little late

I'm already torn

So I guess the fortune teller's right

I should have seen just what was there

And not some Holy light

But you crawled beneath my veins

And now I don't care, I have no luck

I don't miss it all that much

There's just so many things

That I can't touch

I'm torn

I'm all out of faith

This is how I feel

I'm cold and I am shamed

Lying naked on the floor

Illusion never changed

Into something real

I'm wide awake and I can see

The perfect sky is torn

You're a little late

I'm already torn

Torn

Ohh, ooh...

There's nothing where he used to lie

My inspiration has run dry

That's what's goin' on

Nothing's right I'm torn

I'm all out of faith

This is how I feel

I'm cold and I am shamed

Lying naked on the floor

Illusion never changed

Into something real

I'm wide awake and I can see

The perfect sky is torn

I'm all out of faith

This is how I feel

I'm cold and I am shamed

bound and broken on the floor

You're a little late

I'm already torn

Torn

No final ela estava com lágrimas escorrendo pelo rosto, não entendi o motivo. Por que ela estaria assim?

William passou o braço pela cintura dela e beijou o topo de sua cabeça.

Ela se virou e beijou ele.

Meus músculos se contraíram involuntariamente. Olhei para Ártemis pelo canto do olho, ela estava do mesmo modo.

'Está nos desafiando.', mandei este pensamento para o garoto

'Sei disso.' me respondeu.


EEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEENTÃO?

Querem me matar né?

A música da Clair foi a Eternal Flame da Candice Accola, só de curiosidade.





Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "A Filha De Ártemis" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.