A Filha De Ártemis escrita por Carol C


Capítulo 11
Músicas, Apaixonados e Reconhecidos - p2 - 1/2





POV: Kath

No final, a pose foi igual a do filme, mas teve uma coisa diferente.Eles não se separaram e agradeceram. Eles pareciam hipnotizados, se eu posso dizer isso. Ele estava chegando mais perto dela, ela também dele e...

************************************************************************


Um rapaz, de dezenove anos loiro de olhos azuis, do nada, apareceu atrás deles e gritou:

– Oi, gente que me adora!!!!

Tanto o Will quanto a Ly pularam de susto para lados opostos. Eu percebi que os dois estavam um pouco ruborizados, mas, por conta do que eles estavam quase fazendo, fazia todo o sentido. Vi que o chalé de Aphrodite estava um pouco agitado, cheguei mais perto. A pequena Lacy estava falando algo, que logo detectei como sendo um perigo.

– Senhor Apolo! Você estragou todo... - ela não pode continuar. Eu tinha saltado para o lado dela e segurado-a, tapando a boca dela com a mão.

– Se você falar alguma coisa os dois vão ficar mais envergonhados, se isso acontecer, eles podem ficar sem se falar por muito tempo, é ai que não vai ter romance! Por favor fica quietinha? - sussurrei com raiva no ouvido dela.

Ela assentiu. Eu me levantei e fui para o meu lugar. O garoto que interrompeu estava me olhando surpreso, nem liguei, logo já estava sentada no meu lugar.


POV: Will

Como isso podia estar acontecendo? Eu quase beijei a Ly? Isso tá certo? Eu to confuso... Conheci ela hoje! Como é que isso pode já estar acontecendo?!

'É o amor, meu caro!' disse alguém na minha cabeça.

'Aphrodite procura outro pra irritar!'

'Estava tentando ajudar.'

'Não ajudou! Pode ir embora?'

Eu não sei por que, mas assim que vi aquele garoto fiquei um pouco irritado.

– Senhor Apolo, o que nos dá a honra de tê-lo aqui conosco hoje? - a Ly perguntou isso, com um sorriso forçado, pareceu que ela queria dizer outra coisa.

Espera aí! Aquele garoto de dezenove anos é o deus do Sol? Não pode ser!

– Gostei da apresentação de vocês, e vim aqui dar um aviso. Como vocês sabem - disse ele andando pelo palco - Daqui uma semana estaremos todos os deuses aqui para conviver um pouco mais com nossos filhos. Eu pensei em fazer uma apresentação, e os outro concordaram. Então selecionamos alguns semideuses que gostaríamos que se apresentassem nesse dia. Todos foram escolhidos por votação dos deuses.

Apareceu um homem de cabelos encaracolados escuros e olhos castanhos apareceu do nada atrás do Apolo.

– Votação? Você falou o nome dos garotos nem deixou nós pensarmos e já veio para cá! E depois você diz que foi votação!

– Fica quieto Zéfiro! Deixa eu chamar os garotos!

Ele pegou uma lista e começou a falar.

– Aquela garota bem bonita, linda demais, filha de Ares.

– Apolo, - disse Zéfiro com uma cara 'ele é muito bobo' - Ela é filha de Deméter.

– Não, é de Ares, você não viu como ela lutou?

– Vi, mas ela é filha de Deméter!

– Mas...

– Fala a música que ela cantou e vamos saber quem ela é! - interrompeu a Ly, que já estava irritada..

– Ela estava cantando, hoje, uma música da Katy Perry! - os dois disseram juntos. - E foi aquela ali! - terminou Zéfiro apontando para a Kath.

Ela arregalou os olhos.

– Exatamente, caro Zéfiro, foi essa filha de Ares!

– Deméter!!!! - disseram Zéfiro e Kath juntos. Ela estava com um olhar ultrajado.

– Ahh... É Deméter? Desculpa se te insultei, para compensar que tal sairmos um dia desses? - Apolo disse piscando pra ela.

–Claro que não seu egocêntrico!!!!

Todos riram com as palavras dela, e Apolo ficou emburrado.

– Olha eu quero que você escolha um dessas músicas para cantar no sábado. - ele estalou os dedos e um papel apareceu na frente dela.

Ela pegou-o e leu rapidamente.

– Você quer que eu cante uma dessas? Você está louco! - ela reclamou.

– Não estou! E você vai cantar uma dessas sim!

Ela balançou a cabeça indignada.

– E... Você menininha filha de Hermes. - ele disse apontando para a Helena.

– Mas eu nem cantei hoje!

– Eu já te vi cantando, isso que importa! E... Quem mais?

– Você não falou que ia convidar aquele que cantou... - começou Zéfiro

– Isso! O quinteto! Aqueles que cantaram a música daquela banda inglesa. - não acredito que ele nos chamou, só pode ser azar em dobro!! - E... Você vai cantar com ela - ele apontou para mim e logo pra Ly. Azar triplo! - Gostei da junção das duas vozes. E, menina, você pode cantar uma solo. - ele disse pra Ly.

Na minha frente apareceu um papel menor que o da Kath! Estava escrito:

"Em grupo: Escolham a melhor que pensarem.

Aqui algumas sugestões:

Kids in America

That Heart Never Lies.

Com a Garota: pensem em alguma"

Ótimo, simplesmente ótimo! Esse cara não pensa em música boa.

'Concordo!' disse Zéfiro na minha cabeça.

– A última vez que você deu a sua opinião levou um fora. - disse Zéfiro.

– Isso foi a treze anos! E eu nem abri a boca! A culpa foi toda sua!

– Mas um fora é sempre um fora.

– Você Apolo, quem falam que é o deus mais bonito e namorador do Olimpo, levou um fora? - a Ly perguntou.

– Ele levou um fora da namorada!

– Que me trocou por esse ser! - Apolo disse apontando para Zéfiro.

– Ahh... Foi tão legal aquele dia, ela te disse várias verdades.

– Nem ouse dizê-las aqui!

– Sábado eu digo, agora temos que ir, tchau gente!

Os dois sumiram e todos ficaram em silêncio.

– Campistas hora de recolher! Vão para os chalés agora! - gritou Quíron

Todos saíram, quando estava quase do lado de fora a Kath me puxou.

– Eu não quero ficar sozinha, vamos conversar só um pouquinho, por favor...

– Tudo bem. Que música que ele te passou?

– Ke$ha, Lady Gaga, Katy Perry, Cristinha Aguilera, Britney Spears, Pink, entre outras. Ele exagerou! E colocou um aviso em um monte de música dizendo que eu teria que dançar com a roupa do vídeo! Essa foi a pior parte!!!!

– O que?! Roupa do vídeo?? Ele tá louco! Ele quer parar no hospital! Você mesma disse que amava as músicas e nunca usaria aquelas roupas!

– Exatamente! Mas... Mudando de completamente de assunto, eu posso ajudar vocês e os garotos a ensaiarem?

Revirei os olhos.

– Se eu disser não, não vai adiantar, certo? - ela acenou confirmando - Então sim.

– Eba!!!!! - ela disse pulando no meu pescoço

– Calma! Senão você me mata! - ela soltou do meu pescoço e eu passei a mão ali.

– Eu não apertei tão forte pra você estar fazendo isso!

– Foi forte o suficiente para isso.

Ela me observou por um momento com uma expressão pensativa.

– Faz cara de bobo. - ela pediu. - Tudo bem agora franze as sobrancelhas.

– Por que você está pedindo isso?

– Foi a primeira reação assim que você ouviu o que eu pedi. É... Eu tenho, agora, duas opções para quem pode ser o seu pai.

– Por que você acha isso?

– Sua cara de desentendido lembra a do Apolo. - me diga que isso não é verdade - Mas você também parece bastante com o Zéfiro, quando faz aquela cara 'Por que você está fazendo essa coisa boba?!'

– Você está dizendo que eu posso ser filho de um dos dois?!

Ela deu de ombros.

–Não tem por que não. E, admita, vocês se parecem! - eu não disse nada. - Tudo bem, você pode não perceber, mas eu percebo. Mudando de novo de assunto, quando você estava pensando em me contar que está apaixonado?

Ri.

– Sinceramente, não sei!

– Eu estou com muita raiva do Apolo! Vendo vocês, parecia que no mundo inteiro, naquele momento só tinham vocês! Foi diferente, e você parecia hipnotizado!

– Eu estava. - disse me lembrando daqueles lindos olhos azuis da Ly, na verdade, verdes ou azuis, os dois são lindos!

– Nem precisava confirmar! Aposto que se Apolo esbarrar com Aphrodite hoje, ele não sai sem o olho roxo!

Nós dois gargalhamos muito com isso.

– Vai lá Romeu! A Julieta está te chamando! - ela disse apontando para o chalé onze.

– Até amanhã!

– Até apaixonado!

– Eu não me esqueci dos seus olhares que você lançava para o Connor durante o show! - eu disse e ela ficou ultra vermelha. Ponto extra pra mim por causa disso!

– Não fala nada que eu não falo nada!

– Tudo bem!

Corri até o chalé.

– Demorou! A pegadinha vai ser em meia hora! - disse a Ly me olhando. - Precisamos ajudar o Leo a trazer as coisas para cá!

– Para cá?! - perguntei confuso e ela revirou os olhos.

– Olha,eu pedi isso pra ele. Ele aceitou na boa, você sabe o por que de eu querer ele aqui, não é?

Ela deu um sorriso. E revirei os olhos.

– Claro, não é? Você vai dar uma de cupido?

– Nem preciso! Os dois vão se resolver com ou sem a minha ajuda. Mas comigo fica mais rápido!

Sorrimos e entramos no chalé. Connor, Travis, Helena, Leo e mais uns cinco filhos de Hermes estavam sentados no chão e nos beliches.

– Ei! Ly, vem vamos relembrar o plano! - disse a Lena

Sentei do lado da Ly, e ela do lado da Helena.

– Você foi mais rápida pra ajudar ele. - ela sussurrou pra Lena, acabei ouvindo.

A Helena ficou um pouco vermelha, mas não tanto.

– Bem, o plano é o seguinte pessoas! - começou Leo. - Eu, pouco depois de acabar o jantar fui correndo arrumar as coisas no chalé de Athena! Eu fiz uma tranca, que só eu posso abrir, para tornar a pegadinha mais divertida. A maior aranha, que vai começar a bagunça, está no beliche da Annie. As outras miúdas estão espalhadas pelo chalé! As aranhas vão ficar se mexendo pelo tempo que eu quiser. E eu coloquei câmeras nos olhos das aranhas, e o controle transfere as imagens pro computador, que salva tudo!

Esse garoto é inteligente. Olhei para Ly, ela estava com um sorriso travesso no rosto. Fiquei olhando pra ela, até perdi o final da explicação, só desviei os olhos dela quando ouvi:

– E a pegadinha começa em... 3... 2... 1... 0!

Tinha um tablet no chão, de onde que isso surgiu? (autora: você estava perdido vendo a Ly e não percebeu) Já entendi... Lá estava mostrando a visão de várias câmeras. Uma começou a se mover. Logo apareceu a Annie enrolada nas cobertas. A câmera estava chegando perto do rosto dela quando duas pernas de aranha apareceram e fizeram cosquinha no nariz dela. Ela se mexeu, e as pernas da aranha se mexeram mais. Até que ela abriu os olhos olhou diretamente para a câmera. Eu nunca tinha visto um olhar de pânico igual aquele!

– AAAAAAAAAAAAHHHHHHHHHHH!!!!!

Não sei se o som saiu do tablet ou se foi o grito dela do chalé, acho que foi os dois, todos colocaram as mãos nos ouvidos. E as outras câmeras estavam se mexendo, logo os gritos estavam tão altos que não dava para aguentar mais! E no visor só apareciam filhos e filhas de Athena correndo feito loucos.

– Vou abrir a porta, assim, talvez, eles não nos deixem surdos. - falou Leo clicando e um dos botões.

A porta do chalé abriu e um monte de crianças e adolescentes saíram correndo feito loucas. Logo a porta do nosso chalé se abriu.

– Pegadinha essa hora da noite Connor? - Quíron falou balançando a cabeça.

Connor deu de ombros.

– A ideia não foi minha, certo Lily? - ela riu com o comentário nada discreto.

– Desculpe, Quíron, mas dessa vez a culpa foi minha.

Ele revirou os olhos.

– Como é a primeira vez que você faz isso tudo bem, mas que não se repita.

Ela assentiu, logo tudo já estava calmo, Leo tinha voltado para o chalé 9 e os outro já estavam em seus beliches. Estava encarando o teto, sem sono, quando ouvi um barulho, imaginei que não fosse nada. Fechei os olhos por um instante e ouvi passos rápidos. Sentei e olhei para a janela do meu lado, vi uma silhueta indo para floresta. Já estava sem sono mesmo então desci do beliche e olhei para a cama da Ly. Esta estava vazia. Devia ser ela que foi para a floresta.

Saí do chalé e corri atrás dela. Eu não tinha visto que direção ela tinha tomado, mas supus que ela foi para a mesma clareira de hoje de manhã. Quando cheguei observei um pouco do meio das árvores. Ela estava deitada na grama de olhos fechados. Eu já sabia que ela era diferente, mas mais agora do que antes, ela parecia mágica. Me aproximei dela e perguntei:

– Posso deitar aqui?

Ela abriu o olhos surpresa, permitindo-me ver aqueles olhos azuis escuros e brilhantes como a noite. Ela sorriu.

– Claro.

Me deitei e fiquei olhando por um tempo, e esse tempo os olhares foram correspondidos.

– Como você soube onde eu estava?

– Fiquei sem sono e te ouvi saindo.

Ela revirou os olhos.

– E então... Hoje na fogueira... O que achou do Apolo? - tive que rir quando ela me perguntou.

– Ele age como criança! - falei pensando naquela hora.

– Eu prefiro o Zéfiro, na minha opinião, ele é mais responsável. E não é tão namorador quanto Apolo. Esse é um dos motivos que gosto dele. Outro motivo é que ele é simpático.

– Concordo com você.

Ela suspirou e olhou de novo para o céu. Ela deu uma risada e falou:

– Bom... Já que você não se assustou com minha 'dupla aparência', acho que posso te mostrar isso.

– Mostrar o que? - me apoiei em um dos cotovelos, enquanto olhava-a.

– É uma coisa que acontece com frequência quando alguém me irrita e eu venho pensar. - ela disse se sentando.

– Fala.

– Olha para a lua. - eu olhei, não vi nada demais. - Ela está cheia, certo?

Cheia, com certeza, estava completamente redonda e brilhante.

– Olhe e não desvie os olhos. - ela me pediu.

Fiquei olhando para a lua por uns segundos nada aconteceu, mas logo a lua começou a escurecer, ficando minguante.

– O que...

– Fica quieto, por favor. - ela disse antes que eu terminasse.

Logo a lua estava interia negra, tinha virado uma Lua nova. Olhei para a Ly assustado, bom... Mais impressionado do que assustado. Ela estava com a respiração pesada. Pouco depois ela soltou o ar e virou a cabeça. Olhei para a lua novamente e ela estava cheia, de novo.

– Como você faz isso? - perguntei.

Ela deu um meio sorriso, visivelmente cansada.

– Nem eu sei. - ela abriu os olhos e me encarou. - Normalmente eu faço isso quando estou irritada. Mas, é uma coisa legal pra se treinar, teve uma vez que era lua nova e eu fiz ela ficar cheia.

– E isso te deixa cansada. - falei.

– Está tão óbvio assim? - ela perguntou rindo.

– Sei que é bobo, mas...

– O que é bobo e por que do mas? - ela falou se apoiando no cotovelo.

– Todo mundo te chama de Ly ou Lily, não é?

– Certo, o que tem?

– É que eu queria te chamar de outro jeito. - os olhos dela brilharam como estrelas.

– Então como vai me chamar, Will?

– To pensando... - falei me apoiando nos cotovelos.

– Então eu vou pensar também, assim é mais justo, não é?

– Não precisa...

– É Will fica mais fácil, só confundo muito com o filho de Apolo. - eu ri.

– Lua, então, me diga qual pensou? - perguntei rápido

Ela arregalou os olhos de um jeito fofo.

– Você me chamou como? - foi ai que eu percebi que tinha dito 'Lua' invés de Lily.

– Lua, é um bom apelido. - falei, pensando sobre.

– É, mas por que lua?

– Porque de noite você brilha mais que ela e é mais bonita.

Ela abriu um sorriso enorme, mas com um pouco de tristeza.

– Obrigada...- ela deu um bocejo e se sentou. - Acho que está na hora de ir... Esse seu relógio mostra as horas?

– Sim. São onze e meia.

– Puxa vida! Vamos ter que ficar, pelo menos 15 minutos. - ela falou irritada.

– Por que?

– As harpias passam nessa hora no chalé 11.

Me sentei, e me aproximei dela. Ela colocou as mãos na cabeça.

– Está tudo bem? - perguntei preocupado

– Tontura. E cansaço.

– Vem cá.

Passei o braço nas costas dela e puxei ela pro meu colo. Ela apoiou a cabeça no meu ombro.

– To com sono... - ela falou afundando mais a cabeça.

Comecei a cantarolar uma cantiga de ninar em espanhol (autora: são sempre fofas...). Quando olhei para baixo de novo ela já estava dormindo. Eu fiquei um tempo vendo ela dormir, ela estava muito fofa. Olhei no relógio/arco e já eram dez pra meia noite. Estava com pena de acorda-la, então levantei, um pouco cambaleando, mas consegui e fui para o chalé com a Ly... Lua no colo. Quando cheguei coloquei ela na cama e fui para a minha. Pouco depois dormi.

***

No sonho, estava num parque. Eu... me lembrava vagamente dele. Comecei a andar por ele logo eu vi a minha mãe. Isso ao invés de sonho era lembrança. Ufa, nos últimos dias a κυρία Εκάτη (Lady Hécate) tinha me 'assombrado' com tantos sonhos.

Minha mãe estava segurando minha mão. (isso é estranho de falar) E indo na direção de um banco. Lembrei, foi naquela vez que a minha mãe teve que fazer uma apresentação em Paris, quando eu tinha quatro anos... Quanto tempo... Ela estava indo na direção de um banco, quando chegou nele, ela me pegou no colo e sentou. Logo um homem apareceu. Ele tinha o cabelo curto castanho, e olhos claros, azuis, alto e não parecia ser muito mais velho que a minha mãe. (que aí tinha 24 anos).

– Oi, Lag! Faz tanto tempo, mas mesmo assim está linda. Na verdade, linda como sempre.

– Faz muito tempo mesmo, e você também não mudou muito Dylan.

Ele revirou os olhos. E parou em mim. Eu que estou sentado no colo da minha mãe! (que confusão! por que nós temos sonhos assim?)

– Então esse é o pequeno que você falou?

– Meu bebê. E a sua? Você a trouxe?

– Ela já está brincando, não muito longe daqui.

– Will? Não quer ir brincar com ela? Ela está sozinha... - minha mãe me perguntou.

Eu pequeno assenti e sai correndo. E eu me segui. Logo chegamos num lugar que tinha uma menininha muito fofa brincando. Ela olhou pra mim e sorriu.

– Qual é o seu nome?

– Will. E você?

– Lily. Quer brincar?

– Quero.

Saímos correndo pelo bosquezinho. Eu (eu mesmo, o ser narrando) sentei num banco. Observei eles por uns instantes e olhei para o lado, tinha uma mulher com vestido roxo. Olhei de novo para eles. Espera... Eu disse mulher com vestido roxo? Olhei de novo. Tinha uma mulher com vestido roxo do meu lado me olhando. Eu pulei de susto.

– Lady Hécate! Que susto. - falei ofegante. Depois vocês dizem que ela não me assombra.

– Desculpe, Will. Mas preciso falar com você.

– Você diz isso todo o sonho.

Ela revirou os olhos.

– Nos últimos eu só disse coisas para você não se perder.

Dei de ombros.

– Isso é importante! - ela disse num tom sério

– O que é?

– Quantos filhos de Hécate tem no acampamento?

– Eu não vi nenhum...

– Por isso mesmo que eu quero que você preste atenção.

Eu já disse que a Hécate dá muito medo as vezes?

– Estou prestando.

– Olha, minha filha logo estará no acampamento. Eu quero que você ajude-a a treinar os feitiços! Todos o que você conseguir ensinar! Eu preciso que você faça isso. Promete?

– Prometo, mas como eu vou ler...

– Eles estão em grego antigo.

– Por que você...

– Você tem mais afinidade com a magia e o grego que os outros meio sangues. Também tenho uma afinidade maior com a sua mãe.

Afinidade com a minha mãe?! Isso é estranho... Mas tudo bem, não é?

– Jure pelo rio Estige que vai treina-la!

– Eu juro pelo rio Estige. - juramento de morte... Muito preocupante.

– Agora, preste atenção na lembrança, que você está sonhando com ela, justamente para relembrar.

E foi isso a Hécate sumiu do nada. Eu voltei a observar eu e a menina, eles estavam correndo.

– Lua... Para... Por favor... Cansei. - eu falei sentando no chão.

Lua?! Eu chamei ela de lua?! Eu chamei a Lily hoje... Espera... Deixa eu prestar atenção agora, está profundamente interessante. Ela veio e se sentou na 'minha' frente.

– Por que você me chamou de lua?

Isso é coincidência demais! A criança, a Lily do sonho, tem cabelos castanhos escuros, olhos verdes, pele bem clara, e parece uma fada.

– Você é pálida igual a lua, só que é mais viva, e muito mais bonita.

Puxa, eu já falava coisa assim pra ela? É, agora tenho certeza que é a Ly. Ouvi minha mãe me chamar.

– Já volto.

E saí correndo. EU! Aqui, falando com vocês, fui ver a Ly mais de perto, sentei do lado dela, como é um sonho eu acho que ela não me vê, estou certo, não? Ela estava sentada no chão. Mas logo olhou na minha direção, para mim. Ela fez uma cara estranha, mas logo seu de ombros.

Eu fiquei surpreso e curioso. Ela veio sentou na minha frente e olhou nos meus olhos. Se aproximou e colocou a mão em cima da minha que estava na grama. Eu achei que ela ia passar direto, mas não, ela me tocou, eu estava sentindo a mão pequena em cima da minha.

– Ele vai voltar? - ela perguntou olhando nos meus olhos.

Ela estava falando de mim, pequeno.

– Sim, ele vai. Ele sempre vai voltar pra você La Luna Bella. - pode ser italiano, mas nesse caso fica melhor que o espanhol.

Ela sorriu e se levantou. Olhou para o lado e eu cheguei. Eu, euzinho aqui que está narrando, me levantei e fui na direção que estava a minha mãe e o pai da Ly.

– E então? Como está a vida de solteira? - ouvi Dylan perguntar pra ela na hora em que eu cheguei.

– Não estou solteira. Nunca estive. - ela respondeu.

Ele fez uma cara confusa.

– Você falou que terminou com o pai do menino quando descobriu que estava grávida.

Espera aí! Disso eu não sabia.

– Terminei. Mas alguns meses antes do Will nascer encontrei o Eric de novo.

Quem é essa criatura? Não liguem eu tenho ciúmes da minha mãe e admito.

– Você e ele? De novo?

– Eu te disse: com a distância se perde o contato, não o amor.

– Pior que é verdade. Mas como ficou? O pai do Willian não arrumou briga quando ele nasceu?

– Não. Na certidão do Will o pai está como sendo o Eric, não deixaria tão fácil assim pro Paul.

O que é isso minha gente?! Eu tenho um pai, esse pai não está como sendo meu pai na documentação. Minha mãe está namorando fazem treze anos e eu não sabia. Que sonho/realidade louca é essa que eu estou/vivo?

– Você sempre arranja um modo de sair. Mas quando você disse que o Will é filho do Paul eu fiquei surpreso.

– Por que?

– O Will se parece com o Eric.

Minha mãe deu um meio sorriso e o sonho acabou.

***

Acordei assustado. Muitas coisas estranhas acontecendo na mesma noite.

1º- Eu estou sendo assombrado por uma deusa (isso é fato)

2º- Eu já conhecia a Lily.

3º- Eu falei com a Lily no sonho, mas se é uma visão do passado isso já era pra ter acontecido.

4º- Descobri que minha mãe está namorando a treze anos e eu não sabia.

5º- Descobri que eu sou parecido com o namorado da minha mãe e com o meu pai.

6º- Não tem sexto.

Muitas coisas estranhas para só uma noite. Olhei para o lado. Estava amanhecendo. 'Pulei' para o chão sem fazer barulho. Olhei a cama da Ly. O cabelo dela estava roxo. Roxo?! Quando muda de cor não é prateado? Tudo bem... Deve ser diferente por causa do Dia para Noite e vice-versa.

Saí do chalé para dar uma volta, vai demorar, pelo menos, três horas para tocar o sinal do café.


POV: Lily.

Acordei, me lembrando da noite anterior, tinha acontecido várias coisas. Quando abri os olhos encarei a parte debaixo do beliche de cima. Como que eu vim para o chalé? Eu não me lembro de ter vindo a pé... E teleporte é uma coisa estranha que eu não sei fazer. Mas... Ele é bom demais... Não acredito que ele me trouxe no colo. Sorri, ontem foi só o apelido que ele me deu que me deixou um pouco triste.

Lua... Eu ainda lembrava do garoto loirinho que tinha me dado esse apelido. Por que nós não esquecemos o primeiro amor? Isso é injusto. E ainda mais, quando eu lembrava dele, lembrava da voz que eu tinha ouvido, não lembro de quem, me chamando de 'La Luna Bella', e dizendo que ele sempre ia voltar pra mim. Mentira. Nunca voltou.

Me levantei e vi uma Helena preguiçosa me observando.

– Acordou?

– Não... Abri os olhos, mas ainda durmo. - ela respondeu puxando as cobertas para cima do rosto.

Me espreguicei, vi no relógio que eram já oito horas. Acordei cedo para um domingo.

Fui no banheiro me arrumei e saí. Quando fiz isso Helen já estava de pé.

– Você viu que o Will já saiu? - ela me perguntou.

Eu olhei para a cama dele. E estava arrumada, eu não tinha percebido isso antes.

– Você sabe quando ele saiu?

– Antes de você acordar a cama dele já estava assim.

Saímos do chalé, faltavam 15 minutos para as oito e quarenta e cinco. Então seia melhor já ir andando. Saímos e ela começou a me fazer todo o tipo de pergunta sobre ontem.

– O que foi aquilo depois de você e o Will cantarem? Eu sei que você está apaixonada, mas você o conheceu ontem! E quase o beijou na frente de todo o acampamento!

Senti meu rosto esquentar.

– Então? Vai me responder?

– Eu gosto dele!

– Gostar não faria você quase o beija-lo no primeiro dia.

Revirei os olhos.

– E ontem... Você saiu de noite de novo! Eu falei para você não fazer mais isso! Você fazia isso um monte de vezes e...

– Eu estava cansada!! Quer parar?

– Um monstro poderia ter te encontrado! Ou até mesmo as harpias!

– Eu fui para a clareira e monstro nenhum aparece lá.

– O que você fez ontem? Você quando está cansada fica quinze minutos e volta.

– O Will foi também.

Ela fez uma cara surpresa.

– Quer dizer que você convida ele para um passeio noturno e eu não?!

– Eu não convidei ele! Ele me seguiu!

Ela revirou os olhos.

– Está bem, não precisa ficar irritada. Agora me conta, o que aconteceu lá?

Eu contei tudo pra ela, bom, quase tudo, não contei a parte de fazer a lua mudar de posição, pois ainda não tinha comentado ou mostrado pra ela. Quando cheguei na parte em que ele me chamou de lua ela me interrompeu.

– Não vai me dizer que você se lembrou do garotinho nessa hora.

– Lembrei e assumo!

– Você tem que esquecer ele! Já fazem o que? Dez anos?

– Nove.

– Então? Esqueça ele! Pelo menos o Will está quase fazendo isso para você.

Dei um tapa no ombro dela.

– Você quer saber o que aconteceu? - perguntei

– Vai, continua.

– Eu dormi lá e ele me trouxe no colo, só.

– Onde você dormiu?

Por que ela está me perguntando isso? Eu só dormi no... Fiquei um pouco vermelha, e ela repetiu a pergunta, quando viu isso.

– Onde. Você. Dormiu?

– No colo dele.

Ela arregalou os olhos.

– Com a cabeça no colo dele?!

– Não! Sentada no colo dele, com a cabeça no ombro.

Ela soltou um suspiro, bem nessa hora ouvimos o sinal tocar. Apostamos corrida até o refeitório, óbvio que eu perdi. Sentamos na mesa e ficamos esperando o café da manhã, a Helen sentou na minha frente, e ficamos conversando. Quando as ninfas começaram a colocar os pratos nas mesas, ela por um segundo, pareceu fazer uma cara surpresa. De repente eu senti duas mãos na minha cintura.

– Bom dia La Luna Bella. - ouvi alguém sussurrar no meu ouvido.


***************************************************************************

Vou colocar as notas finais aqui, por favor, leiam.

Primeiramente eu quer agradecer a Viihmaia pela capa nova! Que ficou linda e maravilhosa.


Mais uma vez obrigada viihmaia, e leiam a fic dela, é incrível.


Segundo... Esse é parte dois 1/2, porque eu vou fazer vários povs na próxima parte. E espero que vocês gostem.

Terceiro:

Eu quero saber o que vocês gostaram mais.

1- A briga entre Apolo e Zéfiro

2- A conversa na clareira

3- O sonho (louco) do Will

4- As 'revelações' da Lily.


Por favor, me digam nos reviews!

E eu vou tentar fazer o mais rápido possível para vocês a parte 2 - 2/2