A Última Missão escrita por Angelzinha, Angelzinha2


Capítulo 9
Capítulo 9


Notas iniciais do capítulo

Autora:Yoo pessoinhas do meu s2/SorrisoCaraDePauOn
Sasuke: Falsidade.. ú.u
Autora: O que túh tah fazendo aqui oh emo?!
Sasuke: Estava com saudades das minhas fãs, então resolvi dar uma passadinha XD
Autora: Mas que falsidade! Voce quer é se aparecer! Isso sim.. ù.u
Sasuke: Eu não preciso vir nessa porcaria que voce chamar de fic para me aparecer u.u
Autora: Olha como fala da minha fic! Não reclama quando eu começar a contar seu podres nela! '-'
Sasuke: Não tenho podres u.u
Autora: Não.. magina ¬¬ bem, não dêem atenção pra esse ser de cabelo de laquê, e leiam o cap. que voces ganham mais^^ Boa leitura!!




          Capitulo anterior:

      "Olhou para baixo, e se arrependeu amargamente, pois se lembrou que desde pequena tem um certo medo de altura. Sentiu um pouco de tontura, um friozinho na barriga, e as pernas tremerem. Se apoiou em um galho que estava do seu lado, e fechou fortemente os olhos, para ver se passava o mau estar. Quando se sentiu melhor, resolveu continuar seu percurso . "Não olhe para baixo! Não olhe para baixo!", ela dizia para si mesma em pensamento. Desceu um pouco, resolveu olhar para baixo de novo para ver se faltava muito para chegar no chão. Ainda faltava aproximadamente dois a três metros. Se virou novamente para frente, pois a tontura insistia em voltar. Começou a descer novamente, colocou um pé no galho de baixo, quando foi colocar o outro, o galho quebrou e ela se segurou no de cima, mas ele também não era firme e quebrou.

      Na hora bateu o desespero, e ela fechou os olhos, e espero o chão. Mas isso não aconteceu. Sentiu braços fortes a aparar. Se assustou, mas não teve coragem de abrir os olhos. Sentiu um perfume inebriante. Abriu os olhos, e a primeira coisa que viu foi olhos ônix inexprecivos a fitando. Sem entender o porque, sentiu seu rosto esquentar, e sua respiração ficar descompensada. Talvez por estar sentindo braços fortes a segurarem, ou o corpo definido da pessoa, ou talvez a proximidade de seus rostos.

-Deveria ter mais cuidado.- A voz grave a despertou de seus desvaneios. Sasuke a colocou no chão, e começou a andar, Sakura o seguiu. "

.....................................................................................................................................................

            Sakura pov's

      Sasuke continuou andando, e eu o segui. Estávamos próximos ao carro, quando ele mudou seu percurso.

-Para onde estamos indo?- Perguntei confusa continuando a segui-lo.

-Procurar um lugar para passarmos até a manha.- Ele disse entrando no meio da "mata". Começamos a andar por entre as árvores. Era estranho, pois quanto mais andávamos, mais ouvia barulho de água.

-Hum. Onde será que isso vai dar?- Perguntei depois de um tempo andando.

-Vamos descobrir agora.- Disse abrindo espaço entre as plantas. Ele passou, e depois passei.

      Fiquei admirada quando olhei a minha volta. Era um lugar lindo. Logo entendi o barulho da água, tinha uma cachoeira não muito grande, mas muito linda, que caia em um rio de água cristalina. Um pouco afastado dali, tinha uma pequena casinha. Chegamos próximos da casa, e não ouvimos nenhum latido, provavelmente não tinha cachorros. Bati palmas, para ver se tinha álguem na casa, mas ninguém apareceu.

-Acho que não tem ninguém..- Eu disse. Sasuke não disse nada, só abriu o pequeno portão da entrada, e passou por ele, e eu obviamente o segui. Passamos por um jardim, que percebi que ou o dono não era muito cuidadoso, ou tinha muito tempo que não ia lá, pois quase todas as plantas estavam mortas. Entramos em uma pequena varanda, e Sasuke parou em frente a porta e começou a analisá-la.

-Voce tem algo metálico?- Sasuke perguntou.

-Voce vai entrar? E se tiver álguem?

-Tem ou não?- Perguntou impaciente. O que me deixou irritada. Comecei a procurar dentro da minha bolsa. Porque ele nunca responde minhas perguntas?! Ele realmente é MUITO insuportável!- Aqui.- Eu disse entregando um grampo a ele.- Serve?- Eu perguntei entre dentes.

-Não tem outra coisa mesmo.- Ele disse dando de ombros. Minha vontade nesse momento era de degolar ele. É muito mal agradecido mesmo! Além de eu ter ajudado, ele ainda fala mal?! AAARG! COMO ELE ME IRRITA!

      O barulho da porta me tirou de meus pensamentos. Sasuke tinha conseguido destrancá-la. Entramos, e percebi que tanto o lado de dentro, como o lado de fora, era simples. Pelo visto era toda imobiliada, e todos os móveis estavam cobertos por lençóis brancos, sinal de que não havia ninguém morando ali. Fui para um dos cômodos da casa, e Sasuke subiu para o andar de cima. Olhei o cômodo onde eu estava, e deduzi ser uma cozinha. Olhei nos armários, e tinha alguns alimentos.

-A casa está vazia.- Sasuke disse entrando na cozinha.

-Hum.. percebi isso quando chegamos.- Eu respondi sarcástica.- Achei comida. Todas instantâneas, mas já é alguma coisa..- Eu disse olhando os pacotes. - E por incrível que pareça, estao no prazo de validade. Mais tarde vou preparar para gente comer. Está com fome?

-Não.- Sasuke respondeu abrindo uma porta que pelo visto dava para os fundos da casa, passando por ela, e fechando logo em seguida.

-Grosso!- Eu disse irritada.- Guardei os alimentos no armário. Peguei meu celular dentro da bolsa para ver as horas, e quase dei um surto quando vi que ainda eram dez horas da manha. Esse seria com certa um longo dia..

      Resolvi sair da casa e dar uma olhada no lugar. Sai pela porta da entrada, pois não queria sair pela mesma porta que Sasuke, e dar de cara com ele. Esses dias que passarei com ele será longo --'

        Andei até a beira do rio, e me sentei na grama e comecei a observar o lugar. Era um belo lugar. Em meio a natureza, com lindos pássaros e uma brisa leve, o que quase não se via nos dias de hoje. Um lugar perfeito para passar o fim de semana com a família, ou até mesmo.. com o namorado..

      Mas que bobeira! No que eu estou pensando?! Já tem tantos anos que eu não namoro com ninguém, que já nem tenho mais esperanças de encontrar alguém especial. Nunca fui boa com relacionamentos, e nem tive muitos namorados. No máximo dois, três, e todos acabaram por motivos bobos. Para dizer a verdade, nunca gostei de verdade de ninguém, e nem sei se um dia serei capaz de realmente me apaixonar um dia.

         Depois de muito tempo pensando, e jogando pedrinhas ma água para ver qual iria mais longe, olhei as horas, e finalmente era meio dia. Meu estômogo já dava indícios de fome, então resolvi ir preparar algo para comer. Se Sasuke não quiser, que passe fome!

         Voltei para a casa, e fui direto para a cozinha. Não tinha nenhum sinal de Sasuke, ele deve estar andando por aí. Melhor assim, pelo menos poderei ficar um tempo sem ter que ver aquela cara marrenta.

      Fui em direção dos armários de parede em que eu tinha achado os alimentos mais cedo. Peguei os pacotes, e todos eram miojo. Sem opção peguei um que parecia melhor. Procurei algo para prepará-lo, e achei panelas no armário da parte de baixo de uma bancada de mármore. Peguei uma panela, e fui para a pia. Abri a torneira, e deixei a água escorrer por um tempo, porque sabe se lá quanto tempo não usam daquela água.

         Coloquei um pouco de água na panela, e acendi o fogo do fogão. Coloquei a panela com água para esquentar, e me sentei em uma das cadeiras que ficava com uma mesa média no centro da cozinha. Mas estranhamente eu estava ouvindo barulho de algo ligado, era baixo, mas como estava tudo em silencio, eu conseguia ouvir.

         Me levantei, e comecei a procurar o barulho pela cozinha. Parei em frente a geladeira, pois o barulho vinha de lá. Abri a geladeira, e por mais incrivel que pareça ela estava ligada. Como uma pessoa deixa a geladeira ligada em uma casa abandonada?! Bem, talvez essa casa não esteja abandonada, talvez apenas seja porque o dono não venha frenquentemente. Mas deixa para lá. O que interessa é ver se tem algo. A parte de baixo estava vazia, a porta também. Olhei para cima, e vi que era duplex. Abri a parte de cima, e achei algumas coisas. Tirei para olhar, e tinha duas pizzas, uma lazanha e nuggets de frango. Pelo visto o dono da casa não gosta de cozinhar.

      Mas como eu iria preparar aquilo? Olhei em volta da cozinha, e perto da pia no balcão de mámore tinha um bebedor, e ao lado algo com um forro branco por cima. Tirei o forro branco, e para minha felicidade era um microondas. Coloquei a lazanha para esquentar, enquanto agradecia mentalmente por essa casa ter móveis e eletrodomésticos, pois facilita muito ficar aqui.

         Quando a lazanha estava quase pronta, coloquei dois pratos e talheres na mesa. Tirei o miojo do fogo, e coloquei ele e a lazanha na mesa, e me sentei em uma das pontas e me servi. Até que estava bom, por ser istantaneo. Eu estava comendo tranquila, quando vi a porta dos fundos abrir. Olhei na direção da porta, e vi Sasuke entrar por ela, estava com a mesma expressão séria e indiferente de sempre, que me irrita. Ele olhou para mesa, mais necessariamente para o outro prato do outro lado da mesa.

-Eu não sabia se voce iria querer, mas coloquei um prato para voce também.- Eu disse quebrando o silencio. Ele não disse nada, apenas se sentou e se serviu.

      O almoço foi calmo e silencioso. Ele terminou de comer, e saiu. Eu terminei, e fui lavar o que eu tinha sujado, e organizar as coisas, porque eu não poderia deixar bagunça. Depois de tudo limpo e organizado, fui dar uma volta. Fui para perto de onde eu estava de manha, mas agora preferi deitar debaixo de uma árvore. Fiquei a tarde lendo um livro, e quando estava anoitecendo resolvi voltar para casa.

      Sasuke estava na área da frente amolando kunais, passei e fingi que nem o vi, e ele fez o mesmo. Não que a gente esteja de mal, mas para dizer a verdade nunca estamos de bem. A fome apareceu de novo, e eu resolvi colocar a pizza no microondas. Mexendo nos armários, achei alguns sucos em saquinhos, peguei um de morango, e preparei. Minha sorte é que tinha cubos de gelo no congelador, e mais que congelados por sinal. O dono daquela casa devia estar a MUITO tempo sem vir aqui. Coloquei mesa para dois, a pizza e a jarra de suco. Quando terminei, resolvi chamar Sasuke.

-Se quiser comer alguma coisa, eu esquentei uma pizza..- Eu disse me aproximando.

-Depois eu como.- Ele respondeu seco.

-Tudo bem.- Falei e saí. Se ele acha mesmo que vou ficar insistindo, ele está muitissimo enganado! Para mim pode morrer de fome! ù.u

      Me sentei, e me servi. Pouco tempo depois ele apareceu, e se sentou do outro lado da mesa onde arrumei para ele.

-Essa casa não parece abandonada.- Eu disse tentando quebrar o silencio.

-E não é.- Ele respondeu seco como sempre.

-Como sabe?

-Conheço o dono.

-Mas ele vem aqui?

-Costumava vir. Fiquei sabendo que ele está muito doente.

-E a familia?

-Não importam com ele. Só querem o dinheiro.

-Hum.

         E assim voltou aquele silencio incomodo de novo. Não muito incomodo, porque eu já estava começando a me acostumar com ele, já que Sasuke pouco conversa. Só fala o necessário, e isso me irrita.

         Depois do "jantar", Sasuke voltou para fora, e eu fui arrumar a bagunça que fiz de novo, para minha sorte era pouca. Depois de tudo arrumado, fui procurar o que fazer. Mas como não encotrei, também fui para fora da casa.

      Encontrei Sasuke sentado na área, olhando um ponto qualquer. Me sentei em uma espécie de banco/balanço que tinha na área, e fiquei olhando as estrelas. Sempre gostei de olhar as estrelas, desde pequena. Eu gostava de observá-las com minha mãe. Ela sempre me contava várias histórias quando estávamos observando as estrelas, e sempre me fazia dormir assim. E toda vez que olho para o céu estrelado, me lembro dela.



-As estrelas são lindas.. não acha?- Eu comentei olhando para o céu.

-Não tenho tempo para essas idiotices.- Ele respondeu depois de um tempo.

-Ás vezes eu me pergunto, qual o objetivo de vida de uma pessoa como voce, que nem mesmo sabe apreciar as coisas que a vida oferece.

-O meu objetivo é mais importante que olhar estrelas. O seu também deveria ser.

-Eu não acho que um vingança tola seje mais importante que ser feliz.

-Isso não é uma vingança tola. Voce deveria saber disso, afinal sua vida está em jogo.

-Não sei para que viver e não ser feliz.

-E quem disse que não sou feliz?!

-Voce acha que ser um assassino pode ser feliz? Acha que tirar a vida de pessoas inocentes pode deixar uma pessoa feliz?! Porque se acha, voce é pior do que eu pensava!..- Eu disse com um certo rancor.

-Voce não sabe nada sobre mim!- Ele disse entre dentes.

-O suficiente para saber que não tem coração!

      Ele não disse nada. Mas percebi que sua expressão mudou. Fui para dentro, e bati a porta da sala. Subi, e fui até um corredor onde tinha duas portas. Abri a primeira, era um banheiro. Abri a segunda, e era um quarto. Entrei, e fechei a porta, encostei na mesma, e respirei fundo. Com um pouco de dificuldade acendi a luz do quarto, e pude ver que não era muito grande, e bem simples. Tinha apenas uma cama de casal, um criado mudo com um abajur de cada lado da cama, e um guarda roupa. Fui até o guarda roupa, e encontrei roupa de cama. Arrumei a cama e deitei. A casa é muito bem arrumada, sinal de que alguém arruma com frequencia. Só espero que ninguém apareça aqui até amanha, e expulsse eu e o Sasuke. Sasuke.. só de pensar nele sentia meu coração apertar. Estava um pouco arrependida do que eu disse. Tinha sido muito grossa, e achava que não devia ter falado daquela maneira com ele. Mas bem que ele mereceu! Poxa! Se ele me acha tão insuportável assim, então para que me trouxe com ele?! Mas apesar de tudo, sei que o que eu disse foi muito pesado.. como ele mesmo disse, eu nem o conheço direito. E desde pequena, minha mãe me ensinou que eu não deveria julgar as pessoas sem conhecê-las. E na hora da raiva acabei julgando Sasuke..

      Acho que vou falar com ele. Não! Apesar de tudo, não preciso pedir desculpas, afinal ele também esta errado. Fui despertada de meus desvaneios quando ouvi um tiro. Sem pensar duas vezes, levantei e desci correndo para ver o que aconteceu. Quando cheguei na sala e olhei para a porta, Sasuke estava com as mãos nos joelhos, e a respiração ofegante.

-O que aconteceu?- Perguntei me aproximando.

-Madara.. descobriu.. onde estamos..- Ele respondeu com dificuladade.

-E agora? O que vamos fazer?- Perguntei assustada.

-Eu.. já dei um jeito.. nos capangas dele..

-O que voce fez?! Não me diga que..- Eu paralisei.

-Os matei.- Disse com a mesma expressão dura de quando discutimos.

-Vo-voce está bem?- Eu perguntei tentando disfarçar o meu susto.

-Estou.- Disse com uma careta. Com certeza estava sentindo dor, mas o orgulho não o deixava admitir.

-Não, não está. Venha.- Eu disse o puxando pela mão. Não sei explicar o porque que estremeci pelo contato, mas ignorei.

-O que voce está fazendo?- Ele perguntou tentando se soltar.

-Vou cuidar de voce.- Eu disse pegando minha bolsa no sofá da sala, e indo em direção da escada.        

*-*-*-Continua*-*-*-*



Notas finais do capítulo

Autora: E aí, o que acharam?^^
Sasuke: Uma- foi interrompido pela autora com uma sapatada na cabeça.-ITAI!- Diz passando a mão no local onde a autora baka acertou o sapato.
Autora: NOOM PEDI SUA OPINIÃO! AGORA CAI FORA DAQUI! ò.ó
Sasuke: Eu nem disse nada O.O
Autora: Mas ia dizer ù.u bem, deixem reviews ou não terá próximo ú.u
Sasuke: Recomendações tembem XD
Autora: Verdade gente, será que mereço recomendações?? Uma que seja.. SÓ UMA... ó.ò
Kisses ^.~