A Última Missão escrita por Angelzinha, Angelzinha2


Capítulo 13
Capítulo 13- Febre


Notas iniciais do capítulo

Yooooo people!^^
Bem, aí está o capítulo 13 :)
Espero que gostem >.<'
Good reading! XD




Capítulo anterior:

"-Maldita hora que eu fugi!-Sakura disse com os olhos marejados.-Agora elas estão em perigo por minha culpa..-Sakura disse deixando as lágrimas escorrerem. Sasuke sentiu que tinha que fazer algo. Não queria que mais pessoas inocentes morressem por culpa dele e de Sakura.

-Gaara, tenho um novo trabalho para vocês.-Sasuke disse.

-Pode falar.-Gaara respondeu.

-Quero que você e Naruto traga Ino e Hinata para a casa que eu e Sakura estamos indo. Todos ficaram mais seguros por lá.

-Tudo bem.-Gaara disse.-Hoje mesmo iremos.

-Mas.. E minha mãe Gaara? Ela está bem?-Sakura perguntou preocupada. Não se perdoaria se alguma coisa acontecesse com sua mãe.

-Ela está bem, Sakura. Estranhamente Madara ainda não tentou nada contra ela.-Gaara respondeu, e Sasuke estranhou, mas continuou calado.

-Mas ela não está em perigo?-Sakura perguntou se aliviando mais.

-Não. Não precisa se preocupar com ela, até porque já colocamos pessoas para a proteger. As únicas que realmente estão em perigo até agora, são Ino e Hinata. Ainda não entedemos o motivo, mas pode ser pelo fato de vocês trabalharem juntas. Madara deve achar que elas sabem de algo.

-Então espero vocês na casa antiga da Sakura. Tomem bastante cuidado, porque eles estão por toda a parte.-Sasuke disse.

-Não se preocupe Sasuke, chegaremos amanhã a tarde.-Gaara respondeu, e Sasuke desativou seu aparelho.

-Sasuke.-Sakura a chamou, ele desviou a atenção da pista por um momento, olhando para a rosada.-Obrigado.-Sakura disse com um doce sorriso. Sasuke deixou escapar um sorriso de canto.

-Disponha.-Ele disse voltando sua atenção para a estrada."

 

                                        ~*~

 

Depois de horas de viagem, finalmente chegaram perto do endereço da tão esperada casa. Andaram mais um pouco, e pararam em frente a uma casa bem antiga. Não era uma mansão como Sasuke era acostumado, mas também não era pequena. Era uma bela casa, apesar de estar precisando de uma reforma urgente. A casa parecia ter um antigo jardim na entrada, o qual só restava vasos de planta, descacados. Sakura pegou uma chave, e foi em direção do portão preto, quase todo enferrujado. O abriu, e começou a observar o local. Fechou os olhos, e começou a lembrar de algumas coisas da sua infancia. Seus melhores momentos ao lado de seus pais, foram naquela casa.

Passou pelo portão, e seguiu até a porta de entrada, passando por duas lindas árvores de Sakuras, que naquela época do ano estava caindo suas flores. Sinal de que o inverno realmente se aproximava. Sasuke estacionou o carro perto da casa, e fechou novamente o portão. Não queria ter risco de que alguém os visse ali, mesmo sem risco disso acontecer. A casa era bem afastada da cidade, e ali perto tinha poucas outras casas. A maioria parecia ser abandonada, como aquela. O que trazia mais segurança aos dois.

-Madara alguma vez veio aqui?-Sasuke perguntou derepente.

-Não, porque?-Sakura perguntou.

-Por nada. Queria saber se realmente a casa é segura.

-Sempre que meu pai ia para o trabalho, ele saía bem cedo, e muitas vezes só voltava no fim de semana. Nem me lembro de ter recebido visitas aqui. Lembro até que minha mãe reclamava, por morar tão isolada, e ter apenas alguns vizinhos por perto. Meu pai dizia que isso era para nosso próprio bem. Na época eu não entendia, mas hoje vejo que ele tinha razão.-Sakura comentou.

-Ele queria proteger vocês de Madara. Ele fez certo, provavelmente Madara nem sabe que essa casa existe. O que facilitará muito as coisas para nós.-Sasuke disse analisando a entrada da casa.-Mas você e suas amigas vão ter que coperar durante o tempo que ficarmos aqui. Não poderemos sair, só em caso de emergência. Telefonemas nem pensar, pois Madara pode tentar nos rastrear.

-Nem mesmo para minha mãe, ou para os pais delas?

-Você quer colocar a vida deles em risco?

-Não.. Mas-Sakura foi cortada.

-Mas nada Sakura. Se quer que todos continuem vivos, copere.

-Tudo bem..-Sakura disse suspirando. Seria difícil para ela e suas amigas, mas seria pelo bem de todos.

-Vou dar uma olhada na casa. Preciso bloquear todos os acessos de outros cômodos. Só poderemos deixar a porta da sala como acesso da casa.-Sasuke disse e Sakura apenas afirmou com a cabeça.

Ele subiu as escadas, e ela trancou a porta da sala e foi olhar os outros cômodos. A casa estava quase intacta, apesar de estar sem moradores há anos. Tsunade nunca a deixou vender a casa, alegando ser as únicas lembranças de Sakura com seus pais, e Sakura a agradecia por isso. Havia anos que não voltava naquela casa, e nem mesmo sabia o porque. Talvez fosse o medo da saudade a invadir, como estava acontecendo agora. Medo de se sentir sozinha novamente.

Começou a retirar os lençóis brancos e empoeirados de cimas dos móveis. Era incrível como estava tudo muito bem conservado, nem parecia já ter se passado anos. Depois de ter tirado todos os lençóis dos móveis da sala, e dos eletrodomésticos da cozinha, foi para a lavanderia, colocá-los para lavar. Deu um espirro, e percebeu que se não limpasse logo aquela casa, sua alergia voltaria. Procurou materiais de limpeza, mesmo sabendo que seria quase impossível achar naquela casa que estava abandonada há anos, e mesmo que achasse, com certeza estaria fora do prazo de validade. Ouviu algumas batidas de martelo vindo do outro andar, e com certeza era Sasuke bloqueando as outras passagens da casa. Viu Sasuke descendo as escadas com algumas coisas na mão, certamente para terminar seu serviço pela casa. Subiu as escadas, para ir aos cômodos de cima. Chegou em frente a uma porta rosa bebê, com uma plaquinha com seu nome escrito. Tocou a maçaneta, e a abriu. Entrou no quarto, e olhou cada canto. Nada estava mudado, tudo estava exatamente como ela deixou quando Tsunade a levou para morar em sua atual casa. Se sentou em sua antiga cama, e olhou para móvel que ficava ao lado, com um abajur branco com lilás. Perto do abajur, tinha uma foto dela, seu pai e sua mãe. Abraçou a foto, e deixou uma lágrima escorrer.

-O que será que aconteceu com vocês?-Perguntou olhando a foto, e a acariciando.

-Sakura?-Ouviu uma voz vindo da porta, era Sasuke. Sakura secou suas lágrimas rapidamente, e olhou para Sasuke.-Precisamos fazer compras.

-Sim, eu iria te chamar agora.-Tentou forçar um sorriso e se levantou, passando por Sasuke sem olhá-lo.

Sasuke a viu passar por ele, e sentiu uma vontade estranha de a abraçar. Não sabia porque, mas sempre sentia vontade de a proteger, e quando a via triste, tinha vontade de abraçá-la, e dizer que iria ficar tudo bem. Mas não poderia fazer isso. Prometera para si mesmo que teria que ficar longe de Sakura. Não poderia haver nada entre os dois, além da relação de dois estranhos com objetivos comum. Mas às vezes se perguntava se realmente eram dois estranhos. Parecia que se conheciam a tanto tempo. Parecia que entendiam o que o outro sentia, e o que sofria. Talvez seja por terem perdidos os pais quase na mesma época, e pelo mesmo motivo. Sim, estava convicto que era aquilo. Sentia aquilo por ela, aquela vontade de a proteger e a consolar justamente por isso. Pois sabia como ela se sentia, e porque sentia. Nada mais que isso. Pelo menos era o que ele realmente esperava que fosse.

 

                                          ~*~

 

Depois terem feito uma boa compra na cidade mais próxima, Sakura pôs-se a limpar a casa. Tudo bem que já estava anoitecendo, mas ela não tinha outra escolha. A casa estava na maior poeira, e ficar ali sem limpá-la, era a mesma coisa que pedir para adoecer. Enquanto espanava os móveis, colocou alguns lençóis da casa em uma lavadora. Sabia que iria precisar deles, afinal não tinha comprado mais lençóis.

Começou a rir sozinha, enquanto se lembrou de quando estavam fazendo compras, e uma senhora perguntou para que tanta coisa, afinal eles estavam comprando até cobertas. Como a cidade não era muito grande, Sakura sabia que todos se conheciam ali, então ela a Sasuke tiveram que mentir que eram namorados, e estavam passando uma temporada em uma casa alugada ali perto. A senhorinha, que trabalhava no caixa do supermercado, ficou toda feliz, dizendo que era muito bonito ver "dois jovens apaixonados". Sakura teve que segurar o riso na hora. "Apaixonados", aquela senhorinha só podia estar brincando com a cara deles.

Tirou alguns lençóis da máquina, que por sorte já estavam quase secos, e colocou mais. Colocou os lençóis para secar ali mesmo na área de serviço, porque Sasuke disse que não poderiam ter nenhuma movimentação do lado de fora da casa. Enquanto o resto dos lençóis eram lavados, Sakura limpava o resto da casa e lavava os banheiros. Algumas horas depois, toda as casa estava limpa, e com um agradável perfume de cerejeiras, que era a essência dos materiais de limpeza que Sakura escolhera. Tinha um cheiro muito bom vindo da cozinha, o que levou Sasuke até lá. Chegando lá, viu a rosada com um avental branco, preparando algo.

-Estou preparando algo para nós comermos.-Sakura disse sorrindo para Sasuke.

-Temaki?-Sasuke perguntou se aproximando com uma sobrancelha levantada.

-Sim, Temaki de salmão com arroz.-Sakura respondeu sorrindo, mas logo seu sorriso sumiu, quando viu a expressão de Sasuke ficar séria.-Algum problema? Você não gosta?-Ela perguntou começando a se arrepender de ter escolhido aquele prato.

-É um dos meus preferidos.-Sasuke respondeu para a surpresa de Sakura.-Minha mãe sempre fazia para mim.-Ele disse com um sorriso de lado, se lembrando de alguns momentos de sua infancia.-Eu e Itachi brigávamos para ver que comia o último.-Ele disse pensativo, com um sorriso infantil. Sakura ficou feliz em saber que tinha acertado no jantar.

-Está pronto.-Ela disse pegando a forma de Temakis.-Você pode trazer os pratos?-Perguntou a Sasuke que balançou a cabeça positivamente. Sakura foi em direção da sala de jantar, e Sasuke foi junto com os pratos e talheres.-Vou pegar o suco.-Ela disse enquanto organizava os pratos na mesa.

-Deixa que eu pego.-Sasuke disse indo de volta para a cozinha, o que surpreendeu Sakura. Digamos que Sakura não estava acostumada com gentilezas da parte do Uchiha. Sasuke voltou com a jarra de suco, e dois copos. Se sentou, e se serviu. Experimentou um Temaki, e Sakura ficou atenta a cada movimento do moreno.

-Então, como ficou?-Sakura perguntou com medo da resposta.

-Igual o que minha mãe fazia.-Sasuke respondeu comendo mais. Sakura sorriu satisfeita, e voltou a comer também. Para a surpresa de Sakura, Sasuke comeu e repetiu. Sinal que ficou bom, pensava a rosada.

Depois do jantar, Sakura foi para a cozinha e arrumou toda a bagunça. Depois de tudo arrumado, subi para tomar um bom banho e descançar um pouco depois daquela tarde cansativa.

 

 

                                        ~*~

 

 

Sakura Pov's

 

Tomei meu banho, e fui para meu quarto antigo arrumar as coisas para dormir. Estava com a porta entreaberta, e vi Sasuke passando pelo corredor.

-Arrumei sua cama na terceira porta a esquerda.-Disse para ele.

-E para que você está arrumando essa?-Ele perguntou.

-Para eu dormir.-Respondi o óbvio.

-Que parte do "de agora em diante você não pode sair de perto de mim", você não entendeu?-Sasuke perguntou ríspido, e Sakura revirou os olhos. Odiava quando ele a tratava assim. O que ele fez com aquele Sasuke gentil de agora a pouco?, Sakura se perguntava.

-Tudo bem, onde dormiremos então?-Sakura disse a contra gosto. Não queria dormir no mesmo quarto que Sasuke novamente, tinha medo.

-Aqui tem algum quarto com duas camas?-Sasuke perguntou.

-Não.-Sakura respondeu.-Mas o quarto dos meus pais tem uma cama e um sofá.-Ela disse se lembrando da única alternativa que tinham.

-Tudo bem, durmo no sofá.-Sasuke disse andando. Sakura apenas o seguiu até o quarto de seus pais. Na iria o impedir de dormir no sofá, até porque já previa o resultado: os dois na mesma cama.

Chegaram no quarto dos Harunos, e Sasuke viu que era o maior quarto da casa. Tinha móveis antigos, mas luxuosos. Viu um grande sofá preto de couro no meio do quarto, sobre um lindo tapete persa azul com detalhes branco. O sofá parecia bem confortável, Sasuke constatou. Mas sendo confortável ou não, ali seria sua cama pelo menos até as amigas de Sakura chegar. Iria deixá-las dormir juntas, porque se caso acontecesse alguma coisa, teria alguma para avisar, pois sabia que não daria certo os dois no mesmo quarto por muito tempo.

 

 

                                      ~*~

 

 

Sakura acordou no meio da noite ouvindo leves e baixos gemidos. Se levantou, e pegou seu celular na estante ao lado da cama, para lhe ajudar a ver o que estava acontecendo. O gemidos vinham da direção do sofá, caminhou até lá e não gostou do que viu. Sasuke estava encolhido, segurando o corbertor fortemente, enquanto tremia.

-Sasuke, está tudo bem?-Sakura perguntou preocupada.

-Estou.-Ele respondeu com dificuldade, ainda de olhos fechados.

-Você está tremendo..-Ela disse se aproximando, e colocando a mão sobre a testa de Sasuke.-Você está queimando em febre!-Sakura disse se assustando com a temperatura de Sasuke.-O que você está sentindo?-Ela disse se abaixando, ficando na altura de Sasuke.

-Só um pouco de dor de cabeça.-Sasuke respondeu ainda gemendo.

-Você andou pegando chuva?

-Só naquele dia a noite, quando matei os capangas do Madara.

-Você gripou então. Vou preparar um remédio.-Sakura disse se levantando, e saindo do quarto.

Foi para a cozinha para preparar um chá, e arrumar água com alcool para ajudar a abaixar a febre. Chegando no quarto, percebeu que os tremores de Sasuke tinham se intensificado, a deixando ainda mais preocupada.

-Beba.- Sakura disse entregando o analgésico juntamente com o chá morno, á Sasuke.

Sasuke se sentou com certa dificuldade, e tomou o comprimido branco, com o chá que tinha um delicioso aroma e sabor. Depois de tomar todo o chá, se deitou novamente. Sakura pegou uma toalha de rosto branca, molhou na água do recipiente que havia trazido da cozinha, e dobrou colocando logo em seguida delicadamente sobre a testa de Sasuke. Pegou outra toalha, molhou na água e começou a passar levemente pelo pescoço de Sasuke. Sakura pôde sentir Sasuke se arrepiar quando passou a toalha perto da orelha. Olhou para Sasuke novamente, e ele estava de olhos fechados. Seu olhar se direcionou para a boca do moreno, e se lembrou automaticamente do beijo que trocaram no hotel. Voltou se olhar para os olhos de Sasuke, e se assustou quando viu que Sasuke a fitava. Sentiu suas bochechas esquentarem, e teve certeza absoluta que estava vermelha. Praguejou em pensamento, e voltou a passar a toalha em Sasuke, agora em seus braços.

Depois de um tempo passando e repassando a toalha molhada em Sasuke, percebeu que não tinha sortido efeito algum na febre. Olhou no relógio, e percebeu que já era 02:43 da manhã, sendo que ela começou a cuidar dele às 01:55, ou seja, quase uma hora e a febre ainda não tinha cessado. Ficou mais preocupada, porque já tinha se passado muito tempo desde que ele tomou o remédio e que ela estava tentando o ajudar a abaixar a febre, e mesmo assim não tinha nem indícios de melhora.

Sasuke continuava tremendo como antes, e às vezes deixava alguns gemidos escaparem. Ele realmente não estava bem, pois o Uchiha parecia muito forte para ser derrubado por uma gripe. Olhou mais uma vez Sasuke, e viu que ele estava com uma camiseta branca, e calça moletom preta e cobertor cobrindo as pernas. Aquilo com certeza estava impedindo a temperatura abaixar. Resolveu tomar uma providêcia, para ver se resolvia. Puxou o cobertor, deixando-o no chão, e ouviu Sasuke murmurar coisas sem nexo. Ignorou o Uchiha, e pensou se deveria fazer o próximo passo.

-Sasuke, tire a camiseta.-Disse meia receosa. Não queria que Sasuke pensasse que ela estaria tirando proveito da situação, e nem queria vê-lo praticamente seminu, mas não via outra saída.

-Para que?-Sasuke perguntou ainda tremendo.

-Para eu terminar de passar a toalha em você. Talvez assim a febre cesse.-Sakura disse com quase certeza que Sasuke a ignoraria, mas foi surpreendida com Sasuke retirando a camiseta, com certa dificuldade. Depois que Sasuke retirou sua camiseta, Sakura novamente pegou a pequena toalha de rosto, e começou a passar pelos ombros de Sasuke, e descendo para seu peitoral. Mesmo não querendo, observou o peitoral de Sasuke, milimetricamente definido, e isso a deixou corada.

 

 

 

                                        ~*~

 

Sasuke Pov's

 

 

Eu estava com muito frio, e não conseguia ver com clareza o que se passava em minha volta, mas isso não me impediu de sentir perfeitamente Sakura passando a toalha molhada em mim. Era estranho, mas aquele simples ato me proporcionava sensações diferentes. Senti meus pêlos se eriçarem quanto ela passou a toalha perto de minha orelha. Talvez tenha sido pelo choque de temperatura entre a toalha fria e minha pele quente, não sei. Percebi que ela passava a tolha pelo meu pescoço, abri os olhos para fitá-la, e percebi que ela olhava para minha boca. Uma súbita vontade de beijá-la me invadiu, mas me controlei. Bem que eu poderia a beijar e finjir que era apenas por um momento de delírio por causa da febre.

Me surpreendi quando depois de quase uma hora, eu quase delirando de febre, Sakura me pediu para retirar minha camiseta. Não sabia o que ela pretendia, então ela explicou que era para terminar de passar a toalha, para tentar cessar a febre. Tirei a camiseta, e ela começou a passar a toalha pelo meu pescoço e foi descendo para meu peitoral. Ela não tinha ideia das sensações que eu sentia através daquele ato, sensações essas que eu não entendia o porque. Percebi que ela começou a observar meu peitoral, e ficar corada. Aquilo foi o fim da minha sanidade. A puxei, e envolvi em meus braços possessamente. A abracei, e senti seu doce perfume de cerejeiras, me deixando embriagado. Fechei os olhos, enquanto a vi tentar se soltar, assustada.

-O que está fazendo?-Ela perguntou confusa e assustada.

-Apenas me abrace, Lenny.-Disse enquanto a mantinha em meus braços. O nome Lenny foi proposital, claro. Queria que ela pensasse que esse abraço era consequência da febre, apenas um delírio.

 

 

                                   ~*~

 

Sakura Pov's

 

 

Quando Sasuke me puxou e me envolveu e seus braços, senti um misto de choque e supresa. Mas o que veio depois, não sei por qual motivo, me irritou profundamente. Lenny, quem seria essa? Porque ele tinha me chamado assim? Será que ele havia esquecido meu nome, ou foi apenas um delírio por causa da febre?

Eu não sabia o motivo, mas uma pontada de raiva me invadiu. Lenny.. Aquele nome não parecia japonês. Seria uma estrangeira dessas metidas e oferecidas? Não sabia quem era, mas eu já sabia que não gostava nenhum pouco dela.

Fiquei quieta com ele me abraçando por um tempo, até que percebi que sua respiração estava tranquila e ele não gemia e nem tremia mais. Parecia ter dormido, mas eu não conseguia ver seu rosto, por estar deitada na ponta do sofá e de costas para ele. Tentei me desvancilar de seus braços, mas aí ele me apertou protetoramente, ainda com mais força. Entendi aquilo como uma proibição de sair naquele momento. Fiquei quieta por um tempo, e logo senti meus olhos pesarem. Tentei lutar contra o sono, mas ele foi mais forte. Senti meu corpo relaxar, e logo me entreguei ao sono.

 

 

 

                                  ~*~

 

 

Sasuke Pov's

 

Por um tempo ela tinha ficado quieta, e comecei a cochilar. Senti ela tentando sair de meus braços, e acabei a abraçando com mais força, a impedindo de sair. Logo percebi que a respiração dela estava mais leve, e seu corpo relaxado, sinal que ela havia dormido.

Comecei a refletir, tentando entender aquela minha súbita necessidade de mantê-la por perto. Sentí-la assim tão próxima, fazia me sentir estranhamente bem. Seu perfume me acalmava, e até sua respiração suave me confortava. Sua voz, que antes era irritante, hoje parecia melódica, e delicada o suficiente para querer ouví-la sempre. Seus cuidados fazia me sentir importante de alguma forma, de uma maneira que não sentia há anos. Estranhamente ela me lembrava minha mãe, a mulher que mais amei em toda a vida. Tão delicada e doce, sempre preocuda em ajudar. Talvez fosse a profissão, que a deixava assim. Mas não sei, algo nela me chamava a atenção. Algo que eu não sabia explicar, e que me fazia muito bem.



Notas finais do capítulo

Espero que tenham gostado >.<'
Kisses♥'



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "A Última Missão" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.