A Última Missão escrita por Angelzinha, Angelzinha2


Capítulo 10
Capítulo 10


Notas iniciais do capítulo

Autora: Yooo people!!/SorrisoCaraDePauOn. Autora aparece fazendo coraçãozinho e se escondendo atrás de uma pilastra. Sasuke a olha batendo o pé e de braços cruzados.- Nem vem tah?! Tenho meus motivos pela demora! ù.u
Sasuke: Pode começar a se explicar então.
Autora: Primeiramente, NÃO DEVO SATISFAÇÕES NENHUMA A VOCE! Segundamente(?), nem foi tanto tempo assim ú.u
Sasuke: Apenas 23 dias , 10 horas e 10 minutos. Isso não é muito??
Autora: O.O você contou os dias, horas e minutos???
Sasuke: Sempre fui muito organizado ú.u
Autora: Voce me dá medo.. - Bem, tah ai o capitulo 10 amores. Desculpem a demora, e boa leitura!!




                    Capitulo anterior:

"-Voce acha que ser um assassino pode ser feliz?  Acha que tirar a vida de pessoas inocentes pode deixar uma pessoa feliz?! Porque se acha, voce é pior do que eu pensava!..- Eu disse com um certo rancor.

-Voce não sabe nada sobre mim!- Ele disse entre dentes.

-O suficiente para saber que não tem coração!

            Ele não disse nada. Mas percebi que sua expressão mudou. Fui para dentro, e bati a porta da sala. Subi, e fui até um corredor onde tinha duas portas. Abri a primeira, era um banheiro. Abri a segunda, e era um quarto. Entrei, e fechei a porta, encostei na mesma, e respirei fundo. Com um pouco de dificuldade acendi a luz do quarto, e pude ver que não era muito grande, e bem  simples. Tinha apenas uma cama de casal, um criado mudo com um abajur de cada lado da cama, e um guarda roupa. Fui até o guarda roupa, e encontrei roupa de cama. Arrumei a cama e deitei. A casa é muito bem arrumada, sinal de que alguém arruma com frequencia. Só espero que ninguém apareça aqui até amanha, e expulse eu e o Sasuke. Sasuke.. só de pensar nele sentia meu coração apertar. Estava um pouco arrependida do que eu disse. Tinha sido muito grossa, e achava que não devia ter falado daquela maneira com ele. Mas bem que ele mereceu! Poxa! Se ele me acha tão insuportável assim, então para que me trouxe com ele?! Mas apesar de tudo, se que o que eu disse foi muito pesado.. como ele mesmo disse, eu nem o conheço direito. E desde pequena, minha mãe me ensinou que eu não deveria julgar as pessoas sem conhecê-las. E na hora da raiva acabei julgando Sasuke..

         Acho que vou falar com ele. Não! Apesar de tudo, não preciso pedir desculpas, afinal ele também esta errado. Fui despertada de meus desvaneios quando ouvi um tiro. Sem pensar duas vezes, levantei e desci correndo para ver o que aconteceu. Quando cheguei na sala e olhei para a porta, Sasuke estava com as mãos nos joelhos, e a respiração ofegante.

-O que aconteceu?- Perguntei me aproximando.

-Madara.. descobriu.. onde estamos..- Ele respondeu com dificuldade.

-E agora? O que vamos fazer?- Perguntei assustada.

-Eu.. já dei um jeito.. nos capangas dele..

-O que voce fez?! Não me diga que..- Eu paralisei.

-Os matei.- Disse com a mesma expressão dura de quando discutimos.

-Vo-voce está bem?- Eu perguntei tentando disfarçar o meu susto.

-Estou.- Disse com uma careta. Com certeza estava sentindo dor, mas o orgulho não o deixava admitir.

-Não, não está. Venha.- Eu disse o puxando pela mão. Não sei explicar o porque que estremeci pelo contato, mas ignorei.

-O que voce está fazendo?- Ele perguntou tentando se soltar.

-Vou cuidar de voce.- Eu disse pegando minha bolsa no sofá da sala, e indo em direção da escada."

......................................................................................................................................................

-Não preciso de seus cuidados.

-Ah é?! Quero ver quando esses seus ferimentos inflamarem, e voce começar a delirar de febre, se não vai precisar dos meus cuidados. Então para não ter risco de me dar mais trabalho, deixe esse orgulho de lado, e me deixa te ajudar!- Eu disse olhando para ele. Ele não se manifestou, então peguei a mão dele de novo, e o puxei em direção ao quarto.- Sente aí.- Eu disse olhando para a cama, e não sei com que me milagre, ele me obedeceu sem contestar. Acho que ele realmente acreditou na historinha "os ferimentos inflamarem, e delirar de febre". Tah, admito que exagerei um pouquinho, mas se ele não cuidar logo, vai ficar umas belas cicatrizes.

            Peguei algodão, molhei no alcool, e comecei a passar pelos ferimentos, que por sinal eram poucos. Tinha na testa, no pescoço, no canto da boca e na mão esquerda. O da testa, pescoço e mão foram feitos com algum tipo de arma, e eram um pouco fundos, o da boca provavelmente resultado de um murro.

         Quando eu passava o algodão com o alcool, ele fazia algumas caretas quase imperceptíveis, mas eu percebia e ria internamente. Quando fui limpar o da boca, senti minhas bochechas esquentarem. Quando passei o algodão no ferimento do pescoço, percebi que ele se arrepiou. Deve ter sido pela baixa temperatura do alcool, sei lá..

  

         Depois de limpar todos os ferimentos, passei um remédio, fiz curativos e por último dei um comprimido para ele tomar, para diminuir as dores.

-Sasuke.. er.. me desculpe pelo o que eu te disse aquela hora..- Eu disse olhando para baixo.

-Tudo bem.- Ele respondeu no mesmo tom de sempre.

-É sério. Fui muito grossa com voce. Te julguei sem nem te conhecer.. de verdade, me desculpa..- Eu disse com os olhos marejados. Não sabia o porque, mas quando me lembrava do que disse, meu coração ficava apertado.

-Não se preocupe. Não me abalo por qualquer coisa.- Ele disse, e derepente deu um forte trovão, e a luz foi embora. Outro trovão, e o quarto clareou pela luz do raio. Eu me assustei muito, porque tenho muito medo de tempestade. Mais outro trovão, seguido de uma chuva violenta, com direito a ventania e trovoada.

-Vou dormir.- Ele disse andando em direção da porta.

-Não!- Eu disse por impulso, ele parou e continuou de costas para mim.- Eu.. eu.. tenho muito medo de tempestades.. fique aqui pelo menos até a chuva passar..- Eu pedi, mas saiu quase uma súplica.

-Tudo bem.- Ele disse depois de um suspiro. Se virou, e foi em direção de uma das janelas, a que ficava do lado direito da cama. Ficou observando a chuva através da janela, e eu me sentei na cama encolhida, pois mesmo com ele, o medo era grande.

...................................................................................................................................................

                Sasuke pov's

         Eu estava entediado olhando a chuva pela janela. Não sei porque eu fiquei aqui. Poderia ter a deixado sozinha. Mas não consegui. Algo nela me deixa assim, passando por cima do meu orgulho. Deu outro forte trovão, olhei para ela na cama. Ela estava encolhida e tremendo, provavelmente de medo. Nunca pensei que uma pessoa teria tanto medo de tempestade. Sem perceber, me sentei na cama ao lado dela, e a puxei para perto.

-O-o que esta fazendo?- Ela perguntou assustada.

-Não esta com medo?- Perguntei por impulso, ela apenas assentiu. Deitei a cabeça dela no meu peitoral, e a acomodei melhor.- Agora durma.- Disse e fechei os olhos.

           Novamente aquele doce cheiro inebriante me invadiu. Igual de manha quando ela caiu nos meus braços. Não entendo porque estou fazendo isso. Meu objetivo era apenas usá-la para encontrar as pistas que eu preciso, e talvez chegar na verdade. Mas agora é diferente, sinto que devo protegê-la de tudo e todos.

................................................................................................................................................

           Sasuke abriu os olhos, e piscou várias vezes para se alertar. A luz que vinha das janelas de vidros, estava insuportável. Colocou uma mão na frente dos olhos tentando acabar a claridade. Depois que os olhos se acostumaram com a luz, procuraram por uma certa rosada, o que foi em  vão, pois não tinha mais nem sinal dela por lá. Se levantou, e foi para o banheiro e depois desceu as escadas. Um cheiro delicioso vinha da cozinha, resolveu ir ver o que era. Quando chegou, se deparou com uma mesa de café da manha.

-Achei uma dispensa..- Sakura disse colocando ovos mexidos em um prato. Ela deu um sorriso discreto, mas que não passou despercebido por Sasuke.

-Hum.- Ele disse se sentando.

            Ninguém falou mais nada. Depois do café da manha, Sakura arrumou tudo e foram para o carro seguir viagem. Durante todo o caminho, a viagem foi tranquila. Viajaram durante toda a manha, e no horário de almoço, pararam em um restaurante na beira da estrada. Sakura aproveitou para comprar algumas coisas para levar no resto da viagem, do tipo salgados, bolachas, chocolate e revistas para passar o tempo.

            Já era 23:00 hrs, e Sasuke estava exausto. Tinha dirigido o dia todo, e ainda longe de seu objetivo. Teria que dirigir mais doze horas seguidas para chegar no tal endereço, mas sabia que não conseguiria. Resolveu parar em um hotel no meio do caminho para passar a noite. Era mais seguro que dirigir com risco de acontecer algum acidente. Parou em frente a um hotel e desceu. Chegou na recepção do hotel, e encontrou uma moça morena de olhos azuis.

-Boa noite! Em que posso ajuda-lo?- A moça, que provavelmente era a recepcionista, perguntou sorrindo.

-Quero dois quartos.- Sasuke respondeu.

-Aguarde um minuto, que vou ver se tem quartos disponíveis.- Disse mexendo no computador.- Infeizmente temos apenas um quarto disponível senhor. Tinhamos três, mas dois foram alugados a exatamente dez minutos. O senhor vai querer?

-Vou.- Sasuke disse após um suspiro. Ele já imaginava a reação de Sakura quando soubesse que teriam que dormir mais uma noite no mesmo quarto.  

           Após reservar o quarto, voltou para carro. Assim que abriu a porta do carro se deparou com Sakura dormindo tão serenamente que Sasuke até perdeu noção de quanto tempo ficou a observando. Olhou cada traço do rosto da rosada, e percebeu que ela tinha algo diferente, não era como “as outras” que ele havia conhecido. Talvez fosse por ser tão delicada, ao ponto de parecer frágil ao extremo, o que ele percebeu ser apenas imprensão, pois pelo pouco que a conhecia, percebeu que a mesma tinha a personalidade muito forte, apesar de parecer tão frágil. Ou pelo fato dela ser a única garota que ele já havia ficado tão  próximo, e ela não ter se insinuado, ou querer algo com ele além de seus interesses na “missão”. Balançou a cabeça para afastar aqueles pensamentos, e deu partida no carro. Foi em direção ao estacionamento subterrâneo do hotel. Estava estava estacionando, quando percebeu que Sakura estava acordando.

-Onde estamos?- Sakura perguntou confusa, olhando o estacionamento que estava cheio de carros de todos os tipos.

-Em um hotel.

-Vamos passar a noite aqui?

-Vamos.- Sasuke respondeu saindo do carro.- Pegue o que precisar levar e vamos logo.

            Sakura apenas  acenou positivamente com a cabeça, e foi até o porta malas do carro. Tirou um par de roupa de sua mala,  guardou em sua bolsa e guardou sua mala de volta. Sasuke já tinha feito o mesmo, pegou uma mochila, e colocou suas coisas.

  

         Subiram, e foram em direção do quarto. Era no sexto andar do hotel e o elevador estava quebrado, o que deixava Sasuke ainda mais furioso, pois além de só ter encontrado um quarto vago, ainda tinham que subir cinco lances de escada.

-Chegamos.- Sasuke disse parando em frente ao quarto 12º, e destrancando a porta do mesmo.

-Como chegamos? E o outro quarto?- Sakura perguntou confusa,  Sasuke respirou fundo. Sasuke também não estava gostando nada daquela história, mas já estava bem cansado, e sem vontade de discutir.

-Não outro quarto. Esse era o único vago no hotel.

-O que?! Não é possível..- Disse incrédula. Sasuke suspirou e passou a mão nos cabelos impaciente.

-Olha só, eu também não queria isso. Mas já que não tem outro jeito ou você entra para dormir, ou se preferir vai dormir no carro.- Sasuke disse e entrou no quarto, deixando uma Sakura furiosa como sempre.

            Assim que entrou no quarto, Sakura percebeu que não era um quarto cinco estrelas, mas parecia ser bem confortável. Porém tinha um grande problema: havia só uma cama, que ainda por cima era de solteiro, o que dificultaria mais ainda as coisas.

-Vou ver se algum quarto já foi desocupado.- Sasuke disse saindo do quarto. Sakura entendia o porque dele querer achar outro quarto, pois não seria possível passarem mais uma noite juntos. Ela até agora tentava entender o que aconteceu na noite passada. O porque dele ter a abraçado como se já se conhecessem a muito tempo. Mas tentar entender aquilo não iria leva-la a nada, então resolveu tomar um banho para relaxar.

            Tomou um longo e relaxante banho e olhou onde achou ter colocado suas roupas. Se assustou quando viu que sua roupas limpas não estavam lá. Se lembrou que deixou em cima da cama.

-Droga!- Disse olhando em  volta do banheiro para ver se achava algo que pudesse lhe ajudar. Achou um armário embutido na parede. O abriu, e para sua sorte estava cheio de toalhas limpas. Pegou uma, se enrolou, e resolveu sair do banheiro. Estava torcendo para que Sasuke não estivesse voltado ainda, o que foi em vão. Assim que saiu do banheiro, ele entrou no quarto. Sentiu seu rosto esquentar quando viu Sasuke analisar cada parte de seu corpo.

-E-eu esqueci minhas roupas..- Sakura disse tentando esconder o rubor.

-Não consegui outro quarto. Teremos que passar a noite aqui.

-Tudo bem.- Sakura disse desanimada. Sasuke pegou sua mochila e foi para o banheiro. Sakura aproveitou para vestir sua roupa enquanto o quarto estava vazio.

.........................................................................................................................................................

            Tirou a roupa rapidamente, e deixou a água gelada escorrer por todo o seu corpo. Ele precisava de um banho para esfriar o corpo. Não que nunca tenha visto uma mulher de toalha, mas ssem entender o porque, quando viu Sakura sentiu sensações estranhas. Um desejo quase incontrolável, o que o deixava mais confuso. Ele sabia que aquilo estava errado. Não poderiam ter nenhum tipo de relação que não fosse a de dois desconhecidos com objetivos comum. Mas porque estava sentindo aquelas coisas? Porque naquela noite quis tanto protege-la? E o porque daquele desejo repentino e quase incontrolável de a fazer sua? Ele tinha que controlar seus impulsos porque senão uma hora poderia fazer algo que depois se arrependesse profundamente.

   

         Terminou seu banho e saiu do banheiro. Sakura estava preparando cobertas no chão, o que deixou Sasuke confuso.

-O que está fazendo?- Sasuke perguntou.

-Estou preparando uma cama para mim.

-Voce pretende dormir aí?- Perguntou com uma sobrancelha levantada.

-Sim. Voce está mais cansado, pode dormir na cama. E o tempo esfriou muito, é arriscado você pegar um resfriado.

-E você também é arriscado, não?!- Perguntou com ironia.

-Não, porque eu tenho o sistema imunológico  muito forte, não adoeço fácil. E você está bem cansado, esta mais vunerável a ficar doente.

-Pode deixar que eu durmo no chão. Já estou acostumado.

-Voce vai adoecer. Vai por mim que eu sei do que toh falando. Esqueceu que sou médica?!

-Por esse motivo você sabe que também tem risco de ficar doente. E se adoecer vai atrasar a viagem.

-Então o que faremos?

-A cama é pequena mas teremos que dividi-la.- Sasuke disse meio a contra gosto. Sakura não disse nada , apenas acenou positivamente. Sabia que se não concordasse, Sasuke teimoso como era, iria dormir no chão.

            Sakura deitou virada para a parede, e Sasuke deitou virado para o outro lado. Ambos fazendo o maior esforço possível para não se tocarem, pois sabiam das sensações estranhas que sentiriam.



Notas finais do capítulo

Espero ter MUITOS REVIEWS nesse, porque senão vou cumprir minha promessa de parar de escrever ú.u
Até o próximo XD
Kisses ^.~
PS: O PRÓXIMO SÓ SAIRÁ SE TIVER NO MINIMO 5 REVIEWS.