Amor Descomunal escrita por Lú Weasley


Capítulo 8
Capítulo 8 - Uma sabichona mirim


Notas iniciais do capítulo

Esse cap tá horrivel...
mas, fazer o q?



Pêeeen, pêeen, pêeen. O despertador fazia barulho acordando a todos no quarto.

- Ronnie, acordo amor. – acordava Hermione beijando o marido.

- MAMÃÃÃÃNHEE!!! – gritava Rose do quarto. Ela havia acordado assustada. Sempre que acordava gritando tinha tido algum pesadelo.

- Ai, por Merlin. – Ron reclamava indo ao banheiro.

Hermione fez uma careta para Ron. Vestiu rápido o seu roupão e foi ao quarto da pequena.

- Mamãe, tive um pesadelo. – dizia chorosa a menininha. – Foi um pesadelo muito ruim. O papai se mudava para a casa de vovó Molly e vocês não eram mais casados.

- Ah filha, isso foi somente um pesadelo. Nada disso vai acontecer, okay?

- Tá bom mamãe. Você ama o papai?

- Muito, mais do que você pode imaginar.

- Você ama ele mais do que me ama?

- Claro que não meu amor. O amor que eu sinto por você é um amor diferente. Um amor que nunca vai acabar.

- E o seu amor pelo papai vai acabar?

- Nunca. Meu amor pelo seu pai é infinito como é o meu por você. Só que meu amor pelo seu pai é amor de marido e mulher, de melhores amigos. E o meu amor por você, é amor de mãe. A coisa mais forte do universo.

- Intendi. Mamãe, você e o papai podem mudar o meu quarto? Eu não quero mais dormer no berço. Quero dormer igual a prima Victoire.

- Está bem. Amanhã vemos isso. Agora, vamos, saia daí e pegue um livrinho para levar para a casa dos dindos.

- Eba! Tá! Mamãe, levo o de pintar ou o de letras?

- Mas, poxou mesmo a mãe! – dizia Ron entrando pela porta surpreendendo a todas no quarto.

- E isso é ruim papai?

- Claro que não! É maravilhoso! – repondia o ruivo.

Hermione e Ron sempre se surpreendiam com a esperteza da filha. Ela tinha dois anos mas, não aparentava nem um pouco a idade.

Era linda, cabelos ruivos porém, cheios como os de sua mãe. Olhos azuis e sardas. Assim, mostrando-se uma legítima Weasley.

- Papai, esta roupa está boa? – perguntava a pequena. Estava com um vestido rosa e lilás, meia calça branca, e uma sapatilha da mesma cor do vestido. Hermione tinha dado um jeito de prender o cabelo da menina e colocando uma faixa com uma flor.

- Linda! – a menina corou um pouco com a resposta do pai.

- E eu? – perguntou Hermione. Ela estava com um vestido lilás, uma sandália de salto dourada, cabelos presos com uma presilha da mesma cor da sandália em forma de coração. Ela estava linda.

- Maravilhosa. – disse o ruivo deixando a esposa levemente corada. – Agora, vamos.

A familia foi em direção ao carro. Não podiam aparatar, Rosie era muito pequena, e tembém não podiam ir pelo pó-de-flu, pois elas estavam muito limpas e bem arrumadas.

Rose estava inquieta, estava com uma ideia na cabeça. Queria porque queria um irmãozinho.

- Mamãe e papai estão tentando, querida. Por isso a senhorita vai bater na porta do quarto antes de entrar, ok? – dizia Hermione se ajeitando na cadeira.

- Está bem mamãe. Mas, vai demorar muito? Eu quero logo. – reclamava a ruivinha pintando um dos desenhos do livrinho. Levando a Hermione e Ron terem gargalhadas.

Não demorou muito e já estavam na casa de Ginny  e Harry. Rosie havia pintado a sua familia inteira. Harry apressou-se em buscar a sobrinha ao ver o carro estacionando na porta.

- Tio Harry! – disse Rose pulando para o colo do tio. – desenhei toda a nossa familia! Olha esse é você, tia Ginny, James, Alvo, eu, mamãe, papai, tio George, tia Angelina, Fred II e Roxane na barriga da tia Angelina, tio Percy, tia Audrey, prima Molly, prima Lucy, tio Charlie, tio Fred como anjinho, tio Gui, tia Fleur, Victoire, Dominique, Louis na barriga da tia Fleur, vovó Molly e vovô Arthur.

- Nossa Rose! Vem, vamos entrar. – disse Harry com Rosie no colo.

- Primo James e primo Alvo! – disse a peuena pulando do colo do tio.

- Rose! – falaram os dois pequenos correndo um direção a prima.

- NÃO CORRAM! – gritava Ginny com os meninos. – VÃO ACABAR CAINDO!

Não foi presciso de dois segundos que eles se esborracharam no chão.

- Falei para vocês. Venham deixe-me ver os machucados.

- Tia Mione, cuida do meu joelho? – disse Alvo com os olhos lacrimejando.

- Claro meu amor! Vem, senta no meu colo que vamos dar um jeito nisso. – respondeu a morena pegando Al no colo.

Joelhos cuidados, crianças brincando novamente. Estava sendo um dia comum, Harry e Ron foram encarregados de preparar o almoço pois, nem Ginny nem Hermione estavam se sentindo muito bem.

- A… acho… - mal terminou a palavra e Hermione já tinha corridor para o banheiro mais próximo.

- Hermione? – disse o ruivo largando tudo e correndo para amparar a esposa.



Notas finais do capítulo

mandem reviwes.. pleasee..
Agradeço a todos os meus leitores!
Beijos Potterianos
s2'



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Amor Descomunal" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.