Love Of Friends, Love Of Lover.. escrita por Angelzinha, Angelzinha2


Capítulo 25
Capítulo 25- Lucky


Notas iniciais do capítulo

Yoooo people!- Diz se escondendo.
Bem, primeiro peço mil desculpa á todos(as), pela demora. Três meses, acho que bati meu record >.<'....
Mas acho que todos já sabem meus motivos neh? Bem, nem sei como consegui terminar esse capítulo antes do enem, porque ando estudando feito uma doida. Espero que não tenham me abandonado, e que gostem desse capítulo(que ficou mais pra enrolação, do que capítulo mesmo --')
Agora chega de enrolar neh? Good reading!




Capítulo anterior:




"O resto do ano se passou muito rápido, e Sakura e Sasuke odiou isso. Sasuke e ela quase não brigaram durante esse tempo. Preferiram aproveitar melhor o restante do ano com coisas que realmente valia a pena, do tipo passear com os amigos e tentar se divertir ao máximo. Com certeza foram ótimos momentos que ficarão guardados para sempre, ao lado dos melhores amigos, no qual Sakura nunca pensou em ficar longe. Quando Sakura lembrava que iria passar anos longe deles, sentia o coração apertar ainda mais.



Sakura estava terminando de fechar uma das malas, quando Sasuke entrou no quarto. Bem, digamos que eu ela não estava fechando ela, eu estava TENTANDO fechar. A mala insistia em ficar aberta, o que já estava tirando paciência de Sakura.



–Está com problemas?- Sasuke perguntou vendo Sakura pular em cima da mala, e tentar sem resultado algum, fechá-la.



–Essa..- Sakura disse com dificuldade, devido ao "tremendo" esforço.- Essa mala não quer fechar..



–Você não tem mesmo jeito para essas coisas.- Sasuke disse com um sorriso de lado.- Deixa eu tentar.- Ele disse tomando o lugar de Sakura .- Acho que você colocou roupa demais.



–O que eu posso fazer se as outras malas estão todas cheias?



–Hum. Pronto.- Sasuke disse colocando a mala no chão.



–Então acho que já tah na hora de ir..- Sakura disse respirando fundo.



–Eu não vou poder ir com você no aeroporto.- Sasuke disse desanimado.



–Porque?- Sakura perguntou triste. Achava que pelo menos ele iria, já que nenhuma das amigas poderiam ir.



–Meu pai acabou de ligar, dizendo que tenho que ir urgentemente para a empresa. Só vim me despedir de voc



–Ah é, já tinha esquecido que você está trabalhando lá.- Disse com um sorriso sem graça.



–Tenho uma coisa para te dar.- Sasuke disse procurando alguma coisa no bolso.



–Para me dar?- Sakura perguntou levantando a sombrancelha.



–Toma. Só não sei se você vai gostar.- Ele disse entregando a Sakura uma caixinha preta. Sakura a abriu, e dentro tinha uma correntinha prata, com um pingente tambérm prata, em forma de coracao, com uma pedrinha rosa no meio. Muito linda.



–É linda Sasuke!- Disse sorrindo.



–Era da minha mãe.



–Da sua mãe? Então muito obrigado, mas não posso aceitar..- Sakura disse estendendo a caixinha, e ele recusou.



–Pode sim. Ela me deu quando eu era criança, e me disse para dar para uma pessoa especial.- Ele disse meio sem graça.



–Obrigado então.- Sakura disse corada .-Entao tchal..- Sakura disse dando uma abraço em Sasuke, que correspondeu me correspondeu com um abraco bem apertado. Sakura se soltou dele, e se virou para sair do quarto. Sentiu ser puxada por Sasuke, e se virou rapidamente. Sasuke posicionou uma mão na cintura de Sakura, e a outra no rosto dela.



–Vou sentir sua falta.- Ele disse acariciando o rosto de Sakura. Sakura fechou os olhos, e sentiu a respiração dele mesclando com a dela. Sentiu os lábios de Sasuke tocarem o seu com carinho, logo depois um pedido passagem para a língua. Sakura sentiu uma lágrima escorrer, e aprfundaram mais o beijo. Não sabia ainda o que sentia por ele, só sabia que era mais intenso do que eu pensava.- Por favor.- Ele disse ainda de olhos fechados.-Não se esqueça de mim.- Ele disse a fitando profundamente. Sentiu uma corrente elétrica apenas com aquele olhar. De todos, com certeza ele era quem ela iria sentir mais falta.



–Jamais.- Sakura respondeu sorrindo, e ele deu seu famoso sorriso de lado que sempre fazia o coração de Sakura disparar.



Sakura pegou suas malas, e saiu do quarto sem olhar para trás. Com certeza a pior dor, era a dor da despedida. Principalmente quandoa despedida é da pessoa que a gente ama."

.............................................................................................................................................................................................................


Música para capítulo: Lucky- Colbie Caillat ft. Jason Mraz (http://www.kboing.com.br/jason-mraz/1-80795/)



 

"Do you hear me, I'm talking to you

Across the water across the deep blue ocean

Under the open sky oh my, baby I'm trying

 

(Você me escuta, estou falando com você

Através da água, através do profundo oceano azul

Debaixo do céu aberto oh minha querida estou tentando)"

 

Sasuke Pov's

 

Era muito estranho saber que faltava apenas um mês para Sakura voltar. Não que eu estivesse achando ruim, pelo contrário, estava feliz por saber que logo ela estaria de volta. Esses oito anos não foram muito fáceis. Entrei na faculdade e trabalhei na empresa de nossos pais para ver se o tempo passava, mas não resolveu muita coisa. Eu e Sakura quase não nos falamos durante esse tempo. Acho que estávamos evitando um contato, afinal não tínhamos muita coisa para conversar.


Todos os meus amigos pegaram muito no meu pé durante esse tempo, dizendo que eu estava mais anti-social do que o normal. Mas tenho que admitir, durante esse tempo pouco saí por causa da empresa e da faculdade. Eles viviam mandado garotas para cima de mim, mas eu não estava afim de ficar com nenhuma. Nunca fui santo, e estaria mentindo dizendo que fiquei só durante oito anos, mas também nunca achei alguma garota que me fizesse sentir tudo o que eu senti pela Sakura. Eu sabia que aquilo era errado, que erámos apenas bons amigos de infância, mas algo me prendia a ela.


Sei que é idiotice, mas muitas vezes me pegava lembrando do dia da despedida, do beijo. Aquele momento me marcou, porque não sei nem como falei aquilo para ela. Sempre fui do tipo fechado, sem demonstrar muito sentimento, mas aquele dia acabei demonstando mais do que deveria. Ás vezes me pergunto se fiz certo, ou se deveria ter me despedido apenas com um abraço. Tenho receio de ter feito errado.

.....................................................................................................................................

Ninguém Pov's(?)


Não foi nada fácil para Sakura sair de sua cidade natal, e de perto dos seus pais e amigos, mas foi necessário. Nos primeiros meses a falta foi maior, mas que logo foi um pouco diminuida pelo excesso de estudo.



Sempre que podia, falava com seus pais e seus amigos. Mas logo a faculdade começou a tomar seu tempo, e fazê-la deixá-los um pouco de lado. Isso a incomodava, principalmente porque havia uma pessoa na qual estava quase sendo insuportável aquela distância. Sasuke com certeza fazia mais falta do que qualquer outra pessoa, e não só por esse novo sentimento no qual ela descobriu a pouco tempo, mas também por terem sido sempre muito próximos.



Sentia falta de suas brigas e brincadeiras, de suas pirraças, e principalmente de sua companhia. Das várias vezes que ele a ajudou, que esteve ao seu lado. Só ela sabia como esses momentos foram importantes.



No começo, eles se falaram por telefone algumas vezes, mas sempre eram conversas rápidas, e um pouco sem sentidos no ponto de vista deles, pois nenhum dos dois tocavam no assunto do último beijo, e muito menos de seus sentimentos. Sempre que conversavam, era sobre a faculdade, trabalho e coisas do tipo. Mas que já valia a pena pelo fato de sentirem melhor só de ouvir a voz um do outro.



O problema é que depois de um ano e meio aproximadamente, as coisas na faculdade começaram a "apertar" para Sakura, a deixando totalmente sem tempo, o que a afastou de quase todos. Só conversava com seus pais de vez em quando, e geralmente de madrugada por causa do fuso horário. Com Sasuke era mais difícil ainda, pois ele estava sempre muito ocupado com a faculdade e com a empresa, o que contriubuia para não se falarem, pela falta de tempo.


.....................................................................................................................................

Sakura Pov's


Dor de cabeça, insônia e enjoo: era tudo o que eu sentia naquelas últimas semanas. Não, eu não estava com TPM e muito menos grávida ( só se fosse do vento(?) '-'), o problema é que faltava apenas 1 mês, 30 dias e 720 horas para minha volta para o Japão. Para vocês deve parecer muito, mas para mim, que passei OITO LONGOS ANOS trancada nessa porcaria de faculdade, é muito pouco tempo(?)



Na verdade, eu estava com mais medo, de que ansiosa. Sim, eu estava com medo pelo simples fato de nunca mais ter voltado em Konoha. Tinha medo de ter perdido os meus amigos, e principalmente de reencontrar Sasuke. Não sei como irei reagir, e muito menos o que falar, e isso vem me deixando mais doida do que nunca. Doida mesmo, tanto é que minhas amigas e colegas de quarto estão preocupada comigo. Não que tenha feito algo muito errado, só briguei com o tiozinho da cantina porque não tinha meu sorvete preferido. E teve uma vez também que minha amiga Lenny achou um all star meu dentro da geladeira. NÃO POSSO FAZER NADA SE NÃO DURMO MAIS DIREITO, E ESTOU TENDO QUE TOMAR CAFÉ COM COCA-COLA PARA NÃO DORMIR DURANTE O TEMPO QUE ESTOU ESTUDANDO ú.u

"Boy I hear you in my dreams

I'm lucky I'm in love with my best friend

Lucky to have been where I have been

Lucky to be coming home again

Oooohhhhoohhhhohhooohhooohhooohoooh

 

(Eu sou sortudo estou apaixonado pela minha melhor amiga

Sortudo por ter estado onde estive

Sortudo por estar voltando para casa novamente

Oooohhhhoohhhhohhooohhooohhooohoooh)

..................................................................................................................................


Um mês depois...


Eu já tinha entrado no avião, e tentava controlar a ansiedade, o que estava quase impossível. Acho que eu deveria estar mesmo muito estranha, porque o cara que estava sentado na poltrona ao lado da minha de vez em quando me olhava com um olhar de preocupação.



–Moça, você está bem?- Ele perguntou depois de um tempo, retirando os fones de ouvido.

–Estou sim.- Dei um sorriso amarelo, e acho que não funcionou.

–Você tem certeza?- Ele perguntou com uma sombrancelha arqueada.

–Tenho, só estou um pouco anciosa..- Eu disse suspirando.



"They don't know how long it takes

Waiting for a love like this

Every time we say goodbye

I wish we had one more kiss

I wait for you I promise you, I will

 

(Eles não sabem quanto tempo leva

Esperando por um amor assim

Todas as vezes em que dizemos adeus

Eu desejo que tenhamos mais um beijo

Eu esperarei por você eu prometo a você, eu vou)"






–Desculpa lhe perguntar, mas é a primeira vez que você viaja para Konoha?- Ele perguntou puxando conversa.

–Não, na verdade eu sou de lá. Vim para Londres cursar medicina, e só agora estou voltando. E você, é a primeira que viaja para lá?- Respondi de olhos fechados tentando relaxar um pouco.

–Não, eu também sou de lá, mas me mudei para Londres quando era criança, e desde então nunca mais voltei em Konoha.

–Então você deve estar bem ansioso.

–Na verdade não muito, porque vou ter que ficar um tempo na casa de um tio, até conseguir comprar uma casa, e não me dou muito bem com um dos meus primos.

–Richa de primos?- Perguntei rindo.

–Não, ele apenas cismou que eu tomei sua namorada na infância.- Ele respondeu revirando os olhos, e eu ri da cara dele.- Me desculpe, nem me apresentei. Sou Kayto Akassume, prazer.- Ele disse com um sorriso de lado, que me lembrou uma certa pessoa.

–Prazer, sou Sakura Haruno.- Eu disse sorrindo.

E assim passamos o resto da viagem, conversando sobre o que fizemos durante esse tempo em Londres, e o que pretendíamos fazer em Konoha.

Algumas horas se passaram, e nem sei dizer quantas, pois de tanto conversar nem vi a viagem passar. Logo o avião pousou, e descemos. Kayto se despediu de mim com um "tchal" e um cumprimento de mão, e foi para a direção contrário do aeroporto. Andei por algum tempo, procurando meus pais. Senti uma alegria imensa quando vi uma cabeleira rosa, sem dúvidas era minha mãe. Andei rapidamente na direção dela, e a abracei com todas as forças que tinha.

–Minha filha!- Ela disse com uma voz abafada devido ao nosso "abraço de urso".- Eu estava com tanta saudade..- Ela disse me olhando com olhos marejados depois que nos separamos.

–Eu também estava com muitas saudades mãe..- Eu disse com os olhos marejados também.


–Minha filha virou uma mulher tão linda!- Ela disse me rodando.


–Esqueceu que tem pai?- Meu pai disse atrás de mim.


–Claro que não pai!- Eu disse me virando, e o abraçando. Era muito bom rever meus pais depois de tanto tempo. Só eu sabia como isso me fazia bem.

–E eu? Esqueceu de mim?- Escutei uma voz, e logo reconheci. Olhei na direção da voz, e logo vi um garoto de cabelos castanhos e olhos verdes.


–Claro que não pirralhinho!-Eu disse abraçando Konohamaru.


–Pirralhinho? Estou maior que você!- Ele disse se sentindo. Realmente ele me ultrapassou.


–Você não deveria ter crescido tanto.- Eu disse com olhos semi-cerrados.- Sua imitação barata do papai!- Eu disse me segurando para não rir da careta dele. Apesar de ele ter completado 14 anos a algum tempo, continuava a mesma crinça de sempre.


–Saiba que eu não sou a imitação barata dele, apenas sou bem parecido.- Ele disse cruzando os braços emburrado. Olhei para ele e meu pai, e vi o quanto os dois estavam cada vez mais parecidos.


–Então vamos para casa?- Meu pai perguntou.


–Com certeza!- Eu disse animada. Estava muito feliz de ter voltado, mesmo estando ainda com um pouco de receio de encontrar uma certa pessoa.

 

Fomos para o carro, e com aproximadamente 20 minutos de viagem já tinhamos chegado em casa. Desci do carro, e fui com minha mãe em direção da porta, enquanto meu pai e meu irmão pegava minhas malas no porta malas do carro. Quando abri a porta, tive uma grande surpresa. Estavam todos lá, com uma enorme faixa escrito "Seja bem vinda!". Logo todos veio em minha direção, para me abraçar.



–Nem acredito que você voltou Testuda!- Ino disse me abraçando e chorando feito uma criança, e eu com meu coração de manteiga derretida, me desmanchei também.


–Nem eu acredito Porquinha!


–Saah!- Temari, Tenten e Hinata disse ao mesmo tempo.


–Você fez muita falta..- Tenten disse me abraçando.


–Você também..- Respondi a abraçando fortemente.


–Senti muita saudade Sakura.- Temari disse me dando um forte abraço.


–Ainda bem que você voltou Sah!- Hinata disse me dando um abraço e um beijo na bochecha.


–Eu disse que voltava!- Falei para todas, dando um abraço em conjunto.


–Pensei que você não voltava mais Sakura-chan!- Ouvi uma voz atrás de mim, e logo depois senti alguém me levantando.


–Naruto, pode me colocar de volta no chão, por favor.- Eu disse com dificuldade, devido ao fato dele estar quase me esmagando.


–Naruto-kun!- Hinata o repreendeu.- Você está machucando a Sah.


–Foi mal Sakura-chan..- Ele disse coçando a cabeça com um sorriso amarelo, depois de finalmente ter me colocado no chão.


–Então voltou mesmo.- Shikamaru disse me abraçando.


–Voltei.- Respondi sorrindo, retribuindo ao abraço.


–Ainda bem que você voltou. Não aguentava mais a Ino me enchendo, dizendo que você tinha nos abandonado.- Gaara disse me abraçando.


–É, eu sei que ela me ama. Sinto muito por você.- Respondi abraçando ele, e rindo.


–Voltou para ficar?- Neji perguntou depois que nos separamos.


–Com certeza!- Respondi sorrindo.


Depois de abraçar todos que estavam lá, fomos comer os aperitivos que minha mãe tinha preparado para a "festinha" de boas vindas. Eu estava super feliz em ter voltado, e reencontrado meus amigos, mas algo tinha me deixado desapontada. Todos estavam lá, menos quem eu mais queria ver..


 

Conversamos, me perguntaram como foi minha vida em Londres, fiz um resumão de tudo o que fiz por lá. Depois de muita conversa jogada fora, foram embora quando já estava anoitecendo. Por mim, ficariam mais lá, mas me disseram que eu deveria descansar. Eu estava mesmo um pouco cansada da viagem, mas não me canvasa deles. Mas infelizmente, como sempre, ninguém me ouviu e todos foram embora.



Subi pela primeira vez depois de tantos anos, para o meu quarto e tudo estava exatamente como deixei. A não ser pelo computador novo que notei no cantinho do quarto. Olhei em volta, e acabei parando o olhar na sacada. Lá estava o quarto dele, com a porta da sacada aberta também. Pelo visto nada mudou por aqui, espero que nossa amizade também não tenha mudado muita coisa..


 

Peguei em uma das minhas malas, um short jeans azul e uma regata rosa bebê, e fui para o banheiro. Meu corpo só desejava um banho, e cama urgentemente. Depois de tomar banho, voltei para o quarto e olhei aquelas três enormes malas em minha frente. Toda minha alegria em pensar em dormir, foi embora naquele exato momento. Pensei uma, duas, três vezes em deixar aquelas malas, e dormir. Depois arrumaria tudo. Mas logo lembrei que eu sou eu, e que sempre que deixo algo para depois, acabo não fazendo. Sabia que se eu não arrumasse agora, ela ficaria do mesmo jeito por dias, ou quem sabe por meses. Pois é, era muito difícil ser eu(?)



Relutante, resolvi ir desarrumar aquelas malas gigantes. Depois de quase uma hora, eu já havia desarrumado duas, e quase sem coragem olhei para a terceira. Eu a olhei, ela me olhou, e ficamos naquela troca de olhares muy romantica(?)



Fui na tranca do zíper, e tentei destrancá-la e não consegui. Lembrei que tinha uma chave, a peguei e tentei de novo, e nada. Fui mais uma vez na tentativa, e não resolveu muito.



–Sua filha de uma mosquita!- Eu disse chutando ela, e cruzando os braços já sem paciência. Suspirei, e fui tentar de novo. Coloquei a mão sobre a chave, e tentei girar mas não deu muito certo. Senti uma mão sobre a minha, pressionou minha mão sobre o chave malvada(?), girou e logo a mala foi destrancada. Olhei para trás, e vi um sorriso torto.


–Você não mudou nada.- Ouvi aquela voz grave, que fez meu coração ir a mil novamente.

 

Lucky to have been where I have been


Lucky to be coming home again

I'm lucky we're in love in every way

Lucky to have stayed where we have stayed

Lucky to be coming home someday

 

(Sortudo por estar apaixonado pela minha melhor amiga

Sortudo por ter estado onde estive

Sortudo por estar voltando para casa novamente

Sortudo por estarmos apaixonados de todas as maneiras

Sortudo por termos ficado onde ficamos

Sortudo por está voltando para casa algum dia)"




Notas finais do capítulo

E aí, o que acharam desse capítulo? Desculpem se decepcionei alguém com essa volta dela. Sei que deveria ter sido mais emocionante, mas foi o que consegui escrever..
O próximo acho que só sai em Dezembro, porque meu ano escolar termina agora em Novembro, aí não vou mais ter tempo de escrever. Só se por um milagre as coisas "desapertarem" para mim, caso contrário, até Dezembro :)
Bem, deixem review, pois preciso de opiniões. E por favor, se alguém puder, recomende a fic >.<' Ninguém mais recomendou, toh triste..
Até o próximo, kisses♥'