A Última Dumbledore escrita por Baggins


Capítulo 7
AD


Notas iniciais do capítulo

Mais um :))))



Já era noite. Estava no Salão Comunal, um pouco afastada de todos. Ultimamente fazia muito isso. Chegava do Salão Principal e me sentava perto da janela. Pensava sobre tudo; Como íamos continuar com a AD, nas atitudes de Draco, nas do Snape… Nunca chegava a conclusão nenhuma.

- Bella. – Chamou Gina. – Eu vou subir, você vem?

- Vou! – Disse me levantando. – Tchau gente! – Me despedi dos outros.

Já estávamos no quarto, quando Gina pediu meu livro emprestado. Sério, tava me sentindo a própria Hermione dando o dever pros outros copiarem! Revirei o malão à procura dele quando algo caiu de uma de minhas caixinhas. Fui ver o que era e me surpreendi ao vê-lo.

- GINA! – Gritei.

- O que foi, Bella? – Perguntou desesperada.

- Já podemos abrir a AD…

- Como assim? – Perguntou com os olhos brilhando.

- Lembra que estávamos discutindo como íamos fazer pra nos comunicar com os membros? – Perguntei tentando esclarecer aquela cabeça ruivinha. Vi ela assentir. – Então, já temos esse meio! – Foi quando ergui o falso galeão que a Hermione usara no quinto ano.

- Bella, isso é genial! Precisamos avisar aos outros! – Falou se dirigindo a porta.

- Ei, calma garota! Amanhã nós cuidamos disso, até porque você não tinha uma coisa pra fazer?

- O quê? – Perguntou confusa.

- Copiar minha tarefa. – Falei com falsa severidade.

- Ah é… - Entreguei o pergaminho e o livro.

Ficamos conversando sobre os planos pra AD até ela terminar de COPIAR minha tarefa. Depois disso fomos dormir. E meus sonhos não foram nada legais (Novidade…)

Estava em Godric's Hollow (sim, eu moro no mesmo lugar em que os pais do Harry morreram), era noite e não havia ninguém nas ruas. Reinava um silêncio que seria pacífico, não fosse a atmosfera de medo que o novo tempo trazia. Tempo no qual Comensais da Morte andavam livremente pelas ruas, matando e aterrorizando cada um que se pusesse no seu caminho.

Ouvi um murmúrio baixo vindo da minha esquerda. Me virei e dei de cara com um garotinho encolhido ao lado de um dos chalés do povoado. Me aproximei dele.

- Você está bem?

- Eles vêm me pegar! Eles estão chegando! Vão me pegar! – Falava enquanto se balançava agarrado aos joelhos.

- Quem? – Perguntei. Já estava ficando preocupada, primeiro não entendia o porquê dele estar aqui fora sozinho à noite e segundo porque não sabia se ele estava louco ou o quê…

- Os comensais! Eles estão atrás de mim. – Falou aterrorizado.

- Porquê?

- Meu pai… meu pai estava falando mal de Você-Sabe-Quem. Eles o mataram. Depois foram atrás da minha mãe, e agora vão me matar.

Assim que ele disse aquilo ouvi passos vindo naquela direção. Fenrir Greyback e Antonio Dolohov estavam com as varinhas apontadas para o garoto e pareciam não conseguir me ver. Eu, por outro lado, não conseguia me mexer.

- Por favor, não façam isso! – Implorava o garotinho com lágrimas nos olhos.

Porém isso só fez com que eles o olhassem com mais desprezo (se é que isso era possível). Então, de uma hora pra outra Dolohov abaixou a varinha.

- Como quiser, não vamos matá-lo... – Disse docemente. Vi o garoto relaxar e no mesmo segundo Dolohov apontou a varinha pra ele novamente. – Ainda. CRUCIO!

Vi o garoto se contorcer de dor. Queria impedir, queria fazer algo para ajudá-lo mas não conseguia me mexer. Depois do que se pareceram séculos, Dolohov parou o feitiço para então falar. – Isso tudo é culpa do seu pai, sabia? Se ele tivesse mais respeito ao Lorde das Trevas isso não estaria acontecendo. Mas vou acabar com seu sofrimento agora mesmo. – Falou com um enorme sorriso no rosto. – AVADA KEDAVRA!

Acordei tremendo e com os olhos cheios de lágrimas. Não sabia se aquilo tinha sido real ou se o pesadelo foi só obra dos dementadores mas parecia tão real. Parecia que eu estava realmente ali, vendo o garotinho sofrer, vendo seu corpo se contorcer de dor ao receber a maldição…

- Calma, Bella! Foi só um sonho. – A cada vez que repetia isso, mais me convencia de que tinha sido real.

………….

Fui tomar banho, enquanto Gina criava coragem pra se levantar, outra coisa que ela tinha de sobra: Preguiça! Assim que terminei de me arrumar desci pra encontrar Neville e falar das novidade sobre a AD, afinal ainda tínhamos tempo antes do café da manhã.

- Oi Bella. Dormiu bem? – Me cumprimentou com um beijo na bochecha.

- O que você acha? – Falei me sentando.

Ele deu um risinho. – Pois é, pergunta idiota de se fazer… Mas, mudando de assunto o que foi que você queria falar sobre a AD?

- Bem, eu e a Gina descobrimos um meio de nos comunicar com os outros membros…  Quer dizer não é nada novo, mas vamos dizer que estaremos reaproveitando a ideia de outra pessoa.

- Continue…

- Lembra dos falsos galeões da Mione?

- Lembro.

- Então, poderíamos usar eles pra nos comunicar e os Carrow nem iam desconfiar!

- Bella, isso é genial! Como não tinhamos pensado nisso antes? – Falou muito alegre. Tipo muito mesmo. – E quando vamos botar a AD em ação novamente?

- Primeiro, temos que falar com os outros alunos. Combinar quando será a primeira reunião e tal. Podíamos nos reunir ainda hoje, na Sala Precisa. O que você acha?

- Eu acho que o quanto mais rápido resolvermos isso, melhor! Até porque, as pessoas não vão aguentar muito tempo caladas esses Carrow.

- Concordo! Então, hoje a noite, antes do toque de recolher, na Sala Precisa.

- Ótimo, podemos chamar o pessoal da Grifinória no café da manhã. Digo, pedir pra cada um repassar a mensagem e se puderem avisar aos colegas das outras casas… - Disse modesto.

- Brilhante Neville!

Descemos pro Salão Principal e tratamos logo de pôr nosso plano em ação! Fiquei tão distraida com isso que me esqueci até do pesadelo, graças a Merlin!

………….

O dia passou se arrastando (ou foi só minha ansiedade que distorceu minha noção de tempo?). Finalmente estávamos nos dirigindo ao Salão Principal para o jantar. Gina, Neville e eu combinamos de irmos separados pra Sala Precisa, pra não levantar suspeitas. Como sempre, eu seria a última a ir pra lá, e tive que esperar até todos os membros saírem do Salão, um por um.

Quando todos já haviam ido, peguei minhas coisas e me dirigi ao sétimo andar em direção à Sala Precisa e me concentrei bem onde queria ir. Passei três vezes em frente da parede quando uma porta apareceu na minha frente. Armada de Dumbledore aí vou eu!



Notas finais do capítulo

Espero que tenham gostado! Até o próximo xx