A Última Dumbledore escrita por Baggins


Capítulo 21
De volta à Plataforma


Notas iniciais do capítulo

Gente, CADÊ VOCÊS?
Na boa, isso tá me deixando triste. Eu me esforço pra fazer os capítulos e não recebo quase reviews nenhum. O que tá acontecendo? Vocês não estão gostando?



A viagem pareceu durar séculos. No vagão, ninguém trocava uma palavra, ainda estávamos em choque sobre o que havia acontecido. Nem percebemos quando chegamos na Plataforma.

- Bom, até mais gente. – Simas falou enquanto saia do vagão. O vagão foi ficando cada vez mais vazio, até que restou apenas Neville, Gina e eu. Não falamos nada por alguns minutos, só fitando o vazio.

- É melhor irmos. – Levantei e fui em direção à porta. – Devem estar preocupados.

Desembarcamos na Plataforma 9 ¾ , repleta de pais recebendo com alegria seus filhos. Não conseguia ver minha mãe em canto nenhum.

- Onde você estava? – Draco colocou-se na minha frente. – Fiquei preocupado, sabia? – Disse me abraçando.

- Estava me recuperando do susto de logo cedo. – Respondi.

- Tudo bem, mas da próxima vez avise-me! – Assenti. – Vem, quero que conheça uma pessoa. – Me puxou na direção contrária a que Gina e Neville iam. Mas não havia problema, sabia que iria encontrá-los antes de ir embora.

Draco passou os braços ao redor de meus ombros e me levou até uma mulher de aparência amigável e que ao mesmo tempo, conseguia manter as pessoas longe. Ela lembrava um pouco o Draco, pensando bem…

- Ah, não! – Livrei-me de seu abraço e fui na direção contrária.

- Ei, o que foi? – Puxou meu braço, impedindo-me de andar mais.

- O que foi? – Tentei soltar-me de seu aperto. – É a sua mãe.

- E?

- E, eu não vou conhecê-la assim. – Apontei para minhas roupas, as roupas que Gina escolheu.

- Ah qual é, você está linda! – Falou puxando-me na direção daquela mulher.

- Não. Draco. – Tentei soltar-me. Em vão. – Draco. – Agarrei uma das pilastras da Plataforma.

- Vem. – Ele abraçou-me por trás, e me suspendeu. Não tive como conter a risada.

- Não… vou.

- Vem. – Me puxou outra vez. Eu não largava a pilastra. – Solta.

- Solta você. – Falei rindo.

- Bella, por favor! – Implorou.

- Argh, tá bom. – Soltei a pilastra, porém ele continuou abraçado à mim. Como garantia de que eu não ia fugir.

- Mãe. – Draco falou quando nos aproximamos. Ela acabou com a distância que havia entre os dois em segundos, e deu um abraço apertado no filho. Não deixei de duvidar do amor que havia entre os dois.

- Você está bem? – Ela perguntou.

- Estou, mãe. – Respondeu. – Na verdade, queria apresentar alguém. – Puxou-me para seu lado e Narcisa me observou atentamente. – Mãe, essa é…

- Isabella. – Ela me cumprimentou, e deve ter percebido a confusão no meu olhar, pois tratou de se esclarecer. – O Draco falou-me sobre você.

- Falou? – Olhei para Draco com um olhar sugestivo. Ele ficou vermelho.

- Falou, - despois acrescentou baixinho. – e muito. – Eu ri. Ela não era o bicho-de-sete-cabeças que as pessoas sempre pintavam. – Fico feliz de finalmente conhecê-la. – Foi quando me dei conta de que não tinha falado sobre o Draco para minha mãe. É, a consciência pesou.

- Eu também. Eu… - Parei ao avistar Lupin. O que ele fazia ali?

- Bella? – Draco perguntou.

- Desculpe. – Olhei para Narcisa, tentando passar o quanto lamentava apenas naquele olhar. – Sinto muito, mas preciso ir. Mesmo! – Narcisa assentiu. – Foi um prazer conhecer a senhora. – Dei-lhe um abraço meio hesitante e virei-me para Draco. – Vejo você na escola. – O abraçei e dei-lhe um beijo. – Feliz Natal! – Desejei.

Fui na direção daonde havia visto Remo. – Lupin? – Ele estava de costas para mim. Quando cirou, vi preocupação em seus olhos. – Aconteceu alguma coisa?

- Soube que Luna foi tirada do trem à força… - Falou inquieto.

- Foi. Dois Comensais entraram no vagão e, bem, levaram-na. – Ele me olhava de um modo sugestivo. – Sabe o porquê de quererem levá-la?

- Bem, achamos que é porque o pai da Luna…

- Xenofílio? – Interrompi.

- Sim, ele vem causando problemas à Você-Sabe-Quem.

- Como assim? – Interrompi outra vez.

- Ele tem publicado alguns artigos apoiando o Harry. É o único motivo que conseguimos achar… - Falou.

- Se esse for realmente o motivo, muita gente corre perigo. – Ele olhou-me confuso. – Digo, eles, os Comensais, pegaram a Luna porque o pai estava causando problemas, então, acho que não vai durar muito tempo até eles fazerem com outros ou o contrário.

- O contrário? – Perguntou.

- Raptar alunos que causam problemas lá dentro. – Falei pensativa.

- Faz sentido. Eu vou conversar com os membros restantes da Ordem. – Falou.

- Membros restantes? Como assim?

- Alguns dos antigos membros não fazem mais parte da Ordem. Muitos sucumbiram ao medo. – Ele estava tão abalado que nem ousei fazer mais perguntas. – Agora, é melhor você ir falar com sua mãe, ela está preocupada.

- Tudo bem. Feliz Natal, Lupin. – Virei-me na direção que havia visto Gina e Neville, porém antes que pudesse ir embora, Lupin fez a pergunta premiada.

- O que você estava fazendo com Draco Malfoy?

- Conversando. – Enrolei.

Ele não se convenceu, mas deixou passar: - Ok, cuide-se. E um feliz natal para você e sua mãe.

***

- Mãe? – Chamei-a.

- Ah, Bella. – Abraçou-me assim que cheguei perto. – Que saudade! Você está bem? Se machucou? Porque demorou tanto? – Examinou-me. – Soube de Luna, sinto muito.

- Oi, mãe. Também senti saudades e sim, estou bem, apesar do susto. Estava conversando com amigos. – Respondi às suas 1351 perguntas. – Senhora Weasley. - Dei-lhe um abraço.

- Olá, minha querida. Fred e Jorge mandaram um beijo e desejaram um feliz natal! – Falou.

- Eles não vieram? – Poxa, esperava que eles estivessem aqui, pelo menos melhoraria meu humor.

- Não, ficaram na loja. É Natal e as encomendas e clientes aumentam. – Respondeu.

- Entendi. E o senhor Weasley?

- Está no trabalho. Você sabe, as coisas no Ministério não estão nada boas. Milhares de empregados desapareceram, outros foram mortos. Mas não vamos nos preocupar com isso agora não é?

- Exatamente. – Mamãe falou. – É Natal, não vamos ficar pensando em coisas ruins. – Nesse momento, Draco e Narcisa passaram ao nosso lado. Quando me viu, Draco sorriu e piscou. Mamãe e Molly olharam para mim, ambas confusas. – Bella…

- Depois eu explico, mãe. – Fuzilei Draco com o olhar. – É melhor irmos. Feliz Natal pessoal! – Me despedi de Gina, Neville e a senhora Weasley.

Saímos da Plataforma e nos preparamos para aparatar, com destino à Godric’s Hollow.



Notas finais do capítulo

Gente, desculpa, mas não sei quando vou postar o próximo capítulo, então até o próximo.
xx.