Cicatrizes escrita por SilenceMaker


Capítulo 5
Epílogo


Notas iniciais do capítulo

Um capítulo extra para os que quiserem saber exatamente o que aconteceu com o Fran. Do ponto de vista dele.



Fran se arrependeu de sair da mansão logo que o fez. Mas se voltasse naquele momento, nem queria saber que tipo de coisa Belphegor lhe diria mais.

A cada dia ele perambulava por uma cidade diferente. Não queria ficar sempre no mesmo lugar.

Seu coração apertava e queimava, como brasa. Não queria mais pensar. Não queria mais sentir, sentir dor e agonia. Queria ser apenas uma ameba inútil que não tem que se preocupar com absolutamente nada.

Sem perceber, sempre acabava voltando para a mesma cidade, que era onde Bel e Fran sempre iam.

Estava tão abalado e absorto em pensamentos que nem notou alguém se aproximando por trás. O dia amanhecia preguiçosamente e ele não sentia o menor sono.

— Sua expressão é de quem chegou no fundo do poço — disse a pessoa atrás de si.

Fran parou de andar e virou-se para a pessoa que o seguia. Era um homem, velho na opinião dele, grande.

— Quantos anos tem? — perguntou o homem.

Fran não respondeu, mantendo-se em silêncio.

— Não aparenta ter mais de vinte anos. É triste ver alguém tão jovem com uma expressão dessas.

Ele ainda não recebeu resposta para sua conversa tola.

— Quer beber algo? — indagou o homem, sem se alterar com a indiferença do outro. — Afogar as mágoas?

— Não — Fran respondeu.

— Qual o problema? Pior do que está não pode ficar, certo? Se já chegou no fundo do poço significa que não pode afundar mais.

Fran arqueou as sobrancelhas, como se pensasse sobre o assunto. Sem esperar outra resposta do menor, o homem segurou-lhe pelo pulso firmemente e puxou-o em direção a um bar famoso, onde Fran sempre quis ir.

Claro que Fran poderia livrar-se facilmente dele. Mas simplesmente não tinha ânimo ou sequer energia para tal. Não queria beber. O que Belphegor diria se soubesse que bebera algo? O desprezaria mais ainda, óbvio.

Mas o copo simplesmente lhe foi forçado pela garganta, e logo ele percebeu que era muito fraco para bebidas. Com apenas um copo daquilo ele já não se lembrava de muita coisa, algumas garrafas depois não se lembrava de absolutamente nada.

A única coisa que recordava foi alguém lhe chamando de sapo, em meio à ceguez temporária e o torpor desagradável. Quando se deu conta, já estava de volta na mansão com Bel dormindo na cadeira ao seu lado.

Não pediu explicações.

Não queria explicações.

Não para aquilo.

Tudo já foi resolvido pouco tempo depois, quando Belphegor disse-lhe aquelas palavras bonitas que sempre quis ouvir do loiro: "Eu te amo".

Após aquilo os dois ficaram exatamente como um casal colegial apaixonado, o que acabou causando náuseas em Squalo e fez Xanxus gargalhar mais do que tudo. Lussuria começou a chorar, dizendo o quanto seus filhos estavam crescendo. Nem vale a pena mencionar a reação de Levi, já que o mesmo apóia qualquer decisão do seu chefe.

Mas aquela não foi a única confissão que Fran e Belphegor fizeram um para o outro. Foi a primeira de muitas.



Notas finais do capítulo

Muito provavelmente essa fic tenha ficado completamente sem sal, mas eu TINHA que escrever algo parecido com isso, e então saiu essa porcaria que acabou de ler.
Deixem reviews, por favor. Obrigada por ler até aqui! ^.^



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Cicatrizes" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.