Marotos - Uma Nova História escrita por Sara_McGonagall


Capítulo 2
Onde tudo Começa...


Notas iniciais do capítulo

É inicio do último anos dos marotos, tecnicamente queriam fazer desse o último ano o qual fosse memorável. Aliás, para alguns realmente é. Enfim, como todo ano é liberado os passeios a Hogsmeade aconteceu de os marotos estarem intediados e ai... depois de destruirem a praça central... obviamente tiveram consequências mas graças as barbas de Merlin (e ajudinha de Dumbledore) eles não foram punidos com o que mais gostavam, o jogo o qual seria "a revanche" pelo castigo...



Apesar de amanhecer um domingo chuvoso, o interior de  Hogwarts estava muito mais animada do que geralmente se via em uma sexta feira. Deixem eu explicar a vocês o que realmente estava deixando os jovens bruxos do sétimo ano alvoroçados. Bem, acontece que Gryffindor e Slytherin estavam em pé de guerra, ok, isso não é nenhuma novidade, mas depois de um belo desentendimento em Hogsmeade onde haviam causado estragos não só a praça principal como também ao “orgulho” dos leões as coisas ficaram um tanto quanto “delicadas” demais. Bem, cada um tem seu próprio ponto “sensível” e o do jovem James Potter, mesmo que ele não dissesse era o de JAMAIS reconhecer que estava errado.

-     Aqueles filhotes de Minhoca.... - dizia ele voltando da centésima nona detenção  aquele mês - … se McGonagall não tivesse chegado eu juro que  teria transformado aquela múmia oxigenada do Malfoy em palha de milho...

-    Tudo bem ó todo poderoso... - replicava Aluado agora ajeitando os óculos -...    tivemos foi é sorte de não termos sido suspensos do jogo de quadribol...

-    Ahhh qual é  Aluado... não corta nosso barato não,  você sabe muito bem que mexer com os Marotos é briga na certa além disso eles mereceram... - repondeu Sírius remexendo no cabelo e se olhando no espelho.

-    Aqueles sonsos acabaram por declarar guerra contra a Gryffindor, e   não vou medir esforços para detonar eles hoje em campo... escreve o que eu estou dizendo ai... JAMES POTTER vai chutar uns traseiros  verdes!

-    Essa eu vou querer ver... - agora era a vez de Peter dizer saindo com o grupo de dentro do dormitório masculino.

 Como sempre algumas  garotas suspiravam ao vê-los passando porém para não dizer “ todas” ainda haviam garotas que apenas conviviam com isso. Era  o caso de Lily, a ruiva que havia se tornado monitora e o qual estava sempre repreendendo quem quer que passasse dos limites, o que poderia dizer que era Potter. Ele podia até ser amigo de Remus, e talvez por isso mesmo acabava se “safando” ou Remus era mole demais com eles enfim, ela não admitia que ficassem se mostrando ou rebaixando qualquer outro aluno. Principalmente Severo.

-    Você ainda está azeda por causa do Snape? - a ruiva ouviu uma voz a sua esquerda mas    não entendera devido ao tanto de barulho que estavam fazendo.

-  O que foi Alice? -  disse ela tentando ouvir alguma coisa mas era praticamente impossível os gritinhos e risinhos das garotas acabavam dando a qualquer gesto que os marotos faziam – DÁ PRA PARAR DE BERRAR FEITO TRASGOS NO COM CÓLICA...TEM GENTE QUERENDO CONVERSAR AQUI!

-  Qual é o problema Evans? - a voz cheia de si e sedutora de James ecoara do outro lado do salão – O Assédio a minha pessoa te aborrece?

-  Vê se te enxerga Potter... - respondeu Lily, se tinha algo que ela achava mais insuportavel do que a presença do Ego de Potter ecoando aos 4 cantos da torre da Gryffindor era a voz do garoto.

-  Ah eu me enxergo sim... - disse ele dando de ombros e lançando um olhar para a jovem   -  e convenhamos sempre vejo um cara legal, lindo e maravilhoso... pena que você é a única que não me vê...

A carinha de cão sem dono que o garoto fizera para a ruiva fez com que Alice caísse na gargalhada, ao contrário do olhar que a pobre garota recebera de Lily no minuto seguinte. James saiu em seguida com uma comitiva rumo ao campo de quadribol deixando Alice e Lily na sala comunal.

- Você tem de admitir Lily... ele tem estilo... – disse por fim Alice se levantando – Você não vem?

- Não... – Disse Lily decidida abrindo um livro de Poções – Prefiro ficar e rever o último conteúdo do professor Slughorn a ter de me sujeitar a ver a cara do Potter se vangloriando outra vez.

- Bem...  – respondeu Alice com um sorriso - ... eu vou lá ver como vai ficar a cara dos sonserinos depois que dermos uma lavada neles... além disso fiquei de encontrar Sarah e Olivia lá... queremos dar uma liçãozinha em Mandy e sua trupe...

- Não me faça lhe dar uma detenção Bounce... – frizou Lily mas Alice apenas sorriu.

- Ué... você não vai estar lá... então tecnicamente não está sabendo quem foi...  e tenta relaxar Evans... ou vou começar a chamar você de vovó Lily...

Dizendo isso Alice saiu atrás dos últimos ‘resquisios” da comitiva entonando o canto que a torcida cantava.

Já do lado de fora do castelo o tempo não era o dos melhores, Sarah e Olivia estavam andando calmamente através dos jardins tentando (e saltando) algumas poças de água que haviam se acumulado com a chuva  e tentavam “não pensar” no que havia acontecido no dia  anterior em Hogsmeade.

-    Isso é tão  injusto... - disse Olivia enquanto caminhavam pelos gramados rumo ao campo de quadribol. - A gente não fez nada demais...

- Bem, se você chama “encher o traseiro e a cara de furúnculos” a líder da torcida imbecilizada do Potter de “nada” então... não fizemos nada mesmo... -    respondeu Sarah segurando o riso.

-  Ah qual é Sarah... - respondeu Olívia indignada – Aquela garota está  enchendo minha paciência desde nosso quinto ano quando ela descobriu para quê serve os peitos que ela tem agora... se bem que to achando que ela falou com Madame Ponfrey para aumentar aquilo... = e fez um sinal na frente dos seios mostrando volume- ... e ainda assim acha que pode fazer o que quiser com o resto das garotas?

- Você sabe muito bem qual é o motivo disso não é? - respondeu ela enquanto ouvia alguns gritinhos, isso realmente era sinal de que os “marotos”    estavam se aproximando. - Xiii falando na peste... olha ela ai...

A algazarra era inconfundível, Sarah evitou olhar para trás pois sabia que Mandy e sua trupe estariam babando feito cadelinhas para cima dos marotos, era óbvio que eles é claro  adoravam essa atenção toda, não que fossem ruim afinal ela em si conhecia Sírius e Lupin e eram até legais, mas James Potter tinha a fama de colecionar garotas como troféus e só de pensar nisso Sarah sentia uma revolta terrível no estomago.

-    Confesso que não sei o que essas garotas vêem neles sabia? - disse ela por fim enquanto a comitiva passava.

-  Que é isso Sarah, não dá pra negar que eles são uns gatinhos... - respondeu Olívia e então notou que Sarah havia parado e encarado ela - … deixa disso, até uma cega veria que são lindinhos... ok, Potter é meio arrogante e Sírius um Don Juan de quinta mas Remus é fofo...

Sarah sorriu e arqueou uma das sobrancelhas, desconfiada e Olivia percebeu. Alguma coisa estava passando pela cabeça da amiga. Olivia dera de ombros e então continuou o caminho porém Sarah a alcançou.

-  Ahhhh admita...    você está a fim do Remus não é? - Perguntou Sarah enquanto a algazarra ficava ainda mais forte com a aproximação. Ao notar o  meio “engasgo” de Olivia Sarah riu ainda mais alto – Aha....  eu sabia... você está afim do Lupin!

-  Pára com isso... -    disse Olivia fazendo sinal para que a jovem gryffindor ficasse  calada pois o grupo de garotos já estava praticamente ao lado  delas.

-  Como vão senhoritas... - Sírius falara com sua melhor cara de galanteador e assim seguiu com a comitiva e com no mínimo umas 6 garotas em sua volta. James não era diferente assim como Remus, este até então parecendo um tanto deslocado acompanhado de Peter. Este apenas  meneou a cabeça cumprimentando Sarah e Olivia e seguiu.

Sarah batera de leve com a mão no queixo de Oliva e esta ameaçara dar-lhe uma azaração com a varinha.

-  Ué, segura o queixo ou ele vai parar lá no pé... - disse ela e então ambas entraram nas escadarias rumo ao tão famoso e esperado jogo de quadribol.

Como todos os jogos da taça das casas, James procurara passar ao seu time uma boa e velha injeção de ânimo. Era o capitão do time, e querendo ou não era sua função. Obviamente não poderia deixar de notar que seus amigos apesar de confiantes ainda assim estavam um pouco revoltados e porque não dizer “ansiosos”

- Ai galera... eu sei que tem um monte de gente lá fora que estão doidos para zoarem com a gente... – ouviu então algumas vaias em resposta e então sacudiu as mãos as ignorando - ... mas não é isso que iremos mostrar. Armaram pra gente em Hogsmeade, e sei que hoje ninguém da casa dos verdinhos irá jogar limpo, também não quero que vocês joguem sujo afinal, somos muito superiores aquele bando de seres rastejantes...

- Ahhh deixa disso Potter... está querendo que a gente apanhe sem dar o troco??? – ouviu a voz do goleiro do time e Potter logo sorriu.

- Não Kevin...  – disse ele com a voz confiante e firme. Queria passar confiança e não importava o que aconteceria. Ok, importava sim, era questão de honra chutar uns traseiros e derrubar alguns sonserinos das vassouras, mas ele, James Potter não ia deixar isso “tão exposto” assim. - ... estou dizendo para somente usarem as suas varinhas, quando realmente for necessário. Então é com a gente agora galera... vamos detonar essas cobras...

Um grito em conjunto lembrando um Rugido de leão foi ouvido e então a equipe toda foi para o campo. A torcida vermelha e dourada se agitava na arquibancada. Era incrível como voar fazia bem ao capitão Gryffindor. E o que mais fazia bem a ele era o os gritos de apoio da torcida. Enquanto James dava um rasante pela arquibancada, Sarah e Olívia tentavam achar lugares onde pudessem ver a partida sem maiores problemas. Obviamente é claro, todo jogo contra Slytherin acabava em confusão e esse não tinha porque ser diferente.

- Vem Olivia... – disse Sarah pegando na mão da garota e a conduzindo alguns degraus acima - ... ali.. tem uma vaga ao lado do Peter. - Olivia por sua vez puxara a mão e Sarah virou-se com uma expressão de incompreensão. – O que foi?

- Como o que foi... – disse Olivia quase aos sussurros - ... Obviamente ele está guardando lugar pro Lupin né?

- E daí? – respondeu Sarah – Você escolhe... mas eu não vou ficar ai sendo alvo fácil de sonserinos... prefiro me arriscar com dois dos marotos... obrigado...  – disse Sarah  tentando abrir passagem por alguns lufanos e corvinais até chegar ao lugar onde havia um espaço.

Lupin obviamente abrira espaço para que as duas sentassem, e Sarah pode perceber que realmente, Remus era diferente dos outros do grupo. Contudo decidira que era melhor sentar na fileira acima dele deixando Olivia que senta-se ao lado do garoto.  Lupin apenas sorriu, a jovem tinha a leve impressão de que fora um sorriso de ‘agradecimento” mas não quis acreditar nisso logo de cara.  

O time da Gryffindor entrou voando, Sarah estava obviamente encantada como o time tinha o domínio da vassoura no ar. Não que ela não soubesse voar, ao contrário ela sabia e MUITO BEM o detalhe é que nunca achou que tivesse talento. Na verdade como Olivia Sempre lhe dizia “ela tinha pavor” de chamar atenção pra si.

- Eu juro que não te entendo... – ouviu a voz de Olivia e então não entendera o que a garota queria dizer – Quadribol... você é ótima Sarah... não sei porque não entrou para o time ainda...

- Você joga quadribol? – perguntou Lupin interessado e Sarah tentou falar mas Olívia a interrompeu.

- Ela não só joga como é muito boa...  – Sarah tentou interromper mas Olivia continuou falando - ... eu já cansei de dizer a ela que a Backshot é um trasgo montado em uma vassoura perto dela... mas quem disse que ela me ouve?

- Interessante... – disse Lupin por fim - ... Se é tão boa quanto Olivia aqui diz, porque não fez nenhum teste pro time?

Sarah sentiu o rosto esquentar rapidamente, tinha de lembrar de tirar a língua de Olivia por falar demais.

- Ah... sabe como é...  – começou Olivia outra vez mas então Sarah cortou-lhe.

- Não tive chances... além disso tinha muita gente melhor do que eu... – começou ela bem na hora em que ouviu alguém com a voz esganiçada praticamente ao seu lado.

- Ainda bem que sabe reconhecer que tem gente melhor que você Perks... – Sarah não precisou ser boa em adivinhação pra descobrir que a voz vinha de Mandy Paperwelld. A líder da torcida imbecilizada dos marotos. Sarah pode ouvir um “lamentar audível” vindo de Remus e Peter mas os detalhes da camisa da garota a sua frente a chamou atenção.

- Nesse caso... está se auto-eliminando não é Mandy? – disse Olivia e o que recebera em troca foi algo que tirou Sarah do sério.

- Até parece que uma desclassificada sem eira nem beira pode dirigir a palavra a alguém puro sangue e de renome quanto eu... – ofendeu Mandy e até mesmo Lupin demonstrara desagrado. – E porque você Remus, não está reunido com o nosso grupo?

- Prefiro a compania de Sarah e Olivia... se não se importa... – disse ele todo educado e pomposo - ... acho que estão lhe esperando para animar o resto da sua torcida...

Mandy então dera de ombros a ele mas não sem antes estocar propositalmente o cotovelo na cabeça de Sarah. Essa reclamou em protesto mas a atenção agora era voltada ao jogo. Sonserina estava com o time desfalcado. Malfoy estava sentado na arquibancada um pouco abaixo de Mandy, e parecia até muito tranqüilo o que deixou Sarah preocupada.

- Vocês não acham que Malfoy está “calmo demais” pra alguém que foi deixado fora de uma partida contra a Gryffindor? – disse ela em meio aos ombros de Lupin e Olívia.

Os dois acompanharam a visão dela enquanto Sonserina marcava o primeiro gol.

- Ahhh qual é....  SERÁ QUE DÁ PRA VOCÊ PARAR DE AZARAR A LUCY ALMOFADINHAS... TEMOS UM JOGO PRA VENCER AQUIIIIIIIIII – gritava James para Sírius. O apanhandor e capitão do time não estava nada contente com o jogo principalmente com Sonserina ter tomado a dianteira.

O jogo estava acirrado, cada vôo da Gryffindor em direção ao gol era atingido brutalmente e sem dó por algum membro verde da Slytherin. Eleonor a sua melhor artilheira fora jogada contra a arquibancada com tudo. Tinha de fazer alguma coisa, mas o quê?

- Pense Potter... Pense... – repetia a si mesmo mas a algazarra era tanta que ele não conseguia se concentrar. A voz de Mandy era algo irritante e por vezes ele sentiu vontade de puxar a varinha e acertar-lhe, mas não poderia condenar alguém que admirava a ele, isso era contra seu “código de herói”. Enfim, tinha de arrumar alguma coisa para dar ânimo e garra ao time outra vez, mas como se ele mal conseguia ouvir seus pensamentos?

- Está fazendo o quê ai parado Pontas??? – ouviu agora a voz de Sírius e logo o som de uma pancada forte com o bastão de batedor – Acha logo esse bendito pomo ou eu e você seremos os únicos jogadores ativos aqui...

Sem pensar duas vezes James inclinou-se na sua vassoura e dera um lupping sobre a arquibancada verde e prata, obviamente tentaram tira-lo do sério com as benditas insinuações e insultos mas ele já estava acostumado com isso. A inveja alheia só alimentava ainda mais o seu Ego. Defendera-se com um dos pés de um balaço o qual fora jogado em sua direção e Sírius batera com categoria e força contra o lançador Slytherin o derrubando da vassoura.

- Menos um... – disse Sírius com um sorriso para James que novamente retomou sua busca ao pomo dourado. Demorou cerca de uns 15 a 20 minutos percorrendo o campo. E nada do bendito pomo de ouro, onde será que aquela coisinha tinha se escondido. Fora então que finalmente um brilho característico e o qual ele conhecia e muito bem. Estava lá, pairando sobre a arquibancada da Gryffindor.

- Cara eu não acredito... pegaram a Eleonora... -  disse Peter terrivelmente zangado – Cadê a juíza???? Desse jeito metade do time vai passar os últimos dias de aula na Ala hospitalar...

Sarah por sua vez tinha coisas mais importantes para fazer. Era por natureza desconfiada e dificilmente se enganava quando o assunto era usar a intuição. E a dela no momento estava mais inquieta que um Dragão com dor de dentes. Enfim, os gritos e a canção que Mandy entoava sobre “Leões e vencedores, vai Potter” e afins não era nem um pouco agradável, justamente porque a se Mandy dependesse de seguir carreira como cantora, provavelmente morreria de fome. Mandy propositadamente dera-lhe um chute nas costas o que fez com que Sarah praticamente se desequilibrasse e se segurasse nas costas de Lupin. Este virou para trás e então Sarah o viu. O pomo brilhava sobre a cabeça da torcida imbecilizada.

A jovem rapidamente olhou para o campo, Potter e Mathews vinham a toda a velocidade em direção as arquibancadas. Precisava fazer alguma coisa, sabia que Mathews não ia jogar limpo mas também não podia sair por ai puxando a varinha sem ter motivo aparente não? Olhou para Mandy, a camisa justérrima demonstrava o que ela realmente queria fazer.

- Ok... – disse mais para Si do que para os outros - ... se eles estão querendo sair... porque não dar uma forcinha... – Diffindo...

Um raio praticamente imperceptível cortou a distancia entre as duas acertando a camisa da torcida de Mandy, a partindo em duas. Seus seios saltaram para fora como duas pessoas sufocadas que procuravam ar desesperadamente. Depois disso houve uma sucessão de coisas ao mesmo tempo. O apanhador verde e prata olhara para Mandy que tentava sair do meio da multidão, obviamente tentando tapar os seios mas sem obter sucesso. Batera com tudo em alguém e esse acertara um lufano que caiu com tudo em cima de Malfoy o levando ao chão.

Sentira Lupin tocar em seu punho exatamente no momento em que o narrador do jogo dava parabéns a Gryffindor por ter pegado o pomo e ganhado a partida. Olhara aturdida, afinal, Remus era monitor não é? Poderia dar-lhe uma advertência ou algo do gênero. Mas no entanto Remus apenas sorriu.

- Melhor não mostrar que tivemos uma ajudinha... – disse ele e então, Sarah escondeu rapidamente sua varinha sobre o cós do Jeans.  James voava “agradecendo” o incentivo enquanto o resto do time da Gryffindor o saudava momentos depois. - ... acho melhor irmos andando...

Sarah apenas encarou Olivia e as duas começaram a descer as escadas. Estavam um tanto confusas mas Sarah sentia-se bem por pelo menos não ter deixado que os sonserinos ganhassem.  Não se tocaram que dois dos marotos a estavam seguindo de perto, Remus e Peter não estavam a muitos passos das duas e quando finalmente o pessoal haviam “dispersado” pelos jardins Remus chegou até as duas.

- A roupa de Mandy rompera numa hora bem favorável não é?  - Sarah virou-se praticamente na mesma hora. Olívia ficara um tanto espantada pois não tinha nem se quer percebido que estavam sendo seguidas. – Não se preocupe... não vou dizer a McGonagall...

- Não... quero dizer... – Sarah geralmente não procurava confusões, obviamente sempre eram elas que a encontravam e geralmente isso complicava sua vida. Falar sempre o que vinha na mente não era um jeito fácil de se conseguir boa índole.  - ...  Nâo achei que você dissesse alguma coisa... e sei lá... apenas achei que seria uma boa distração...

- Não foi só uma “ótima distração”...  – disse Lupin agora num tom mais baixo e mais próximo - ... você evitou que Malfoy aprontasse...

Tanto Sarah quanto Olivia pararam no meio do caminho e Remus então sorriu.

- Você estava certa quando achou estranho a “estrela do time” verde estar na platéia...  – continuou ele –  Mathews não só queria pegar o pomo como também iria “induzir” James a ir atrás dele simulando tê-lo visto.

- Como você sabe disso? – perguntou Olivia trocando olhares com Sarah.

- Bem... eu deduzi... – disse Lupin dando de ombros e então continuando a andar - ... convenhamos, eles são um pouco “limitados” nesses assuntos...

- Fora que eles sempre tentam fazer algo do gênero em todos os jogos... – falou Peter agora pela primeira vez o que fez com que tanto Sara quanto Olivia dessem um pulo.  - ... vamos direto ao ponto... você acertou duas fadas mordentes com um único feitiço...

- Vou interpretar isso como um elogio...obrigado... – disse Sarah inserta. Não tinha a intenção de ferir ninguém, e muito menos salvar Potter de uma humilhação. Longe disso, apenas queria “facilitar” que a Gryffindor, sua casa, não fosse alvo de chacota e coisas do gênero.

- Bem meninas... – disse Lupin com um sorriso - ... acho que vou dar uma passada no vestiário, tenho um assunto para tratar com nosso “herói” afinal... é muito provável que tenhamos uma boa comemoração... vamos Rabicho...

Sarah e Olívia trocaram olhares entre si e então começaram a andar mais lentamente para o castelo. Remus então olhou para elas e novamente sorriu.

- Eu não me atrasaria se fosse vocês... – disse ele acenando para elas - ... vejo você na festa Olivia...

Como era de se esperar a torre da Gryffindor estava histérica. Mandy a um canto com o resto das suas “amigas” conversando com ela. Sarah quando finalmente desceu do dormitório já não estava certa se queria estar em tal celebração. Sarah nunca foi uma garota popular, bem não do jeito como são as “garotas populares” tecnicamente só era popular com a bibliotecária, a Madame Pince que tecnicamente vivia lhe importunando e obviamente com o zelador, o qual adorava deixá-la em detenção. Mas fora esses dois, somente professora McGonagall lhe repreendia. Enfim, mal tivera tempo de tomar um banho e descer pois lá estava toda a sala comunal virada praticamente do avesso com os marotos abusando da sua popularidade. Tecnicamente para fugir dessa festa só saindo da torre ou é claro, se refugiando no dormitório das meninas mas Lily estava enfurnada lá e convenhamos, não era muito legal mexer com a ruiva quando estava de mal humor.

- Sobreviveu? – disse Alice Bounce que estava sentada em companhia de Olivia em uma poltrona de veludo vermelho próxima a lareira. Sarah conhecia Alice e Olivia praticamente desde seu primeiro dia indo para Hogwarts. Lily ela conhecera depois de uns meses mas mesmo assim aprendera a não mexer com a ruiva. Digamos que Snape não ia muito com a cara de Sarah e esse amor todo era recíproco.

- Se esta falando do “monstro ruivo” da torre da Gryffindor... – disse Sarah sentando-se e encarando as garotas - ... você já viu ela de bom humor desde que a gente descobriu que ela e o Snape são amigos?

- Eu ainda acho que é o fato do Potter e os amigos dele ficarem zoando o coitado... – disse por fim Olivia coçando a cabeça -... não quero defender minha amiga ou aquele exemplar de cabelo maltratado.. mas realmente eles pegam pesado com ele...

- Olha.. eu concordo que às vezes... – disse Alice chegando próximo a uma bandeja de salgadinhos e pegando um - ... eles realmente pegam pesado mas convenhamos... Slytherin não é confiável...

- Nisso eu concordo – disse Sarah com veemência - ... quem me garante que Snape não esta usando ela pra aprontar alguma?

- Concordo com a boneca ali... - Nesse instante Sirius salta por cima do sofá entre Alice e Olivia dando um susto nas duas. – Quando é que aquelas cobrinhas venenosas não aprontam... e aquela cobra cega do Snape não é tão cega assim eu garanto...

- Sabia que é falta de educação ouvir conversa alheia Black? – disse Sarah com a maior cara de inocência possível. Não que ela não gostasse do garoto mas realmente não tinha intimidade alguma e não queria nenhuma com os Marotos.

- Ué... eu não estava “ouvindo”... – disse ele apoiando-se nos joelhos inclinando o corpo para frente - ... eu tenho uma super audição...

- É...  – disse Peter atacando o último bolinho do prato recebendo um olhar assassino de Alice - ... como a audição de um cão...

- Nisso tenho de concordar... – uma voz grossa e rouca tomou conta do lugar. Sarah reconheceu a voz de James no mesmo instante, embora não tivesse conversado com ele diretamente, mas era indiscutível. - ... se não fosse essa audição... – então o garoto veio e sentou-se no braço de apoio da poltrona onde Sarah estava sentada. - ... a gente estaria por vezes mais encrencados..

- Bom... isso depende muito do ponto de visão... – disse Olivia agora sorrindo - ... a Sarah é um imã para encrencas e nem faz muito esforço...

Sarah sentiu os olhos do garoto em sua nuca e evitou ao máximo virar e encará-lo. Qual era o problema com ela? Nunca agira assim antes, ou perdera a fala diante um deles. Nem mesmo com Sírius que passara boa parte da noite anterior cumprindo detenção.

- Eu já disse que não me meto em “encrencas”... – disse Sarah dando de ombros – Elas simplesmente me perseguem... o que eu posso fazer?

- PERKS!

- Viu... eu não disse? - Sarah então ouviu a voz arrastada e fanhosa de Mandy e girou os olhos nas órbitas.

Mandy veio tropeçando entre as pessoas pra não dizer praticamente as atropelando. A jovem agora usava uma outra camisa, tão justa quanto a da torcida que ela tinha momentos antes durante o jogo.

- Pensa que eu não sei que foi você?

- Que eu o quê? – respondeu Sarah com a maior cara de inocência que conseguiu.

- Oras não seja cínica... – agora os olhos azuis de cintilando de raiva - ... foi você quem destruiu a minha performance rasgando minha camisa no meio daquela multidão...

- Colocaram alguma coisa na bebida? – perguntou ela inocente a James e este apenas sorriu – Olha Mandy, eu não tenho culpa se você usa roupas menores do que... – então ela olhou para os seios assustadoramente grandes da menina - ... bem... que não são do seu tamanho...

- Até porque Mandy... Sarah estava longe de você aquela hora... – disse Lupin com seu tom de voz calmo e sábio - ... se tem de culpar alguém por seu “problema”... então culpe a si mesmo por não ter escolhido uma roupa mais adequada para o seu tamanho...

Mandy fez mensão de pegar a varinha e James interviu, se postrou entre Mandy e Sarah mas esta o impediu.

- Eu não esperaria nada além disso vindo de alguém com um cérebro tão primitivo quanto o seu... – respondeu ela enquanto Mandy ainda tentava processar a informação - ... e agora se me der licença, estava conversando com meus amigos sobre coisas muito mais interessantes e faça um favor... aponte isso ai... – e mostrou os seios da garota – pra outro lugar antes que fure os olhos de alguém...

Mandy ainda olhou para James e um dos outros garotos procurando auxílio mas ele apenas cruzou os braços enquanto Sírius fazia um “thauzinho” para ela. Sarah então voltou a sentar-se, ficara absolutamente nervosa embora não demonstrasse tamanha raiva. Vira Alice ser chamada por Frank para dançar e então Lupin passar a sentar-se ao lado de Olivia e ambos ficarem entretidos em uma conversa. Sírius meneou a cabeça e levantou-se esticando-se todo.

- Bem, como eu e o Rabicho aqui estamos sobrando... – dera uma piscadela para James e sorriu matreiro para Sarah - ... vamos aproveitar para meu nobre aprendiz aqui aprender alguma coisa...

Ele batera no ombro de Peter que era vários palmos mais baixo que ele como se fosse um garotinho de primeiro ano e então desapareceram no meio dos outros alunos. Sarah sentiu um frio horrível no estomago, não sabia exatamente porque sentia isso, talvez porque nunca tinha ficado tão perto de um garoto antes, na verdade sempre colocara eles pra correr tão rapidamente assim que pensavam em chamá-la de Sah.

- Se eu lhe convidar para dar uma volta... você promete que não acerta meu nariz? – disse James com um lindo sorriso que fez com que Sarah achasse graça.

- Bem, se você não se meter a besta e se achar no direito de me dar apelidos “engraçadinhos” e não me dar motivo algum pra acertar sua cara.... é... acho que vai ser bom sair dessa barulheira... – respondeu ela. Ele levantou-se e então esperou que ela também se levantasse. Sarah não sabia exatamente o que estava fazendo. Em uma hora ela estava na sua vidinha escolar pacata, sem nenhuma emoção e de uma hora pra outra estava “saindo” se é que podia chamar assim o que estava acontecendo com o cara mais “famoso” da escola.

 Andaram por alguns corredores até que pareceu estarem a sós e então James parou diante dela. Ele era realmente vários palmos mais alto que ela e Sarah se sentiu minúscula perto dele. Ele vestia uma camiseta branca, uma camisa xadrez sobre essa com parte dos botões aberta, calça Jeans surrada e é claro tênis. Se passaria por um garoto normal de 17 anos se eles não estivessem dentro de um castelo. Os olhos castanhos esverdeados a encarando a fazia sentir-se terrivelmente insegura. O que era raro, já que geralmente tinha resposta pra tudo.

- Que foi? – por fim ela perguntou quando ele encostou as costas na parede e a encarou cruzando os braços.

- Como nunca conversamos antes? – perguntou ele e então rapidamente acrescentou – Tipo... como estamos conversando agora?

- Bem... – disse ela segurando o riso, afinal Sarah não fazia “tecnicamente” parte do circulo íntimo do garoto. E convenhamos ser taxada de “mais um troféu” na prateleira de James Potter não era algo para alguém se vangloriar, a não ser Mandy e sua trupe é claro - ...  sua agenda é mais completa e acirrada que a minha... além do quê... a minha vive cheia de compromissos intercalando McGonagall... Pince e Filch...

- Então temos isso em comum... – respondeu ele com um largo sorriso, Sarah tinha a leve impressão de que ele não era exatamente tão desprezível quanto o pintavam mas era melhor não baixar a guarda - Sírius me disse que você entende muito de quadribol...  – perguntou ele de repente a pegando de surpresa - ... também voa?

- E qual bruxa não voa? – disse com um sorriso apoiando os braços no parapeito da janela. O céu começava a se tornar púrpura dizendo que não ia demorar muito para terem o toque de recolher – Acho que Olivia pode responder isso melhor... sempre voamos juntas. Claro... não sou tão boa com uma vassoura como você mas...  – assim que terminara a frase acabara repreendendo-se mentalmente - “Droga Sarah... não devia ter dito isso”

- É... eu não acho que eu seja bom... – respondeu ele finalmente - ... apenas me esforço ao máximo para atingir meu objetivo...

- É um pensamento encorajador... – disse ela e então olhara para fora. Sentiu novamente o olhar dele sobre si e estremeceu. James então se aproximou e debruçou-se no parapeito ao seu lado. Seu braço tocando levemente no dela. Sarah não se movera. Repreendia-se é claro o fato dele não ter “medo” dela o que era um caso Raríssimo. Então ele levou a mão ao bolso da blusa tirou algo. O brilho dourado chamou-lhe atenção. Ele tinha pego o pomo de ouro? – Você surrupiou o pomo do jogo?

- Digamos que... tecnicamente... é meu... eu o peguei não? – respondeu ele e então o deixara visível - ... precisava dar ele a alguém.

Sarah ficara um pouco confusa de inicio, mas talvez percebendo sua confusão, James pegara sua mão e depositara o pomo nela. Pela primeira vez ela olhara diretamente nos seus olhos, ele os desviou, ela notara isso e então olhou para a bolinha pequena e dourada em sua mão.

- Remus me disse o que fez hoje... – começou ele em tom serio, algo que realmente ela nunca tinha visto em todos esses anos em que estudavam juntos. - ... ele disse que você o avisara sobre ficar de olho no Malfoy...

- Bem... eu apenas achei estranho a estrela do time adversário estar no banco como espectador...  – disse Sarah tentando se justificar - ... e creio que não foram muito espertos... o trouxa sentou do lado do time rival...

- Mas você o notou... – e então ele sorriu.

- É sim... mas não foi “proposital”... apenas tentei arrumar uma distração para que você pudesse pegar o pomo...

- Não te passou pela cabeça que isso poderia me distrair também? – e então ele sorriu abertamente outra vez.

- Bom... como você mesmo confirmou a alguns minutos... – disse Sarah sorrindo e pensando, ela não tinha se quer pensado nessa possibilidade mas enfim tinha de responder - ... faz o melhor para atingir seu objetivo... naquela hora... creio que os melões de Mandy não eram exatamente seu objetivo.

James sorriu ainda mais, Sarah por vezes achou que ele devia estar tentando agradá-la rindo de qualquer coisa que dissesse. Talvez fosse essa a tática que ele usava para com as garotas não é? Fazia elas sentirem especiais e depois...

- É realmente não era meu objetivo... – disse ele a encarando. Ainda segurava suas mãos e Sarah não sabia se seria educado livrar-se delas - ... e não acho que seja um de meus objetivos algum dia...  

- Eu não posso... – começou Sarah a dizer mas James a impediu.

- Pomos somem a toda hora... – disse ele com um sorriso maroto - ... e isso não é nada comparado ao que poderia ter acontecido comigo se Malfoy tivesse realmente lançado o feitiço então... – ele dera um suspiro e apertara a mão de Sarah levemente – Dedico a vitória da Gryffindor hoje a você...

“Ok, pare o Expresso porque eu quero descer... James Potter dedicou a vitória... a sua vitória contra as serpentes a mim?” – Sarah não sabia se tinha ouvido certo ou sua cabeça estava tão confusa que teria imaginado coisas. Tudo bem, era algo novo pra ela estar na frente de um garoto. Mas como disse, ele era o primeiro que não demonstrara ter medo de levar um soco.

Nesse minuto James para o que estava dizendo e então coloca a mão no bolso da calça. De lá ele tira um espelho, um pequeno espelho e o observa atentamente. No minuto seguinte...

- Eu gostaria de lhe agradecer devidamente por ter praticamente me salvado de umas boas semanas na Ala hospitalar... mas... – então olhou para o espelho - ... bem digamos que Sírius se meteu em encrencas...

- Tudo bem... – disse Sarah um pouco confusa mas mantendo o sorriso – ... a gente se fala qualquer hora... e obrigado... -  ela mostrou a bolinha dourada um tanto sem jeito. Esperava que ele tivesse saído mas no entanto ele ainda estava parado ao seu lado. Parecia que estava decidindo alguma coisa mentalmente e por fim, dera-lhe um beijo no rosto e saíra rapidinho do local. Mas não sem antes virar por um momento e olha-la uma última vez.

- Eu não queria ganhar um olho roxo... – disse ele e sorriu dando alguns passos de costas e depois desatando a correr desaparecendo no fim do corredor. Sarah apenas meneou a cabeça como se querendo acordar de um sonho. E então subira as escadas outra vez, Olivia ia ter um troço quando soubesse o que tinha acontecido.



Notas finais do capítulo

Bem, esse foi apenas o começo, muita coisa ainda vai rolar... preparem-se...



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Marotos - Uma Nova História" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.