O Jogo da Mentira escrita por LuanRicardo2012


Capítulo 5
Capítulo 4 - A Capela Abandonada


Notas iniciais do capítulo

Espero que gostem e mandem reviews =D




      Tom entrou outra vez naquela escola branca, mas não precisou andar tudo aquilo outra vez, a sala de direção estava logo à frente. Ele bateu três vezes na porta de madeira, a diretora gorda e baixinha abriu a porta:

   - Ah, é você, o novo aluno neh, estava o esperando, ontem eu arrumei todos os seus papéis, entre, por favor.

  - Hum. Obrigado. – Tom disse calmamente entrando.

  - Sente-se. - Tom sentou-se na cadeira em frente a uma mesa, cheia de papéis, um telefone e várias canetas espalhadas.

  - Não repare essa bagunça, tenho que colocar uma ordem aqui, vai ver hoje mesmo eu arrumo essa papelada.

   - Preocupa não.

    A diretora começou a mexer nas gavetas que ficavam em baixo da mesa, Tom segurou o riso, quando viu um tamanho de verruga bem no nariz da velha.

    - Bem, pelo o que o diretor da escola Brather disse você foi expulso por ter namorado a própria filha dele.

    - É – Tom estava ficando vermelho de vergonha.

    - Espero que aqui não faça isso.

    - Não, pode ter certeza.

    - Tomara. A velha tirou alguns papéis da gaveta. – Tom, você vai para a sala 665 no terceiro andar, por favor assine esse currículo.

   - Ok. – Tom assinou, e lhe devolveu o papel.

   - Pode ir, a sala 665 é só você virar a esquerda e ir direto para a cantina, você vai ver as pessoas passando dentro da porta de lá, não estranhe lá é a entrada para o terceiro andar, é só segui-las. Quando acabar suas aulas, sai da escola e dê a volta por trás, vai haver várias placas indicando os dormitórios, você segue pelo masculino e vai para o quarto 55 á direita, deu sorte, terá apenas um colega de quarto: Travis Barker. Pode se retirar.

    - Thau e obrigado. Não ouve resposta, Tom apenas saiu e tomou cuidado para não bater a porta.

Os alunos já estavam todos andando nos corredores. Tom se encaminhou para a cantina, e passou pela tal porta, saiu em escadas giratórias que iam até o último andar. Chegou e viu que as salas estavam quase cheias, foi seguindo os números:

   - 660, 661, 662, 663, 664, - Tom ia falando em sua mente os números. Até que lá estava a última sala do corredor, 665, ele entrou, os alunos começaram a olhá-lo, as garotas como sempre cochichavam, três garotos se aproximaram dele:

   - Oi, somos, Terry, Josh e Market. Você é quem?

   - Sou Tom.

   - Tom? Um, fiquei sabendo que veio da escola das chiquititas. – Hihihhi, disse o mais forte deles, provavelmente Terry, os outros dois começaram a rir.

   - Ata, agora se me dão licença. – Tom passou por eles, sem prestar atenção em alguma coisa que eles disseram.

 Dessa vez foi agora outra garota que se aproximou dele, enquanto ia por fundo da sala.

   - Oi, sou Ahsley, prazer. – Uma garota morena, bonita, tinha um corpo escultural, mas era diferente de Alice.

   - Oi, muito prazer, sou Tom. – Eles riram. Você sabe onde posso me sentar?

   - Ah, claro, pode se sentar bem aqui, essa carteira está vazia desde o começo do ano. – Ahsley colocou a mão na carteira.

   - Ata, obrigado.

   - De nada.

   - Então, a gente se vê, vou fazer a tarefa de ciências.

Os alunos foram chegando cada vez mais, até que a sala ficou cheia. Depois o professor entrou. Foram seis horas e meia de aula. Os professores todos ficaram naquela perguntação sobre Tom, e aquela chatice de sempre. Tom não fez amigos, a não ser Ashley. Em sua vida inteira, ele sempre foi um garoto tímido, mas o galã das garotas.

    Eram nove e meia quando as aulas acabaram Tom se encaminhou para o dormitório masculino, lá era tudo muito calmo. Ele achou o quarto 55 rapidamente, era um dos primeiros. Ele entrou, já estava com sono. Seu colega de quarto acordou assim que ele acendeu a luz.

    - Oi, sua aula acabou tarde hoje, prazer sou Travis Barker. – Disse Travis se levantando do andar de cima do beliche e pegando na mão de Tom, que acabara de colocar os cadernos em uma mesinha.

    - Oi, Travis, sou Tom.

    - Bom tipo esse quarto não é muito grande, mas é o suficiente. Seus uniformes estão na gaveta da direita, os meus são da esquerda. Pode deixar seus livros ai mesmo.

   - Ah, obrigado Travis. –

   - Eu sou acostumado a dormir no beliche de baixo, mas você quem sabe eu posso trocar.

   - Não, sem problemas.

   - Ok. Vou dormir. – Travis sentou-se na cama outra vez, tinha os cabelos pretos, lisos e grandes, ele era alto, e espreguiçou e deitou na cama. – Boa noite, Tom, foi bom te conhecer.

  - Boa, noite. Vou deitar agora também, estou morrendo de sono.

    Tom, tirou sua roupa, colocou qualquer pijama que tinha na sua gaveta a direita, apagou a Luiz e deitou-se. Dormiu em menos de três minutos. Mas foi acordado, no meio da noite.

    - Tom, Tom. Acorde.

    - Hann? – Tom abriu os olhos ainda sonolentos, viu que era a voz de Travis.

   - O que você quer?

   - Eu vou sair, vamos?

   - O que? E porque eu iria?

   - Aff, é na capela abandonada.

   - Por acaso você é gay?

   - Não seu idiota, você ainda não sabe né.

   - Não sei não, agora deixa eu dormir.

   - Então ta, a Ashley vai ta, o Mark,a Bonnie,o Brian e a Alice. Conhece algum desses?

   - Alice? Ashley? Acho que sim, mas como é essa Alice?

   - Aquela ruiva que está cursando como detetive.

Tom se levantou, e colocou as calças, Travis fez o mesmo, depois abrindo a porta vagaramente, eles seguiram até a capela abandonada.



Notas finais do capítulo

Esse ficou maior, talvez os outros fiquem melhor. Daqui, para a frente eles fazem um jogo que no começo é legal, mas depois só pioram as coisas. Reviews?? =D