Vida... o Maior Espetáculo da Terra escrita por Sandy


Capítulo 1
Capítulo Único


Notas iniciais do capítulo

Heey meninas, como vão. Bem esta história foi feita para a minha aula de Português, então não é uma coisa tãão grande como custumo fazer. bem obrigada desde já.




Edward, ergueu a cabeça mais uma vez no dia e contemplou o lugar onde tantas vezes se apresentara em seu breves triunfos de trapézio. No dia seguinte desarmariam o circo- pensava. E quando na próxima cidade reerguessem ele já estaria longe. Assim esperava, ao mesmo tempo que aquelas velhas lonas lhe trazia paz, também trazia agonia.

Edward teria que esquecer de tudo, da musica alta o rufar doa tambores, a expectativa do público ao saltar de a rede de proteção...

Teria também que esquecer Isabella aquela que em sua companhia fazia extraordinários números.

A mesma conquistou seu humilde coração e o levou contigo. Ele se lembra como se estivesse revendo toda a cena novamente...

Ambos jovens como uma rosa que acabará de abrir. Encontravam se tão apaixonados que contagiavam a quês estivesse por perto. De certa forma esse sentimento era a base para seus precioso números de trapézio, cujo era uma das principais atrações de remuneração aquele pequeno e valioso circo. Circo do qual viveram um grande amor.

Porém contos de fadas não existem em vida real. Então em uma madrugada fria – tanto que os ventos uivavam- de oito de abril, sua amada Bella com apenas a roupa do número que apresentaram naquela noite- sem nenhuma explicação - saira do circo com uma pequena mala, e com os olhos irritadiços.

Bella era uma mulher estonteante cabelos e olhos cor de chocolate. Apenas um metro e sessenta e quatro de altura.

A mesma não dera tempo de nenhuma pergunta ou resposta que seu amado Edward lhe fizera, aos berros enquanto a vira partir. Nem sequer mesmo olhara para el,quando a acompanhara, lembrava ainda de suas palavras

“-tenho que partir agora porém lembre-se meu pequeno Ed, tenho meus motivos e não posso lhe dizer agora, voltarei um dia e você me dará razão.”

Enquanto este filme passava na cabeça de Edward, o mesmo passava na cabeça  de Isabella. Ah, ela se lembrara de sua vida feliz ao lado de seu Edward. Sua mãe não acolhera novamente. Bella também não gostaria de sua companhia, pois ela seria culpada pela morte de seu pai. Um coroa bem apessoado de olhos castanho chocolate.

Após um passeio com Bella em uma dia quente na Flórida , encontrara sua mãe com outro e o mesmo dera um infarto e não resistira ao choque. Então Isabella fugiu de casa após o enterro e encontrou o circo e ali aprendeu com Edward a arte do trapézio. Entre eles não havia segredo. Ela contara sua história e ele também.

Edward não conhecia sua mãe, pois a mesma morreu em seu parto. Ele viveu com seu pai até o fim da vida do mesmo.

Isabella agora morava em Chicago e prezava as vidas que com ela vivia. Porém nunca esqueceu de seu único amor.

Edward esperou a próxima parada do circo – como carona – despediu de todos até mesmo dos animais, que fora sua companhia, há três anos desde que Bella foi embora.

Na praça central havia uma enorme faixa com os seguintes dizeres “Bem vindos a Chicago”.

Ele não tinha bagagem, só mesmo a roupa do corpo.

-Renesmee, não corra! – Tinha uma voz, que por um momento parecia de sua amada- santo deus Carlie vocês só fazem bagunça. Tudo isso – a voz se aproximava- por um sorvete, até parece seu pai! – ele esperava o sinal para atravessar a rua- Renesmee! Não- uma pequenina menina de cabelos castanhos claros, e olhos azuis correu em direção a avenida movimentada. E a reação de Edward foi correr e pegar a pequena . no mesmo instante um volvo preto passara a pelo menos 180km/h .A pequena Renesmee, estava assustada, e chorava muito Bella também estava assustada, e segurava Carlie apertada a si. Edward acalmava a pequena nessie e a levou em direção a Isabella.

Quando os olhos de ambos se encontraram, muitas emoções passavam em suas cabeças e corpos : reencontro, amor, paixão e dor. Dor pela separação. Estavam sem jeito diante um a outro.

-Nessie, você quase matou a mamãe- dissera Carlie a sua Irmã

-Suas filhar? – ele perguntou a Bella

-Não é o quê está pensando! – ela dissera de imediato

-Eu só fiz uma pergunta!

-Sim, são gêmeas

-Você se casou?

-Não. Gostaria de um chá?

-Você me deve explicações Isabella!

-Eu sei você também. Vamos até minha casa. Aqui não é lugar para discutirmos.

-Não estamos.

-Eu sei. E você Nessie quantas vezes pedi para andar em minha companhia?

[...]

As gêmeas brincavam na varanda de casa. Bella então contou a Edward – alto de cabelos indefinidos e olhos azuis.

Naquela fria madrugada de abril a mesma se encontrava grávida de seu amado; e o circo não permitiria grávidas ainda mais de gêmeas. Pois o gasto era – no caso dela – triplo, assim ela foi para proteger a ela e ao fruto de seu amor com Edward.

Então observou mais precisamente as gêmeas ambas, cópias perfeitas de sua amada. Uma divisão igual e correta dos dois. Onde nenhum saiu em desvantagem.

-Eu te amo desde o começo de tudo isso – ele disse a Bella

-Eu não te esqueci em nenhum dia destes anos.

Então ele puxou a amada selando seus lábios, e ali se sentiu em casa novamente. Um lugar onde jamais precisaria sair.

 **Fim**



Notas finais do capítulo

OBG desde já !



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Vida... o Maior Espetáculo da Terra" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.