The Shield escrita por MahSpoladorMoreira, Sandy


Capítulo 7
Capítulo 6: De Volta.


Notas iniciais do capítulo

Boa noite meninas...
Cá estamos novamente, com mais um capítulo.
Ficamos muito felizes em ver a boa aceitação que nossa parceria está tendo por aqui.
Agradeço imensamente por todos os reviews recebidos.
Tenho lido todos, só me falta tempo para responder cada uma de vocês.
Espero que gostem do capítulo.
Máh.

***

Heyy meninas, bem pedimos desculpas por não responder os comentários, mais estamos tão empolgadas, qndo lemos e acabamos nem respondendo mais assim q possivel responderemos.
Beijos,
Sandyy.

♥ Nós duas agradecemos imensamente pela terceira recomendação da nossa fic, dessa vez feita pela Edilaine. Obrigada Dy (:




Domingo... Graças a Deus, domingo.

Bem isso seria bom, para um “antigo” Edward. Hoje iria ver se a situação melhoraria para o meu lado. Enfim tomei coragem e disquei para a minha casa.

- Residência dos Cullen

- Olá, ér minha mãe está?

- Edward?

- Isso.

- Vou chamá-la.

-O meu Deus, eu não acredito. Filho é você mesmo?

- Sim, mãe. Como à senhora está?

- Ah filho com tantas saudades, onde você se meteu?

em muitos lugares – pensei - Bem não vem a caso... Como está All? Emm?

- Estamos todos bem, Alice está terminando a faculdade em Paris, volta esse mês. – que vergonha minha irmã mais nova, terminando e eu com uma semana de aula. - Emmett realmente não terminou a faculdade mais montou o próprio negócio com a namorada.

- Fico feliz por eles mãe.

- E você meu bebê onde anda?

- Bem depois que Carlisle me colocou para fora, eu vadiei um pouco mais agora estou bem. Arrumei um emprego e pago minha própria faculdade.

- Ai filho era sobre isso que queria conversar?

- É mais ou menos...  Posso ir ai?

- Mas é claro. Se é que ainda sabe o caminho.

- Mãe, eu te amo- eu sentia tanta falta dela. A mãe que faz bolos de chocolate e me faz cafuné enquanto como, ela não existia [...]

- Bom dia Edzinho, liindo – gritou Elisa.

- Bom dia Elisa. E tchau.

- Você não vai tomar café comigo hoje? – perguntou a menina cabisbaixa.

- Hoje não, eu tenho que sair.

- Posso ir também?

- Lisa, que coisa feia. – Bella apareceu com panquecas e suja de farinha. – Deixe o rapaz, ele ontem poderia ter saído, mas, ele tirou o dia para levá-la ao jogo.

- Bem, eu não me importaria de levá-la mais é assunto de adulto, coisa chata.

- Ah então eu fico em casa. – falou a pequena toda tristonha.

*-*-*-*

- Um emprego? – ele perguntou chocado

- Sim pai.

- Com o que você trabalha?

- Como babá.

- Muito bem Edward, superou minhas expectativas. – meu papai deu uma risadinha que me irritou profundamente.

- Então pai, eu gostaria de saber, se agora que estou cumprindo as condições, posso ter pelo menos meu apartamento de volta?

- Não, eu andei pensando, e quero ver realmente até onde você pode aguentar. Parou com suas vadiagens?

- Bem uma boa parte dela, já que não tenho tempo.

- Então agora vem a parte chata. Terá que arrumar uma pessoa que te dê valor pelo que você está batalhando.

- Mas, isso vai ser difícil!

- Você consegue filho.

- Você não acha humilhante demais, você dono do mais renomado hospital de Londres, com uma filha que vai se formar em Paris, e uma esposa que é também a mais renomada restauradora da Grã Betanha, ter um filho morando na casa de uma estranha e trabalhando como babá?

-Na verdade te acho um exemplo de vida. E você fez por merecer. Já podia ser o pediatra mais bem “renomado” como você mesmo diz. Mais não, ficou na “vadiagem”, agora aguente as consequências de sua antiga vida sem regras...

- Ele nunca vai voltar a ser como antes mãe? – perguntei quando estávamos os dois na varanda, e eu recebia o adorável cafuné da minha mãe.

- Dê um tempo meu bebê... E admita para si mesmo que isso é bom para você. Você aprontou muito conosco...

- Eu sei mãe, mas, isso é motivo para me deixar sem casa?

- Você não gosta da sua nova casa? Tratam-te mal? – perguntou ela visivelmente preocupada.

- Não é nada disso mãe... Mas é estranho não morar em uma casa sua, com coisas todas suas, com a sua família.

- Oh bebê... – recebi um longo beijo na testa – Eu sinto sua falta, e eu te amo demais meu filho...

- Eu também mãe. Estou tentando ser melhor.

- Estou vendo isso meu amor... Mas agora me conte, como se chama o garotinho de quem você cuida?

- É uma menina mãe, Elisabeth.

- Oh, uma garotinha! – ela riu – Sempre quis ter uma neta!

- Ela é adorável.

- Você a ama. – minha mãe era rápida demais!

- Eu... Bem, eu... Ér... Amo.

- Que bonitinho meu amor, e quantos anos essa linda tem?

- Cinco anos.

- Gostaria de conhecê-la querido. – falou minha mãe.

- Ela pediu para me acompanhar hoje, mas acabei não trazendo. Prometo que trarei em breve.

- Fico feliz. E os pais dela?

- A mãe dela é minha patroa, Isabella Antipática Swan. Do pai de Lisa não sei nada...

- E quantos anos tem a moça?

- Bella tem 22 anos. – falei rapidamente.

- Bella?

- É como gosta de ser chamada.

- Entendo...

- Mãe, vou embora.

- Mas já? – falou com lágrimas nos olhos.

- Sim, preciso ir... Pensar um pouco, andar...

- Nada de sexo ok Edward?

- Oh... Sim mãe. – me senti vermelho. Falar sobre minha vida sexual com minha mãe não me atraia em nada.

- Que Deus te abençoe meu bebê, estarei sempre aqui ok? De braços abertos, esperando.

- Obrigada mãe. – beijei suas mãos – Obrigada.

- E não esqueça que me deve uma visita com a pequena Elisabeth sim?

- Não esquecerei...

*-*-*-*-*

- Edward? – ah não um dia cheio ainda tenho que aguentar a estupradora?- Edward?

- Sim? – a voz vinha da cozinha. Era Isabella me chamando - Pois não?

- Sente se. Tome um copo de vinho comigo.