The Shield escrita por MahSpoladorMoreira, Sandy


Capítulo 42
Capítulo 41: Bella Á Grávida


Notas iniciais do capítulo

Olá meninas!
Obrigada pelos reviews, bem vindas leitoras novas!
Esperamos que gostem!
Máh
****
Sejam bem vidas as novas leitoras.
Beijãõ
Dyy




Estávamos a uma semana do encerramento do segundo período do término da faculdade estava uma pilha de nervos. E teríamos uma festa para comemorarmos. Só não sabia como Bella reagiria sabendo que Tanya estaria lá. E a festa seria para maiores, ou seja Lisa não poderia entrar. Eu já estava imaginando o surto da minha princesa com isso... Ela teria que ficar com Charlie, ou com os meus pais. Bella me preocupava também... Grávida, gêmeos, salto, dançar... Céus, estou neurótico!

*-*-*-*

Felizmente (ou infelizmente?) chegou o dia da bendita festa... Eu e Bella conseguimos enrolar Lisa e deixá-la com Charlie. Eu tentei enrolar Bella para não irmos, mas ela me enrolou e aqui estou eu, esperando ela se arrumar para irmos. Não é nada muito social, mas é interessante ir um pouco arrumado.

Escutei barulhos de salto, e foi inevitável não pensar numa catástrofe. Corri até o pé da escada, e parei, olhando. Ela estava linda, absurdamente linda. Com a gravidez Bella estava mais despojada, longe de seu estilo certinho. Suas pernas estavam lindas, seus seios fartos, e a barriga linda. Ela me deixava doido.

- Bella... – murmurei.

- Que tal? – ela deu uma voltinha e sorriu.

- Santo Deus amor... – falei bravo – Que salto é esse?

- Um salto normal. – sorriu.

- Você está grávida!

- Vamos entrar nesse nipe de novo Edward? – perguntou ela ficando irritada – Grávida, e não inválida, doente, problemática.

- Tá bom, tá bom... Nada de brigas... – me aproximei dela e toquei sua barriga – E esses meninos? – sorri.

- Quietinhos aqui... Bem protegidos... – ela sorriu – Vamos?

- Posso te beijar antes?

- Mas é claro que sim... – ela apertou minha bunda – Gostosão...

*-*-*-*

- Eu vou bater naquela piranha! – Bella falou um pouco alto demais.

- Amor...

- Cale-se Cullen. Ela está te secando, está fazendo caretas para mim e para minha barriga... Ela vai apanhar porra!

- Bella, pára.

Realmente, o clima estava pesado entre Bella e Tânia. Bella brava, Tânia provocando, olhando demais, rindo demais com sua voz de vadia. Bella levantou de repente, e foi em direção a Tânia. Ia dar merda...

- Bella... – segurei seu braço.

- Me solte. – soltei – E segure minha bolsa.

- Aqui não, por favor... – pedi. Ela me mostrou o dedo do meio e saiu andando.

- Olá vadia! – disse para Tânia.

- Olá... Está falando consigo mesma? Porque a única vadia aqui é a que está na minha frente...

Bella deu um tapa extremamente forte no lado esquerdo do rosto de Tânia, e em segundos, as duas praticamente rolavam no chão. Tive que pegar Bella no colo e tirá-la de lá, enquanto Tânia era levada por dois seguranças.

- Eu te mato sua puta! – Bella gritou – Fique longe do meu marido!

- Fraca! Ele é meu!

- Aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaargh! – Bella gritou no estacionamento.

- Palmas Bella! Que lindo não é? Grávida de gêmeos, rolando com uma qualquer! – falei – Cresça Bella! Eu só amo você, só quero você! Que merda!

- Pare. Entre já no carro! – gritou.

- Bella... Pare.

- Já! – fiquei com medo e entrei.

Ela me jogou no banco de trás e subiu em cima, toda apetitosa.

-Então agora eu vou te mostra uma Bella crescida que você gosta muito. Aquela que te usa como um pirulito apetitoso, que você ama estocar forte, colocá-la de quatro,e ama fazer bebê nela. Quando acabar com você me dirá quem é criança.

Ela rasgou a minha blusa de baixo, beijando meu peito faminta, mordendo meu mamilos tirando meu blasé, abrindo a minha calça. Dando forte chupões ela chegou ao meu membro ereto e pulsante e fez dele o pirulito mais doce, melhor do que os da casa da bruxa de João e Maria. Sério que eu estava pensando em contos de fadas na ora do oral? Enfim uma Bella faminta me sugou até a última gota, me deixando completamente seco.

-Então você quer brinca de casinha?- perguntei ofegante

-Quem sabe de mulher gato?- ela aranhou-me com a pouca unha curta, deixando exatas cinco listras em mim.

-Mulher,mulher você me deixa doido.

-Essa é a minha intenção baby. Deixa você duro,pulsante e tremendo por mim.- com a cara que ela fez foi impossível não come-la.

Peguei-a no meu colo colocando-a sentada no banco,levantei seu vestido acima da linda barriga abri suas pernas o máximo.

-Agora quem irá gritar por mim será você. – disse a ela.

Comecei denteando seu clitóris. Nessa guerra do amor onde não existia perdedores, todas as armas eram cabíveis. Usei minha língua para estimulá-la deixando no ponto auge da coisa.

-Filho da puta porque parou?- ela grunhiu

-Pois eu quero te pegar de costas, metendo forte em você até não havei mais nada dentro de seu corpo -sua pele  se arrepiava na medida que eu ia falando-vou segurar em seu quadril fazendo a minha sinfonia você irá rebolar para mim gemendo todo tempo e no vim gozar até ao ter mais nada para gozar. Você irá me chamar de seu.

- E depois nada satisfeita com seus serviços e por ser um menino muito mal, eu irei cavalgar em você rodando em seu pênis grosso e te chamando de tigrão! [N/As matem a Mari por me falar esse apelido]

-Bella- grunhi pegando-a e colocando-a de costas no banco, penetre ia por trás, segurando fortemente em meu quadril, fazendo girar em torno de mim, indo e vindo ao meu encontro, puxei seu cabelo em meu encontro para poder lhe dar um beijo ardente, ela mordeu meu lábio superior

-Gostoso, você me deixa mais louca, - antes deu eu lhe responder ela se virou e subiu em mim cavalgando em mim. Na verdade para algo mais seguro e prazeroso na relação sexual em uma gravidez deveria se ou ela totalmente por cima o penetração por trás, pois papai e mamãe não rolava mais. Ela nos levou ao ápice no mesmo instante, gozamos juntos e fortemente, estávamos ofegantes, e fora de órbita.

-Quem é a criança agora?- ela perguntou

-Você minha menina mimada, gostosa...

-Eu sempre fui. Agora vamos, eu quero me limpar, me deitar e dormir de conchinha. –por um estante durante nossa ‘loucura sexual’ esqueci que estávamos no estacionamento do campus da minha faculdade.

-Bella, alguém pode ter visto.

-E daí? Somos livres.

-Seriamos presos por tentação ao pudor, linda.

Voltamos ao nosso estado -quase- normal. Fui para direção do carro; vi Tanya sair sozinha da festa e lógico Bella não perdeu a oportunidade.

-Quem ele acabou de fuder agora otária?- ela sorriu e se endireitou no banco. Ela me colocará calvo antes da hora.