The Shield escrita por MariSpoladorMoreira, Sandy


Capítulo 31
Capítulo 30: OMG.


Notas iniciais do capítulo

Olá meninas, muiito obrigada pelo carinh0o de vocês, é muito importante e gratificante para nós. Até domingo gatinhas
Beijãõo ;***
Sandy
*-*-*-*
Boa noite meninas!
Só tenho a repetir o que a Dyy disse... Obrigada pelo carinho, atenção, comentários e tudo de perfeito que vocês oferecem a nós! É realmente gratificante, emocionante, perfeito, maravilhoso! Bem vindas leitoras novas!
Esperamos que gostem!
Máh.




Lisa tinha voltado parcialmente ao normal. Estava chamando o Edward de ‘amorzinho’ novamente, e dormia com agente às vezes, mas ainda tinha aquele lado inseguro que se apossava dela ultimamente, e infelizmente, com muita frequência. Hoje seria minha primeira consulta. Lisa havia aceitado ir comigo, depois de muita insistência, mas infelizmente nesta primeira consulta Edward não poderia estar presente. Teria uma prova e depois seguiria para o seu plantão, Edward está batalhando tanto! Os pais dele, eu, Lisa e o bebê certamente estamos orgulhosos dele... Minha consulta estava marcada para as 19h00min e não havia horários mais cedo. Bem até tinha, mas era médico homem, e Edward me proibiu de ir... Segundo ele ‘’Só eu vejo suas intimidades Isabella Swan, só eu, escutou?’’ Acabei rindo sozinha lembrando do jeito que ele falou... E depois disso, fizemos sexo selvagem, como sempre!

(***)

- Lisa amorzinho a mamãe não pode se atrasar! –gritei na sala, calçando meus sapatos apressadamente.

- Ixxi, já vou! Já vou! Meu irmão já está me desesperando né? – ela desceu a escada ‘emburrada’

- É filha ele é um pouquinho impaciente... Mas é um bebê não é mesmo? E nem é só por ele querida, temos que honrar nossos compromissos e horários...

- Eu sei... – ela parecia entediada.

- Desfaça essa tromba de elefante, vamos! – fiz cócegas nela, que rapidamente abriu um sorriso e fomos ao médico...

(***)

- Srtª Swan?- eu me levantei – Me acompanhe, por favor.

- Mamãe eu posso entrar?

- Claro, venha Lisa. – minha princesa segurou minha mão com firmeza e entramos na sala.

- Bom senhorita Swan... Está grávida de quanto tempo?

- Não sei bem, cerca de um mês, um mês e pouco... – contei.

- Certo, tem sentido enjôos, desejos?

- Enjôos pela manhã e algumas comidas, principalmente chocolate e ahn... – me aproximei dela – Ando louca por sexo, selvagem.

- Totalmente normal... – a médica sorriu – Mas... Evite o esforço ok? Estão liberados para relações, mas nada pesado!

- Certo.

- Vou prescrever algumas vitaminas e remédios para você, e alguns exames, para sabermos como andam as coisas... Você me traz tudo na próxima consulta ok?

- Perfeitamente...

Ficamos em silêncio enquanto a médica fazia minhas guias e anotações. Ela me examinou brevemente, e seguimos para uma sala anexa, onde faríamos a ultra-sonografia.

- Bom Isabella... Faremos primeiramente um ultrassom transvaginal, para que eu veja como está seu útero e todo o conjunto. Depois, vamos para o exame normal, onde com sorte, veremos seu bebê.

- Certo.

A médica colocou um pano, vedando a visão de Lisa, para que não visse o procedimento transvaginal. Ela tentava espiar pela pequena cortina, mas, eu não deixava. Era uma sensação um pouco desconfortável de início, mas depois, totalmente natural...

- Tudo certinho por aqui, tudo nos conformes... – a médica sorriu – Vamos às imagens para que vocês vejam!

Eu estava tremendo de ansiedade! Quando a médica despejou o liquido morno e viscoso em minha barriga eu estremeci. Puro nervosismo. Lisa segurava minha mão firmemente, totalmente absorta na telinha que mostraria o bebê... O aparelho deslizava lentamente pela minha barriga invisível, enquanto a médica procurava uma visão adequada. Ela parou derrepente, e olhou a tela por alguns segundos.

- Você vê algo diferente aqui? – perguntou.

- Não, nunca fui boa em interpretar esse exame. Não consigo ver! – todos rimos.

- E você Elisabeth, vê algo? – perguntou.

- Ahn... Desculpe, não.

- Eu conto para vocês então... Hoje não dá para vermos o sexo, evidentemente, é um feto muito pequeno. Só tenho a dizer que se preparem, porque tem dois bebês aqui, você terá gêmeos senhorita Swan! – ela sorriu. Ficou tudo... Meio escuro derrepente...

(***)

- Isabella? Isabella consegue me ouvir? – ela a médica chamando, e uma coisa gelada em minha testa... – Isabella?

- Sim? – respondi.

- Como se sente? – perguntou.

- Tonta!

- Certo, você desmaiou... Foi choque demais para você?

- Oh bem... Sim!

- Certo, levante com cuidado... – pediu – Isso, se sente bem?

- Sim...

- Então pode se vestir, está liberada, mas um enfermeiro a acompanhará até a porta...

- Eu não acledito! Dois irmãos? Ou irmãs? Ó céus o que eu fiz para merecer isso? – disse Lisa no carro, totalmente inquieta.

- Você não gostou filha?

- Mamãe, ainda estou no meu momento choque! Eu estava quase, mais quase me acostumando em dividir o amorzinho e pow! Agora ele será dividido por três!

- A mamãe não conta não?- perguntei fazendo carinha de dó

- Não, você perdeu sua vez! – com essa eu gargalhei da minha menina incrível.

- Filha, olha nada, jamais vai mudar ok? Eu te amo, você é minha primogênita, você é o maior milagre que papai do céu mandou pra mamãe, nada e ninguém pode substituir você. – pronto já estava eu chorando.

- Own mamãe, não chola. Eu também te amo. Eu julo que vou ser a irmã mais velha, melhor do mundo. Mais você não vai me dar mais irmãos tá bom?

-Tá bom. – sorri.

- Promete que você e o amorzinho vão tapar sua entrada para bebês? – gargalhei alto.

- Prometo!

(***)

- Eu vou dormir com você, pla proteger vocês, já que o amorzinho não tá em casa. - ela estava parada na porta com um travesseiro e arrastando um edredom rosa, Lucky a seguia.

- Hum que gostoso, vou dormir abraçadinha com meu bebê! – sorri.

- Bebê não mãe- eu a puxei abraçando-a. Lucky deitou-se ao lado da cama. - O que o Tony vai pensar de mim?

- Hum... Tony. Ele te acha linda, e fofa, e maravilhosa. A mamãe dele também acha isso. – sorri.

- Então tá, mais só aqui tá mamãe? Nada de bebê na rua!

- Tá, só aqui meu bebê. – ela revirou os olhinhos, se aconchegando mais em mim.

- Boa noite mamãe.

- Boa noite amorzinho. Te amo.

- E eu amo mais...

‘‘Edward retirava minha última e inútil peça de roupa, sua língua, percorria o caminho entre meus seios e meu sexo molhado.

- Amor, você não sabe como a visão daqui é boa.

- Ed... Não tortura amor. – então ele desceu com beijos carinhosos até minha intimidade, enxugando-a, me torturando... Lambendo com avidez sugando meu clitóris, ora lambendo ora mordendo, fazendo movimentos circulares me levando ao ápice, derramando-me dentro de sua boca...’’

Acordei arfando, as duas da madrugada, totalmente molhada, extremamente excitada. Droga.

Lisa estava descoberta, eu a cobri, colocando-a de volta ao seu travesseiro.

Fui até o antigo quarto de Edward e liguei para ele.

- Olá amor.

- Bella? Aconteceu algo? – ele falou todo preocupado...

- Não, é porque eu acordei, e quis ligar... – me deitei em sua antiga cama.

- Como foi à consulta?

- Bem tenho novidades, mas quando chegar eu te conto. Está muito ocupado?

- Não estou indo para meu café agora.

- Hum- gemi- Amor sabe por que eu acordei?

- Não...

- Eu sonhei com a sua língua me secando, seu sussurro rouco em meu ouvido, aaah- neste momento levei minha mão ao meu sexo pra lá de molhado- Amor sussurra para mim vai.

- Pô Bella deixa de ser má, eu estou duro por você amor.

- Edward- gemi- Meu Deus eu sinto sua língua em mim, seus dedos brincando em minha entrada encharcada... Oh, é delicioso...

- Por deus Bella, espera eu procurar um banheiro amor. - escutei o guinchar dos sapatos deslizando no chão do hospital - Estou aí com você. Sugando seus seios brincando com meus longos dedos da sua entrada, primeiro foi só um, depois outro, estou beijando sua boca, depois sussurrando em seu ouvido. - aumentei meus movimentos, penetrando-me com dois dedos, estocando profunda e rapidamente...

- Mais Edward, seus dedos estão bombando forte em mim, aaah estou quase. Aah meu Deus...

- Isso amor, estou quase lá com você, sente meu polegar alisando seu clitóris inchado, querendo prazer?

- Si-im.- e possivelmente eu sentia mesmo, pois as palavras de Edward eram fortes e convictas.

- Agora eu retirei todos meus dedos e desci minha boca, estou sugando e massageando você.

- Huum, aah Edward, por favor... -pedi,

- Agora estou te lambendo, forte, e te penetrei com três dedos novamente...

- Ahh, amor eu huum, meu Deus - meus dedos tomaram vontade própria, indo mais forte e rápido me trazendo um orgasmo inusitado. Molhando o lençol com meu gozo.

- Estou quase Bella... - resolvi brincar

- Amor, estou aí segurando seu membro ereto, indo e vindo com ele, agora coloquei na minha boca, circulando sua glande com a minha língua indo e vindo primeiro lento e depois forte, você me segurou pelo cabelo, fazendo como você gosta estou submissa a você.

- Aah caralho Bells, sua boca ainda me mata... Huum- escutei-o quando chegou ao orgasmo. – Amor isso foi uma maldade... Boa.- eu bocejei.

- Bem, amor agora eu vou dormir.

- Ah me deixa alegrinho e vai dormir?

- Sorry baby, seus filhos...

- Filhos?- estava estragando a surpresa.

- Bem, até amanhã e traga chocolates. Eu te amo- desliguei. Tomei um banho quente, deitei e puxei lisa para mim.

Edward Pov

Bella. Bella. Ela não me deixou mais em paz depois do inusitado telefonema. Droga estou literalmente de quatro por essa mulher. Quando dirigia para casa parei e comprei os chocolates. Levei um pacotinho de M&Ms para lisa.

Quando abri a porta, me deparei com uma cena nada agradável: Lisa estava sentada, e ao seu lado Anthony. Eles comiam um cereal.

- Bom dia amorzinho.

- Bom dia senhor Cullen.

- Bom dia filha. Anthony. Trouxe para você Lisa. – lhe entreguei o M&Ms.

- Own Obrigada amorzinho. Anthony vamos, senão vamos chegar atrasados... – ela segurou na mão dele? Como assim? Aaah meu Deus, ajude...

- Vamos Lisinha. Até mais. – Lisinha? Que porra é essa? Meu bebê, minha princesa é Lisinha agora?

- Opa, como assim? Quem vai levá-los?

- Meu pai. – nada bom confiar no pai do urubu que ronda sua filha...

- Eu levo vocês. – falei bravo.

- Nada disso, precisamos conversar- Bella apareceu só de roupão- Bom dia crianças. 

- Mas Bella...

- Amor, o técnico os leva! Precisamos muito conversar... – ela pediu.

- Ok, bom dia princesa, bom dia Anthony...

E então eles saíram felizes... E isso me irritava profundamente.

- Venha aqui meu amor, vamos para o nosso quarto... – ela sorriu, e eu a peguei no colo.

- Pronto, me conte tudo que eu perdi...

Bella me contou cada detalhe da consulta, inclusive o transvaginal que fez... Isso não me agrada, só eu posso entrar naquele corpo perfeito...

- E ahn... Amor, teremos gêmeos! Estou grávida de dois bebês! – ela sorriu, os olhos cheios d’água.

- Como?

- Dois bebês meu amor, gêmeos! – ela sorriu, agora chorava. Colocou minhas mãos em sua barriga.

- Dois... Minha nossa! – sorri, e gritei, pegando-a no colo. – Obrigada por isso meu amor...

- Eu quem agradeço! Fiquei tão chocada que desmaiei! – ela riu.

- Oh amor, cuidado...

Ficamos conversando mais um pouco e bom... Obviamente ambos quisemos terminar o que começamos a noite passada. Nada de selvageria, já que estávamos proibidos... Mas de qualquer jeito, sexo com Bella era sempre maravilhoso...

- E ahn... Lisa me pediu algo... – ela falou deitada em meu peito, nossos corpos nus e suados entrelaçados na cama.

- Sim?

- Ela pediu para que ‘tapemos’ a minha entrada de bebês, ela não quer mais irmãos...

Joguei minha cabeça para trás e ri com Bella. Essa era nossa garota!