The Shield escrita por MariSpoladorMoreira, Sandy


Capítulo 16
Capítulo 15 : Caindo Em Tentação


Notas iniciais do capítulo

Bem meninas, espero q vcs LEIAM essa nota. Refoçando mais uma vez. Os postes são tods SEXTAS e DOMINGOS, muitas vezes a noite. Agradeço os 255 comentários,lii todinhos. Esperamos que gostem,foi feito com muiito carinho.
Beijos ;**
Sandyy
****
Olá meninas!
Muito obrigada pelos reviews maravilhosos! Tenho lido todos, e me apaixonado cada vez mais!
Esperamos que gostem!
E ahn, não morram por antecipação!
Máh.




N/AS: Bem para aquelas que pediram as roupas da Tânia e Lauren do último capítulo.

***

Com o fim de semestre eu estava atolado em provas e trabalhos. Lisa estava sendo compreensiva comigo. Ela estudava enquanto eu estudava. Bella um dia nos pegou assim, e achou a cena hilária, segundo ela os ‘nerds’ mais lindos. Hoje eu teria quatro provas, e meu último horário seria livre. Alguns iriam estudar em grupos, mais eu iria para casa aproveitar e dormir como Lisinha. Como um anjo.

As provas estavam fáceis, em pensar que eu entrei já atrasado, eu consegui pontuação para fechar algumas, e tirar 89% em outras. Para mim foi simplesmente emocionante. Depois dessas provas e mais outras duas semanas de aulas, quem precisaria ficaria na recuperação, e os que não iriam podiam ficar em casa. Ainda bem por que tudo isso já está me cansando... Mais depois viria o meu sucesso.

Elisabeth entraria de férias quase junto comigo, uma semana antes e isso nos deixava muito feliz. Nós já tínhamos vários planos de passeios. Andei conversando com Bella, e chegamos a conclusão que talvez uma viagem para a praia pudesse ser maravilhosa. Certamente Lisa aprovaria... Só faltava que as férias chegassem!

[...]

Ah as provas de hoje estavam parecendo até uma brincadeira comigo. Eu não sei se estudei de mais, e os outros de menos ou eu me ferrei muito. Fui o primeiro a sair da sala, assim sai na metade do quarto tempo. Graças há Deus um tempo a mais para eu dormir. Assim que saí da faculdade passei em alguns lugares para comprar algumas coisas que eu precisava. Na farmácia foi onde percebi que estou sem sexo há muito tempo, eu não comprava camisinha faz mais de cinco meses. Que isso Edward? Perdendo o fogo no auge da juventude? Isso é inadmissível...

[...]

- Boa noite! – eu pulei com o susto.

- Bella! Quer me matar?

- Longe de mim. Chegou cedo- ela estava sentada na sala, vendo um seriado qualquer.

- É terminei as provas antes sabe?

- Hum, fico orgulhosa de você. Está com fome?- passar na farmácia não foi algo bom, essa inocente pergunta me fez ver o duplo sentido. Fome de você. – pensei.

- Um pouco.

- Tem Pizza na geladeira é só esquentar.

- Ok.- me dirigi a cozinha. Terminei meu lanche Bella apareceu linda. Ah mais é muita tentação, eu aqui na seca e ela me aparece assim? Diaba!

Continuei parado, tentando não olhar para o luxuoso roupão de seda dela aberto. Vamos lá Edward, contando carneirinhos para dormir. 1,2,3, porra não tá adiantando. Meu membro estava latejante, teria que me aliviar, apesar de que eu prefiro que as mulheres façam isso. Masturbação me faz senti broxa e muito gay.

- O quê você acha?- ela perguntou

- Do quê?

- Edward, o portfólio da Alice, eu vou contratá-la. Você pelo menos lembra que me entregou ele há algumas semanas né?

- Lembro. - ela estava perto de mais. – Jacob está em casa?

- Aqui não é a casa dele. Deve estar no apartamento dele. Por quê?

- É bem sua roupa.

- Ah eu costumo dormir assim às vezes. Mais prático- essa informação foi demais para mim.

- Acho que você deveria ter uma companhia mais interessante à noite sabe? Dormir assim sozinha é muito desperdício. Chega a ser um pecado...

- Edward? Do que você está falando? – ela estava levemente ruborizada.

- Como assim ‘Edward do que você está falando?’ Você me aparece com essa roupa, isso nem pode ser considerado roupa, e quer que eu me cale?

- Fale direito.

- Você está uma delícia, gostosa. – falei – É incontrolável.

- Eu... Eu... Desculpe-me eu vou me... – a abracei.

- Pode dar uma chance? Só uma? – pedi roçando meu nariz e boca em seu pescoço, subindo para o queixo e nariz.

- Edward... – falou baixinho.

- Apenas uma chance, é disso que eu preciso. Apenas... Se deixe levar, não refreie as coisas, os sentimentos.

- Não estou refreando nada. – murmurou.

- Sua boca diz que não, mas seu corpo diz que sim. – prensei minha ereção nela, esmagando minha boca com a sua – Admita Bella...

- Não há nada para admitir... – ela falou, mas correspondia minhas carícias.

- Tem certeza?

Joan Jett – Do You Wanna Touch Me

- Absoluta. – falou – Só... Faça-me sua Edward, apenas isso.

Oi? Como assim ‘Me faça sua’? Estou sonhando, e sinceramente, não quero acordar...

Passei os braços por sua cintura, por dentro do roupão sentido sua pele ao mesmo tempo devorando sua boca na minha, levantando a do chão.

Bella cruzou suas pernas em minha cintura.

- Elisabeth- ela sussurrou.

- O que tem ela?

- Pode acordar, vamos para o quarto- ela disse entregue a mim.

- Tudo bem vamos para o meu.

- Mas...

- Nem vem estragar o momento, não quero um local onde Jacob já te teve.

- Ele... Deixa vamos logo, - eu sentia sua intimidade quente e úmida em minha cintura.

Aos tropeços fomos para o meu quarto, derrubando um objeto ou outro no meio do caminho.

Bella me despia, jogando minha camisa, pelo caminho, teria que me lembrar de pegar depois. Mais agora eu tirava aquele roupão. Delicadamente – mentira - eu bati a porta do quarto trancando em seguida. Coloquei Bella na cama, beijando as curvas se seu seio, e meu deus, o que era aquilo? A Bella foi mãe cedo, mais tinha um corpo, Jesus.

- Edward, sério meus peitos?

- Desculpa Bella, mas Jesus eles me fazem perder o juízo. -disse a ela começando a tirar seu sutiã.

- Estamos em desvantagem gostoso. - ela me empurrou desabotoando a minha calça, alisando meu membro duro, ainda sob a boxer. Meu Deus do céu... Ficar tanto tempo sem o toque feminino me deixou afoito demais.

- Minha vez... – falei rolando para cima de seu corpo voluptuoso, tocando tudo o que me era de alcance. Prendi suas mãos no alto de nossas cabeças, e chupei seu pescoço mais que cheiroso.

Bella envolveu novamente minha cintura com as pernas, e agora seu sexo úmido e quente estava em contato direto com minha ereção, só havia as finas camadas de roupas íntimas entre nós. Eu estava alucinado por aquele corpo, e por aquelas mãos que depois de soltas, apertavam a arranhavam minhas costas de um jeito arrepiante.

Num rompante de desespero, acabei por arrancar o fino e sexy sutiã com apenas um puxão, tendo a visão direta dos seios bem feitos e suculentos. Os mamilos rígidos denunciavam todo o desejo que seu corpo possuía. Eu estava em chamas, e ela com toda a sorte do mundo me acompanhava.

Dei uma leve lambida no mamilo direito, arrancando um suspiro de prazer dos lábios semi- abertos que Bella sustentava. Vendo sua aprovação, comecei a chupar com avidez, até com desespero.

- Acabe com isso Edward... Estou queimando! – falou entre gemidos longos e intermináveis.

Eu sempre sonhei com isso. Com o momento em que o inútil Jacob deixaria o caminho livre para mim e para Bella. Era tão... Espetacular aquele contato íntimo, que me custava acreditar que era real.

Eu estava na chuva iria me molhar, resolvi dar a devida atenção ao outro mamilo, para não ficar com ciúmes. Estávamos nos amando sem barreiras, nos levando a loucura. Acho que meu membro iria explodir a qualquer momento.

Como se lesse meus pensamentos, Bella retirou a minha boxer, fazendo questão de roçar sua mão no meu membro, ajudei-a com a inútil peça no momento. Provocando-me, ela subiu sua mão, ora passando ora apertando a minha coxa. Quando chegou perto de meu membro sem êxito ela o pegou, masturbando, lento e devagar.

- Eu sempre tentava imaginar o tamanho dele, - ela admitiu na cara dura, entre gemidos.

- Agora você pode ver com uma imagem real.

- E é melhor que eu imaginava, - desci uma mão minha para dentro da sua calcinha- Aaah, por favor, eu preciso Edward.

- Eu estou vendo. – ela estava pingando, sem pensar muito, arranquei sua última e indesejável peça. Ela estava tão entregue que tinha parado com a brincadeira lá embaixo. Segurando minhas costas nossas intimidades se tocaram, e isso foi o que bastou para nós nos entregarmos totalmente a nossa vontade reprimida há algum tempo.

Naquele instante, eu já não me importei com mais nada. Pincelei meu membro em sua entrada molhada, penetrando-a em seguida, sem culpa, sem medo. Dando vazão a toda a emoção e tesão que aquele momento estava causando. Bella era minha, finalmente estava em meus braços tão entregue e comprometida quanto eu, e isso era maravilhoso.

Minhas estocadas eram firmes e fundas, fazendo com que as paredes apertadas de Bella me esmagassem cada vez mais, fazendo com que meu corpo todo correspondesse ao seu, e meu sexo palpitava dentro de seu corpo, sendo abrigado pelo calor e umidade. Era uma sensação extasiante, viciante, e eu só queria mais e mais. Bella gemia a plenos pulmões, mostrando tudo que estava sentindo. Muitas vezes ela chegou a falar palavrões baixos, enquanto acariciava minhas costas e descia a mão até a minha bunda.

Suas paredes me apertaram denunciando seu clímax, a senti escorrer em meu membro, prolonguei as estocadas, tanto para ela sentir mais prazer, quanto para eu ir ao meu extremo.

Meu Deus que mulher. Foi sem dúvida, a melhor transa - eu não considerava isso e sim amor- da minha vida. A puxei para os meus braços, beijando a sua boca mais uma vez.

- Edward- sua voz ainda rouca pelo desejo.

- Se for para dizer que foi um erro, é melhor não falar- já avisei

- Não é isso, foi à melhor noite da minha existência depois do parto de Lisa. Desculpe você não pode competir com ela. – ela sorriu para mim.

- E nem quero. Elisabeth é o ser mais perfeito que poderia existir.

- Eu sei, fico orgulhosa dela a cada dia que passa. Sinto-me melhor ao seu lado. Precisava deste alívio.

- Qual dos dois? – perguntei malicioso- O nosso, ou de Lisa?

- Os dois.

- Ué, eu sei que é inconveniente o momento mais e o Jacob?

- Ele não gosta muito de sexo, e também quando começa não dá conta do recado. - ela gargalhou provavelmente da careta que eu fiz.

- Sério?

- É. – ela se aconchegou mais em mim.

- E agora como ficamos?

- Edward, há algum tempo eu já venho querendo isso, você. E com certeza assim que Jacob voltar da viagem que irá fazer amanhã. E só voltará em cinco dias. Não serei mais nada dele, nem amiga, nem noiva nem namorada. Eu serei somente a mãe de Elisabeth, e sua se me quiser.

- Acho bom, pois não gosto de dividir o que é meu, com os outros, mesmo ele não dando conta do recado.

- E eu sou sua?

- Eu te fiz minha, e não pretendo deixa lá ir tão cedo.