The Shield escrita por MariSpoladorMoreira, Sandy


Capítulo 14
Capítulo 13: Em Família.


Notas iniciais do capítulo

Olá meninas, obg pelo apoio. Leio todos os comentários. E simplesmente amei cada virgula citada.
Sandyy

*-*-*-*-*

Boa noite meninas...
Obrigada por cada review maravilhoso que vocês mandam, tenho lido cada um deles, e amado cada vez mais!
Esperamos que gostem! ^^
Máh.




Dormir naquela noite foi difícil. Eu tentava a todo o momento esquecer Isabella mais estava difícil na minha atual situação: duro ao extremo.

Sabe quando você está prestes a acordar e escuta e sente tudo em sua volta?

Bem eu estava assim, sentia alguém derrubando a minha porta mais não conseguia levantar, para abri-la.

- Edward Cullen ou você abre essa porta ou eu Alice Cullen vou derrubá-la com um Christian Louboutin.

- Já vou – minha voz rouca a fez parar. Lisa estava dormindo no meu peito desnudo. Eu vestia apenas um short de dormir. – Alice, espero que tenha um bom motivo para me acordar – gritei em direção a porta. Quando abri me deparei com uma Alice sorridente e uma Bella tímida.

 Primeiro ela me olhou de cima em baixo, baixou a cabeça e corou. Há tá vendo o que você perdeu?

- Bem, vim te acordar, pois iremos fazer um passeio em família. Então a Bella veio pegar Lisinha para se arrumar.

- Ela ainda tá dormindo, mas pode pega-la.

- Ok, posso?- ela pediu por eu estar bloqueando a porta.

- Claro- lógico que eu não podia perder a oportunidade de encoxa-la um pouco – Desculpa- sorri e ela me olhou com raiva. Tá vendo provoca e não sabe ser provocada.

- Vou descer e me encontrar com o pessoal! Não demorem seus lerdos! – Alice desceu exageradamente saltitante. Fiquei vendo Bella se aproximar de Lisa com cuidado.

- Dormiu bem Isabella? – falei passando a língua nos lábios.

- Perfeitamente, e você?- ela me olhou debochada. Safada... Bem que gosta das minhas investidas.

- Na verdade não muito, vim para o quarto com uma rocha sabe? – falei provocante – Uma rocha que precisava de atenção... Mas, felizmente consegui controlá-la com uns telefonemas...

- Seu escroto! – ela falou alto demais, indo para o meu lado novamente, prensando-me na parede – Tenha respeito perto da minha filha!

- Minha filha também Isabella... – falei virando-me. A prensada ela era agora – Você acha que eu faria algo de imprudente ou desrespeitoso perto dela? Você gosta safadinha... – rocei minha boca em seu pescoço.

- Pare... – pediu.

- Porque não se dá uma chance para ser feliz? Porque não quer uma família decente para Elisabeth? – perguntei sério.

- Ela já tem.

- Não tem e você sabe muito bem! – falei e soltei seu corpo pequeno e frágil.

- Eu... – ela se aproximou, e me abraçou por trás – Desculpe...

- Agora quem pede para parar sou eu... – falei tirando suas mãos – Porque trancou a porta ontem?

- Porque era errado deixar aberta. – falou.

- E porque errado?

- Porque eu sou noiva.

- E porque você é noiva daquele imbecil?

- Porque eu...

- Você o ama? – perguntei segurando-a levemente pelo braço.

- Eu... Eu o amo sim.

- Você mente, isso sim. – falei aproximando meu corpo do seu – Porque está com ele sem amor?

- Me solte! – falou brava – Eu o amo, e você nada entende disso!

- Posso entender... – falei e rocei nossos lábios com todo o cuidado do mundo, testando... Ela me recebeu bem, até coagiu com meu beijo, para depois se afastar rapidamente.

- É... Errado, já disse... – falou aproximando-se de Lisa novamente, esfregando os lábios, como se me ‘limpasse’ dela. Aquilo me irritou, profundamente...

Peguei minhas roupas e saí do quarto correndo, querendo ficar só.

[...]

- Bom dia amorzinho. – Lisa me cumprimentou dentro do elevador.

- Bom dia princesa. Dormiu bem?

- Muito, seu peito é tão gostoso de dormir, é quentinho. – ela sorriu corada - Tive sonhos bons à noite toda.

Bella me olhou com um olhar estilo ‘Ciclope’ que se fosse um olhar mortal puff adeus Ed!

- Bom dia Família – disse ao chegar à mesa deles no restaurante do hotel.

- Bom dia- responderam. Lisa ficou entre eu e Bella.

- Então Bella, com o que você trabalha?- meu pai perguntou depois que nos servimos.

- Eu sou dona de uma Grife, na Oxford Street.

- Mentira? – gritou Alice da outra ponta da mesa. - Você tá falando sério?

- Estou sim.

- E você... Espera aí. – Alice levantou correndo- Emm vaza... – ela literalmente tirou o Emmett do lugar dele coitado. – Qual a grife Bellinha?

- Swan’s

- Ai, eu amo suas roupas! Compro de lá pela internet!  – agora vivíamos um ‘monólogo’ – As roupas é você quem desenha?

- Sim, todas sem exceção de nenhuma.

- Me deixa trabalhar com você por favor ?- antes de Bella responder minha mãe interferiu.

- Alice isso não é ético.

- Deixe ela Esme. Ok você monta um portfólio e me manda pode ser?

- Ai, que demais, mal me formei e já arrumei um emprego!

- Xii Bellinha tá fodida- gritou Emm com a boca Cheia.

- Emmett Cullen! Olha os modos, e o palavreado diante a mesa! – repreendeu meu Pai. –

- Desculpe-nos Bella...

- Tudo Bem Carlisle.

- Então você veio para isso?  - perguntou minha mãe - Para a empresa?

- Sim, eles querem exportar as minhas roupas. Mas o preço é muito baixo, não querem me pagar nem 57% do preço de uma única peça.

- Isso é um absurdo. Seus vestidos nem são tão caros assim – pronto Rose agora também entrou na conversa.  – Eu compro sempre.

- Pois eu também acho. Meu vestido de ontem a noite era criação minha.

- Tá brincando? Eu simplesmente amei - minha mãe se pronunciou.

- Mamãe desenha quase todas minhas roupas. –até Lisa participava agora.

Estávamos em pleno clube da Luluzinha. Nem preciso comentar que os homens presentes na mesa estavam todos com cara de tacho né?

[...]

-Então, gente um minutinho! – Disse Alice ficando de pé. - Tenho um comunicado para fazer!

- Fale querida... – falou minha mãe sorrindo.

- Bem... O Jasper vai com agente para a Inglaterra! – ela vibrou e todos em silêncio.

- E onde ele vai morar?- Emmett perguntou

- Na nossa casa oras.

- Negativo – respondi.

- Nem casados! – gritou Emmett

- Gente! Parem já com esses ciúmes, eu sou maior de idade!

- Que seja Alice, você ainda é a caçula da família. – respondi

- Edward, tem razão... Vê se pode eu sabendo que o cara tá te comendo debaixo do meu teto - gritou Emmett novamente.

- Tio Jazz, por favor, não mata a tia Alice! – gritou Lisa desesperada. Pobre criança... Tão inocente...

- Emmett e Edward Cullen. Parem já os dois! – disse meu pai – A casa ainda é minha.

- Papai, você é um traidor! – me alterei.

- Ok, eu vou morar com ele então.

- Qual a parte do caçula você não entendeu?- perguntei.

- Edward? – Bella me chamou baixinho.

- Oi?

- Olha é melhor eles onde vocês sabem onde estão, do que em outro lugar.

- É gente a Bella tem razão... - disse Rose olhando para Emm.

- Estou de olho em você francês! – disse Emm.

- Eu não sou francês, só fiz a minha faculdade aqui!

- É formado em quê?- meu pai era um trouxa mesmo...

- Pediatria senhor.

- Oh meu filho, só Carlisle - filho? Que porra é essa?- Que ótimo. Estou mesmo precisando de um pediatra competente no meu hospital – pronto... Essa foi à deixa para eu levantar da mesa!

- Aonde vai Edward? – perguntou minha mãe se levantando da mesa.

- Tentar me matar no banheiro...

- Não Edizinho! Não faz isso comigo amorzinho! – gritou Lisa, agarrando minhas pernas.

- Lisa... Me, solte. – pedi seriamente, e ela me largou na hora. Subi pelo elevador, era o mais rápido. Entrei no quarto batendo a porta e me joguei na cama.

Inferno... – pensei – Até o namoradinho boiola da Alice consegue ter a atenção e carinho do meu pai... Ele provavelmente é mais novo que eu, e já formado no que tanto quero...

Eu tinha um ódio mortal de tudo e de todos. Que porra de vida, faço tudo para melhorar, faço tudo para encontrar a mulher que vai me valorizar pelo que me tornei, e o que encontro? Uma mulher que me despreza, que foge de mim, um pai que trata melhor o próprio genro e uma família que me odeia. Ótimo, morra Edward, só morra e facilite tudo...

- Edward...

- Sai daqui! – gritei.

- Calma, sou eu... – senti uma mão macia no meu cabelo e percebi ser Bella. Olhei para o lado, e Lisa olhava para mim, os olhinhos cheios d’água, prestes a transbordar. – Porque tudo isso Edward? Seus pais te amam, e muito...

- Amam nada, eu quero morrer...

- Não diga isso... – ela se aproximou do meu ouvido – Eu preciso de você, Lisa precisa...

- Vocês arranjam outro, tem o Jacob. – falei grosso.

- Ele não é você. – falou – Fique... Por nós.

- Só quero ficar aqui... – falei.

- Vamos sair com todos, por favor. – pediu – Não precisa falar nem fazer nada, só... Vá.

- Bella eu...

- Por favor, Edward? Por favor?

- Edizinho, por favor... Eu te amo muito, vou ficar só com você. – Elisabeth falou passando as mãozinhas em meu rosto.

- Eu... – ia negar, ia falar que não ia, mas, os olhares suplicantes em minha direção me desarmaram – Vou lavar o rosto.

Acabamos indo todos em um parque francês, muito bonito. Ninguém falou comigo, e eu não falei com ninguém. Todos sentaram em uma mesa de pic nic, e eu me sentei na grama, olhando o fluxo do rio que passada. Elisabeth ficou em meu colo o tempo todo, em silêncio. Parecia até um adulto, e sua companhia certamente era melhor do que a de um...