Momentos de Percy J. e Annabeth C. [Em Revisão] escrita por Nicolle Bittencourt


Capítulo 8
Capítulo 8: Recebemos primeiros socorros




Bryan's POV

Cara, acho que estou ficando maluco! Quer dizer, Annabeth e eu íamos ser expulsos do prédio pelo porteiro, daí ela estala os dedos e o tal de Tom nos deixa entrar e fica nos olhando de forma vidrada, como um zumbi? Sabe, cheguei a conclusão de que Annabeth é que é a louca nessa história toda. Se bem que, do jeito que é linda, eu nem me importo...

"Esquece, Bryan! Annabeth é só sua colega ou amiga, tanto faz. Uma amiga muito bonita, muito bipolar e muito inteligente."

Eu tinha perguntado a Annie como ela fizera aquele negócio de estalar os dedos, quem sabe eu também não aprendia? Embora não faça ideia de como aquilo ocorre. E o que a sabida me diz? “Eu te explico depois". Por que depois? Até parece que ela não sabe que eu tenho déficit de atenção e que vou ficar pensando nisso até não poder mais.

Mesmo ficando zangado com ela, não conseguia deixar de apreciar a sua beleza. Seja lá quem for esse namorado dela. É um sortudo!

Chegando ao oitavo andar, ela tocou a campainha de um dos apartamentos, quase em seguida uma moça atendeu a porta.

A senhorita deveria ter o quê? Uns trinta anos de idade? Bonita, cabelos castanhos na altura dos ombros, olhos da mesma cor, alta e magra. Usava uma roupa branca e um jaleco de médica, por isso, logo a identifiquei como Sarah Lembert (embora fosse bem diferente do que eu havia imaginado).

— Annabeth?

Sua voz era melodiosa e suave. Poderia ser uma ótima cantora de jazz ou blues.

— Sim, sou eu, Sarah!

Sarah abraçou cuidadosamente Annie e depois me avaliou.

— Ah! Que falta de educação a minha! Este é Bryan Harpper. Bryan está é Sarah Lembert, a melhor média de New York.

Sarah deu uma risadinha.

— Quem dera! Sou apenas a terceira melhor! - ela parou de sorrir quando nos analisou melhor — Meus deuses! Vocês estão machucados... Annabeth, que corte é esse? Venha, vamos entrando.

Sarah foi nos guiando para dentro de seu apartamento e tudo em que pude pensar enquanto olhava o luxuoso local foi: UAU!

Aquilo não era uma apartamento, era uma mansão na Park Avenue isso sim! Não faço a menor ideia de quanto ganha um médico nessa cidade, só sei que a doutora Lembert devia ser mesmo uma das melhores para poder morar naquele lugar.

— Sentem-se! Vou pegar algumas coisas para fazer os curativos e as ataduras!- o tom de Sarah era de preocupação. E mesmo não sabendo de onde ela e Annie se conheciam, tive a sensação de que Sarah se importava realmente com a filha de Atena.

Annie parecia querer fechar os olhos, mas tentava vencer isso. Por um momento eu temi que ela fechasse os olhos e eles nunca mais se abrissem. Eu não sabia a motivo de eu me importar tanto com aquela garota que eu acabara de conhecer. Talvez fosse o fato dela ter salvado a minha vida, ou o fato de ser legal quando não estava sendo irônica.

Me aproximei dela.

— Não feche os olhos!- sussurrei em seu ouvido.

Na mesma hora Annabeth abriu suas pálpebras e se afastou um pouco.

— O que você estava tentando?- perguntou com um pouco de irritação. Seus olhos cinzas pareciam atravessar a minha alma.

—Tentando evitar que você apague! - respondi sinceramente.

A expressão de seu rosto se suavizou.

— Ahn... Ok...

Sarah voltou cheia de coisas nas mãos.

— Bem, vamos começar!

                ***********************************************

Havia se passado uns 15 minutos, Sarah tinha terminado de fazer os curativos em nós. Eu não precisaria deles na verdade, segundo Annabeth, o néctar e ambrosia teriam me curado em um instante, mas aparentemente, a médica estava sem eles no estoque devido a alguns semideuses que havia atendido mais cedo. Sendo assim, ela havia passado alguns remédios de cicatrização em meus arranhões e dado pontos na cabeça de Annie, além de enfaixar seu pé. Durante o processo, lhe contamos o que havia acontecido para termos ficado naquele estado.

— Ahn... Sarah eu posso mandar uma M.I para alguém? - pediu Annie com certa delicadeza assim que a médica terminou com seus curativos.

— Claro, Annie! E como o sol não bate a essa hora por aqui...- Sarah tirou um daqueles pequenos espelhos de um dos bolsos e entregou a Annabeth. — Pode abri-lo.

Eu não sabia no que um espelho ia ajudar a mandar uma mensagem. Mas enfim...

Annie arquejou ao abrir o espelho. Olhei em sua direção e vi que do espelho saía um belo arco-íris.

— Incrível! Mas como...

— Um presente da Deusa Íris. Já fiz alguns favores à ela , por isso ela me recompensou.- Sarah deu uma piscadinha para Annie. — Ah! Tem dracmas ali em cima da mesa.

— Obrigada, Sarah! - disse Annie sorrindo, um sorriso meigo e alegre. Era bom vê-la sorrindo assim, era quase como se ela estivesse 100% bem.

— Vamos deixa-la a vontade, jovem. Vamos ficar um pouco distantes dela, ok?

— Ok!

Ficamos um pouco afastados, por isso não conseguia distinguir muito bem a imagem que apareceu para Annie. Dentro de 5 minutos ela voltou.

— Sarah, tomei a liberdade de chamar meu namorado para que pudesse trazer o néctar e a ambrosia, já que você não tem.

— Claro, Annie, sem problema! Assim vou ter companhia para o lanche da tarde. Mas... Vocês não podem continuar nessas roupas, precisam tomar um banho e se trocar. Tenho algumas peças aqui dentro, venham comigo.

Sarah nem nos deixou falar e nos levou ao seu closet. Pegou um conjunto de roupas para mim e outro para Annie.

— Vamos, vamos. Garoto para o quarto à esquerda e garota para o quarto à direita.

Sarah nos empurrou, cada um para um quarto e fechou as portas.

*******************************************************

Após tomar um bom banho e colocar as roupas, me olhei no espelho e pela primeira vez realmente vi o que vestia: calça jeans, blusa branca com jaqueta preta e tênis all star.

É, isso fazia meu estilo!

Ouvi o interfone tocar.

Saí do quarto e me deparei com Annie usando um lindo vestido azul marinho, com os cabelos caindo como cascatas pelos ombros e usando sapatilha num pé, pois no outro tinha uma tala. Fora isso, estava perfeita!

— UAU! Você está linda!

Annabeth corou.

— Obrigada! Você também está bonito nessa roupa!

Dei uma girada para me exibir.

— Valeu.

Sarah apareceu no corredor.

— Uau! Que espetáculo, Annie! E você também, Bryan. Ah! Nossas visitas estão chegando! Parece que seu namorado trouxe a mammy. Que fofo!

Sarah saiu depressa novamente, só que desta vez indo para a sala.

— Tem certeza de que ela é filha de Apolo? Está mais é pra Afrodite!

Annie riu.

— Vamos lá, engraçadinho!

Olhei para o pé dela.

— Quer ajuda?

— Não precisa...

Nem deixei ela terminar e fui guiando-a para sala segurando-a pela cintura. Não sem antes receber um olhar mortal da filha de Atena.

A campainha tocou e pude ouvir vozes no apartamento.

Mas eu não me importava, pois o que eu mais queria era continuar perto de Annabeth Chase.

 



Notas finais do capítulo

Adoro vocês.