Eternal Flame escrita por soniachristine


Capítulo 46
Capítulo Extra - POV Jacob


Notas iniciais do capítulo

Hey, hey! Como eu disse antes, prometi ao pessoal no tumblr um pequeno capítulo bônus no ponto de vista do Gabriel e outro no ponto de vista do Jacob.

Esse capítulo é narrado pelo Jacob e se passa imediatamente depois de 3x17 (Recomeço).

obs: Vale repetir que finalmente consegui voltar a postar as capas e atualizei os capítulos 3x15, 3x16 e 3x17 com suas respectivas imagens. Vale a pena conferir! ;D

Preparem-se para o novo capítulo que sairá no decorrer da semana, vai ser de derrubar forninhos! ^^"

Abraços, até breve .õ/

Música do capítulo: https://www.youtube.com/watch?v=UPF6cj7GSnI




Minha Nessie está em meus braços de novo. Suspirei e afaguei seus cabelos bem devagar temendo que algum movimento brusco pudesse fazer esse momento dissipar no ar. Eu estava dirigindo de volta para a mansão Cullen e Renesmee estava quietamente aconchegada em meu peito, apenas nossas respirações preenchendo o silêncio da trégua. Nós finalmente estávamos em paz.

Bem, tenho certeza que Nessie ainda tem um milhão de preocupações zunindo em sua mente brilhante, mas pelo menos me manter afastado dela não era mais uma delas. Do resto podemos cuidar juntos.

Eu estou tão feliz que chega a ser difícil me manter na forma humana. Esse corpo parece pequeno demais, limitado demais, para toda a euforia que circula em minhas veias agora. Essa viagem será boa para nós, posso sentir. Além disso, quanto mais longe daquele sanguessuga psicopata Renesmee estiver, melhor. Um sorriso malicioso brotou em meu rosto quando me peguei pensando na reação de Edward quando descobrir que nós estamos juntos outra vez. Claro, o sogrão não vai ficar nem um pouco satisfeito, mas não devo nenhuma satisfação a ele, principalmente depois de ver quão liberal ele era em relação à Nessie e ao humano babaca.

– No que está pensando? – a voz angelical de Renesmee indagou, mas ela não se moveu, seu corpo quente continuava repousando sobre o meu.

– Edward vai pirar. – contei.

Ela riu baixinho.

– É, acho que sim.

– Não está preocupada?

– Não com isso. – ela encolheu os ombros levemente – Não vou mais me preocupar com as expectativas que outras pessoas projetam em mim. A decisão é minha, quem tiver algum problema vai ter que aprender a lidar com isso. Tentei viver a vida que queriam para mim, tentei fazer a coisa certa e veja onde isso me levou... Eu continuo em perigo. Minha família continua em perigo. Apenas acabei magoando mais pessoas no processo.

– Tudo vai ficar bem, você vai ver. – dei um breve beijo em seus cabelos.

– É fácil acreditar nisso com você me abraçando desse jeito. – ela levantou o rosto, me sorrindo encantadoramente – Tinha esquecido quão segura você me faz sentir.

– Estou feliz que você tenha lembrado. Animada para a viagem?

– Yep. É excitante finalmente poder me levantar da cama e fazer o que eu sinto que precisa ser feito ao invés daquilo que esperam que eu faça. Só não sei como vamos despistar meus tios.

– Não deve ser muito difícil. Estão todos ocupados com a mudança, caçando Joham ou cuidando dos seus humanos. Sem Edward para ler nossos pensamentos não é como se algum deles estivesse esperando que você finalmente tome uma atitude.

– Eu deveria me ofender com isso. – ela estreitou os olhos para mim.

– É apenas a verdade.

Suspiro.

– Eu sei.

Chegamos em casa e logo nos separamos para que ninguém desconfiasse de nada.

Apesar de eu me achar um pouco velho para essa coisa de namorar escondido, admito a diversão extra que a adrenalina traz. Fora isso eu tinha um prazer pessoal em olhar para todos aqueles vampiros “sabe tudo” com a certeza de que havia algo debaixo do próprio teto deles do qual eles não estavam cientes.

Arrumei uma mochila rapidamente, tomei banho e esperei até a hora que eu e Renesmee combinamos. Saí pela porta da frente sem problemas, afinal não era eu quem estava sendo vigiado. Dei a volta no jardim e atirei uma pequena pedra na janela de Renesmee. Logo ela apareceu e saltou pousando graciosa e silenciosamente ao meu lado.

– Mal posso acreditar que estamos mesmo fazendo isso. – ela confessou animada.

– Pode apostar que sim! – lhe sorri confiante.

– Eu te amo. – ela disparou. – Obrigada por estar nessa comigo.

Eu podia sentir o sorriso involuntário romper em meu rosto. Ela sempre tinha esse efeito sobre mim e não importa quantas vezes Renesmee diga que me ama, a sensação ao ouvir essas palavras saindo da boca dela é sempre arrebatadora.

Colei meus lábios aos dela em um beijo suave e breve sem motivo algum, apenas porque eu queria. Caramba, é tão bom ter o sinal verde para me aproximar dela de novo.

– O prazer é todo meu. – eu disse.

Segurei a mão de Renesmee e partimos juntos trocando um sorriso de cumplicidade.

Logo, logo estaríamos em casa outra vez.