Rehab escrita por Amanda, Juh, Taís


Capítulo 21
Sakura: Álcool


Notas iniciais do capítulo

Desculpem pela demora! Boa leitura!



Dói né? Aí vocês vão me perguntar: “Sakura, dói o que?” E eu lhes respondo: Olhar aquela foto e ver que todo mundo saiu bonito menos você. Ou seja, eu.

Bom, na verdade, nunca fiz pose pra tirar uma foto, mas essa é a única desculpa que tenho para o meu “problema” de não gostar de tirar foto. Não sei explicar, eu apenas nasci com isso. Sempre tive medo, ou sei lá o quê, por tirar fotos. Minha mãe diz que isso vem de outras vidas, que eu devo ter morrido acertada por uma câmera ou coisa parecida, herr, prefiro não acreditar nisso. Mas o fato é que, desde criancinha tenho esse medo, travo e as raras fotos que eu tenho foram tiradas ao acaso, sem saber. A não ser a foto do meu RG que foi tirada com muito esforço, herr. O único que conseguia me distrair para tirar uma foto minha, era o Gohan... Ele sempre inventava uma história, me fazia rir e quando eu já estava bem distraída, ele aparecia com a câmera e me pegava de surpresa. Eu sempre ficava nervosa e ia brigar com ele, um segundo depois a minha raiva passava e nós voltávamos a ser melhores amigos novamente. Sinto saudade dessa época.



Vocês devem estar se perguntando, o porquê de eu aceitar fazer as fotos para a campanha da empresa. E tenho uma resposta simples na ponta da língua! Afinal, eu não sou rica. Eu e minha mãe sempre vivemos bem com o salário dela. Mas cresci e agora sou independente! Pelo menos tento ser, herr. Pago minhas futilidades e minha faculdade, tenho um bom salário na empresa Uchiha. Mas é aí que mora o problema! Quando o playboy do Sasuke cansar de brincar de casinha e voltar pro bem-bom, no luxo lá na mansão do Sr. Uchiha. Euzinha aqui, serei rebaixada pro meu antigo cargo de estagiária, ou pior, serei demitida! É bye,bye Sakurinha. Argh. Eu precisava ter um seguro caso o pior venha a acontecer, então aceitei fazer as fotos.



E cá estou eu, me borrando nas calças, digo: no vestido, herr. E vendo o bixa do Rick pular de alegria e batendo palmas. Aliás, todos estavam. Naruto, Gaara, Neji, Ino, a secretária baranga, o Sai e a Hinata também. Argh! O Sai vai se vê comigo! Todos exibiam seus sorrisos colgates pra nós. Hã???? Então isso quer dizer que eles gostaram? Eles gostaram? AAAAAHHHHHH ELES GOSTARAM!!!! Menos mal, né? Então a Sakurinha aqui não vai ficar sem o seu seguro desemprego. Hehe.



Por enquanto que eu me borrava, o Sasuke se preparava pra dar no pé, e não podia deixá-lo ir sem antes saber por que ele me ajudou, então o segurei no braço antes que ele pudesse sair da sala e escapar das minhas perguntas. Só que o idiota achou que eu queria o meu salto de volta, e na maior cara de pau, ele me entregou o par da sandália fazendo com que eu me soltasse do seu braço. Argh!



— Sasuke. — o chamei, e até que enfim consegui sua atenção!!



— O que é? — ele perguntou com pressa. Mas quando finalmente fui fuzilá-lo com minhas perguntas, meu namorado, lindo, carinhoso, atencioso, fofo, que eu estava morrendo de raiva, me atrapalhou com um super beijo desentupidor. Sai me ergueu do chão, abraçando-me, intensificando o nosso beijo. E eu queria me desvencilhar do Sai para poder falar com o Sasuke e também porque à segundos atrás estava morrendo de raiva do meu namorado, porém estava tão bom (eu sei, sou uma covarde!) que não consegui impedi-lo! Herr, quando ele me soltou, o Sasuke já tinha dado no pé. Saco!



— Sakura, foi perfeito! Vocês foram melhores do que imaginei! Conte-me quem combinou isso? Foi você, né? — fomos interrompidos, Herr. O Rick saltitava que nem uma gazela, feliz da vida. Ele entendeu tudo errado, eu realmente estava me borrando de medo de tirar as fotos. — Isso foi melhor que o show da Madona!



Enquanto todos comemoravam, fiquei quietinha, sem reação. Eu sempre tive medo de fotos, não tive? Antes disso, estava preparada para o meu fracasso, na certa ia amarelar como eu sempre faço nessas horas.



— UAL! PRECISAMOS COMEMORAR! — Ino gritou toda doida. — Que tal? Que tal?



— Bem pensado, vamos pro racha que tal? — Naruto sugere todo feliz e Neji deu um tapa na cabeça dele — AI!



— Que racha o que, mané, você é tapado ou o que? Não se lembra de tudo que a gente passou? — Neji perguntou irritado.



— Podemos ir a um restaurante Árabe! — Hinata se intrometeu como sempre. — Lá em Paris eu ia sempre a um restaurante árabe que ficava próximo a minha casa, a comida é muito boa, eu amo a cultura árabe, por falar nisso eu tenho aqui na minha bolsa um lenço que comprei na Arábia uns tempos atrás e... — blá blá blá quem é que escuta o que essa menina fala, ela não cala a boca e a maldita tem tudo naquela bolsa minúscula. Será que ela colocou um feitiço extensivo naquela bolsa? Só pode.



— Restaurante Árabe não. Eu tenho alergia a essa comida, uma vez comi e fiquei cheio de bolinhas pelo corpo... — Garra disse.



Neji interrompeu.



— Wow, o que você fez no cabelo? Está mais vermelho, cara?



— Ah cara, você percebeu isso agora?! To com esse cabelo há quase um mês! — ele disse fuzilando a Ino. Haha lembrei, foi a Ino que pintou o cabelo dele por pura maldade.



— Pô cara, que merda você fez? Seu cabelo era ruivo natural, era muito loco. — Neji disse inconformado.



— Sabe... — ele tentou dizer a verdade, mas a Ino foi mais rápida.



— Já sei, vamos para um barzinho! Inaugurou um aqui perto da empresa, a gente podia ir lá depois do expediente. — Ela mudou de assunto e deu aquele sorrisinho amarelo sínico.



— Bixa pilantra, você me cortou só porque eu ia contar que foi VOCÊ quem pintou meu cabelo contra minha vontade.



— E ME DEPILOU! — Naruto a denunciou.



— Hahahahahahahahaha... Calma ai, quando foi que isso aconteceu que eu não fiquei sabendo? Eu nem sabia que vocês se conheciam... — Sai disse apontando para Ino, Gaara e Naruto. E os três o olharam com cara de espanto.



— É que... É que.. — Naruto tentou se explicar, mas a Ino foi mais rápida.



— Combinado, vamos para o barzinho!



— Fechado, concordo, combinadíssimo, hoje depois do expediente. — Gaara apóia. Herr, seu safado! Não quer dedurar o Sasuke, né?



Deixei-os discutindo os detalhes da comemoração das MINHAS FOTOS E DO SASUKE, e fui procurá-lo, afinal ele me deve umas explicações do por que ele me ajudou. O que será que ele quer em troca? Dinheiro? Maldito.



Saí dali, e por extinto fui até a nossa sala atrás dele. Abri a porta e vi a peste sentado rabiscando alguns papéis todo emburrado.



— O que você esta rabiscando aí, hein? — tentei saber, me aproximei dele tentando ver o que ele rabiscava, mas ele me impediu colocando um livro em cima.



— Sai daqui vai! Vai lá comemorar com o seu namoradinho e os seus amiguinhos as fotos que você fez! Eu não me importo, pode ir! Eu nem ligo pra essas fotos mesmo, só quero o dinheiro, só isso!



— Ta doido? O que aconteceu com você, Sasuke?



— NADA, AGORA VAI EMBORA! — Ele gritou se levantando. Ele ta bravinho é? Bipolar! Eu é quem devia estar assim, e ele me deve explicações. Por isso, não arredei meu pé.



— Não grita comigo! Eu não sei o que esta acontecendo com você, mas não tem o direito de gritar comigo. E eu não vou sair porque trabalho aqui. — ele só pode estar doido, eu não fiz nada pra ele.



—Ta bom, então... — ele disse voltando a se sentar, colocou os cotovelos a sobre o livro que antes rabiscara e apoiou o rosto nas mãos, me encarando com aquele olhar misterioso que só ele tem. — O que você quer? — ele rosnou.



— Eu quero saber por que você esta assim? — ele cerrou os olhos e me olhou intrigado com a minha pergunta.



— Sabe, vi um livro e achei sua cara, se chama “Como cuidar somente da minha vida e ser feliz”, você devia ler. — ele disse.



— Só quero saber por que você está assim! Estão todos comemorando as nossas fotos e você... — ele me interrompeu:



— E por acaso você se preocupa comigo? HAHA, não seja sínica Sakura, vai lá beijar seu namoradinho e me deixa em paz.



— O quê?!



— É isso mesmo que você escutou. — ele disse e saiu batendo a porta.



— Sasuke! — gritei, mas ele não olhou. O que eu fiz para esse idiota ser tão grosso comigo? Ou pior o que fiz para ele me maltratar?



Meus olhos encheram de lagrimas e eu os enxuguei nervosa. Eu vou para aquele barzinho e vou esquecer de tudo o que aquele imbecil disse. Ele não vai me deixar mal, não vai, vou sair e esfriar a cabeça. Chega de Sasuke, to cansada dele e de tudo que ele me faz passar. To cansada da bipolaridade dele, cansada!



Arrumei minhas coisas e assim que encerrou o expediente, peguei minha bolsa e fui para casa. Tomei um banho, sequei meu cabelo peguei o vestido que o Rick me deu de presente do comercial, coloquei um salto bem alto, fiz chapinha no meu cabelo e enrolei as pontas.



Desci as escadas e peguei meu celular e fui direto pro barzinho encontrar com meus amigos.



AUUUUUUUUULLLL AULLLLLLLLLLL — meu celular tocou. Era a Ino.



— Sah, cadê você?



— To aqui na frente do barzinho. — disse enquanto o motorista do taxi estacionava o carro.



— Estamos te esperando, vem logo! — ela disse e desligou.



Dei o dinheiro para o motorista, peguei minha bolsa e desci do carro. O barzinho fica na segunda rua atrás da empresa, é um lugar aparentemente bem chique (típico lugar que a Ino freqüenta). Pelas paredes de vidro consegui enxergar o Naruto dançando com a Hinata, Neji na mesa tomando suco, a Ino no balcão - Obviamente pedindo bebidas alcoólicas - e meu namorado querido conversando com Gaara.



Quando coloquei os pés dentro do barzinho, senti que as pessoas começavam a me olhar, a cada passo que eu dava uma pessoa diferente parava pra olhar pra mim. Que estranho, será que meu dente está sujo de batom? Ou fiz xixi nas calças? Ou... Parei para me olhar e não vi nada de errado, corri até o banheiro para ver se meu dente estava sujo e nada. Saí do banheiro e fui em direção a mesa deles.



— Sakura! — Ino gritou. E todos olharam pra mim com a mesma cara de espanto que o resto das pessoas do bar. Sai se levantou e veio ao meu encontro.



— Amor, você esta linda! — Sai disse enquanto me dava aquele abraço de urso.



— Obrigada. — disse. Não estou com saco para ser a namoradinha perfeita e amorosa como ele quer. Soltei-me do abraço e fui cumprimentar o pessoal.



— Oi, Sah! — o Naruto gritou da pista de dança e a Hinata acenou. Perto deles estava Gohan dançando com uma menina loira — a mesma que eu vi com ele naquele dia.



Ino vinha do bar bem devagar com dois generosos copos cheios de bebida. Só depois percebi que o efeito câmera lenta era devido ao salto 15 que ela estava usando, tadinha... Mal se equilibrava. Segui com os olhos na direção em que ela ia, era a mesa mais afastada e mal iluminada do ambiente, com certeza dali dava pra ter uma visão privilegiada do resto do bar, quando as luzes da pista de dança cruzaram o lugar, iluminou o rosto de quem ali estava sentado... Sasuke.




Minha espinha congelou e logo me subiu uma vontade de encher a cara. Harr. E o que me impede? Dane- se reputação. Dirigi-me até o balcão de bebidas.




— Ei, quero igual ao que a moça loira acabou de levar! — disse.




— Sim, senhorita é pra já! — O barman disse enquanto preparava.





— Ei Sah, pode deixar que eu pago seu suco, amor. — Sai disse se sentando ao meu lado colocando sua mão sobre a minha. Eu tirei.





— Hahahahahaha, Sai querido, quem aqui vai tomar suco? — perguntei.





— Aqui está senhorita. — O barman veio com minha bebida.





— Sah, não pode beber isso, essa bebida é muito fort... — Enquanto Sai dizia, virei o copo dando um mega gole. Argh. Desceu rasgando minha alma, tive vontade de tossir e pedir por água, mas eu mantive minha postura. Isso aí, Sakura, isso aí. Ninguém precisa saber que você não sabe beber, herr. Mas a sensação era maravilhosa. Já podia me sentir melhor.





— O que dizia, querido? — perguntei ao Sai, que tirando o copo da minha mão me advertia como um babaca. Estraga prazeres.





— Sakura, ta maluca? Essa bebida não é pra moças que não tem costume de beber como você! — Como ele sabe?





— Me devolve Sai, quem decide sou eu! To cheia das pessoas me dizendo o tempo todo o que devo ou não fazer, ok? — eu disse.





— Você não sabe o que está dizendo, Sakura! O que, que há com você amor? Me conta, posso te ajudar.





— Devolve agora, Sai! — esbravejei. — Não vê que prefiro a bebida?





— Tudo bem por aqui, Senhorita? — O barman me perguntava com os olhos no Sai.





— Sim sim, está tudo bem obrigada, está tudo bem... — eu disse e ele se afastou, voltei a olhar o Sai. — Você pode, por favor, me deixar respirar? Não percebe que ta me sufocando, Sai? Deixe-me em paz! Pelo menos por uma noite, ok? — perguntei friamente. O Sai sem responder saiu do bar. Tomei outro gole da bebida que realmente funcionava, agora me sentia mais leve e a musica que estava tocando era tão legal, pensei em ir dançar. Mas antes passei na mesa em que o pessoal estava sentado. Mas eles também estão tão chatos! harr.




— Ei Sakura, o que disse pro Sai? Ele saiu daqui mauzão, sabia? Fui atrás, mas nem ao menos me deixou falar com ele! — Gaara perguntou.




— Azar! Se ele não sabe se divertir num lugar como este, tem mais é que ir embora mesmo. — dei de ombros.





— Ei Sah, esta bebida ai na tua mão... — Neji dizia, então olhei pro meu copo a que se referia e o interrompi.





— Xii, é mesmo, está vazio hehehehe... Vou pegar mais! — eu disse.





— Bom, eu ia dizer que é um pouco forte. — Neji disse.





— Poxa, também ia te dizer algo, sabia? — Perguntei ao Neji.





— O que ia dizer?





— Pra cuidar da sua vida. Hahahahahaha... — Disse e fui até o barzinho pedir mais uma bebida. E pelo visto não era apenas eu.





— Mais um drink sem vodka, por favor! — Gohan disse. Sua voz é inconfundível. Me virei para olhá-lo.





— Como vai, Sakura? — Gohan me cumprimentou.





— Olá, Gohan... — Disse surpresa. — Pensei... Que não quisesse mais falar comigo!





— Hehehe... Águas passadas. — ele disse enquanto a menina loira se agarrou a ele, toda sorridente.





— Pediu amor? Temos que voltar logo, não se esqueça que temos compromisso amanhã! — ela disse olhando pra ele, sem perceber que interrompia uma conversa.





— Amor, está é Sakura... Minha vizinha. — Gohan disse a ela.





— Own, me desculpe, Sakura... Prazer sou Temari ! Que lindos cabelos você tem. — Temari disse. Ela parecia ser tão legal, é uma pena que estou conhecendo-a logo hoje! Acenei pra ela com a cabeça e uma frágil tentativa de sorriso. Minha bebida e os drinks chegaram.





— Vem amor, vamos dançar só mais essa. — Temari puxou Gohan que bem feliz foi com ela. Logo Gohan que nunca gostou de dançar. Tomei outro grande gole.





— Ei, garota vai com calma aí... Hahaha. — Ino dizia ao meu lado.





— Não enche, Ino... — dei de ombros. E lá vai mais um mega gole. Opa!





— Menina... Queria poder ficar mais, só pra ver tu dando vexame... kkk.





— E não fica por quê?





— Bom... Digamos que eu tenha um namorado perfeito, e este não quisesse beber pra ter a garantia de que alguém sóbrio fosse nos levar pra casa em perfeita saúde. O problema é que não estou mais agüentando este salto triturando meu pé! E minha cabeça já está me causando problemas, então decidi ir embora. Como Neji e Gaara já vão, pedi pra eles me deixarem em casa. Naruto e Hinata vão depois com vocês.





— Vocês? — perguntei.





— Você não acha que ia te deixar aqui malucona sem ninguém, né? Ou estes dois bobos alegres que apesar de não terem bebido uma gota de álcool são mais doidos que este lugar todinho junto. Hehe. Prometi que daria uma recompensa ao Sasuke se ficasse pra cuidar de vocês. — Ino disse.





— Não precisa, estou bem. — Foi eu dizer isto e me desequilibrar do banco que estava sentada. Harr. Droga.





— Não, não está. — Ino disse como se estivesse olhando uma mendiga na sarjeta. Harr. Miserável me paga.





— Ino, eu vou sozinha, ok? Já disse que estou ótima, vou de táxi.





— Bom amiga, você que sabe, to indo ta, qualquer coisa me ligue. Beijo. — ela disse, mas parou e olhou pra trás novamente e completou. — JUÍZO! — Óh, que ironia passei a vida inteira dizendo isto a ela. Harr. Dane- se. Vou dançar.




Logo localizei na pista de dança dois maluquinhos loiros dançando macarena num ritmo que realmente não tinha nada a ver!! hahaha. Tinha muita gente estranha, aquelas luzes tão intensas me deixavam um pouco confusa, tava engraçado, tudo estava muito engraçado e eu nem sabia do que estava rindo. Só queria ficar livre pra me divertir. Então comecei a dançar, não fazia idéia do que estava tocando, apenas deixava meu corpo se movimentar ao ritmo, era tão divertido. Olhei pro chão, e me concentrei nos meus pés e de fato só havia os meus, então olhei em volta e havia se formado uma roda onde EU era o foco. E quer saber? Não estava nem aí, comecei a dançar, e as pessoas gritavam em aprovação, me elogiavam... E eu ria, era tão cômico pra mim, passei os olhos na multidão e num choque de consciência eu o vi. Ele olhava diretamente pra mim, então a roda se desfez e as pessoas se embaralhavam. Eu o procurava no meio da multidão dançante, mas o tinha perdido de vista, me senti um pouco tonta e minha cabeça começou a pesar. Pensei tê-lo visto novamente, mas eram muitas pessoas, tive um relance de Naruto e Hinata, mas estes também sumiram. Definitivamente não estava muito bem, pra completar tropecei no pé de alguém e logo depois senti alguém puxando meu braço.



— Sasuke, me larga. — resmunguei meio grogue.




— Ei gata dos olhos verdes, posso me chamar assim se você quiser, por mim tudo bem! — Um cara alto moreno e forte que eu não conhecia disse. — Vamos dançar?





— Não obrigada, não to me sentindo muito bem! — disse sentindo meu cérebro remoendo dentro da caixa craniana. Harr. Droga. Maldição de namorado chato.





— Não vai se recusar a dançar comigo, né gata? — o cara perguntou.





— Ei Kiba, deixa a garota em paz, seu mala. Kkkk. — Outro cara, evidentemente amigo dele disse de longe.





— Não enche... — Kiba gritou de volta.





— Pode me soltar, eu preciso me sentar. — eu disse ao Kiba que ainda me segurava. Harr, minha cabeça doía muito. Ele me puxou, me abraçando.





— Antes você vai dançar comigo gata, e depois a gente vai passear um pouco. Você vai gostar do meu carro, você vai ver. — Kiba dizia.





— Não, me solta... Preciso ir embora. — disse tentando me soltar.





— Tudo bem, gata... O que você quer ? É dinheiro? Toma, eu te dou dinheiro! Nós só vamos nos divertir, eu pago! — Kiba disse mostrando um bolo de dinheiro em minha direção. Comecei a chorar. Estava tonta e fraca.





— Me solta, por favor! — pedi aos prantos enquanto tentava me soltar dele. Quando Hinata e Naruto chegaram.





— Ei, solta ela! — Naruto disse me puxando e Hinata me abraçou. Sasuke apareceu do nada dando um soco na cara de Kiba.





— Por que pensou que podia tocar nela, seu verme? Por que tem dinheiro? Então olha o que eu faço com o teu dinheiro. — Sasuke pegou o bolo de notas que Kiba tinha em mãos e enfiou em sua boca. A multidão parou e os seguranças vieram separar os dois, um dos seguranças pegou o Sasuke pelo braço e o tal de Kiba e os levou em direção a saída. O segurança os jogou na rua. Naruto e Hinata me ajudaram e fomos ao encontro de Sasuke que estava muito nervoso com a cabeça encostada no carro de Neji.





— Como Neji foi embora com o Gaara, fiquei com as chaves dele, pode levar a Sakura, Sasuke. Eu e Naruto vamos de Táxi, assim não perdemos tempo. Ela não está nada bem. — Hinata disse. Sasuke abriu a mão e a estendeu e Hinata jogou a chave do carro.




— Não... Eu estou bem, vou sozinha, me deixem... Eu sei muito bem o caminho. — dei dois passos e cai. Harrrr. Mas que droga. Naruto e Hinata reviraram os olhos. Realmente todos os papéis naquela noite estavam se invertendo.



— Boa- Sorte, Sasuke! Vou indo com a Hinata, está muito tarde. Por hoje já deu tudo o que tinha que dá. Até amanhã cara, e nos dê noticias da Sah. — Naruto disse e Sasuke assentiu sem dizer nada. Os dois se foram.



Sasuke veio em minha direção e se agachou — eu estava espatifada no chão— , nunca senti tanta vergonha na minha vida. Ele tocou meu braço e ligeiramente me encolhi.



— Calma... — ele sussurrou. — Ta tudo bem. Vamos pra casa agora, ok? — completou e eu assenti. Então ele afastou os cabelos em meu rosto delicadamente, me puxou para si e me colocou em seu colo, senti quando me acomodou deitada no banco de trás. Em seguida... Apaguei.



Corrigindo: não apaguei, na verdade eu cochilei. Abri os olhos e percebi que ainda estava no banco de trás do carro do Neji. Sasuke acabara de estacionar o carro em frente a minha casa, e agora estava abrindo a porta e me puxando pra fora do carro.



— O que você está fazendo? — resmunguei tentando me soltar dele. Droga, meu estômago está revirado. — Me larga, Sasuke! Eu consigo andar!



— Puta merda, que bafo de álcool! — ele reclamou fazendo careta. Oh, até fazendo careta ele é lindo, não me contive e acariciei seu rosto. Ele arqueou as sobrancelhas não entendendo meu gesto. Rapidamente puxei minha mão, assustada comigo mesma. Oh meu Deus, o que eu to fazendo? É o álcool, é! É tudo culpa da bebida!!! — Agora fica quietinha aí que eu vou te levar pra casa.



— Não Sasuke, me põe no chão... Eu acho que vou vomitar. — expliquei, e ele fez careta novamente, mas desta vez não lhe acariciei. Em seguida ele me colocou no chão, senti falta dos seus braços fortes me apertando. Ai, eu to bêbada mesmo, só pode!



Meu estomago protestou novamente, fazendo-me correr para o canteiro de flores dos meus vizinhos. Ajoelhei-me e botei tudinho pra fora, Sasuke me ajudou segurando os meus cabelos. Nada romântico. É tudo culpa do maldito álcool. Argh, maldição de namorado chato!



— É nisso que dá não saber beber, menina irresponsável! Droga! Só quero ver o que a sua mãe vai dizer quando te vê assim. Acho melhor a gente entrar pela janela... — isso foi um pequeno sermão? Definitivamente os papéis estão invertidos hoje. Tapei sua boca com a minha mão, não queria ficar ouvindo-o reclamar, e ainda por cima, estava tonta e minha cabeça latejava. Maldito álcool!



— Shiii... Para de reclamar, minha cabeça ta rodaaaandooo... — dito isso, fiz uma demonstração, abri meus braços e comecei a girar. Hahahaha. Foi tosco, mas eu to bêbada, hahahaha. Girei, girei e girei, até que me desequilibrei e cai no chão, no meio da rua. Sasuke correu na minha direção segurando-me pelos braços com o rosto sério. Hehehe, ele ta brabinho? Achei aquilo tão engraçado. Hahaha. — HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA...



— Puta que pariu, você ta chapada! A Ino me paga por me deixar cuidando de você!



— HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA... — Droga , eu não conseguia parar de rir, minha barriga já estava doendo de tanta risada. Soltei-me do Sasuke e deitei no asfalto.



— Você tem problema na cabeça, Sakura? Para de rir porra! — ele disse, e parecia ter perdido a paciência. Então eu me calei, com muito esforço parei de rir. Eu preso pela minha segurança, herr. Então ele ajoelhou-se para me pegar no colo, mas não o deixei. Impaciente, Sasuke sentou-se ao meu lado, encarando-me. — O que há com você? Eu tenho que te levar pra casa, Sakura.



— Vamos ficar aqui fora só mais um pouquinho? — pedi. Na verdade, não queria entrar casa escutar os sermões da minha mãe, e depois deitar a cabeça no travesseiro e lembrar o que eu fiz ao meu namorado. O remorso tava batendo, Sai deve estar uma fera comigo! — A Lua está tão linda... Vamos ficar aqui só mais um pouquinho, Sasuke, por favor?



— Ta bom então. Mas depois eu vou te levar pra casa, ok?



— Ok. Agora deita aqui, vamos olhar a Lua... — disse.



Então nós dois nos deitamos no meio da rua pra admirarmos a Lua. Por incrível que pareça, ele não protestou pelo fato de estarmos correndo perigo de sermos atropelados, como o Sai faria. Sasuke é diferente, é sem regras, sem limites, não tem medo de nada, já o Sai é totalmente o contrário, nunca se deitaria no meio da rua para olhar a Lua com uma bêbada ao lado no meio da madrugada. Tirando-me dos meus pensamentos, Sasuke estendeu o braço e puxou-me mais para perto dele, apoiei minha cabeça em seu peito. Lembrei das fotos que fizemos, de como ele me distraiu e isso me deu uma idéia. Oh, meu Deus, é o efeito do álcool!



— Sasuke...



— O que?



— Tire uma foto nossa.



— O que?



— Tire uma foto nossa com o seu celular, vai, antes que eu me arrependa. — disse. Realmente o álcool faz milagres, sóbria eu jamais faria isso, herr. Sem mais perguntas, ele tirou seu celular do bolso, acionou a câmera e mirou em nós. Esperei por uma reação minha, tipo: tapar a câmera do celular com a mão, virar o rosto, fechar os olhos ou esconder o resto no peito do Sasuke. Mas isso não aconteceu, pelo contrário, eu vi o flash o celular dele! E isso significava que a foto foi tirada! O álcool faz milagres, ou o Sasuke faz milagres? Eis a questão.



— Pronto, aqui, pode olhar. — ele disse me mostrando a foto. Como eu já imaginava, ele saiu lindo, iluminado pela lua e pelo flash, sorrindo. Já eu, tadinha de mim, saí com cara de boba e bêbada com a cabeça no peito dele. Não gostei.



— Apaga isso, Sasuke! Pode preparar pra tirar outra, porque eu saí horrorosa, anda...



— Ahhh para com isso! Hehehe... Você saiu bonitinha, olha aqui seu cabelo rosa, ficou muito louco. Hehehe. — ele disse sorrindo, da minha cara na foto, é claro. Herr.



— Não tem graça. Pode apagando, Sasuke. Tira outra!



— Ta bom, ta bom... Então diga “ Xiis”... — ele disse, e mais uma vez mirou a câmera do celular na nossa direção. Eu sorri, ao invés de dizer “xis”, logo em seguida veio o flash. E mais uma vez, por culpa do álcool ou não. Por culpa do Sasuke ou não, consegui tirar mais uma foto, e ainda fazendo pose!! Era mais do que uma conquista para mim, era um medo vencido!



Sasuke me mostrou a foto. Nós dois sorrindo para a câmera, e lindos! Pisquei várias vezes e até belisquei meu braço para constatar que aquele na foto era realmente eu, e era!



— Sasuke, Obrigada! — agradeci com lágrimas nos olhos e me aninhei em seu peito. Apaguei!



Notas finais do capítulo

Comentem! Recomendem!! Beijos até o próximo!!



Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Rehab" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.