Meu, somente Meu Vizinho, Sasuke Uchiha. escrita por heyouitsady


Capítulo 40
Quase.





- Tá maluca é?- Ino disse sentada do meu lado, enquanto o professor falava e falava sobre a nova vida que íamos ter, sobre a nossa carreira e blabla, me lembrava muito o  jigglypuff, sabe aquele pokémon? Não? Ok. É a última aula do ano, apenas pra se despedir mesmo, muita gente faltou.- Não pode tomar uma decisão assim da noite pro dia. Você estava de cabeça quente, agora pode pensar melhor.

- Eu acho que posso tomar decisões como essa bem rapidamente. Mesmo agora de cabeça fria continuo certa de que quero ir embora. Não era você que estava me apoiando pra poder ir?

- Eu estava, quero dizer, ainda estou. Só acho errado como você está resolvendo isso. E também acho errado você me obrigar a sentar no lugar do Sasuke.

Olhei pro Sasuke que estava sentado no lugar da Hinata, na frente. Como cheguei antes dele e as meninas também, pedi que Ino sentasse no lugar dele e Hinata no lugar de Ino, pra que Sasuke tivesse que sentar longe de mim. Foi um custo Hinata aceitar trocar de lugar... Nerds. Ser um talvez seja bom... Saber das coisas, saber resolver problemas matemáticos... Que sonho.

Percebi que ainda encarava Sasuke pensando em matemática quando ele se virou e me encarou, parecia abatido. Virei o rosto rápido.

- Eu não quero que ele fique sabendo tá?- Falei olhando pra Ino.

- Tá, tá bom, você já disse isso três vezes. Já entendi.

- Então se puder, não conte ao Gaara.- Ela ficou me encarando.- Mas como sei que é impossível, faz ele prometer que não vai dizer ao Sasuke.

- Tá legal.- Ainda ficou me encarando.- Sakura, vou sentir sua falta.- Acho que a ficha dela caiu agora.

- Awn, eu também vou sentir sua falta baranga.- Ela fez uma careta e mostrou língua, sorriu e virou pra frente.

-----------------------

- É sério isso? Vai mesmo? Acho que não devia...- Naruto falava sentado de frente pra mim no refeitório.

Estávamos sentados eu, Naruto, Ino e Hinata na mesa. Gaara estava com Sasuke.

- Já me decidi. E Naruto... Eu sei que você é bem amigo do Sasuke, mas tem que me prometer que não vai dizer nada a ele.

- O QUE? POR QUE?- Gritou. Tão discreto, só que não.

Sasuke olhou pra nós.

- Fala baixo!- Dei um tapa na cabeça dele e Hinata logo depois passou a mão no local.

- Sakura-chan... Eu não acho justo você ir, e ainda mais sem dizer ao Sasuke.

- Eu não quero que ele venha falar comigo, entendeu? Se contar ele vai vir atrás de mim, dizendo pra que eu não faça isso, vai dizer que a culpa é dele, mas que não vai fazer outra vez.

- Mas a culpa foi dele.- Naruto disse.

- É, mas não quero falar com ele e pronto. Além do mais, não quero voltar atrás na minha decisão.

- Mas Sakura-chan...- Levantou, foi pro meu lado. – Eu vou sentir muito a sua falta!- Me abraçou e apertou, ouvi alguns ossos estalarem.

- Out... Naruto...

- Por favor, não vai, não vai, não vai.- Agora apertava e me balançava.

- Me... solta... tá... tá machucando!- Dei um soco na barriga dele, que me soltou rápido, colocou a mão na barriga.

- Grossa.- Disse abafado.

- Obrigada.- Sorri e ele sorriu de volta.

- Quando é que você vai?- Hinata perguntou.

- Bom... Eu vou arrumar minhas malas e se tudo sair do jeito que planejamos... Amanhã.

- O QUE?- Um coro de três vozes, Sasuke olhou pra nós outra vez e dessa vez, Gaara também.

- É... Bom, estamos no fim do ano e eu tenho que me instalar lá antes começar as aulas.

- Vai fazer o ensino médio de novo?- Ino perguntou.

- Mais ou menos, é como se fosse um supletivo ou algo do tipo.

- Entendo...

O sinal tocou e levantamos, fomos pra sala seguidos de perto por Sasuke e Gaara.

- Preciso falar com você.- Sasuke segurou meu braço enquanto andava atrás de Ino, Hinata e Naruto. Sua voz próxima a mim me fez arrepiar, odiei isso.

Vi Ino parando e olhando pra trás, logo depois Naruto e Hinata.

- Não temos nada pra falar.- Disse e me soltei. Ouvi ele soltando a respiração, parecia desacreditado que eu pudesse ter dito aquilo.

- Temos sim. Sakura, você precisa confiar em mim, eu amo você.

Fechei os olhos e virei o rosto.

- Eu não quero ouvir. Não quero ouvir você me dizendo mentiras de novo, não quero ouvir você outra vez.

- Sakura...- Começou a falar, mas me virei e continuei a caminhar.

Entrei em sala, me sentei e abaixei a cabeça. Ouvi Ino dizer alguma coisa pra alguém, talvez Hinata... Ouvi um “ é melhor ela ir “ e um “ dar um tempo “.

----------------------

Estava deitada na minha cama, tinha terminado de arrumar minhas malas. Ia sentir tanta falta daqui, das coisas do meu quarto, das pessoas, mas era o melhor. Eu sempre quis ir pros EUA, e agora eu podia.

Perdida nesses pensamentos ouvi uma barulho alto na janela, assustei e me sentei. Outra vez. Logo percebi que já conhecia aquele barulho, era como sempre, Sasuke tentando me fazer abrir a janela.

Voltei a deitar, não quero nem olhar pra ele.

- Sakura!- Ouvi a voz dele chamar.- Por favor, aparece!

Vou fingir que nem ouço.

- Sakura, não acha melhor falar com ele? Ele não para de gritar.- Minha mãe apareceu no quarto falando.

- Você já sabe mãe...- Falei ainda ouvindo Sasuke gritando.

- Há dias ele está assim.

Não respondi, minha mãe veio e sentou do meu lado, ficou calada, passando a mão no meu cabelo.

No dia seguinte eu já estava em clima de choro, acordei já com lágrimas nos olhos pensando no que eu deixaria pra trás. Peguei minhas malas, olhei pro espelho mais uma vez, passando a mão pelos cabelos e enxugando as lágrimas que caiam sem minha permissão. Eu queria ter controle do meu canal lacrimal (?).

- Filha, já está pronta?- Minha mãe perguntou do andar debaixo.

- Já!- Gritei e me dirigi até a porta.

Antes de sair, me permiti olhar pra minha janela, aberta desta vez, já que Sasuke está na aula. Ver a janela dele ali, coberta somente pela cortina me fez ter lembranças. Boas na verdade, mas boas apenas nas lembranças, pensar nele me fazia mal. Larguei minha mala e sentei na minha cama, de frente pra janela, encarando o quarto de Sasuke.

Não podia negar que por muito tempo tínhamos nos divertido, mesmo brigando a maior parte dele. Eu gostava de ouvir ele dizendo meu nome com tanta raiva ou quando ele fingia estar decepcionado comigo – o que eu realmente acho que era fingimento porque não tem como alguém se decepcionar tantas vezes com uma pessoa e não se acostumar com isso – ou quando ele ficava nervoso porque não ganhava de mim no video-game.

É... eu vou sentir muita falta. Talvez o erro foi termos tentado ficar juntos. Se tivéssemos continuado apenas amigos, apenas como irmãos, apenas... vizinhos.

Vizinhos...

Como seria a minha nova vizinhança? Eu sentiria falta de sapatos caindo na minha cara? Sentiria falta de sem querer pegar no flagra filmes pornôs? Não, com certeza não sentiria. Mas sentira falta de ver um rosto conhecido ali, um rosto que eu amava. Que eu amo.

É, eu amo. Mas não posso voltar atrás agora, não posso. Podemos sim gostar de outras pessoas, mas antes disso devemos gostar de nós mesmos. Minha mãe sempre me disse isso e ela está certa, completamente certa, irrevogavelmente certa. Eu tinha meu orgulho, e agora ele estava muito ferido.

Saí da minha cama, ficar ali não estava ajudando. Outra vez eu estava chorando e pra piorar, comecei a lembrar das coisas que Tsunade tinha me dito já fazia algum tempo.

"– Sabe...- Ela continuou.- Quando você encontra um oposto e gosta dele e esse amor é recíproco, você sente que completa a pessoa e a pessoa te completa. Agora imagine se vocês se separam?- Seu olhar ficou distante.- É como se fosse uma parte de você que também tivesse separado."

Uma parte de você... Ela tinha razão.

Peguei minha mala enquantos frases invadiam a minha cabeça daquele dia sem parar.

"- e então? o amor machuca? "

Desci as escadas com as minhas malas.

 "- é como se sua metade fosse embora, como se você morresse..."

Saí de casa junto com minha mãe e entramos no carro do meu pai que já nos esperava do lado de fora.

"- uma dor que vale a pena "

Olhei pra casa de Sasuke, sorri fraco. Uma dor que vale a pena... Será que realmente valia a pena? Gostar tanto de alguém e chorar por ela depois? Será que era realmente amor quando a outra pessoa te machuca? Quando ela mente?

 A rua passava rápida pelo vidro do carro e eu perdida em pensamentos. Olhei o relógio. Faltava cinco minutos pra as aulas acabarem. Para todos finalmente jogarem seus livros para cima e esfregar na cara dos outros que ficaram de recuperação que eles não iam ficar na escola nas férias.

Cinco minutos pra Ino, Hinata, Naruto e Gaara saírem da escola.

Cinco minutos para Sasuke sair da escola.

Ino havia me dito que assim que saíssem da escola iriam direto ao aeroporto pra se despedirem de mim. Mas não daria tempo, eles iam pegar um ônibus e provavelmente até lá eu já estaria dentro do avião. Me esforcei pra não chorar outra vez, apesar de eu já ter me despedido deles, ainda que não fosse oficialmente.

Uma dor que vale a pena. Esse pensamento voltou do nada e me fez refletir mais uma vez e então cheguei a conclusão de que valia. Valia sim. Valia o tempo que durava. Valia amar e ser amada, valia sentir a pessoa do seu lado, valia sentir as lágrimas. Valia sim, por sentir que era de verdade, por saber dos seus sentimentos, por saber que nada que veio de você foi fingimento.

Chegamos ao aeroporto, minha mãe pegou minhas malas e eu me dirigi até a entrada do mesmo. Logo que coloquei os pés do lado de dentro fui atacada por um bando de coiotes famintos.

- SAKURA!- Ino me abraçava tão apertado em volta do pescoço que eu senti meu sangue escapar da cabeça.

- SAKURA-CHAN!- Naruto era o primeiro a dar indícios que iria chorar, sua voz já estava entrecortada.

- Ainda bem que deu tempo de chegar antes de você!- Hinata também me abraçando dizia com a voz baixa.

- Não acredito que vocês conseguiram! Como chegaram tão rápido?- Perguntei e eles me soltaram.

- Saímos um horário antes.- Ino já estava com os olhos molhados.

- A gente... n-não ia... deixar você ir antes... antes de falar com você...- Naruto falava e fungava, limpando as lágrimas que já caiam.

- Naruto, pare de chorar.- Falei aquilo pra que eu também não chorasse, mas já sentia os olhos molhados.

- Então é isso? Você vai mesmo?- Hinata disse com uma tímida lágrima no canto do olho que mal pude perceber se ela não tivesse passado a mão rápido para removê-la.

- É... é isso. Obrigada por tudo, por todos esses anos.- Assim que terminei de falar eles me abraçaram de novo e todos choraram, pude ouvir minha mãe chorando também.

- Não chore querida, ela volta em pouco tempo.- Meu pai disse a abraçando.

Senti Konohamaru nos abraçando também. Eu não ia sentir falta dele. Mentira ia sim, ia sentir faltar de gritar com ele. Sorri com esse pensamento e soltei todos que estavam me abraçando.

- Calma gente eu volto... daqui a quatro anos, hê.- Sorri e eles fizeram careta. Depois riram junto comigo.

 Ficou um silêncio depois disso que foi quebrado por Naruto por uma frase muito sútil.

- Vou ao banheiro.- Só que não tão sútil.

- Que amor esse seu namorado.- Ino disse à Hinata.

- Cala a boca.- Ela disse e rimos.

- É melhor a gente ir andando.- Minha mãe disse.

Começamos a andar enquanto eu conversava com elas e tentávamos adivinhar como seria por lá. Parei em frente à grande janela que dava de frente pros aviões.

Depois de um tempo Naruto chegou.

- Você demorou.- Hinata disse.

- Achamos que você tinha entalado na privada.- Falei

- Mas é claro. Que não.- Ele disse me mostrando língua.- Vocês sumiram e eu não consegui achar vocês.

Entre intervalos regulares uma voz feminina anunciava os vôos que estavam decolando. E no meio da nossa conversa ouvi sua voz que anunciava a saida do meu vôo.

- Bom, é o meu.- Falei e todos me encararam com tristeza, exceto Naruto que me olhou como se não acreditasse.

- O que? Mas já? Tem certeza de que é o seu?- Falou rápido.

- Sim, é.- Olhei a minha passagem.- Tenho certeza. Bom... é isso, tenho que ir.- Abracei todos eles e depois minha família.

------------------------------------

Sasuke POV’s:

- Anda pai! Por favor!- Eu falava rápido pra que ele entendesse que eu estava desesperado.

- Sasuke! Gritar não vai fazer o portão se abrir mais rápido, acalme-se. Já estou saindo.

Eu estava parado na garagem, esse portão nunca demorou tanto a abrir. Eu estava completamente inquieto. Gaara ao meu lado tentando me consolar inutilmente.

- Calma, cara. Vai dar tempo.

Naruto havia me dado um telefone a pouco, me dizendo que Sakura estava indo embora. Como ela pôde não me contar? Pior! Por que ninguém me contou? Principalmente Naruto. Desconfio que Gaara também já devia saber, ele não ficou tão surpreso quanto presumi que ficaria, mas eu não queria discutir sobre isso agora. Não queria e nem tinha tempo para isso.

Assim que o carro saiu eu corri e entrei no banco da frente, Gaara entrou e sentou nos bancos de trás.

Meu pai arrancou o carro, fomos até o aeroporto comigo dizendo repetidamente pra que meu pai acelerasse mais. Acho que paramos em todos os sinais vermelhos possíveis. Cada um deles com um xingamento meu de brinde. Gaara e meu pai estavam calados, talvez não quisessem me parar agora.

Assim que o carro entrou no estacionamento do aeroporto, mal esperei que parasse, abri a porta e saltei. Corri o máximo que pude deixando Gaara pra trás que tentava me alcançar.

Entrei no aeroporto, muitas pessoas indo e vindo, fiquei procurando sem parar qualquer pessoa conhecida. Fiquei andando entre elas até que avistei a cabeleira bagunçada de Naruto ao longe, alto daquele jeito não podia sumir facilmente. Acelerei o passo e vi que Ino e Hinata estavam de frente a ele, falando e gesticulando.

- Cadê a Sakura?- Disse respirando sem parar. Eles olharam pra mim.

- Tarde demais!- Ino foi a primeira a falar, a voz dura. Gaara ficou ao seu lado.

- O que?- Senti como se tivesse sentido um soco no estômago. Sakura tinha ido? Eu não cheguei a tempo?

- É isso mesmo.- Hinata disse.- Ela já foi embora. E os pais dela já voltaram pra casa. Ficamos aqui esperando você.

- Ela... Ela foi mesmo?...- Falei mais pra mim mesmo. Olhei pra Naruto.- Você! Se tivesse me ligado antes! VOCÊ DEMOROU DEMAIS!- Avancei pra cima dele.

Nós dois caímos no chão e pouco tempo depois senti mãos segurando meu braço e ouvi um choro, quando levantei a cabeça era Hinata indo socorrer Naruto que estava com a boca sangrando.

- Tá maluco?- Gaara perguntou.- Como assim bater nele pelo seu atraso!- Olhei pra ele, me soltei rudemente.

- Não culpe o Naruto! Ele pelo menos ligou pra você. Nenhuma de nós duas ia fazer isso.- Ino falou do lado de Gaara olhando pra mim.

Aquela frase ficou ecoando na minha cabeça. Olhei pra Naruto que estava sendo abraçado por Hinata e me encarando com a boca sangrando.

- Dexculpe cara... Eu... Eu axei que ia dar tempo...- Falou com a mão na boca.

De repente era como se a ficha tivesse caído. Eu me arrependi de ter batido no Naruto, agora eu olhava pra ele e com remorso de mim mesmo. Olhei em volta, todos me olhando, não apenas o nosso grupo, mas algumas pessoas que por ali passavam também me encaravam.

Dei um passo pra frente, ainda sendo encarado, aos poucos sendo apenas pelo nosso grupo. Assim que percebi que as pessoas continuaram seus caminhos caminhei mais um pouco, fiquei ao lado de Naruto, coloquei a mão em seu ombro. Eu não sabia o que dizer. Apenas dei um tapa de leve e caminhei pra fora do aeroporto.

Entrei no carro do meu pai, fechei a porta.

- E então? Falou com ela?

- ...

- Sasuke?- Virei a cara pra janela.- Hum, tudo bem.

Ele arrancou o carro e fomos pra casa.

- Sasuke! E então? Como ficou? Cadê a Sakura?- Minha mãe me bombardeou de perguntas.

Apenas passei por ela e fui pro meu quarto, fechei a porta e antes de me sentar na cama olhei pra janela dela. Estava aberta, cortinas ao vento. Não pensei duas vezes, pulei pra dentro dele. O cheiro dela ainda estava nele, pude ouvir a voz de seus pais no andar de baixo. Andei calmo e silenciosamente pelo quarto, apenas observando. Eu sabia que ela iria voltar em quatro anos. Mas ainda assim... Como seria? Se ela achasse outra pessoa? Se ela ainda assim não quisesse me ver mais? Ela foi sem saber de nada... Sem ouvir nada...

A verdade é que nem eu poderia explicar muita coisa, eu não me lembro. Tudo que eu me lembro era ter tido uma dança incrível com ela, onde a música nunca foi tão curta. Depois disso apenas flashes.

Me lembro vagamente da voz dela me pedindo para ir buscar algo pra beber, depois disso me lembro de segurar um copo que uma garota familiar me deu. E então... Branco. Sentei na cama, coloquei a mão na cabeça, eu tinha que me lembrar. Um flash apareceu na minha cabeça, uma voz nojeta chamando meu nome e me abraçando.

Música alta, mais um flash, olhos verdes em mim, arregalados. Outro flash... Lágrimas, um tapa que me fez ficar parcialmente acordado. Agora eu via com mais claridez, mas ainda assim sabia que nada saía da minha boca. Um branco e finalmente tudo veio à tona, um soco bem dado, caí na mesa, ouvi uma voz irada, Naruto. Vi seu rosto, inacreditável, uma mistura de descrença e raiva.

Senti como um soco na barriga. Agora eu entendia. Eu não tinha bebido nada, não estava bêbado. Aquele copo que aceitei... mais uma armação. Dessa vez até seu eu me visse naquelas condições iria me bater. Não devia ter aceitado, devia ter saído o mais rápido. Parece que não posso ser simpático com nenhuma garota... Exceto uma.

Uma lágrima quente. Chorar não vai adiantar, limpei rápido. Eu não podia deixá-la sem que ela soubesse da verdade, sem que ela entendesse. Mas como provar à ela? Ainda mais agora.

Era triste, na verdade, trágico. Eu não sabia quando poderia falar com ela outra vez.



Notas finais do capítulo

Enjoy it sz'