Meu, somente Meu Vizinho, Sasuke Uchiha. escrita por heyouitsady


Capítulo 33
Mamãe e Papai Finalmente em Casa.


Notas iniciais do capítulo

AAAH NAO ACREDITO. CONSEGUI ENTRAR. E o mais estranho de tudo é que eu entrei pela outra conta que eu fiz (?). Sério mesmo, eu coloquei o login e a senha da nova conta. E deu aqui .-., POR QUE O FANFICTION GOSTA DE RIR DA MINHA CARA? TÁ FAZENDO DE PROPÓSITO? COÉ, CÁI PRA MÃO (?).
Anyway, se não ocorrer mais trollagens pela parte de vocês-sabe-quem ( não, não é o Voldemort ) eu continuarei postando aqui linda e diwa NN.
Agora ao cap. õ/



AINDA BEM LERÊRE, hoje é Saturdaaaay (?). E melhor ainda, meus pais voltam hoje, awee ~.

Acordei e olhei pra janela esperando ver aquele dia lindo e maravilhoso, totalmente ensolarado... E não estava assim, estava nublado e ventava pouco. Engraçado como em dia de semana o dia tá sempre lindo e final de semana tudo fica cinza, uhum, muito bom. Percebe-se claramente como a mãe natureza sempre está a nosso favor.

MAS EDAE? É sábado do mesmo jeito e verei meus pais divos voltando, os pais do Sasuke também, coisa catita ~. Catito vai ser contar que a gente tá namorando, explicar quem é Ranny e como ela chegou até aqui. Será que o colégio vai querer falar com meus pais sobre a Karin? Santo Cristo! Minha mãe vai arrumar barraco. Por favor, tenham esquecido, por favor tenham esquecido.

- Sakura? O que foi?- Olhei pra porta e Konohamaru estava lá.

- Lombrou mano, lombrou.

Ele me olhou com cara de " que sá' menina tá arrumando? ". Não ia falar nada pra ele, porque ele é bocudo e contaria tudo, fact.

- Mamãe e papai voltam hoje.- Falei e caminhei até a porta.

- SÉRIO? HOJE? QUANDO VOCÊ FICOU SABENDO?- Ele segurou meu pulso.

- Ontem.

- Por que não me contou ein?- Fez cara de bravo.

- Porque eu sabia que você ia fazer essa sua cara de bravo.- Mentira, eu esqueci. Apertei as bochechas dele.

- Ai! Sai daqui.- Falou.

- É você que está no meu quarto coisa inteligente.

Ele ficou olhando pra mim, depois mostrou língua e foi embora. Depois rola da escada e ninguém sabe porque (?) N.

Fui em direção ao banheiro, quando abri Sasuke estava lá, fazendo suas necessidades.

- Ai meu Deus!- Fechei a porta logo, mas tive tempo de perceber que ele se assustou.

- BATE ANTES DE ENTRAR.- Ele gritou.

- VOCÊ SEMPRE TRANCA A PORTA, PORQUE HOJE VOCÊ ESQUECEU?

- EU NÃO ESQUECI, EU NÃO IA DEMORAR AQUI DENTRO.

- MENTIRA, VOCÊ DEMORA PRA PASSAR SUAS MAQUIAGENS.

- O QUE?!

- Que gritaria é essa?- Ranny apareceu, subindo as escadas.

- Sasuke esqueceu de trancar a porta.

- E...- Ela incentivou.

- E eu entrei e peguei ele no flagra.- Falei e passei por ela descendo as escadas.

- Mentira!- Ela disse e começou a rir, vindo logo atrás de mim.- E aí? O que você viu?- Ela disse, mesmo sem olhar pra ela, eu sentia que ela estava com aquela cara de tarada.

- Que isso menina! Não vi nada!- Fui até o banheiro de baixo e entrei.- Nem queria ter visto mesmo.- Falei e tranquei a porta.

- Seeeeei.- Ela disse.

- É você que quer fazer obcenidades com o Itachi ok?

- EU NÃ... Itachi oi, bom dia.- Ouvi ela falando e depois a voz de Itachi, muito semelhante a um zumbi, falando. Parece que eles foram pra outro lugar, porque as vozes foram sumindo.

-------------------------------------

- Sakura, arreda pra lá poxa, tá apertado.- Sasuke reclamava enquanto tentava ter mais espaço na cama e sem querer arrancando meu fone de ouvido.

- Para!- Falei e peguei o fone.- O quarto é meu.

Ele olhou pra mim. Isso, vai jogar na cara mesmo?

- TÁ UÉ, o fone é meu, se quiser continuar ouvindo fica quetinho.- Ele fez cara de bunda.- I can't live without you, and maybe twoooo is better than oneee (8'.- Canto mesmo.

- Eu sei, viver sem mim já é insuportável pra você.- Ele disse. Povo que entende inglês são outros quinhentos né?

- Táquepariu, não posso cantar mais. AAH ESSA É PRA TU. Fuck you, fuck you very very muuuuch (8'.- Falei e ele riu, girou e ficou por cima de mim, confesso que me senti um pouquinho sem graça.

Ele começou a me beijar e de repente foi descendo pro meu pescoço. Eu sentia meu corpo todo se arrepiar, coloquei a mão na nuca dele subindo para seus cabelos, ele olhou pra mim, passou a mão de leve no meu rosto e logo depois encontrando a minha boca com a sua. Ficamos assim por um tempo, até que ele desceu a mão, indo pra minha cintura e segurando minha blusa quando...

- SASUKE? ITACHI? CHEGAMOS!- Uma voz feminina vinha do primeiro andar da casa.

- ... Mãe?- Sasuke disse ainda em cima de mim.

Ele se levantou rápido, foi pra frente do espelho no quarto e começou a arrumar o cabelo e as roupas que estavam bagunçados.

Olhou pra mim que também já estava de pé e por sinal, sentindo que minhas bochechas estavam queimando, nem consegui olhar pra cara do caboclo.

- Sakura...- Ele começou.

- Oi?- Falei como se nada tivesse acontecido, passando a mão no cabelo pra ajeitar.

- Seus pais devem ter chegado.- Agora ele estava sério.

- Claro ué.- Olhei pra ele.

- Então você vai ter que ir pra sua casa não é?- Ele continuava com a mesma expressão, mas eu sabia, pela sua voz, que ele não estava feliz.

- É, acho que sim.- Fui até ele.- Que vozinha triste ein.- Falei e passei a mão no seu rosto, ele sorriu fraco.- Para Sasuke, não é como se eu me mudasse de casa, você pode pular no meu quarto quando quiser.

Ele olhou pra mim e sorriu malicioso.

- Boi.- Empurrei ele e saí andando rápido pra ele não ver minhas bochechas pikachu.

- SAAAAKURA,VAMOS LOGO MENINA. PEGA SUAS COISAS.- Minha mãe nada escândalosa gritou do andar debaixo.

- Ainda bem que os Uchihas já se acostumaram com isso.- Ouvi meu pai dizendo enquanto eu dava meia volta na escada pra ir pro quarto e pegar minhas coisas.

- O que você quer dizer com isso?- Ela disse, provavelmente com aquela pose de mãos na cintura e sombrancelhas unidas. Eu ri lembrando, um mês que não via ela fazendo isso, apesar de não estar vendo agora, mas eu tou imaginando, É COMO SE FOSSE, afu, pare de discutir com você mesma, sua louca.

--------------------------------------------

NOCKNOCK ~ [/onomatopeiadealguembatendonaporta

Olhei pra trás e vi Itachi na porta que já estava aberta.

- Fala Itachi.- Falei enquanto terminava de arrumar minhas coisas, pensando se não havia deixado nada para trás.

- Então vai mesmo?- Ele disse entrando no quarto.

- Ah sim, a menos que você convença meus pais de que eu posso ficar aqui e que dispesas não serão problemas.- Falei enquanto guardava a minha escova de dentes.

- Posso fazer isso.- Ele se sentou do lado da minha mala e ficou olhando pra mim. Ele, apesar de tudo, é boa pessoa sabe... Eu gosto dele.

Eu ri.

- Tá bom. Primeiro, eu não sou tão folgada assim, apesar de parecer. Segundo, minha mãe nunca ia permitir uma coisa dessas e terceiro... eu não tenho terceiro, mas queria ter pra finalizar.- Falei e fechei a mala.

Itachi riu, mas ainda sim chateado. Ele parecia mais incomodado que Sasuke. Eu tinha que conversar com ele sobre Ranny, e tinha que ser agora.

- Itachi, eu preciso te falar uma coisa.

- Hun?- Ele olhou pra mim interessado agora.

- Sobre a Ranny.

- O que tem ela?

- Eu queria te perguntar primeiro, porque você ainda não a mandou embora, sabe, porque ainda gosta de tê-la aqui. Com você.- Falei olhando seriamente pra ele.

- Bom, eu não sei. Eu gosto dela aqui, é bom conversar com ela, ter ela por perto me faz bem... Ciúmes Sakura?- Ele sorriu. Afu, vai ser complicado.

- Sério que me perguntou isso mesmo?- Fiz uma careta.- Mas é sério. O que você acha dela?

- Ah, eu acho uma pessoa incrível, amável, engraçada e bonita.

- Tá, como pessoa, e como mulher?

Ele ficou me encarando e eu não desviei o olhar um só minuto.

- Hun.- Ele olhou pra frente.- Eu gosto dela, acho que até poderíamos dar certo.

- Por que nunca disse nada a ela?

- Não sei.- Mas que topeira. Ele olhou pra mim.- Acho que por sua causa.- Sakura ficando sem graça em 3,2,1.

- Anm...- Agora era minha vez de olhar pra frente.- Itachi, você não percebe que você só “ gosta “ de mim- Imitei as aspas com as mãos.- porque você nunca conseguiu ficar comigo?

- Que idiotice Sakura, você tá parecendo aquelas mulheres de trinta e tantos anos falando com um garotinho de vinte que não entende nada da vida. Agora deixa eu te explicar, o mais velho aqui, não é você.- Ele disse e eu olhei pra ele.- Eu sei bem a diferença entre gostar de alguém só por atração e porque talvez nunca vá ficar com a pessoa e quando você gosta da pessoa de verdade. Sakura, eu gosto de você.- Ele estava sério e naquele momento eu queria ser um avestruz pra enfiar minha cabeça no chão.

Fiquei o encarando e depois engoli em seco, levantando e pegando minhas coisas.

- Pois então, é melhor tentar achar outra pessoa. Porque eu amo o Sasuke.

- Eu sei. E até hoje não entendo o porque de você gostar dele.

- Eu não entendo o porque de você gostar de mim. Olha pra mim.- Apontei pra mim.- Nada aqui.- Estava de frente.- Nada aqui.- Virei de costas.- Completamente diferente das garotas com quem você sái.- Peguei minha mala e já estava pronta pra ir.

- Não é o que elas tem e você não, é o contrário.- Fiquei calada pra ouvir.- Você tem personalidade, é divertida, inteligente quando quer.- Será que foi um elogio?- Enfim, você é você, a Sakura, e eu gosto disso.

Poxa, agora estou comovida, de verdade. Não pensei que fosse assim. Pode dizer que nem vocês sabiam né? Que isso, é o Itachi gente, ninguém ia imaginar. Será que é mentira?

- Não sou só eu que sou assim. Tem muitas garotas que também tem personalidade.- Lembrei da Ranny.- Que são engraçadas e fofas.- Ranny².- Que podem até ser melhores do que eu.- Ranny³, não queria ter lembrado, mas sim, pois é. Ela realmente é 152565621 vezes melhor do que eu pro Itachi, mas não vou falar pra ele, ele tem que perceber.

- Se você diz.- Ele se levantou.

Veio caminhando até mim, colocou a mão no meu rosto e ficou me olhando, os olhos pulando de um lado pro outro, me estudando.

- Não queria dizer e saber disso.- Ele disse.- Mas desde sempre você foi do Sasuke, sempre mais feliz com ele, sempre mais nervosa com ele, sempre mais sentimental com ele... O mesmo digo dele, sempre mais você.- Globo a gente se vê por aqui. NN, corta clima, mas quem mandou vocês lerem uma história escrita do meu ponto de vista?- Acho que eu só estou com inveja. – Uni as sombrancelhas sem entender.- Porque você e o Sasuke se amam com a mesma intensidade, do mesmo jeito. Sem um desequilíbro entende?- Olhei pro lado. Será mesmo? Porque de verdade, eu amo muito o Sasuke, as vezes me pego pensando se ele sente o mesmo.- Tsc.- Itachi soltou meu rosto.- Espero que sejam felizes.

Caminhou até a porta enquanto eu ficava imóvel olhando pro nada. Antes dele sair, o chamei.

- Hey.- Ele parou.- Eu também espero que você seja muito feliz. Na verdade, eu sei que vai.- Sorri.

Ele sorriu também e saiu do quarto. Respirei fundo. Esse povo com despedidas parecendo que eu vou pro outro lado do mundo.

- Então, aqui estou.- Falei em pé, de frente pros meus pais com pose de galã de novela (?).

- Demorou ein.- Minha mãe linda, 1beijo.

- É porque eu estava pensando se não tinha deixado nada pra trás.

- Bom que não tenha deixado mesmo! Vamos logo.- E quando todos já estavam passando pela porta Ranny apareceu com algumas sacolas.

- Ranny?- Vish, eu queria ir embora antes que todos a vissem, assim só o Sasuke e o Itachi iam ter que resolver o quebra-pau.

- Onde vai com essas malas?- Ela olhou pros meus pais.- Ah! São seus pais? Já voltaram? Você é a cara da sua mãe.

- Quem é Sakura?- Minha mãe perguntou.

Logo depois Sasuke apareceu pra ver o que era, e quando ouviu seu pai dizendo “ o que está acontecendo “, arregalou os olhos. Acho que não sou só eu que estou suando frio.

- Anm, mãe, essa é a Ranny.- Falei.

- Hun, prazer.- Minha mãe disse e a comprimentou, meu pai fez o mesmo.

- É, ela é a nova namorada do Itachi.- Konohamaru disse. Vish, o moleque dedou.

- Nova namorada?- Mikoto disse olhando pra Ranny.

Tadinha, ela estava ficando roxa de vergonha. Cadê o Itachi?

- Desde quando?- Fugaku perguntou. Eu sei que na hora eu nem tinha nada a ver, mas a voz dele me assusta, fiquei com medo dele me bater (?).

- Que bolo de gente é esse na porta?- Itachi chegou, aeae, vam’bora.

- Itachi, quer se explicar?- Mikoto perguntou.

- É, vamos embora.- Falei e já estava começando a andar quando minha mãe me segurou pelo pulso.

- Peraí que eu quero ver o que aconteceu e se você tá no meio.- Mãe que prevê cagadas da filha, essa arte a minha domina.

Depois de muita explicação omitindo alguns fatos, como por exemplo, do Itachi ter bebido até quase a inconciência por minha causa, estávamos todos sentados no sofá da casa dos Uchihas e já estava ficando tarde.

- Bom... Eu não vejo nenhum mal em ela ficar aqui.- Disse dona Mikoto.- Mas você tem que falar com a sua família querida.

- Tudo bem, eu ligo. Muito obrigada Sra. Uchiha.- Sra. Uchiha? Desde quando ela é educada assim?

- Ah, que isso. Me chame de Mikoto.- Ela sorriu e olhou pro Fugaku.

- Hun, por mim.- Ele disse ainda sentado. Ae, Ranny não é mais uma sem-teto.

- Bom, nós temos que ir.- Meu pai disse e se levantou, FINALMENTE.

- Foi ótima a viagem. Eu adorei.- Minha mãe disse e meu pai sorriu.

- Eu também gostei muito!- Mikoto disse.- A gente devia viajar mais juntos.

- Com certeza. – Fugaku disse. Todos olharam pra ele, poxa, a viagem deve ter sido boa.- Nós temos que marcar.

- Claro.- Meu pai disse.- Vamos indo então.

Todos se despediram e Sasuke, sua mãe e seu pai, foram nos levar até porta.

- Tchau Sasuke, o lugar que eu vou é longe demais e só poderei te ver uma vez ao mês, ou quem sabe em dois meses? Não sei quando animarei de pegar o metrô.- Falei fazendo draminha. Meus pais e os dele riram.

- Tá legal. Escreva cartas.- Ele disse e sorriu.

 Eu sorri e o abracei, quando o soltei e virei de costas pra ir embora, ele segurou meu pulso e me beijou, na frente dos pais dele, e na frente dos meus. Fu, ele poderia ter arranjado um jeito mais sei lá, devagar de mostrar, ou contar. Uma reunião de família, um dia quando decidissímos o que falar. Mas não, ele TINHA que fazer isso. Falar pros pais dele vai ser fácil, depois da bomba da Ranny, que era uma desconhecida, eles nem devem ter estranhado tanto. Mas e os MEUS pais? Afinal, eu fiquei na casa do Sasuke né? Minha mãe deve tar’ pensando coisas horrendas a respeito... Vish, agora que olhei pra cara dela estou ainda mais nervosa, ela tá me olhando com uma cara de ‘ que que você foi fazer no mato maria-chiquinha? ‘



Notas finais do capítulo

E deram 8 pag. de word. Wee ~, feliz pela conta de volta e esperando nao ser trollada again, obrigada (?).
Enjoy it ♥'