Inesperado Destino escrita por Polly Saldanha


Capítulo 13
Feeling


Notas iniciais do capítulo

Leiam e la em baixo eu me explico
BJs




>—

Segunda-feira esse dia da semana não poderia começar piorar. Não me admira que ninguém goste dia, principalmente quando se e acordado por Arthur, o meu divino agente.

— Vamos Nessie, pule dessa cama. - O pior de todas a situação e que ele estava gritando pra caramba.

— Arthur eu preciso dormir. Os benditos da Dior podem muito bem esperar.

— Não podem não.

— Podem, sim.

— Não têm problema já estou quase chegando na sua casa. Vou te arrancar dessa cama com minhas próprias mãos. Alias o gostosão Black esta em casa?

— Não seu atrevido, ele não esta. - Jacob tinha saído mais cedo do que o normal. Dei graças a deus por isso assim pude usar a cama todas pra mim.

— Que peninha.... mas não faz mal eu estou quase chegando pra te arrancar dessa cama e ..........- me cansei desliguei o telefone na cara e me deitei voltando a dormir.

Pouco tempo depois Arthur me ligou de novo e depois fez isso umas dez vezes. Até que atendi.

— O que foi agora? - eu perguntei irritada.

— Fala pro seus seguranças me deixarem entrar, por favor. - ele falou calmo.

— Ah! Bem feito isso e por não ter me deixado dormir.

— Vai nessizinha, me deixa entrar.

— Tudo bem. - depois que autorizei a sua entrada ele invadiu a minha casa como uma bicha louca, gritando e com certeza assustando todas as pessoas da casa. A porta do meu quarto foi aberta com uma grande violência, mesmo assim não me deixei abalar. Apenas me virei na cama e resmunguei.

— RENESMEE CARLIE BLACK!!!!LEVANTA DESSA CAMA AGORA!!! - a bicha louca entrou gritando.

— Que horas são?

— Faltam exatamente 1h e 30 minutos. - ele me informou. Me levantei muito devagar, só pra irritar mesmo. Fui até ao banheiro arrastando os pês, tomei um banho um tanto demorado e sai enrolada na toalha. Arthur estava andado de um lado pro outro num gesto nervoso e batendo o sapato no chão fazendo um barulho muito irritante

— Anda logo você têm dez minutos. - ele falou entre dentes. Deu um sorriso sínico e coloquei uma roupa qualquer, pente o meu cabelo e me coloquei na frente de Arthur.

— Estou pronta.

— Já não era sem tempo, vamos. - ele pegou no meu braço e me puxou pra fora.

— Hei! Eu ainda não comi nada, e o café da manha e a refeição mais importante do dia. -eu falei. Eu estava sendo extremamente infantil, mas eu gosto de irritá-lo.

— A gente passa num lugar qualquer pra você poder comer alguma coisa. - Ele disse me empurrando pra dentro do carro.

— Tudo bem, mas eu preciso dos meus remédios.

— Você hoje ta mesmo querendo me irritar né? Vai lá mas e só em nome da sua saudade. - sai do carro e entrei em casa de novo peguei nos meus remédios e voltei.

— Vamos ou vou mesmo chegar atrasada.

— Ta vendo? Eu te AVISE!Mas ninguém me ouve. Como sou incompreendida. - Arthur entrou em uma crise parou para que eu pudesse comer super estressado. Dizendo que a minha imagem iria ficar arruinada se eu chega-se atrasada e bla,bla,bla...

Quando chegamos ao lugar da secção ele calou a boca e deu um de santinho. Conheci todas as pessoas com que iria trabalhar e encontrei gente muito engraçada como por exemplo a maquilhadora que tinha um estilo meio gótico e ficou na cola de Arthur.

— Hei! Bicha eu preciso de espaço pra trabalhar.

— Nossa, querida estresse matinal faz mal para os poros, vamos com calma no balaio. - Arthur respondeu. Kelly, a maquilhadora, lhe lançou um olhar completamente sombrio e horripilante e Arthur em menos de 5 segundo já tinha sumido dali. Eu comecei a rir e entrei num completamente crise que comecei a chorar as pessoas estavam todas olhando pra mim. Com certeza me achando uma completa louca mas pouco tempo já estavam todos rindo também.

Quando eu estava controlada, me vesti. A roupa da secção era completamente adorável era um tutu preto com um espartilho super brilhoso e com apliques grande e pequenos também super brilhante.

Depois de umas horas de secção que foi muito divertida uma das mais que já fiz até hoje. As pessoas estavam relaxadas e a vontade, não havia formalidades o que ajuda muito na hora do trabalho. Conheci a criadora do perfume que adorou as fotos o que me deixou feliz.

No final do dia eu já estava voltando pra casa, Arthur finalmente tinha arrumado um rumo pra ele e me deixou em paz.

Cheguei em casa completamente cheia de energia, apesar do meu dia a minha energia parecia estar em alta. Subi até ao meu quarto, joguei a bolsa em cima da cama e olhei a minha volta procurando algo para fazer. Ainda era 17h da tarde ainda tinha muito tempo pra me divertir. Liguei o som no máximo e comecei a dançar tava tocando a Peacock da Katy Perry.

Começei a dançar e a cantar.

I wanna see your peacock, cock, cock
Your peacock, cock
Your peacock, cock, cock
Your peacock
I wanna see your peacock, cock, cock
Your peacock, cock
Your peacock, cock, cock
Your peacock

Eu quero ver o seu peru, peru, peru
Seu peru, peru
Seu peru, peru, peru
Seu peru
Eu quero ver o seu peru, peru, peru
Seu peru, peru
Seu peru, peru, peru
Seu peru

Comecei a pular como louca pelo quarto, e a cantar muito desafinadamente. Abri uns botões da camisa que estava vestido, tirei a calça e fiquei andado assim pelo quarto. Pulei em cima da cama. Fiz tudo o que uma adolescente louca iria fazer.

— O que você ta fazendo? - Jacob perguntou. Me assustei com a sua presença e parei de repente. Ele continuou na porta com a sua duvida e eu fiquei parada corada. A musica continuou tocando. Senti as minha bochechas queimarem. Eu com a blusa aberta com o sutiã aberto, sem calças e com uma escova na mão.

— Sabe essa musica e bem interessante.....- Ele disse rindo. Rapidamente comecei a me mexer. Desliguei o radio, fechei a blusa e vesti a minha calça.

— E muito interessante. - me sentei no sofá. - Vou dar uma festa para as menina sexta-feira. - eu informei

— Não vai não. - ele negou.

— Posso saber porque? - eu perguntei me levantando.

— Porque eu vou dar uma festa para os meninos na sexta-feira. Por isso você não vai poder dar a sua festa.

— Vou sim. Pode levar os seus amigos pra outro lugar menos aqui.

— Não, essa festa vai acontecer aqui.

— Não enquanto a minha festa estiver sendo feita. - eu gritei.

— Vou sim.

— Não vai.

— Você e que não vai. - ele disse.

— Vou porque você não manda em mim. - Falei firme me virei e sai do quarto batendo a porta com o máximo de força que consegui.

Passei pela biblioteca peguei o primeiro livro que vi, fui até ao jardim e me sentei lá lendo o livro. Fiquei lendo até a hora do jantar, quando uma das empregadas veio me chamar para jantar. Entrei na sala e me sentei, Jacob já estava lá esperando por mim para começar a comer. Me sentei e comecei a comer.

— Renesmee porque a gente discutiu?

— Por sua culpa. - eu respondei e continuei comendo.

— Tudo bem. Pode fazer a sua festa. - ele cedeu e suspirou. Me senti mal por ele ter que desistir da festa dele.

— Não, faz você a sua. Eu posso fazer a minha outro dia. - eu falei arrependida.

— Porque a gente não junta as duas festas? - ele recomendou.

— Boa ideia.

— Eh mesmo. Eu sou genial. - ele disse todo convencido.

— E convencido também.

— Mas você gosta, não gosta? - ele perguntou e me encarou com um olhar que me deixou estranha. Talvez feliz, não sei mas foi uma coisa estranha, uma nova sensação, mas muito boa. Continuei comendo e a pensar sobre a festa.

Fui dormir completamente cansada, acho que a minha cota de energia foi toda gasta para um dia só.



— Uma festa jura?

— Sim, na sexta feira.

— Que legal sabe a muito tempo que eu não vou a uma festinha. - Leah falou suspirando. E se sentou na mesa colocando a bandeia de comida e se sentado.

— Eu também não.

— Uma coisa o Jacob também vai fazer uma festinha com os amigos deles.

— Espera o Quil vai ta lá? - Claire perguntou super exitada.

— Eu acho que sim, mas porque? - eu perguntei desconfiada, como seu eu não soubesse

— Nada....só curiosidade. - ela tentou disfarçar comendo uma batatinha.

— Depois dos pegas que você deu nele na Itália só curiosidade não convence né Claire. - Leah disse. - Admite que você ta gostando do cara ele e até gostoso. - Claire lhe lançou um olhar mortal. - Sim ela gosta dele.

— Como você sabe?? - ela perguntou cuspindo em cima de mim.

— Além do obvio, você ficou com ciumes quando eu disse que e gostoso.

— Gente!!! O que eu faço?? Eu nunca tentei conquistar um garoto antes. Preciso da vossa ajuda. - Claire pediu completamente desesperada. - Nessie você e casada o que eu faço? - ela me perguntou. No mesmo momento as meninas da minha turmas estavam passando e se interessaram pela tema da conversa.

— E Renesmee conta pra gente como você conquistou o Gostosão Black? - uma delas perguntou.

— Hei ele ainda continua sendo meu marido. - eu falei inconsciente mas não gostei

— Desculpa, mas fala logo. - em questão de segundos parece que todas as meninas da faculdade estavam a volta da nossa mesa me esperando falar. Engoli em seco e lancei um olhar mortal a Claire por falar alto demais ela se retraiu na cadeira. Olhei em volta pra aquele muito olhares curiosos. Certamente eu estou tramada.




>—

>—

>—



Notas finais do capítulo

Minha amadas!!!
Ok vou me explicar a demora foi porque eu começei atrablhar numa nova fic vou colocar a sinopse. E ai a pessoa aqui se deixou levar e quando dei por mim já era segunda. Eu sei ta todo mundo querendo me matar porque a o capitulo e pequeno e eu demorei mas na semana que vem eu tenho a certeza que vocês vão AMAR o capitulo que, eu já começei a escrever e vai ser o maximo essa festinha!!!
Ta aqui na sinpse e me digam o que acham que eu começo a postar rapidinho.

Uma replubica.
Oito Jovens.
Uma Faculdade.
Muita confusão.
Quando oito jovens completamente sem noção. Quatros meninos loucos por rachas e muito gatos. Quarto meninas completamente louca por compras e totalmente estilosas. Se resolvem juntar não a quem os pare, esse oitos loucos e completamente apaixonados uns pelos outros. Muita confusão vai pintar na área mas eles vão se sair de maneiras bem interresantes.
E ai! Vai querer perder?

Me digam o que acham. Quero opnioes