A Aposta escrita por Annie Chase


Capítulo 5
Vizinhos


Notas iniciais do capítulo

Mas um cap!*-*



Pov:Annabeth

 Saí da escola,tinha de achar o caminho,era uma casa nova e eu não sabia bem para onde ir,olhei ao redor d rua da frente da escola,tentando me lembrar de onde moro.Decidi seguir pala direita,mas logo que fiu até esquina bateu-me um panico,estava em um beco escuro e sem saída,decidi voltar,mas aí dos caras apareceram na saída,mal encarados eles falaram alguma coisa entre si,mas pela cara que faziam eu podi dedicir o que era,eles avançaram rindo.Meu coração bateu com forç e minha respiração vacilou.Desejei nunca ter saido de São Francisco e vindo para Nova York,era uma cidade grande e perigosa,quis naquele momentio ter um amigo,mas não deu certo,não tinha ninguém lá para me ajudar,fechei os olhos e respirei fundo,tentando me preparar para qualquer coisa.

 Mas então um carro preto apareceu atrás dos caras,a porta abriu e adivinha quem saiu de lá:Quem disse um super-héroi,errou.Era Percy,ele simplemente confrontou os caras.

-Qual é a de vocês?-perguntou para eles-Deixem ela em paz.

-É quem você pensa que é?-Perguntou um deles.

-Foda-se-ele socou o cara-E você vai encarar?-perguntou ao outro.

-Não valeu-e correu para longe,olhei pra o que tinha levado o soco e ele estava com o nariz sangrando e se retorcendo de dor.

-Vem comigo.-disse ele apontando para o carro.

-Eu...ah...-estava sem palavras e assustada,sem falar que eu tremia.

-Vem-disse ele me pegando pelo braço.-Temos de sair daqui,ele pode ter amigos.

-Ta-disse entrando no banco do passageiro.

 Dirigimos por um tempo sem dizer nada,eu ainda estava tremendo,mal consegui colocr o cinto de segurança,Percy me olhava com um olhar calmo.Até que disse:

-Você está bem?

-Estou-falei respirando fundo.

-Não,não está.-disse ele-Onde é sua casa?-perguntou.

-É...-peguei meu caderno procurando o indereço.

-Você não sabe onde mora?-perguntou ele num tom de zombaria.

-Me mudei ontem,ainda não decorei.-respondi.

-Me dá aqui-disse ele estendendo a mão para o papel.

-Ponha as duas mãos no volante-faloi rápido.

-Eu te salvo de um bando dois idiotas e você não confia em mim-falou ele fazendo uma cara dramática.

-Segurança em primeiro lugar.-falei.

-Você nem disse obrigada.-flou ele ainda sendo dramático.

-Obrigada,mas coloca as duas mãos no volante-disse eu.

-Tudo bem...Peraí-disse ele do nada.

-O que foi?

-Você é minha vizinha,mora na casa ao lado.

-Isso é ruim?

-Não para mim,é para você?

-Não,mas a Rachel vai detestar.-nos rimos.

-É aqui-disse ele parando em frente a minha casa-É aqui não é.

-É sim,obrigada-disse eu aliviada.Ele e eu saimos do carro e ele me levou até a porta.

-Casa legal,já está mobilhada?-perguntou ele.

-Obrigada,já está sim.-falei.

-Te vejo depois-disse ele saindo da varanda.

-Percy!-eu o chamei

-O que?-disse ele virando de costas.

-Obrigada,de novo.-falei corando.-Sem você eu...

-Tudo bem,foi um prazer.-ele deu um sorriso que me fez corar mais.

-Até logo!-disse eu.

-Até!

 Subi para o quarto ainda atordoada,Percy tinha me salvado de algo que concerteza deveria ser muito ruim,mas tudo bem.Fui para a varanda do meu quarto,abri a porta e sentei na cadeira que ficava perto das flores.Olhei para a casa da frente que também tinha um varanda,igual a minha,lá estava Percy,aquele era o seu quarto e naquele momento ele tirava a camisa.Voei por um cinco minutos,eles era super musculoso,fiquei com pena do cara que ele socou,deve ter feito um bom estrago,virei o rosto,não era normal corar desse jeito.Entrei de novo no quarto e peguei um livro,sentei na cadeira de novo e começei a ler,ate que Percy,notou que seu quarto era na frente do meu.

-Olá,de novo-disse ele sorrindo.

-Olá-falei.

-Você precisa de ajuda com aquelas caixas?-disse ele apontando para muitas caixas, que eu ainda não tinha visto,paradas perto da minha estante e na bancada,provavelmente eram livros que eu tinha de guardar.

-É,acho que sim.-respondi.

-Eu tenho a tarde livre,posso te ajudar,se quiser é claro.-disse ele,olhei para seu rosto e uma pergunta veio em minha mente.

-O que acontece com esse Percy na escola?

-Como assim?

-Esse seu lado prestativo,aposto que seus amigos não conhecem.

-Você acha que sabe de tudo-disse ele-Mas não sabe,sou muito díficil para você entender-disse ele sorrindo.

-Talvéz sim,talvez não-fiz cara de filósofa-Ainda não sei.

-Quer ajuda ou não?-perguntou ele.

-Quero-disse eu desistindo de falar sobre isso.

-Ótimo,afate-se um pouco-pediu ele eu me afastei.Ele pulou da varanda dele para a minha.

-Você é doido?-perguntei.

-Só um pouco,vamos lá-disse ele entrando no quarto.

 Depois de uma hora,tinhamos arrumado todos os livros na estante e por todo o quarto,quando terminamos ele disse:

-Foi bom passar esse tempo com você-disse sorrindo.

-Que bom-falei sorrindo.

-Já mudou sua imagem sobre mim?-perguntou ele.

-Sim,mudei-era verdade-Você não é o mané que eu pensei que fosse.

-Bom atender aa suas espctativas.-disse ele sorrindo.

-Que bom,obrigada por me ajudar-falei.

-De nada.-disse ele indo para a minha sacada.-Adoro essa vista da rua-disse ele-É tão calmo.

-Verdade.-disse olhando o horizonte com ele.

-Vou indo,até logo.

-Até.-disse eu.Ele se aproximou do meu rosto me deu um beijo na bochecha.

-Até-disse ele pulando de novo para a sua sacada e entrando no quarto.

 Fiquei lá parada olhando para o nada,pensando naquele beijo,significou algo para mim,mas e para ele?Entrei no quarto e tirei aqueles pensamentos da cabeça.

-Ah,Percy...O que você faz comigo?-falei deitando na minha cama.



Notas finais do capítulo

O Beckendorf aprece no proximo cap.Não esqueci dele.Mandem Reviews.