Castlecalibur: Especial de Natal escrita por TriceSorel


Capítulo 2
Parte 2: é Natal!





            Jean-Eugène foi chamar Mathias para o café da manhã, mas, ao entrar em seu quarto, viu que a cama estava arrumada. Foi até o laboratório-escritório do rapaz e encontrou a luz acesa, mesmo sendo de dia, e o rapaz dormindo debruçado sobre uma papelada na escrivaninha, com a mão direita ainda segurando uma caneta pena.

            Havia muitos livros abertos sobre a mesa, compasso, um globo de madeira como mapa, uma pequena maquete do sistema solar, tubos de ensaio com experimentos, uma lupa, tabela periódica, um sextante (antigo objeto cheio de detalhes e firulas utilizado para medir a altura dos astros), uma luneta, um relógio de sol e outros cacarecos.

            - Dormiu estudando de novo... – comentou Jean-Eugène para as paredes.

            - É de praxe. – respondeu uma das paredes, mas só na cabeça de Jean-Eugène.

            Aproximou-se da escrivaninha e cutucou o rapaz, que dormia com a cabeça apoiada nos braços.

            - Ei, acorde, já é de manhã.

            - Ahn... Jean-Eugène...?

            O belíssimo rapaz, cujas longas madeixas negras como a peste negra estavam ligeiramente bagunçadas, levantou a cabeça, ainda confuso.

            - Você dormiu sobre a mesa de novo.

            - Ah... sim... eu estava tentando descobrir a cura do câncer, a solução para acabar com a fome nos países pobre e a razão da torrada sempre cair com a geléia virada para o chão ontem à noite, mas acho que Morfeu chegou primeiro e me levou para o país dos sonhos... – explicou ele usando uma belíssima metáfora sobre o deus grego do sono.

            - Você tem trabalhado demais! Por que não se dá umas férias e aproveita o clima de festividade do castelo? Estão todos se preparando pro Natal.

            - O quê? Natal? Já estamos em Dezembro?

            - Sim, pequeno gafanhoto! Você fica trancado nesse laboratório todos os dias, todos os minutos, e se esqueceu que os dias passam e que o sol brilha lá fora para acalentar os corações nérdicos!

            - Eu não gosto de sol.

            - Não importa. Venha, o café da manhã tá na mesa...

            Mathias acompanhou Jean-Eugène até a mesa do café, onde encontrou sentados à mesa Rafael, Amy, George Lucas, Siegfried com Link, Rinaldo, Hilde, Leon e Trevor. Mathias cumprimentou a todos e sentou-se na cabeceira. Jean-Eugène sentou-se próximo a Rinaldo.

            - Mat, quero que você conheça o George Lucas! Ele tá interessado em dirigir o filme do Príncipe Rafael! – comentou Rafael.

            - Isso mesmo, até já escalei o Ewan McGregor pra fazer o papel principal! – comentou o americano diretor starwarzistico.

            - Sim! E o Liam Neeson vai ser o rei! – seguiu Rafa.

            - Em breve começaremos a filmar! – seguiu George. – Quero lançar antes do Natal.

            - Por falar em Natal, era sobre isso que eu queria falar... vocês já começaram os preparativos para o Natal? – perguntou Mathias, servindo-se de café.

            - Sim, penduramos uma meia no hall com as listas dos pedidos de Natal! – explicou Leon. – Foi idéia do Trevor.

            - Sim, perto da caixa de correspondência o Papai Noel vai enxergar melhor do que na lareira. – explicou o sensato caçador de vampiros.

            - Na lareira deixamos as meias para os doces! – lembrou Amy, feliz.

            - Organizamos tudo, já! Se fôssemos depender de você, o Natal seria um fracasso. – lembrou Hilde.

            - Eu estava ocupado, afinal, eu sou o único que trabalha aqui! – defendeu-se Mathias.

            - Eu também trabalho. – defendeu-se George Lucas.

            - E eu também. – lembrou Rinaldo.

            - E eu, então... que pego no pesado. – comentou Jean-Eugène.

            - Sim, estou dizendo dos moradores do castelo. George e Rinaldo não contam... e sou eu que pago o salário do Jean-Eugène, uma vez que a fortuna que o Rafa herdou ele passou pro nome da Amy, e ela só pode mexer no dinheiro quando completar dezoito anos! – explicou Mathias.

            - Só porque você paga as contas tem que ficar jogando na cara? – ofendeu-se Leon.

            - Desculpe... eu não dormi bem essa noite. Mas diga, Hilde, como vocês organizaram as coisas?

            - Eu organizei. – ressaltou ela. – Foi bem simples. O Sieg e o elfo estão encarregados de montar a árvore de Natal... O Leon e o Trevor vão decorar a casa. Eu e a Amy vamos organizar a festa. O Rafa vai conseguir as roupas, ele disse que conhece grifes francesas muito boas e que elas são fãs do Príncipe Rafael. O George vai cuidar da sonorização da festa. O Rinaldo vai nos ceder alguns enfeites de Natal... o Jean-Eugène vai cuidar da limpeza e da culinária.

            - Tá, e eu?

            - Você vai até a Finlândia falar com o Papai Noel e perguntar se ele não pode vir até a nossa festa! Se quiser, ele pode participar do amigo secreto!

            - Amigo secreto?

            - Sim! Vamos fazer um amigo secreto de Natal... vamos fazer o sorteio depois do almoço. 





Hey! Que tal deixar um comentário na história?
Por não receberem novos comentários em suas histórias, muitos autores desanimam e param de postar. Não deixe a história "Castlecalibur: Especial de Natal" morrer!
Para comentar e incentivar o autor, cadastre-se ou entre em sua conta.